segunda-feira, 30 de setembro de 2013

O ESPIRITO SANTO É FOGO CONSUMIDOR!


SEM LENHA O FOGO SE APAGA (Pr. Geziel Gomes)

1 COMENTÁRIOS


SEM LENHA O FOGO SE APAGA
(Pr. Geziel Gomes)
Provérbios 26:20.


Introdução: VIVEMOS NA DISPENSAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

1.      AT – Dispensação do Pai
2.      Evangelhos – Dispensação do Filho
3.      De Atos 2 até o Arrebatamento- dispensação do Espírito

I.A BIBLIA, UNICA FONTE DE INFORMAÇÃO SOBRE  O ESPÍRITO SANTO

4.      Ele é uma Pessoa
5.      Ele é uma Pessoa Divina
6.      Ele é a Terceira Pessoa da Trindade Divina

II.                  OS 7 PRINCIPAIS SÍMBOLOS DO ESPIRITO SANTO

1.      Água, Jo 7. 38,39  
2.      Vento, Jo 3.8 
3.      Óleo, Sl 45.7
4.      Chuva, Sl 72.6 
5.      Pomba, Mt 3.16
6.      Orvalho, Os 6.3
7.      Fogo, Atos 2.4
.
III.                POR QUE O FOGO SIMBOLIZA O ESPIRITO SANTO?

1.Porque o fogo ilumina, Ex 13.21; Sl 78.14
2.Porque o fogo purifica, Ml 3.2,3
3.Porque o fogo afugenta as feras,
4.Porque O FOGO QUEIMA, destrói o supérfluo.
 
IV.               OS SETE SEGREDOS DO AVIVAMENTO, Gn 22

1.      Abraão cortou a lenha, v.3
2.       Isaque levou a lenha, v.6
3.      Isaque mostrou a lenha para Abraão, v.7
4.      Abraão pôs em ordem a lenha, v.9a
5.      Abraão deitou Isaque em cima da lenha, v.9 b
6.      O sacerdote acende a lenha cada manhã, Lv 1:17
7.      A lenha precisa ler trazida a Deus como oferta. Ne 13.31
Conclusão: Deixa O Fogo De Deus Tomar Conta De Tua Vida Como Lenha Preciosa

1.      A chamada de Moisés:  o fogo ardendo na sarça
2.      A vitória de Elias: o fogo descendo sobre o altar
3.      O ponto alto da vida de Salomão:  o fogo no Templo
4.      A inauguração da Igreja: línguas de fogo no Pentecoste

Gideões 2012 - Pr. Geziel Gomes, esse homem é de DEUS! prega a verdade?

sábado, 28 de setembro de 2013

JESUS É O MAIOR EVANGELISTA DO SECULO. ALELUIA

Versículos Bíblicos, que ajudam fortalecer a Fé

Versículos Bíblicos para meditar e memorizar!Abaixo você encontrará alguns versículos Bíblicos, que ajudamfortalecer a Fé, e que também representam o testemunho da Bíblia sobre a importância das orações, assim como a importância na constância da exatidão na comunhão com Deus através da palavra, meio fiel de manter-se conectado com a plenitude do Espírito Santo. No eterno amor de Cristo, que Deus abençoe a cada um assim como também atendendo e indo de encontro com todas as nossas necessidades!
  • Antigo Testamento
Buscai o Senhor, enquanto se pode encontrar; invocai-O, enquanto está perto.
- Isaías, 55:6
Toda a carne virá prostrar-se diante de Mim e me adorará diz o Senhor.
- Isaías, 66:23
E acontecerá que, antes que eles clamem, eu os ouvirei; estando eles ainda a falar, eu os atenderei.
- Isaías, 65:24
Mas aqueles que contam com o Senhor renovam suas forças; dá-lhes asas de águia. Correm sem se cansar, vão para a frente sem se fatigar”
- Isaías, 40,31
Meu coração, ó Deus, está preparado, o meu coração está preparado. Cantarei e entoarei salmos no meio da minha glória.
- Salmos, 107:2
Louvar-Te-ei no meio dos povos, Senhor. E entoar-Te-ei salmos entre as nações, porque a Tua misericórdia elevou-se acima dos céus e a Tua verdade até às nuvens.
- Salmos, 107:4
O Senhor está perto de todos que O invocam, de todos os que O invocam com sinceridade. Ele fará a vontade dos que o temem, atenderá a sua oração, e os salvará.
- Salmos, 144-18-19
Então as palavras da minha boca te serão agradáveis, e a meditação do meu coração será sempre na tua presença. Senhor, meu amparo e meu redentor.
- Salmos, 18:15
O Senhor se aproxima dos que o invocam, daqueles que o invocam com sinceridade. Ele satisfará o desejo dos que o temem, ouvirá seus clamores e os salvará.
- Salmos 144,18s

  • Novo Testamento
E, quando orais, não sejais como os hipócritas, que gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, a fim de serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, ora a teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê (o que se passa) em segredo, te dará a recompensa. Nas vossas orações não useis muitas palavras como os gentios, os quais julgam que serão ouvidos à força de palavra. Não os imiteis, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais.
- Mateus, 6:5-8

Buscai, pois, em primeiro lugar, o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vosd serão dadas por acréscimo.
- Mateus, 6:33
Pedi, e vos será dado; buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á. Porque todo o que pede, recebe; e o que busca, encontra; e a quem bate, abrir-se-vos-á.
- Mateus, 7:7
Jesus disse-lhes: Por causa de vossa falta de fé. Porque na verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará, e nada vos será impossível.
- Mateus, 17:20-21
Ainda vos digo que, se dois de vós se unirem entre si sobre a Terra a pedir qualquer coisa, esta lhes será concedida por meu Pai que está nos céus. Porque onde se acham dois ou três congregados em meu Nome, aí estou eu no meio deles.
- Mateus, 18:19-20
E tudo o que pedirdes com fé na oração o recebereis.
- Mateus, 21:22
Vigiai e orai, para que não entreis em tentação. O espírito na verdade está pronto, mas a carne é fraca.
- Mateus, 26:41
Por isso vos digo: Tudo o que pedirdes na oração, crede que o haveis de conseguir e que o obtereis. Quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai-lhe, para que também vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe os vossos pecados.
- Marcos, 11:24-25
Vigiai, pois, orando sem cessar, a fim de que vos tornei dignos de evitar todos estes males que devem suceder, e de aparecer com confiança diante do Filho do homem.
- Lucas, 21:36
Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade, porque é destes adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito e em espírito e verdade é que o devem adorar os que o adoram.
- João, 4:23-24
Tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei.
- João, 14:13-14
Despedidas as turbas, subiu só a um monte para orar. Quando chegou a noite, achava-se ali só.
- Mateus, 14:23
Nós, porém, ocupar-nos-emos totalmente na oração e no ministério da palavra.
- Atos, 6:4

