quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O perfil da esposa ideal Josué Gonçalves REFLEXÃO Texto : 1 Pe 3.1-71; Pv 14. 1; 31.10 - 31; 18.22. A mulher é o elo que liga marido e filhos. Por esta razão ela é, por muitas vezes, o ponto de equilíbrio do lar. Uma mulher virtuosa é capaz de fazer do seu lar um jardim de felicidade e alegria em Cristo, apesar das circunstâncias. O primeiro nome que a mulher recebe na Bíblia é de auxiliadora. Auxiliadora para completar o homem, consciente de que em Cristo não há diferença - Gl 3:27-28; 1 Co 11.3. Elizabete Elliot, uma escritora contemporânea, escreve o seguinte: "Nós fomos criadas para sermos mulheres. O fato de ser mulher não me faz um tipo de cristã diferente, mas o fato de ser cristã me faz uma mulher diferente". A mulher como auxiliadora - discípula, deve revelar o caráter de Cristo em seu viver diário, conservando sobre si a unção do Espírito Santo. Antes da submissão ao marido, já deve ser ao Senhor. Isso só é possível se a vida estiver centralizada em Cristo. I. Os deveres da esposa segundo o plano de Deus As feministas, consideram a "submissão" da mulher ao marido algo inconcebível, porém, é preciso compreender esta regulamentação divina, na ótica divina e não humana. 1. S U B - M I S S Ã O (1 Pe 3. 1 - 7; Ef 5. 24). O que a Palavra de Deus nos ensina está no significado da palavra submissão. 1. DEFINIÇÃO. Compreendendo este princípio, partindo do significado literal da palavra "submissão". SUB - quer dizer "debaixo - de". MISSÃO - "profissão ou vocação." Em resumo: SUBMISSÃO é EXERCER MISSÃO DE APOIO, missão de base, de auxílio. Alguém disse: "Por detrás de um grande homem, sempre existe uma grande mulher". A submissão deve ser a mais forte demonstração de amor da mulher para com o marido. Esta submissão não escraviza. É importante entender o que não é submissão segundo a Bíblia. Submissão, não é ser empregada doméstica de luxo, não é ser super-dependente, não é se auto-escravizar, não é se anular como pessoa. 2. Quais são os benefícios da submissão, segundo a Palavra de Deus 1) Proteção. Proteção é o primeiro benefício da submissão. Uma mulher que não exerce missão de apoio no lar, está desprotegida e exposta aos perigos nas áreas EMOCIONAL, FÍSICA E ESPIRITUAL. Toda atitude de rebeldia da legalidade para o maligno e anula a operação de Deus. Não há operação divida na vida de quem não obedece os princípios da Palavra de Deus. 2) Equilíbrio Social. (Gl 3:27,28) 3) Poder espiritual, (1 Pe 3:6). 3. Três exemplos negativos de esposas 1)Eva, Gn. 2,17; 3. 6. Por causa da insubmissão de Eva, quanto aquilo que o Senhor havia dito, toda a natureza sofre os efeitos da queda. Não valeu a pena. 2)Mulher de Ló. Gn 19.17,26. A insubmissão desta esposa, atraiu o juízo de Deus sobre si, ela foi transformada em um "monte de sal". Dura coisa é viver ao lado de uma mulher, cuja atitude e comportamento é uma verdadeira salmoura. 3) A Mulher de Jó. (Jó 2.8,9). Se Jó não tivesse raízes profundas em sua vida de compromisso com Deus, certamente ele teria esmorecido diante das palavras de morte de sua esposa. Há muitas pessoas que tem tudo para serem felizes, só não o são, por causa daquilo que vem sendo dito um para o outro dentro do lar. Não podemos nos esquecer que, "palavras tem poder para construir ou destruir". 4. Dois bons exemplos de esposas 1) Sara, I Pe 3.6 . Se esta esposa não foi perfeita, foi virtuosa, porque jamais o Espírito Santo levaria Pedro a escrever sobre ela, de uma forma tão honrada, se ela não fosse uma "esposa virtuosa". 2) Ana, I Sm 1.8-11. Dentre muitas mulheres que a Bíblia faz menção, esta é uma das que me chama atenção. Algumas qualidades de Ana : Humilde, Persistente, Confiante, Sensível, Grata, Íntegra. O primeiro passo da submissão: 1. Reconhecer o marido como líder "O Cabeça" do lar, e levar todos os filhos a respeitá-lo como tal. (Ef. 5:23) 2. Quando a mulher não reconhece o marido como líder, ela passa a usar alguns meios para roubar-lhe a AUTORIDADE, competindo pela liderança. Quais os meios que uma mulher pode usar para roubar, interferir, diminuir a autoridade do marido? - Através de horários, estas estabelecem hora para tudo e faz do relógio uma forma de "algema" para o marido. - Através