O VERDADEIRO ESTUDO ESTÁ NA BÍBLIA SAGRADA DO CRISTÃO, LEIA DIARIAMENTE! COM FÉ. AMÉM

SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
6
EDIFICANDO UMA IGREJA COM PROPÓSITO
Estabelecendo Uma Fundação Para o Crescimento
INTRODUÇÃO
Fazendo a pergunta certa: O que está IMPEDINDO a igreja de crescer?
O que torna uma igreja saudável? A resposta: O EQUILÍBRIO
A igreja é um corpo – 1 Co. 12.27
Dirigir significa "Guiar, controlar ou direcionar".
Toda igreja é dirigida por alguma coisa:
• Tradição
• Pessoa
• Finanças
A Alternativa Bíblica: Tornar-se uma igreja com PROPÓSITO!
“Muitos propósitos há no coração do homem, mas o desígnio do Senhor permanecerá.”
(Pv. 19.21)
"... edificarei a minha igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela."
(Mt. 16.18)
“Segundo a graça de Deus, lancei fundamento como prudente construtor ... Porém
cada um veja como edifica ... Manifesta se tornará a obra de cada um; porque está
sendo revelada pelo fogo [a obra de cada um] ... Se permanecer a obra de alguém, esse
receberá galardão.”
(I Co. 3.10-14).
A IGREJA COM PROPÓSITOS
• Descobre os propósitos
• Comunica os propósitos
• Aplica os propósitos
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
7
I. DESCOBRIR OS PROPÓSITOS
A Importância de Compreender os Propósitos da Igreja
1. ELEVA A MORAL
“... não haja entre vos divisões; antes, sejais inteiramente unidos, na mesma disposição
mental e no mesmo parecer.“ (I Co. 1.10)
2. REDUZ A FRUSTRAÇÃO
“Tu, Senhor, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme.“ (Is. 26.3)
“Homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.“ (Tg.1.8)
“Debalde tenho trabalhado, inútil e vãmente gastei as minhas forças.“ (Is. 49.4)
3. PERMITE CONCENTRAÇÃO
(Paulo) "...Porém uma coisa eu faço: esqueço aquilo que fica para trás e avanço para o
que está na minha frente." (Fp. 3.13 - BLH)
4. ATRAI COOPERAÇÃO
“Levanta-te, pois esta cousa é de tua incumbência, e nós seremos contigo.“ (Ed. 10.4)
“Vocês têm me ajudado no trabalho do Evangelho.” (Fp. 1.5 )
5. AJUDA NA AVALIAÇÃO
“Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé.” (2 Co. 13.5)
COMO DEFINIR OS PROPÓSITOS DE DEUS
PARA A SUA IGREJA
• Estude a Bíblia.
• Estude as Imagens da Igreja.
• Estude as Igrejas do Novo Testamento.
• Estude os Mandamentos de Cristo.
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
8
Versos que têm relação com os Propósitos da Igreja
Mateus 5.13-16 João 13.34-35 Ef. 2.19-22
Mateus 9:35 João 20.21 Ef. 3.6, 14-21
Mateus 11.28-30 Atos 1.8 Ef. 4.11-16
Mateus 16.15-19 Atos 2.41-47 Ef. 5.23-24
Mateus 18.19-20 Atos 4.32-35 Cl. 1.24
Mateus 22.36-40 Atos 5.42 Cl. 3.15-16
Mateus 24.14 Atos 6.1-7 1 Ts. 1.3
Mateus 25.34-40 Rm. 12.1-8 1 Ts. 5.11
Mateus 28.18-20 Rm. 15.1-7 Hb. 10.24-25
Marcos 10.43-45 1 Co. 12.12-31 Hb. 13.7,17
Lucas 4.18-19 2 Co. 5.17-6.1 1 Pe. 2.9-10
Lucas 4.43-44 Gl. 5.13-15 1 Jo. 1.5-7
João 4.23 Gl.6.1-2 1 Jo. 4.7-21
João 10.14-18 Ef. 1.22-23
PROPÓSITOS DA IGREJA
• Adoração
• Evangelismo
• Comunhão
• Discipulado
• Ministério
CARACTERÍSTICAS DE UMA BOA DECLARAÇÃO
DE PROPÓSITOS
• BÍBLICA
• ESPECÍFICA
• TRANSFERÍVEL
• MENSURÁVEL
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
9
A IGREJA COM PROPÓSITO EM UMA SENTENÇA
Os cinco propósitos da igreja estão presentes nas duas declarações
mais importantes de Jesus:
O GRANDE MANDAMENTO
"Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo
o teu entendimento. Este é o primeiro grande mandamento. O segundo,
semelhante a este é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” (Mateus 22.36-
40)
A GRANDE COMISSÃO
“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do
Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar as cousas que vos
tenho ordenado. E eis que estou convosco sempre.” (Mateus 28.19-20)
“U UM GRANDE COMPROMISSO
AO GRANDE MANDAMENTO
E À GRANDE COMISSÃO
FARÁ CRESCER UM GRANDE CRISTÃO E UMA
GRANDE IGREJA!”
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
10
Os Cinco Propósitos da Igreja
1. Adoração Mateus 22.37
2. Ministério Mateus 22.39
3. Evangelismo Mateus 28.19
4. Comunhão Mateus 28.19
5. Ensino Mateus 28.20
Jesus PRATICOU em seu ministério estes cinco propósitos (João 17.1-26)
V.4 - "Eu te glorifiquei na terra" (ADORAÇÃO)
V.6 - “Manifestei o teu nome aos homens que me deste no mundo.” (EVANGELISMO)
V.8 - “Eu lhes tenho transmitido as palavras que me deste.” (ENSINO)
V.12- “Quando eu estava com eles, guardava-os ... e protegia-os.” (COMUNHÃO)
V.18- “Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo.” (SERVIÇO)
A igreja primitiva CUMPRIU estes cinco propósitos (Atos 2.41-47)
“Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, ... E perseveravam na doutrina dos
apóstolos e na comunhão, no partir do pão e orações ... Todos os que creram estavam juntos e
tinham tudo em comum ... Diariamente perseveravam unânimes no Templo, partiam pão de
casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria ... louvando a Deus ... Acrescentavalhes
o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.”
Paulo EXPLICOU estes cinco propósitos (Efésios 4.11-16)
“E Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e
outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho
do seu serviço para a edificação do corpo de Cristo. Até que todos cheguemos a unidade da fé
(isto e comunhão) e do pleno conhecimento do Filho de Deus (discipulado que leva a
maturidade), à medida da estatura da plenitude de Cristo; de quem todo corpo, bem ajustado e
consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte efetua seu
próprio aumento.”
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
11
EM RESUMO, A IGREJA EXISTE PARA:
1. Celebrar a PRESENÇA de Deus em Adoraçāo
Propósito: "Exaltar nosso Mestre"
“Engrandecei o Senhor comigo, e todos, a uma, lhe exaltemos o nome.” (Salmo 34.3)
“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor.” (Salmo 122.1)
2. Comunicar a PALAVRA de Deus aos incrédulos
Propósito: "Evangelizar nosso campo missionário"
“A coisa mais importante que eu faço é completar minha missão, o trabalho que o
Senhor Jesus me deu a fazer, pregar as boas novas da graça de Deus.” (Atos 20.24)
3. Trazer a FAMÍLIA à Comunhão com Deus
Propósito: "Encorajar nossos membros"
“Sois parte da família de Deus” (Efésios 2.19)
4. Ajudar o POVO de Deus a Crescer Através do Discipulado
"Educar para maturidade"
“... com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço
para a edificação do corpo de Cristo.” (Efésios 4.12-13)
5. Demonstrar o AMOR de Deus Através de Ministério
"Equipar para o ministério"
“... com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço..."
(Efésios 4.12a)
A DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO DA
IGREJA SADDLEBACK
"Trazer pessoas a Cristo e à afiliação com Sua Família, para
desenvolvê-los em maturidade cristã, equipá-los
para o seu ministério na igreja e sua missão pessoal
no mundo, para trazer glória ao nome de Deus"
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
12
UMA DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO EFETIVA
1. Focaliza RESULTADOS e não atividades.
2. Incentiva a PARTICIPAÇÃO de todos.
3. Apresenta os PROPÓSITOS passo a passo.
II. COMUNICAR OS PROPÓSITOS DE SUA IGREJA
Não é suficiente simplesmente definir o propósito.
A tarefa nº 1 da liderança é esclarecer continuamente e comunicar o propósito
da organização.
CINCO MANEIRAS DE COMUNICAR OS PROPÓSITOS DE DEUS:
• SLOGANS
• SIMBOLOS
• ESCRITURAS
• HISTÓRIAS
• DETALHES
ALGUMAS DAS MANEIRAS PELAS QUAIS TEMOS COMUNICADO
NOSSOS PROPÓSITOS NA SADDLEBACK:
• Classe 101 para novos membros
• Mensagem anual "Por que a Igreja Existe?"
• Enfoques mensais
• Panfletos ou Boletim da igreja
ANOTAÇÕES
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
13
PROPÓ-
SITO
TAREFA
ATOS 2:42-47
OBJETIVO
ALVO
COMPONENTE
DE VIDA
NECESSIDADE
HUMANA
BÁSICA
A IGREJA
PROVÊ
BENEFÍCIO
EMOCIONAL
Evangelis-
Mo
Evangelizar
"...acrescentava-lhes o
Senhor os que iam
sendo salvos.
Missões
Comunidade
Minhas
Testemunhas
Propósito
para Viver
Um Foco
para Viver
Significância
Adoração
Exaltar
“E perseveravam…no
partir do pão e nas
orações…louvando a
Deus.”
Magnificar
Multidão
Meu Culto
Poder
para Viver
Uma Força
para Viver
Estímulo
Comunhão
Encorajar
“…perseveravam na
comunhão..todos
estavam juntos…comiam
(juntos).”
Membresia
Congregação
Meus
Relacionamentos
Pessoas
com quem
Viver
Uma Família
para Viver
Apoio
Discipulado
Edificar
“perseveravam na
doutrina dos apóstolos.:”
Maturidade
Comprometidos
Meu Andar
Princípios
para Viver
Uma
Fundação
para Viver
Estabilidade
Serviço
Equipar
“E repartiam por todos,
segundo a necessidade
de cada um.”
Ministério
Núcleo
Meu Trabalho
Profissão
para Viver
Uma Função
para Viver
Autoexpressão
Não tenha medo de repetir. Ninguém pega a idéia na primeira vez.
Diga repetidas vezes - de maneiras diferentes.
Pratique "redundância criativa!"
III. APLICAR SEUS PROPÓSITOS
Não é suficiente apenas definir e comunicar seus propósitos.
Você deve aplicar os propósitos a todas as áreas da vida de sua igreja.
A chave para tal aplicação é o EQUILÍBRIO
IMPORTANTE: À menos que você estabeleça um plano intencional para equilibrar os 5
propósitos básicos, sua igreja tenderá a focalizar os propósitos que o PASTOR e os
líderes gostam mais.
EXPLICANDO O PROPÓSITO DA IGREJA
SEÇÃO 1 – Edificando Uma Igreja Com Propósito
Ministérios Dirigidos por Propósito © Rick Warren
14
PARADIGMA
FOCO
PRIMÁRIO
PAPEL DO
PASTOR
PAPEL DO
POVO
ALVO
TER-MO
CHAVE
VALOR
CENTRAL
FERRAMENTAS
USADAS
FONTE DE
LEGITMIDADE
Igreja
Ganhadora
de Almas
Evangelismo
Evangelista
Testemunhas
A
Comunidade
Salvar
Decisões
por Cristo
Visitação e
Apelo
Número de
Batizados
Igreja que
Experimenta
Deus
Adoração
Líder da
Adoração
Adoradores
A Multidão
Sentir
Experiênci
a Pessoal
Música e
Oração
“O Espírito”
Igreja
Família
Reunida
Comunhão
Capelão
Membros
da Família
A
Congregação
Pertencer
Lealdade e
Tradição
Salão Social
e Festa
Nossa Herança
Igreja Classe
Bíblica
Edificação
Instrutor
Alunos
Os
Comprometidos
Saber
Conhecimento
Bíblico
Cadernos e
Retroprojetores
Ensino Verso
por Verso
Igreja
Consciência
Social
Ministério
Reformador
Atividades
O Núcleo
Cuidar
Justiça e
Misericórdia
Pedidos e
Painéis
Número de
Necessidades
Satisfeitas
PARADIGMA
FOCO
PRIMÁRIO
PAPEL DO
PASTOR
PAPEL
DO POVO
ALVO
TERMO
CHAVE
VALOR
CENTRAL
FERRAMENTAS
USADAS
FONTE DE
LEGITIMIDADE
Igreja com
Propósito
Equilíbrio
de todos
os cinco
Equipador
Ministros
Todos os
Cinco
Ser e
Fazer
Caráter
Cristão
Processo de
Desenvolvimento
de Vida
Vidas
Transformad
as
Apenas uma estratégia e estrutura dirigida por propósito pode manter equilíbrio.
MUI TAS I G REJAS TENDEM A FOCALIZAR SÓ UM PROPÓSI TO
A FILOSOFIA DA IGREJA COM PROPÓSITO ASSEGURA
EQUILÍBRIO
ANOTAÇÕES

TEMOS QUE EVANGELIZAR, TODOS QUE ESTÃO ERADOS SOBRE JESUS!

This message was sent u

Como evangelizar uma Testemunha de Jeová


Uma pergunta recorrente para nós é como evangelizar uma Testemunha de Jeová? Como podemos fazer com que vejam que estão vivendo no engano de uma seita horrível?
Bom, na verdade não podemos faze-los ver isso. Esse é um trabalho do Espirito Santo (João 16:8). O que podemos fazer é compartilhar o evangelho com eles e orar para que o Espirito esteja agindo em suas vidas. Lembre-se sempre de focar no evangelho, primeiro apresente o evangelho, depois você pode passar para qualquer outra discussão, pois senão pode perder a chance de pregar-lhes o evangelho, que é o poder de Deus para salvação do homem.
De uma lida em nosso manual de evangelismo. Você pode baixá-lo gratuitamente aqui.
Vamos mostrar abaixo uma conversa típica com uma Testemunha de Jeová que pode vir a bater em sua porta. É só uma conversa de exemplo, mas serve bem para mostrar como o fazemos. Tiramos esse diálogo do livro de Ray Comfort World Religiosn in a Nut Shell. Já experimentamos esse tipo de conversa e sempre se segue mais ou menos dessa forma.
Antes do diálogo gostaríamos de dar algumas dicas valiosas:

-Tenha um entendimento claro da sua própria fé e da Bíblia.
-Faça um plano bem definido para o evangelismo e mantenha essa iniciativa.
-Esteja pronto para citar e explicar passagens bíblicas específicas que dão sustentação à doutrina cristã.
-Defina bem seus termos e peça para que a Testemunha de Jeová também defina os dele.
-Foque a discussão no assunto principal da pessoa e obra de Jesus Cristo. Enfoque a necessidade de um relacionamento pessoal com ele.
-Compartilhe seu testemunha pessoal da graça de Deus e sua fé em Jesus Cristo como seu salvador.
-Ore e peça para que o Espírito Santo o guie.

Abaixo segue um diálogo típico com as Testemunhas de Jeová.

Batida na porta.
João: eu sou João e este é Gil. Estamos nessa área falando com as pessoas sobre assuntos espirituais.
Você: interessante. Meu nome é ... Prazer em conhece-los.
João: prazer.
Você: vocês são Testemunhas de Jeová?
João: sim, somos.
Você: eu tenho uma pergunta para vocês. Eu tenho uma faca nas minhas costas e eu só tenho três minutos para viver. Como posso entrar no Reino?
João: três minutos! UAU. Bom, você precisa viver uma vida boa, aprender sobre Jeová, ir de porta em porta, ajudar as pessoas, orar, etc.
Você: eu não posso fazer nada. Eu tenho uma faca nas minhas costas. E eu não posso viver uma vida boa. Eu já menti, roubei, sou um fornicador e blasfemo. Eu agora tenho dois minutos! Me ajudem!
João: hum...
Você: um minuto para viver. Vocês podem me ajudar?
João: desculpe, não podemos ajuda-lo.
Você: João, pense no ladrão na cruz. Ele disse que foi condenado justamente. Eu não acho que ele pensava que a lei romana estava sendo justa em executa-lo. Justiça para um ladrão normalmente é passar alguns meses na prisão, não pena capital. Eu acho que ele estava falando da lei de Deus. Que justamente o condenou. Não havia nada que ele pudesse fazer em relação a isso. Ele não podia ir para lugar algum, suas mãos e seus pés estavam presos na cruz. Deixe-me fazer uma pergunta: você acha que é uma pessoa boa?

[mesmo as Testemunhas de Jeová acreditando que Jesus morreu em uma estaca, ainda assim devemos pregar a cruz. Isso porque é parte da verdade do evangelho. Nós devemos pregar pecado e inferno para aqueles que não acreditam em nada disso].

João: Sim, eu sou.
Você: Você acha que guardou os Dez Mandamentos?
João: Eu acho que sim. Eu tentei.
Você: Vamos então passar por alguns dos mandamentos para ver como você se sai. Quantas mentiras você acha que você contou em sua vida? Estou falando de mentiras de verdade, não mentirinhas.
João: Eu provavelmente contei muitas mentiras na minha vida.
Você: Quantas você acha que contou? Cinco? Dez?
João: Talvez 20 ou 30.
Você: Como se chama uma pessoa que conta mentiras?
João: Mentiroso. Mas foi no passado. Eu me arrependi e mudei minha vida.
Você: Muitas vezes não damos muito importância para a mentira, dizendo que são mentirinhas, mas a Bíblia nos diz que “lábios mentirosos são abominação para o Senhor”. Isso quer dizer que a mentira é extremamente detestável para o Senhor. Você já roubou alguma coisa em sua vida?
João: Sim, já roubei, mas isso foi a anos atrás. Como eu já disse, eu mudei.
Você: Continue comigo João. Como se chama uma pessoa que rouba coisas.
João: Ladrão.
Você: Você já usou o nome de Deus em vão?
João: Sim, eu fazia isso.
Você: Pense sobre isso. Jeová te deu vida. Ele te deu olhos para ver a beleza da sua criação. Te deu ouvidos para ouvir boa música, possibilidade de aproveitar boa comida. Ele colocou a sua bondade sobre você e você usou o Seu santo nome ao invés de um palavrão para expressar aversão, nojo, dor. Esse é um pecado muito sério, chamado de blasfêmia.
João: Você está certo.
Você: Jesus disse, “todo aquele que olhar para uma mulher com desejo sexual já cometeu adultério com ela em seu coração”. Você já olhou com desejo sexual para alguém?
João: Sim senhor, já olhei.
Você: Então você cometeu adultério em seu coração aos olhos de Deus. Então, João, aqui está um resumo do que descobrimos até agora. Você não é a pessoa boa que você pensou que era. Você mesmo admitiu para mim (eu não estou julgando você), você é um adultero do coração mentiroso, ladrão e blasfemo. E você vai ter de se apresentar perante Deus no dia do Julgamento Final. Se Ele te julgar baseado nos Dez Mandamentos, você será considerado inocente ou culpado?http://mauevivian.blogspot.com.br/2009/06/como-evangelizar-uma-testemunha-de.html
João: Se for pelos Dez Mandamentos, eu serei considerado culpado.
Você: Você vai então para o céu ou para o inferno?
João: Eu acho que iria para o inferno, se forem somente essas as opções.

[Introduzir a Lei de Deus muitas vezes lida com a falsidade de que o inferno é meramente a cova. A Lei moral faz um inferno literal fazer sentido.]

Você: Você e eu somos criminosos aos olhos de Deus e nenhuma boa obra que façamos pode nos salvar. Nossas “boas obras” são na essência uma forma de subornar a Deus. Estamos exatamente na mesma condição do ladrão na cruz. Lembre-se, ele não podia ir para lugar algum ou fazer qualquer coisa – ele estava preso na cruz. Nós também somos criminosos culpados que violaram os Dez Mandamentos e a Lei de Deus também nos prende. Isso nos deixa com a única alternativa que o ladrão teve; ser salvo pela graça através da fé em Jesus Cristo. Ele se voltou para Jesus. É isso que devemos fazer pelo arrependimento. Nesse momento ele disse, “Senhor, lembra-te de mim...” Ele então acreditou que Jesus era Senhor e que ele iria ressuscitar dos mortos, que eram os requisitos para a salvação (Veja Rom 10:9,10). Devemos fazer o mesmo. Jesus sofreu e morreu na cruz, tomando sobre si a punição por nossos pecados. Nós violamos a Lei e Jesus pagou a fiança em seu sangue. Isso quer dizer que por causa do morte sofrida e ressurreição de Jesus Cristo, Deus pode liberar nosso caso. Ele pode cancelar nossa pena de morte e permitir que vivamos. O que devemos fazer é nos arrepender e confiar somente Nele (não nas nossas obras) para nossa salvação eterna. João, obrigado por me ouvir.
João: De nada.

[Não fique desanimado se você não perceber nenhum resultado visível. Algumas vezes a pessoa para quem você está evangelizando pode até concordar com você dizendo “sim, somos salvos pela graça através da fé em Jesus”. Se você não mantiver em sua mente que ele está falando uma linguagem diferente da sua, isso pode tirar de deixar estagnado. Lembre-se que a definição dele de graça e salvo é diferente da definição bíblica, então tenha certeza que você explicousing ShareThis (http://www.sharethis.com)

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Estudo Biblico - A grande tribulação - IEADVP - 20/12/2011, O maior ensino vem do ESPIRITO SANTO! a verdade de Deus. amém

APOSTASIA NAS IGREJAS EVANGÉLICAS ATUAIS. OUVIR A VERDADE PODE ATER DOER MAIS TRARÁ A CURA AS ALMAS E FERIDAS! NÃO ACEITE QUALQUER PALAVRA SEM ENSINAMENTO DE DEUS! A HORA VEM E É AGORA QUE DEUS PROCURA ADORADORES QUE O ADORE EM ESPIRITO E EM VERDADE. GLORIA A DEUS PAI, FILHO E ESPIRITO SANTO. AMÉM

Homofobía a Ponta do Iceberg - Paulo Junior, Hoje precisamos de ouvir mensagens do céu! onde muitas Igreja estão apresentando uma feira carnal? Jesus vai cobrar tudo isso a cada um de nós! Pregar a verdade é isso que a bíblia ensina. Aleluia Gloria a Deus. Amém

Carta de Um Pai Para Seu Filho, eu me lembro de cada dia que passei perto de meu Pai! hoje tenho muita saudades por está longe, só quero te dizer Pai te amo!!!