do sexo. Ouví falar de uma mulher, que só tinha relação sexual com o marido, se ele pagasse em dinheiro - Através de doenças que não existem. Você sabia, que tem algumas mulheres que tem o hábito de reclamar de doenças ou vivem dizendo que "está doendo". São pessoas que têm problema de "auto-piedade", gostam que os outros tenham dó delas. Se está doente, é obrigação do marido, procurar médico, assistência para esposa, mas se a mulher esta usando uma "estratégia enganosa" para enfraquecer a liderança do marido, esta atitude aos olhos de Deus é pecado. - Através das lágrimas. Quando uma mulher chora demasiadamente, usando as lágrimas como "uma arma" para impor algo ela está revelando imaturidade. Uma esposa sábia jamais faria isto. - Através da Espiritualidade. Um certo pastor me contou que em sua igreja havia uma esposa que quando queria forçar o marido a fazer alguma coisa, profetizava para ele. Essa atitude de brincar com o sagrado, pode trazer sérios prejuízos para a família. Uma espiritualidade sadia, não brinca com as coisas do Espírito Santo. - Através do Desperdício. Reconheço que muitos marido são "excessivamente econômicos", porém, alguns fecham a mão, provocados pelo desequilíbrio no gastar das suas esposas. O equilíbrio financeiro, depende não só do marido, mas também do equilíbrio da esposa. - Através do Silêncio. O que dizer de um casal que consegue ficar uma semana, um mês ou um ano sem conversar dentro de casa. Para que isto não aconteça é bom lembrar do que Paulo escreveu aos Efésios :"Quando estiverem irados, não pequem alimentando o seu próprio rancor. Não deixem que o sol se ponha com vocês ainda irados - resolvam isto logo." Ef. 4: 26 - Através das ameaças de suicídio ou separação. Penso que nunca deveríamos falar aquilo que na verdade, não queremos que aconteça. Fico admirado com a facilidade com que algumas esposas dizem para o marido: "Desse jeito vou embora", "Tenho vontade de tirar minha vida" etc. Por pior que seja a crise, nunca devemos tentar apagar o fogo com gasolina. "Que exemplo esta mulher está dando às filhas?" (Ez .16 :44) O que a mulher demonstra ao reconhecer o seu papel? 1. Aceitação da vontade de Deus, 1 Jo 2.17. "Foi Deus quem baixou essa determinação regulamentadora da vida doméstica". Rejeitar este principio, é não estar vivendo sob o senhorio de Cristo. 2. Profundo amor ágape - Tito 2.3-5. "As mulheres idosas, semelhantemente, sejam sérias no seu viver, como convém as santas, não caluniadoras, dadas a muito vinho. Então poderão ensinar as mulheres novas a amarem seus maridos e filhos". Quando escrevi para os maridos, procurei ser objetivo e direto, quanto ao dever do homem de amar a sua esposa voluntariamente, incondicionalmente e sacrificialmente. Se a esposa espera ser tratada como eterna namorada, com romantismo, respeito, carinho, cortesia, atitudes de bondade, etc., ela tem toda razão . Porém, faço uma pergunta para as esposas: "O que vocês estão fazendo para merecer este tratamento?" Não é difícil cobrar, difícil é fazer aquilo que estamos cobrando do cônjuge. Muitas mulheres, depois que se casam, deixam morrer o "espírito romântico", e passam a menosprezar aquilo que pode manter o casamento cheio de graça e vida. Alguém disse: "Quem tem na garagem um carro Vectra ou Omega, não sai a procura de fusquinha meia qualquer coisa...". Quem tem em casa uma grande mulher, não sai em busca de "mulherzinha sem caráter". Muitas mulheres estão perdendo seus maridos, por não fazerem o mínimo necessário, para mantê-los conquistados. Muitas pessoas só conseguem dar valor ao que tem depois que perdem. Perguntas que podem ajudar as esposas que desejam melhorar: - Como você demonstra seu amor para o seu marido? É impossível amar sem demonstrar quem ama de alguma forma isto aparece. - Como você trata seu marido na intimidade e diante das crianças e outras pessoas? - Você o surpreende as vezes com atitudes românticas? Pr. Josué Gonçalves é terapeuta familiar, escritor e conferencista internacional. Bacharel em Teologia pelo IBAD - Instituto Bíblico das Assembléias de Deus, com especialização em aconselhamento pastoral e terapia de casais.