O LIVRO DE MATEUS! NOS DAR E NOS MOSTRA A VINDA E A VIDA DO SENHOR JESUS NA TERRA. Mateus Chave: Reino dos Céus Único livro do Novo Testamento que foi escrito originalmente em hebraico.* Comentário: O evangelho segundo São Mateus tem em mira dar testemunho de que Jesus é o prometido Messias da antiguidade, e que sua tarefa messiânica consistia em levar aos homens o reino de Deus. Estes dois temas - a messianidade de Jesus e a presença do reino de Deus - estão inseparavelmente vinculados, e cada um deles engloba um "mistério"- uma nova revelação do propósito redentor e divino. (Leia Romanos 16:25, 26). O mistério da missão messiânica está que antes que o Messias venha nas nuvens, como celestial Filho do Homem, para estabelecer seu reino sobre a terra, deve primeiramente vir com humildade entre os homens, como o Servo sofredor que morrerá na cruz. O judeu do primeiro século jamais tinha ouvido tal coisa. Para o crente da atualidade, o capítulo 53 de Isaías relata com meridiana clareza os sofrimentos do Messias. Contudo, nesta passagem não se faz referência ao Messias, e o contexto (Isaías 48:20; 49:3) cita especificamente a Israel como servo de Deus. Portanto, não devemos surpreender-nos com o fato de que os judeus não compreendessem que o capítulo 53 de Isaías se referia ao Messias. Esperavam um Messias que viesse com poder e vitória, e o Antigo Testamento promete, em realidade, tal Messias. O Filho de Davi é um Rei divino que governará no reino messiânico (Isaías 9:11; Jeremias 33), quando todo o pecado e todo o mal serão tirados, e prevalecerão a paz e a justiça. O Filho do Homem é um Ser celestial a quem é confiado o governo sobre todas as nações e reinos da terra. O Antigo Testamento não nos diz de que forma se relacionam entre si estes dois conceitos proféticos do Rei davídico e do celestial Filho de Deus, ou de que modo cada um deles pode ser identificado com o Homem de dores do capítulo 53 de Isaías. Portanto, os judeus do primeiro século esperavam um Messias vencedor, ou um Filho do Homem, porém celestial, e não um Servo humilde do Senhor, que sofreria e morreria. O mistério messiânico - a nova revelação do propósito divino - consiste em que o celestial Filho do Homem deve primeiro sofrer e morrer em cumprimento de sua missão messiânica e redentora, como o Varão de dores, antes de apresentar-se com poder e glória. O mistério do reino está intimamente associado com o mistério messiânico. O capítulo 2 do livro de Daniel descreve a vinda do reino de Deus com linguagem vivida, do ponto de vista da destruição de toda e qualquer potência que resista a Deus e se oponha à vontade divina. O reino virá com poder, varrendo todo mal e todo governo hostil, transformando a terra e apresentando uma nova ordem universal de perfeita paz e justiça. Contudo, o Senhor Jesus não apresentou um reino de poder portentoso. Daí que tanto sua mensagem como sua pessoa deixassem completamente perplexos seus contemporâneos, inclusive seus discípulos. Era filho de um carpinteiro; sua família era conhecida em Nazaré; tinha muitíssima semelhança com qualquer rabino judeu. Suas obras eram atos bondosos de afeto e amor; não obstante isso, afirmou que em suas palavras, em seus feitos e em sua pessoa havia chegado a eles o reino de Deus. Contudo, os reinos do homem e do mundo continuavam como sempre, sem que o odiado governo romano sobre o povo de Deus fosse desafiado. Como podia ser o reino de Deus se ele não despedaçava os outros reinos do mundo? Que esse reino viesse com poder espiritual antes de apresentar-se em glória era uma nova revelação do propósito divino. Autor: A tradição do segundo século da igreja atribui a autoria do primeiro evangelho ao apóstolo Mateus. Comentários do Evangelista Manoel Moura Ao ler logo o livro de Mateus vamos aprender sua historia real, pois o livro nos dar verdadeiras evidencias da originalidade das escrituras, vamos estudar e ver como começa esse lindo livro que fala da promessa de Deus aos humanos, leia Mateus capitulo 01 do veiculo 18 ao 25, veja a promessa feita no livro de Isaias se manifestando aqui, e es que uma virgem dará a luz um filho e ele se chamara Emanoel, e ele salvará toda nação, Obs. que Maria uma crente fiel é escolhida por Deus para ter e coloca-lo como homem na terra, veja essa promessa se realizando e quando esta essa promessa em terra essa promessa careci, pela lei dos Israelitas um homem só tinha autoridade de manifesta-se como adulto aos 30 anos e Jesus mesmo disse que ele não veio abolir a lei mas fazer com que ela seja cumprida. Veja que João Batista está ministrando no deserto da Judéia no rio Jordão, chegado o dia de passa seu ministério para o prometido ele mesmo afirma que diante de Jesus ele não tem poder algum, veja ai o reconhecimento do chamado de Cristo, pois ele mesmo foi batizado por João Batista, veja as primeira palavras de Jesus como pregador do reino. Mateus cap. 04 vc. 17 17 Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Comersa ai sua autoridade a se manifestar com ousadia e coragem, Jesus veio do pai para um proposito aqui na terra, salvar a humanidade para tinha que manifestar seu poder, sua ousadia e sua coragem, Obs. Em João cap. 08 vc. 12 o que ele diz. Discurso de Jesus sobre a sua missão 12 Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida. Vimos aqui ele determinando para qual proposito desceu a terra, eu vejo como amor, justiça, salvação, cura, libertação, Jesus esteve entre nós por amor de nós. Ao final de seu ministério no próprio livro de Mateus cap. 24, Jesus estruindo os seus servos de como será o fim dos tempos leia medite ore fale com o Espirito Santo para te mostra a verdade da palavra. Amém. MATEUS 24 O sermão profético: O principio de dores Mc.13.1. Lc.21.5-36 1 Ora, Jesus, tendo saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dele os seus discípulos, para lhe mostrarem os edifícios do templo. 2 Mas ele lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada. 3 E estando ele sentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Declara-nos quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo. 4 Respondeu-lhes Jesus: Acautelai-vos, que ninguém vos engane. 5 Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão. 6 E ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; olhai não vos perturbeis; porque forçoso é que assim aconteça; mas ainda não é o fim. 7 Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino; e haverá fomes e terremotos em vários lugares. 8 Mas todas essas coisas são o princípio das dores. 9 Então sereis entregues à tortura, e vos matarão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. 10 Nesse tempo muitos hão de se escandalizar, e trair-se uns aos outros, e mutuamente se odiarão. 11 Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos; 12 e, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. 13 Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo. 14 E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. O sermão continua: A grande tribulação 15 Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda), 16 então os que estiverem na Judéia fujam para os montes; 17 quem estiver no eirado não desça para tirar as coisas de sua casa, 18 e quem estiver no campo não volte atrás para apanhar a sua capa. 19 Mas ai das que estiverem grávidas, e das que amamentarem naqueles dias! 20 Orai para que a vossa fuga não suceda no inverno nem no sábado; 21 porque haverá então uma tribulação tão grande, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá. 22 E se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. 23 Se, pois, alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! ou: Ei-lo aí! não acrediteis; 24 porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. 25 Eis que de antemão vo-lo tenho dito. 26 Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto; não saiais; ou: Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis. 27 Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do filho do homem. 28 Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres. O sermão continua: A vinda do Filho do homem 29 Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. 30 Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. 31 E ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus. 32 Aprendei, pois, da figueira a sua parábola: Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão. 33 Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas. 34 Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas essas coisas se cumpram. 35 Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão. O sermão continua: Exortação á vigilância 36 Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai. 37 Pois como foi dito nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. 38 Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, 39 e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos; assim será também a vinda do Filho do homem. 40 Então, estando dois homens no campo, será levado um e deixado outro; 41 estando duas mulheres a trabalhar no moinho, será levada uma e deixada a outra. 42 Vigiai, pois, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor; 43 sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. 44 Por isso ficai também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem. O sermão continua: A parábola dos dois servos 45 Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o senhor pôs sobre os seus serviçais, para a tempo dar-lhes o sustento? 46 Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar assim fazendo. 47 Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens. 48 Mas se aquele outro, o mau servo, disser no seu coração: Meu senhor tarda em vir, 49 e começar a espancar os seus conservos, e a comer e beber com os ébrios, 50 virá o senhor daquele servo, num dia em que não o espera, e numa hora de que não sabe, 51 e cortá-lo-á pelo meio, e lhe dará a sua parte com os hipócritas; ali haverá choro e ranger de dentes. Amados e querido irmãos estamos perto do fim, tudo está comersando a acontecer. Tem coisas que mesmo nós orando vai acontecer porque está escrito, a palavra tem que se cumprir, amados povos de Deus. Quero vos dizer que busque a Deus passa-lhes misericórdia, compaixão, visite uma Igreja Evangélica conheça o Senhor. Amém 05/06/2013 Evangelista Manoel Moura.
COMO TEM QUE SER UM BOM PASTOR! SÓ JESUS É O BOM PASTOR. AMÉM Existem algumas expressões em nosso meio que vêm sendo utilizadas muitas vezes sem a devida preocupação sobre o seu sentido original. Em algumas igrejas não se cumprimenta o irmão se não pela expressão “a paz do Senhor” retirada das cartas paulinas. Essa pequena frase é dita de forma tão despropositada que o seu sentido original perdeu-se há tempo. Paulo tinha por hábito começar suas cartas com essa frase não por ser costume entre os irmãos se cumprimentarem dessa forma, mas sim pela questão doutrinária referente a forma com a qual a obra salvífica de Cristo havia sido desenvolvida naquela comunidade, primeiro restaurando a paz entre Deus e o homem (Rm. 5) através da graça de Deus derramada sobre os seus eleitos (Ef. 2:8). Portanto, usar essa frase de forma despretensiosa pode gerar um esvaziamento de sentido que em nada será aproveitável para a igreja. Esse é apenas um exemplo clássico, mas o que dizer por exemplo de algumas passagens bíblicas lançadas como palavras de ordem, tais como: Tudo posso naquele que me fortalece (Fl. 4:13), Em Cristo eu sou mais que vencedor (Rm. 8:37), mas não poderíamos deixar de lado o clássico dos clássicos: O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará. Sem sombra de dúvidas esse é o versículo mais usado por crentes e descrentes na hora do aperto. A facilidade de se esquecer daqueles textos duros como: “se alguém quer seguir-me negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me” (Mt 16:24) é enorme, à medida que é praticamente instantânea a citação daqueles outros. Pensando nisso, já venho estudando o texto do Salmo 23 certo que seria um trecho extremamente rico para a edificação da igreja e para desmitificar sobre quem realmente pode pronunciar essa frase, de quem se trata esse pastor, e qual a mensagem que o texto tem para igreja hoje. Por isso, a partir de agora estaremos analisando o texto dos Salmos para chegarmos a tais conclusões. Elucidação: Estamos diante de um dos mais belos textos das Escrituras escrito pelo salmista e rei Davi. Esse homem considerado pelo próprio Deus um homem segundo o seu coração, ou seja, aquele que vivia conforme o coração de Deus. Nessa passagem, Davi nos traz um belíssimo testemunho do cuidado divino sobre sua vida. É certo que só se pode testemunhar de alguém quando se há um relacionamento estreito e duradouro com tal pessoa, e isso realmente vemos em Davi. Ora esse homem era mais um dentre os filhos de Jessé o qual foi procurado pelo profeta Samuel que buscava ungir o rei conforme o Senhor lhe mandara. Na ocasião Davi era o único que não estava em casa justamente pela atividade que exercia. Davi era um pastor de ovelhas (I Sm. 16). Esse homem foi o escolhido por Deus para ser o rei mais marcante da história de Israel. E ser rei era algo semelhante a ser pastor de ovelhas. Em Israel o rei era considerado o pastor do povo e isso Davi sabia ser de uma forma maestral. Entretanto, não podemos esquecer que mesmo sendo esse homem exemplar Davi continuava sendo um homem falho como qualquer outro. Prova disso é o pecado que cometeu com Bate-Seba, e assim sendo, ele precisava de alguém que cuidasse de sua vida. O salmista analisa essa situação e chega a uma maravilhosa conclusão “o Senhor é o meu Pastor”. Ele percebe tudo o que lhe acontecera, todas as lutas que passara desde o dia do seu chamado até aquele momento onde toda a glória e responsabilidade estava sobre ele, quando então projeta duas imagens que ilustram o cuidado do Senhor sobre a sua vida, Deus era o seu Pastor (1-4) e seu Amigo (5,6). Devido ao tempo reduzido que temos para expor quão maravilhosas conclusões do salmista, irei apresentar a primeira imagem neste sermão evidenciando a figura de Deus como o Pastor de Davi (v. 1-4) e posteriormente no próximo Domingo estarei expondo os outros dois versículos (v. 5,6) enfatizando a figura de Deus como o Amigo de Davi. Logo no primeiro versículo nos deparamos com algumas informações maravilhosas registradas pelo salmista. Ele usa o pronome pessoal de Deus, o SENHOR, no tetragrama hebraico, para evidenciar de forma contundente de quem ele estava falando. Embora muitos povos tivessem se inclinado a deuses falsos como seus pastores, Davi declara quem era o seu verdadeiro Pastor. O uso do pronome pessoal “meu” indica a pessoalidade com que Davi tratava o seu Pastor. Não era o pastor geral de todos, Davi se identifica como ovelha do verdadeiro pastor. Enquanto muitos se corrompiam com outros deuses, Davi seguia firme com o seu Pastor. Igualmente, há uma constatação seríssima sobre esse primeiro versículo, Deus não era o pastor de todos (cf. Ez 34:11-31). Como já vimos, povos pagãos tinham outros deuses que suspostamente eram seus guardadores, algo muito parecido com o que ocorre hoje, pois muitas pessoas tem rejeitado o Deus vivo e O trocado por deuses pagãos. Ora, o grande problema está instalado quando chegamos ao seguinte questionamento: se Deus não tem sido o Pastor de todos, mas apenas de alguns, quem tem regido a vida dos demais? Essa é uma pergunta intrigante que só pode ser respondida de forma contundente: Se Deus não tem sido o seu Pastor, ou seja, aquele que rege sua vida, alguém está a regendo mesmo que você não saiba. Martinho Lutero já dizia que o homem é um cavalo que ou está sendo guiado por Deus ou pelo Diabo. Lutero não inventou isso de sua cabeça, apenas demonstrou com uma ilustração aquilo que a Bíblia afirma através do próprio Jesus na sua oração sacerdotal (Jo. 17:12-15). Aqueles que não estão sendo guardados por Deus tem sido levados pelo Diabo e não poderia haver guia pior do que esse, pois os seus caminhos os levaram ao inferno. Quanto a Davi, ele proclama, “o Senhor é o meu pastor”. Não havia dúvidas nessa constatação. Davi resume nessa frase o seu relacionamento com Deus que era pessoal e submisso. Apenas nesse primeiro versículo Davi mostra a grandeza daquele que o havia chamado para servi-lo, e o tamanho da sua submissão sob ele. Não haveria possibilidade disso se inverter, Davi era a ovelha do grande Pastor de Israel, e fundamentado nisso ele descreve de forma sublime seu relacionamento com o Senhor, evidenciando algumas características marcantes de como o Bom Pastor cuida de sua ovelha: 1. O Bom Pastor jamais deixará a ovelha sozinha (v.1) É verdade que na tradução nós temos uma percepção equivocada. Parece que quando o Senhor é o nosso pastor nada poderá faltar em nossas vidas. Mas será que é isso mesmo que acontece? Será que alguém pode ser essa testemunha do suprimento total de Deus em tudo que lhe foi necessário? Será que não houve um só dia de sofrimento em nossas vidas que nos fez duvidar desse versículo? Ou será que a Bíblia falhou em dizer isso? De forma alguma. A palavra traduzida por “nada” na verdade tem um outro significado, que inclusive é bem mais comum, o qual seria “não”. Assim sendo, teríamos uma nova possibilidade de tradução “O SENHOR é meu Pastor e não me faltará”, qual a diferença que temos agora? Ora, não incorreríamos mais em pensar que essa afirmação não é verdadeira. Conversando com o Ms. em Hebraico o Prof. Humberto de Freitas ele me afirmou uma possibilidade de tradução ainda mais literal do texto “O Senhor é meu pastor e ainda que me falte não sentirei falta”. O pastor de Davi não havia lhe prometido que nada lhe faltaria, mas a promessa era muito superior, ele próprio jamais se apartaria da vida de sua ovelha. Davi seria pastoreado pelo SENHOR todos os dias de sua vida. Isso é muito mais coerente com o verso 4 que fala sobre a possibilidade de andar por caminhos de morte o qual trataremos mais a frente. No verso 1 nós vemos que teologia e prática sendo expostas, Davi diz: O Senhor é meu Pastor (teologia) não me faltará (prática). Aplicação: O nosso Pastor que é o mesmo de Davi, pode ser chamado de Bom Pastor não porque não nos deixa faltar nada que queremos, mas porque não nos deixa sozinhos. Ele não nos lançou nesse mundo e disse: “Agora é com vocês”. Não, o Senhor tem cuidado de nós, e promete que ficará conosco sempre. Isso é muito melhor do que todas as bênçãos materiais que possamos alcançar, Ele é o nosso pastor e jamais se ausentará de nossas vidas. Veja o que Davi diz no verso 4 que está intimamente ligado com essa afirmação. Ele afirma que seria possível passar por situações muito difíceis, mas o que lhe dava confiança era porque “o Senhor está comigo”. O que concluímos com esse versículo o aplicando diretamente em nossas vidas é que mesmo que todas as situações sejam adversas (ainda que percamos casa, carros, empregos, amigos, etc.) mesmo assim nada disso nos levará ao desespero porque existe algo muito superior a todas essas coisas e esse algo é a presença do Senhor que segundo o salmista jamais abandonará a ovelha. Portanto, certamente seremos abalados por muitas dificuldades, mas o nosso Pastor estar conosco e por isso não iremos sentir falta de nada. Louvemos a Ele pela sua presença! 1. O Bom Pastor providencia o sustento das ovelhas (v.2) A ovelha é um animal com características singulares. Elas são mudas, indefesas, não tem noção de direção, ou seja, são totalmente dependentes do seu Pastor. Se soltarmos uma ovelha pelo caminho jamais ela voltará para seu aprisco, pois, diferentemente de outros animais, o seu senso de localização é nulo. Quando Davi afirma que o seu pastor o levava para pastos verdejantes ele apresenta o grau de dependência que a ovelha tem do pastor. Davi testemunhava afirmando que ele guiava pelo caminho que o levaria aos pastos verdejantes. Como ovelha ele não sabia para onde estava indo, mas agindo com confiança aguardava a direção que o pastor lhe indicava. Assim foi também com Abraão que sem saber especificamente para onde ia, confiou na promessa e deixou sua terra em busca do lugar onde seu pastor o levaria (Gn 12). Mas o que vem a ser esses tais pastos verdejantes? Davi nos mostra como o seu Pastor era cuidadoso. Uma ovelha precisa de pasto e água e é justamente isso que o Pastor de Davi o fornecia. A qualidade do alimento era o melhor possível, não era um pasto seco e sem vida, mas verdejante, era uma comida saudável para a sua ovelha. Por conseguinte, a água que o pastor providenciava não era turva e cheia de correntezas que trariam perigo para as ovelhas, mas eram calmas e tranquilas. A imagem pintada por Davi para o lugar no qual ele seguia guiado pelo Pastor é a imagem de um local de descanso aonde haveria toda a providência do Senhor para o seu rebanho. Diferentemente do mercenário o bom Pastor não almejava o lucro a ser obtido através das suas ovelhas, mas procura dar o melhor para o seu rebanho a fim de cuidar daquilo que é seu com todo carinho. Aplicação: Assim como o Senhor fez com Davi ele faz com suas ovelhas hoje. Certamente muitas vezes não entendemos os caminhos que nos levam a esses pastos verdejantes e a águas tranquilas, mas a ovelha que confia no pastor descansa nele e segue o caminho indicado, pois sabe que o caminho que está seguindo é seguro. Além disso, a ovelha tem ciência que sozinha não chegará a lugar nenhum e certamente morreria de fome por mais que lutasse para encontrar alimento, pois o que lhe falta é capacidade de encontra-lo. Assim sendo, não podemos impor o caminho a ser usado pelo Senhor para alcançarmos os pastos verdejantes e águas tranquilas, mas como ovelhas seguiremos os seus passos confiantes que o caminho que ele nos leva é o único caminho possível para nossas vidas, e que inevitavelmente esse caminho nos levará aos pastos verdejantes e águas tranquilas, pois essa é a vontade do nosso Supremo Pastor e certamente ele será feita. 2. O Bom Pastor trata a ovelha (v.3,4) O Bom Pastor não é aquele apenas que promete estar sempre ao lado da ovelha e guia-la por um caminho que a levará para um local de descanso e providencia. A ovelha precisa de mais do que isso, ela precisa ser tratada pelo seu pastor para que tenha condição de seguir pelo caminho. Dessa forma, Davi apresenta a maneira como o seu Pastor vinha tratando dele como ovelha a fim de lhe guiar ao longo de sua vida. Nos versos 3 e 4 veremos o que Davi fala sobre esse tratamento que o Senhor dispensava a suas ovelhas. v.3 A forma traduzida para a maioria das Bíblias em português da primeira palavra desse verso, acaba nos dando a entender que o Senhor apenas dá um conforto a alma da ovelha, “refrigera minha alma”, parece uma bela oportunidade para quem quer falar de um pastor mais brando, que apenas afaga sua ovelha, mas nem de longe é isso que Davi está dizendo. A palavra traduzida por “refrigera” pode ter um sentido bem diferente a esse primeiramente evidenciado, e nos parece bem certo que assim o seja. Davi estava afirmando que o seu Pastor tratava da ovelha e que tal tratamento era inicialmente restaurador, “restaura a minha alma”. Essa imagem trazida pelo texto nos leva a crer que Davi tinha a percepção parecida com a de Isaias em 49:5 e 60:1 onde o Senhor reunia novamente o seu povo o restaurando a comunhão consigo mesmo através do arrependimento ou ainda conversão. Davi está afirmando que o Senhor o havia restaurado totalmente, sentido este evidenciado pela expressão “minha alma”, Ele o fez arrepender-se dos seus pecados, converte-se ao caminho do Senhor, voltar a andar em conformidade com a lei do Senhor, o que está claro quando Davi fala sobre as tais veredas da justiça. A expressão “minha alma” denota a integralidade da restauração feita por Deus em Davi. Ele não havia sido parcialmente restaurado, não havia uma só área de sua vida que o seu Pastor não houvesse cuidado, era um novo homem completamente renovado para o louvor da glória do próprio Pastor. O Senhor havia restaurado a sua ovelha para que ela andasse conforme sua lei, mas por que o Pastor havia feito isso, será que havia algo de bom na ovelha? Será que a ovelha contribuíra com algo? Não, de forma alguma! Davi completa dizendo que o grande motivador de todo esse tratamento foi o amor que o Pastor tem pelo seu próprio nome. Deus tem zelo pelo seu caráter, é isso que Davi queria dizer. Sendo Deus misericordioso com suas ovelhas, ele jamais as deixaria andar sozinhas pelo caminho a fora, mas prontamente ele está sempre ao seu lado, providencia todo o necessário e trata dela e dos seus erros pelo amor que tem a si próprio. O rebanho do Senhor jamais poderá andar desordenadamente. O nosso Pastor não quer nos levar a pastos verdejantes de qualquer forma, ele restaura nossa alma, nossa completude, para que andemos nas veredas da justiça, conforme suas leis e seus estatutos, ou seja, suas ovelhas estão sempre sendo guiadas de forma ordeira na direção que melhor parece ao seu pastor. No verso 4, como já vimos anteriormente, chegamos a uma possibilidade dura de ser aceita. Como o bom Pastor poderia permitir que as suas ovelhas passassem por um vale tão sombrio que se assemelhava a um lugar de morte? Lembremos que o bom Pastor está tratando de suas ovelhas, ele não apenas as restaura, mas faz com que andem pelo seus caminhos, que ora podem parecer mais prazerosos, ora mais íngremes e difíceis. Davi