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Poucas palavras na Bíblia são tão claras, mas ao mesmo desobedecidas justamente por pessoas que afirmam ser cristãs, como a que ensina que a única possibilidade de chegarmos a Deus é por meio do Seu filho Jesus Cristo. Única. E olha que a Bíblia traz isso na boca do próprio Jesus. Lembremos o que está em João 14:6: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, se não por mim.” Há quem leia a passagem, a ache correta, concorde, proclame que faz justamente isso na sua vida por ser cristão, mas quando indagado por sua fé em outros personagens bíblicos afirmam que pedem para que estes “intercedam” por ele para chegar a Deus. Sem noção do que diz a palavra de Deus, acham que não estão desobedecendo e, portanto, não estão fazendo nada errado. Ledo engano. Salientando que não se quer aqui atacar ou diminuir a missão dada por Deus a Maria, a mãe de Jesus, ou a nenhum personagem bíblico, a frase citada entre aspas deve ser de longe o maior exemplo de quando uma pessoa diz ser fiel à palavra de Deus, mas a distorce completamente. Percebam que, ao usar a expressão “o caminho”, Jesus não deixou o ensinamento de que devemos ter quem interceda por nós. Ele diz claramente que está nos dando um presente maravilhoso: pela nossa fé chegarmos ao Pai pelo único caminho que é ele, Jesus. Ponto final. A gramática nos ajuda a entender a frase. Se Jesus tivesse dito “um caminho” e não “o caminho”, aí, sim, poderíamos ter opções. Perceba, internauta, que há mais de um caminho para se chegar à praia, ao centro… Mas imagine, por exemplo, um apartamento no 10º andar com apenas uma porta. Será que esta porta é o caminho para o elevador ou um caminho? Alguém arriscaria pular a janela para chegar ao elevador ou só restaria uma única possibilidade: a porta? Para chegarmos a Deus, Jesus é essa única porta. Qualquer outro caminho representa o perigo da janela. E note-se que a Bíblica é didática. Não há passagem nenhuma falando em usar outro caminho para se chegar a Deus, exceto Jesus. Os que usam Maria, por exemplo, o fazem por conta própria. Não tem respaldo bíblico. Percebam que isso não sonega, como por ignorância teológica alguns acreditam, o importante papel que Deus reservou a Maria. A Bíblia, em João 1:1, diz que “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” Mais adiante um pouquinho, no mesmo livro, lê-se: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João 1:14). Ou seja, está cristalino que Jesus veio à terra para cumprir a missão de salvar a humanidade das garras de satanás. E no plano de Deus para o verbo se fazer carne era preciso nascer igual a todos nós – inclusive para nos deixar a lição que qualquer pessoa de carne e osso que tenha fé em Deus é capaz de superar as adversidades impostas pelo inimigo e conseguir a salvação. Assim, Deus escolheu Maria. Evidente que pelo mérito dela. Deus não escolheria qualquer uma para trazer o Seu filho ao mundo. Mas optou uma mulher também de carne e osso como todos nós. A partir do momento em que Jesus começou o seu ministério, era ele e o Pai. Só ele e o Pai. Uma decisão de Deus, e que quem tem fé Nele não discute. Prestem atenção a estas palavras de Jesus: “E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora (João 2:3-4). Percebam que, para quem não vive a fé na palavra de Deus, não entende que Jesus é, de fato, o único caminho para se chegar a Deus, as palavras soam ríspidas – sobretudo dirigidas à própria mãe. Todavia uma reflexão com o auxílio de outras passagens bíblicas joga luz no fato de Jesus ter uma missão dada por Deus, e somente Deus poderia colocar no seu coração o que fazer, como fazer e quando fazer. Aliás, a própria Maria, que nunca disse a ninguém que seria um caminho para Deus, ao menos não existe isso na Bíblia, testemunhou esta aliança Deus x Jesus. “Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser” (João 2:5). Portanto, está evidente que tanto Jesus quanto Maria, assim como todos nós, temos missões dadas por Deus. Missões distintas. A partir do momento em que se pauta a vida na obediência à palavra de Deus, na fé na Bíblia, deixando ensinamentos religiosos à parte (Bíblia é bíblia. Religião é religião), entende-se isso e a frase que serve de título para este texto claramente. Mas, como diz Jesus, quem tem ouvidos que ouça. Deus no comando.