tinha tanta confiança no seu Pastor que chega a essa assustadora conclusão: mesmo que ele me faça passar por um lugar tão sombrio que eu possa enxergar a morte bem de perto, mesmo assim eu não temerei. Só pode dizer isso quem confia no seu pastor e sabe que está sendo tratado por ele. Essa afirmação de Davi retira os espinhos de nossas provações, pois nos faz entender que não se trata do fim, mas sim de um tratamento que o Bom Pastor está administrando sobre o seu rebanho. Davi fecha essa primeira ilustração do cuidado de Deus com a sua vida através da imagem do Pastor, afirmando que em todo esse tratamento só haveria um motivo para que ele não entrasse em desespero pelo temor do fim. Ele se apega novamente na presença de Deus. Davi sabia que o caminho que estava percorrendo necessariamente desembocaria num local de descanso ilustrado com os pastos verdes e as águas tranquilas, ele também estava ciente da obra que Deus havia feito restaurando a sua alma e o fazendo andar por caminhos retos, não por nenhum mérito próprio, mas pelo caráter perfeito do seu Pastor. Portanto, não seria o vale da sombra da morte que o faria temer. Davi lembra-se dos instrumentos que utilizava quando guiava as ovelhas de seu pai e fazendo uma ligação com a metáfora ora utilizada, ele diz que não poderia temer, pois a presença do pastor com a ovelha garantia segurança contra os lobos e contra a sua própria fragilidade. A vara era um instrumento usado geralmente com uma ponta de metal para afugentar os lobos, leões, ursos e todo o tipo de inimigos que pudessem investir contra o rebanho, ao tempo que o cajado, segundo Matthew Henry, era um instrumento distinto da vara, usado para resgatar a ovelha quando caia em algum precipício, podendo içá-las. Com essa imagem, Davi mostra a segurança que tinha em caminhar conforme mandava o seu Pastor, pois não haveria nenhum motivo para temor seja lá qual fosse o caminho a seguir. Aplicação: Se o Senhor nos deixasse andar conforme nossos próprios conceitos e seguindo nossos próprios caminhos certamente nós nos atiraríamos no primeiro precipício ou ainda seríamos engolidos por lobos. Mas sendo ele o nosso guia, certamente estaremos protegidos tanto das investidas de Satanás querendo nos consumir, como da nossa própria fragilidade que nos faz querer desviar dos seus caminhos. Ele não apenas nos guia e providencia todo o necessário, mas não nos permite sair do caminho por ele traçado. Não poderíamos ansiar por segurança maior. Mas não seria possível terminarmos a proclamação dessas verdades sem citar a revelação desse Bom Pastor na Nova Aliança. O Senhor Jesus em João capítulo 10 se identifica como o Bom Pastor que dá a vida pelas ovelhas (Jo. 10:11). Ele promete jamais as deixar sozinhas (Mt. 28: 20) e através do seu sangue ele nos restaura a alma e nos guia para os pastos verdejantes (Jo. 10:9) e mesmo que no caminho passemos pelo vale da sombra da morte não temeremos mal algum pois ele venceu a morte. Na Cruz do Calvário o bom Pastor fez algo que o mercenário jamais faria, ele deu a sua vida pelas suas ovelhas. Isso já seria maravilhoso se considerássemos ovelhas inocentes e indefesas, mas quando sabemos que as suas ovelhas são pessoas como eu e você a obra de Cristo se torna ainda mais sublime. O Deus Todo Poderoso envia seu Filho a Terra para apascentar um rebanho rebelde e desobediente e por esse rebanho de ovelhas pecadoras o Senhor Jesus Cristo, o Bom Pastor, ora pedindo que seu pai os guarde e os livre do mal e para garantir que esse rebanho de rebeldes não volte a se rebelar contra o seu Pastor, Jesus dá sua vida e com isso compra o resgate de suas ovelhas. Aplicações Finais: Quanto aqueles que ainda não têm a Deus como o seu Pastor, a conclusão que chegamos que essas pessoas devem buscar a sua misericórdia imediatamente para que sejam pastoreadas e libertas da mão do mercenário que quer acabar com suas vidas. Todavia, em relação àqueles que já tem o Senhor como o seu Pastor que possam aprender a confiar mais no agir do Senhor que é o nosso Pastor que sempre os acompanha e jamais deixará suas ovelhas sozinhas. Que cada um de nós possa estar sempre com o coração aguardando na promessa dos pastos verdejantes e das águas tranquilas, mesmo quando o caminho mais pareça de morte, pois o Pastor irá nos tratar até que cheguemos ao lugar onde é o seu propósito. Que possamos descansar na confiança que o nosso Pastor tem usado da sua vara para afugentar os lobos e do seu cajado para não permitir que saiamos dos seus caminhos. Que possamos nos assegurar nos méritos de Cristo que já pagou o preço pelo seu rebanho e que jamais os deixará sozinho. Presb. Augusto Brayne
É a Bíblia a Palavra de Deus? ( I ) O. R. de Sales Na segunda carta de Paulo a Timóteo (3.16-17), encontramos o texto que diz: "Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra." A Bíblia é o livro das Sagradas Escrituras. Mas a primeira e mais simplória objeção à Bíblia é a de que "ela foi escrita por homens", daí porque não merecer crédito. Tais críticos em regra gostam de livros, revistas e jornais... todos escritos por homens! E também mandam seus filhos à Escola, o que é uma incoerência! Na Bíblia está escrito que Deus, para a divulgação do plano de salvação, não usa anjos, mas "a descendência de Abraão", isto é, homens transformados pela palavra de Deus, e nisto está um dos pontos salientes da sabedoria de Deus. É Deus operando no homem e na sua história! O fato é que Deus fez o homem para a sua glória e busca-o ética e incansavelmente como parceiro de seus maravilhosos planos. Foi assim também na revelação de sua Palavra, ao tomar a descendência de Abraão para entregar-lhe sua revelação. Sim, porque a Bíblia não é filosofia nem ciência, mas algo maior: é revelação, o descortinamente progressivo da verdade de Deus. Assim, podemos afirmar que a Bíblia não se preocupa em provar, mas em mostrar e revelar, persuadindo o homem à fé. A Bíblia mostra a Divindade como "o Deus das alianças". Todo ato ou promessa de Deus está envolvido em alianças, que são pactos inquebrantáveis. Assim Deus estabeleceu alianças com os homens, a partir de Adão, passando por Abraão, Noé e Davi, e também com a nação de Israel, através de Moisés, e, por fim, com toda a humanidade através de seu Filho, Jesus Cristo, isto é, o Deus que se fez homem., para estabelecer, de uma vez para sempre, a aliança eterna. No Jardim do Éden Deus criou o homem, Adão, e mostrou-lhe sua Palavra, "e lhe deu a seguinte ordem: de toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás: porque no dia em que dela comeres certamente morrerás" (Gênesis 2.16-17). Essa ordem era toda a Bíblia para Adão e sua geração. Veio a desobediência e suas consequências devastadoras para o homem, mas na oitava geração de Adão, isto é, com Enos, "daí se começou a invocar o nome do Senhor" (Gn 4.26). No início, quando o homem vivia em cavernas e tendas, antes da escrita, a revelação da palavra de Deus foi passada "oralmente", isto é, foi verbalizada de geração a geração. Podemos perceber isso no tempo dos Juízes, na indagação de Gideão, aquele jovem que foi surpreendido pelo Anjo do Senhor quando colhia o trigo, antes que os midianitas o tomasse. O Anjo falou: "O Senhor é contigo, homem valente. Respondeu-lhe Gideão: Ai, senhor meu, se o Senhor é conosco, porque nos sobreveio tudo isto? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: não nos fez o Senhor subir do Egito? Porém, agora o Senhor nos desamparou, e nos entregou nas mãos dos midianitas." Nos dias de Jacó, quando seus filhos constituíam suas famílias, que viriam a ser as doze tribos de Israel, encontramos o relato da história de José, o jovem "sonhador". Sonhou José que seria alguém muito importante, a ponto de seu pai, sua mãe e seus irmãos se prostrarem perante ele (Gn 37.5-11). Depois disso, movidos por ódio, seus irmãos o venderam aos mercadores ismaelitas, que o vendeu a Potifar, oficial de Faraó. Ali, por rejeitar a mulher de seu senhor, mas acusado falsamente de assediá-la, foi preso injustamente. Na prisão, depois de alguns anos, interpretou os sonhos do copeiro e do padeiro do Rei. Os acontecimentos comprovaram que José interpretara corretamente os sonhos daqueles homens. Por fim sonhou o próprio Faraó. Então o copeiro lembrou-se de José e este foi chamado para interpretar o sonho do monarca. Feita a interpretação dos sete anos de fartura e dos sete anos de fome, foi José nomeado governador de toda a terra do Egito, cumprindo-se os sonhos que tivera na mocidade, tendo seus irmãos e seu pai se prostrado diante dele, nos anos da fome. Nos Salmos esses estraordinários acontecimentos, rigorosamente cumpridos, são chamados de "profecia", senão vejamos: "Diante deles enviou um homem, José, vendido como escravo; cujos pés apertaram com grilhões, e a quem puseram em ferros, até cumprir-se a profecia a respeito dele, e tê-lo provado a palavra do Senhor." (Sl 105.17-19). Vemos, assim, que essa sucessão de "sonhos" originaram-se em Deus, vivenciados por descendentes de Abraão e até mesmo por pessoas de outras nações e credos, como o padeiro e o copeiro do Rei e o próprio Faraó do Egito. A partir daí surgiu a escrita, no apogeu do Egito e na descida da descendência de Abraão para lá, no tempo de Jacó, com 70 pessoas. Ali, dissera o Senhor a Abrão, em sonho, " ...a tua posteridade será peregrina... e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos. Mas também eu julgarei a gente a que têm de sujeitar-se; e depois sairão com grandes riquezas." (Gn 1513-14). Assim falara Deus e assim aconteceu. O povo hebreu foi escravizado no Egito por quatrocentos anos, até que veio Moisés, enviado por Deus, e o libertou do cativeiro do Egito, através de "julgamentos divinos" contra os deuses do Egito. Então cumpriu-se a palavra prometida a Abrão, patriarca da nação. Ao chamar a Moisés Deus fez menção dessa história passada de pai para filho, ligando o patriarca Abraão, a Palavra de Deus e seus descendentes: "Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó... Certamente vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento." (Êxodo 3.6-9). Moisés, criado na corte de Faraó como seu neto, foi instruído "em toda a ciência do Egito" e era "poderoso em atos e palavras". A ele são atribuídas a autoria dos Livros de Gêneses, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio e Jó. É interessante notar que quatrocentos anos são suficientes para mudar radicalmente todos os aspectos das nações, e somente Deus poderia cumprir uma palavra pronunciada com tanta antecedência, visto que as probabilidades de não-ocorrência seriam infinitas. Não fossem do Deus da Verdade, o Deus das alianças, tais palavras jamais teriam se cumprido. Nesse compasso a Bíblia vai associando "promessa e cumprimento" ao longo do tempo em que foi escrita, cerca de 1600 anos. Vemos também Josué, sucessor de Moisés e Líder de Israel, que introduziu o povo na terra prometida, provando a inspiração e a veracidade da Palavra de Deus anunciada aos seus antepassados, quando afirma: "Nenhuma promessa falhou de todas as boas palavras que o Senhor falara à casa de Israel: tudo se cumpriu." (Js 21.45). Percebemos que a forma pela qual Deus se manifestou a Israel através dos homens, isto é, de reis, sacerdotes e profetas da descendência de Abraão, foi sonhos, visões e palavras ditadas diretamente ao coração dos profetas, palavras essas inteiramente contextualizadas com as circunstâncias vivenciadas por pessoas bem determinadas ou pela nação, seguindo-se o registro de seu cumprimento. De Samuel, profeta e 13º juiz de Israel está escrito: "Continuou o Senhor a aparecer em Silo, enquanto por sua palavra se manifestava ali a Samuel." (I Sm 3.21). Como livro das experiências das diversas gerações dos descendentes de Abraão os Salmos registram depoimentos vibrantes, tais como: "O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada;" (18.30); "As palavras do Senhor são palavras puras, prata refinada em cadinho de barro, depurada sete vezes" (12.6); "Tenho visto que toda perfeição tem seu limite, mas o teu mandamento (palavra) é ilimitado" (119.96); "... pois magnificaste acima de tudo o teu nome e a tua palavra" (138.2b). Assim, a palavra de Deus foi sendo revelada, passo a passo, surgindo através dos acontecimentos da nação israelita e orientando-a no cumprimento dos grandes planos de Deus, até o principal descendente de Abraão, que é Cristo, o Verbo (a Palavra) que se fez carne. Sobre a veracidade da Bíblia, para as mentes céticas mas sinceras, recomenda-se o best-seller E a Bíblia Tinha Razão..., de Werner Keller, diplomata e cientista alemão, Edições Melhoramentos.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

UM VASO PARA SER APROVADO! TEM QUE SER PROVADO. AMÉM "As provações" "Meus irmãos,tende por motivo de grande gozo o passardes por provações. Sabendo que a prova da vossa fé desenvolve a perseverança."(Tg.1.2,3) Introdução. A palavra de Deus diz:"Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus. Daqueles que são chamados segundo o seu propósito.(Rm.8.28) O Espírito Santo vai nos nos falar hoje o porque das provações em nossas vidas e, qual o propósito delas. No texto que lemos diz que devemos ter grande gozo(satisfação) ao passar por provações, se você falar essas palavras para pessoas que não conhecem esse texto ou não conhecem a Palavra de Deus, elas vão lhe dizer:"Você está loucoª!" E vão perguntar:Como podemos ter satisfação no sofrimento?, estas pessoas não estão de todo erradas, pois a aflição dói, trás tristezas. Mas quando passamos a ter o conhecimento da Palavra de Deus e atingimos a maturidade isto é, deixamos de ser meninos na fé, passamos a compreender que as adversidades nos trás grandes benefícios. E por que Deus permite que o mal venha sobre nossas vidas? E qual o propósito de tudo isso? Esta é a pergunta de muitas pessoas, e outrora foi minha também. A Palavra de Deus nos trás respostas, pois Deus não nos deixa confundidos. Vamos ver a seguir qual o propósito da provação, na vida do crente fiel. São eles: 1. O primeiro propósito(objetivo) da provação na vida do crente fiel é, desenvolver a "perseverança":Na tribulação ou provação, a pessoa desenvolve esta característica por causa da sua fé em Deus, ela sabe que Deus lhe dará a solução, por isso ela permanece firme e constante, ela não desiste, e por causa desta perseverança ela alcança a vitória. Há na Bíblia, vários exemplos de pessoas, que perseveraram na fé em Deus e venceram, como foi o caso de Bartimeu, Ana, Abraão e muitos outros. O segundo propósito da provação na vida do crente fiel é, produzir "experiência": É nas adversidades que passamos a ser experientes, uma pessoa experiente é uma pessoa que já passou por muitas coisas na vida e se tornou hábil naquilo e, pode aconselhar, ajudar outras pessoas a superarem seus problemas, por que ela sabe como é e como sair do problema. E isso, não é um motivo de grande gozo, de grande satisfação, o fato de você poder ajudar alguém? O terceiro propósito da provação na vida do crente fiel, é que, ela trás para nós "intimidade com Deus": É no momento de provação, que mais nos aproximamos de Deus e de sua Palavra e, quanto mais você o busca, mais intimidade você tem com Ele e mais conhecimento você tem Dele, e essa é uma das maiores alegrias que o homem pode ter:"O conhecimento da pessoa de Deus." Porque quando você o conhece, você sabe como Ele é, e como Ele age, e você fica tranquilo sabendo que Ele vai lhe tirar desta situação. Temos na bíblia, exemplos de pessoas que em meio as provações, reconheceram, que passaram a conhecer Deus nas provações. O primeiro foi Jó, ele reconheceu que com os ouvidos ouvira falar de Deus, mas agora ele o vê com os seus olhos isto é, ele passou a conhecer a Deus porque o viu em sua vida.(Jó.42.5) Um outro exemplo, foi o do apóstolo Paulo, falando das provações que passava por causa do evangelho, ele disse:..."Porque eu sei em quem tenho crido e, estou certo de que Ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia."(II Tm.1.12) 2.Veremos também,qual o propósito da provação na vida do crente infiel. O primeiro propósito(objetivo) na vida dessas pessoas é o "castigo." O castigo é uma ação do amor de Deus, é também um modo de demonstrar o seu amor por nós. Ele diz em sua Palavra:"Reconhece pois que assim como um homem castiga seu filho, assim também te castiga o Senhor teu Deus."(Dt.8.5) Estas palavras, foram ditas para o povo de Israel, que vivia desobedecendo á Deus e virando ás costas para Ele, indo após outros deuses. E o Senhor Deus compara o seu amor e o seu cuidado no que diz respeito a disciplina, como o amor e o cuidado que um pai de família tem por seus filhos. O castigo é para que haja uma correção, para que haja arrependimento e a pessoa entre no eixo, se acerte, mude de comportamento e se volte para Deus. O Senhor Jesus diz:"Eu repreendo e castigo a todos quanto amo. Portanto ser zeloso e arrepende-te."(Ap.3.19) 3.Fé provada: Muitas das vezes, as pessoas se tornam impacientes na provação, achando que Deus o esqueceu, que está demorando a sua resposta, mas isso também é um teste, uma prova de Deus, Ele está testando a coragem e a fé da pessoa, no versículo 2 do capítulo que lemos diz:"...Sabendo que a prova da vossa fé..." Há um hino que diz: "Cada vez que a minha fé é provada,Tu me dás a chance de crescer um pouco mais..." Em Tiago 5.7 diz:"Sede pois irmãos, pacientes até a vinda do Senhor...O lavrador espera com paciência o fruto da terra...Sede vós também pacientes e fortalecei os vossos corações..." Precisamos esperar pacientemente pelo Senhor como fez Davi, ele disse:"Esperei com paciência pelo Senhor e, Ele ouviu o meu clamor."(Sl.40) Jesus disse:"No mundo tereis aflições,mas tende bom ânimo. Eu venci o mundo."(JoJr.1.12) Queridos, o Senhor nosso Deus, tem o tempo certo para cumprir as suas promessas em nossas vidas. E Ele está dizendo para você hoje:"Não se preocupe, Eu sei o pensamento que tenho a vosso respeito.Pensamento de paz e não de mal, para vos dá uma esperança e um futuro. (Jr.29.11) Creia em Mim, persevere e Eu te darei a vitória!" Você crê, nesta palavra?, se é assim, então você já é um vencedor, uma vencedora em nome de Jesus. "Que Deus te abençoe ricamente em nome de Jesus!" Mensagem iluminada pelo Espírito de Deus. EM:16/09/09. Autora:Sandra Moura. "Jesus te ama.Ele é o caminho para a sua salvação e para sua felicidade!" "Procure uma igreja evangélica mais próxima de sua casa. Versículos de Provação Provação na Bíblia O Senhor prova o justo, mas o ímpio e a quem ama a injustiça, a sua alma odeia. Salmos 11:5 Outros Versículos encontrados: As que caíram sobre as pedras são os que recebem a palavra com alegria quando a ouvem, mas não têm raiz. Creem durante algum tempo, mas desistem na hora da provação. Lucas 8:13 Embora a minha doença tenha sido uma provação, vocês não me trataram com desprezo ou desdém; ao contrário, receberam-me como se eu fosse um anjo de Deus, como o próprio Cristo Jesus. Gálatas 4:14 não endureçam o coração, como na rebelião, durante o tempo da provação no deserto, Hebreus 3:8 Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam. Tiago 1:12 Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. 1 Pedro 1:6 Vemos, portanto, que o Senhor sabe livrar os piedosos da provação e manter em castigo os ímpios para o dia do juízo, 2 Pedro 2:9 "Estas são as palavras daquele que é santo e verdadeiro, que tem a chave de Davi. O que ele abre ninguém pode fechar, e o que ele fecha ninguém pode abrir. Visto que você guardou a minha palavra de exortação à perseverança, eu também o guardarei da hora da provação que está para vir sobre todo o mundo, para pôr à prova os que habitam na terra. Apocalipse 3:10 Evangelista Manoel Moura.

sábado, 21 de setembro de 2013

Pregação Marco Feliciano Gideoes 2013 Completa Pastor Marcos é homem de Deus é profeta!

quinta-feira, 5 de março de 2009 PREGANDO A VERDADE SEM MEDO Hoje em quase todas as igrejas não se fala mais em cruz, em pecado, em inferno e em condenação. Pastores, líderes de ministérios, evangelistas e nas escolas dominicais não se prega mais o verdadeiro, mas sim o conveniente, muitos estão preocupados em agradar os fiéis e não sabem que estão levando muitos ao erro, ao pecado e alguns a própria condenação, tudo pelo medo de perder suas ovelhas ou escandaliza-las. Penso eu e assim também diz a Palavra ”Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Pois busco eu agora o favor dos homens, ou o favor de Deus? ou procuro agradar aos homens? se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gl 1.9-10). Quem poderá ser um autêntico ministro do evangelho se não prega aquilo que a Bílbia diz? Todos os verdadeiros cristãos devem ter como alvo Cristo, sempre devendo agradar a Deus, mesmo que isso importe desagradar a homens. Temos como exemplo “Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a Deus que aos homens.” (At 5.29) .......... “Não servindo somente à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus.” (Ef 6.6) .......... “Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo somente à vista como para agradar aos homens, mas em singeleza de coração, temendo ao Senhor.” (Cl 3.22). Mesmo que a Palavra de Deus seja dura, deve ser pregada sem receio, não sabemos quando Cristo irá voltar, por isso importa pregar o Evangelho do que tentar agradar a igreja, temendo escandalizá-la. Cristão verdadeiros, que amam a Cristo, receberão com amor essa palavra, pois ela exortará, ensinará o verdadeiro, o correto, enquanto aqueles que estão dentro das igrejas, dizendo que são crentes e se escandalizam com a verdade da Palavra, digo-vos, que a muito tempo estão desviados, não conheceram a Cristo ainda e precisam consertar seu caminho com o Senhor. Nos somos filhos de Deus, temos o evangelho confiado para disseminar e temos que fazer isso “mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.” (1Ts 2.4). Temos a certeza, assim como a parábola dos talentos, que se nos é confiado a proclamação do Evangelho, e por medo, restrição, doutrina, ou mesmo pelo fato de como a igreja vai reagir pela verdade, deixarmos de proclamar, rodeando a Palavra, evitando a cruz, o sacrifício, o inferno, pagaremos um alto preço a Deus, por termos uma pedra preciosa nas mão e enterrarmos no solo, passando nos por tímidos. Jesus chamava os fariseus, doutores na lei de hipócritas, miseráveis, pobres, cegos e nus. Jesus anunciava o Evangelho verdadeiro e não omitia a Palavra para agradar qualquer um que fosse, mesmo seus discípulos que o seguiam foram repreendidos, dizendo Jesus que se o seguiam por causa do pão, que sumissem, fosse cada um para seu canto, sem restrição ou medo. Fujam daqueles que pregam para manter a igreja cheia, que implantam doutrinas anti-bíblicas “Ora, irmãos, estas coisas eu as apliquei figuradamente a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, de modo que nenhum de vós se ensoberbeça a favor de um contra outro.” (1Co 4.6). Muitos tem ajudado o Evangelho, complementando-o com suas doutrinas pessoais, trazendo o erro para dentro da igreja, implantando doutrinas de superstição, revelação, irmãos, jamais Deus revelará algo fora da Palavra, muitos hoje pregam, “O Senhor me deu uma revelação, ou isso, ou aquilo” e vendo está totalmente contrário do que a Bíblia diz, CUIDADO, você está emPERIGO!!!! Prove se os profetas são de Deus “Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo.” (1Jo 4.1). Afaste-se desses sensacionalistas que emotivam a igreja em vez de levar a Palavra da cruz, aquela verdadeira que salva, que concerta e não a que conforta os pecados delas, “Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas dissoluções, e por causa deles será blasfemado o caminho da verdade; também, movidos pela ganância, e com palavras fingidas, eles farão de vós negócio; a condenação dos quais já de largo tempo não tarda e a sua destruição não dormita. (2Pe 2.1-3) não tireis da igreja o direito de saber a verdade somente pelo medo da repercussão, do escânda-lo, pois quem ama a Deus receberá com amor, e faz a vontade dele. Aquele que acrescenta ou tira algo da Palavra, pagará o preço (Ap 22.18-19). Deus abençoe a todos em nome de Jesus

Postagem em destaque