quinta-feira, 3 de outubro de 2013

SANTIDADE A LUZ DA BÍBLIA. ASSIM DEUS O QUER A TODOS!

1
CELEBRANDO
SANTIDADE
ESBOÇOS DE SERMÕES)
(PREGAÇÕES)
IGREJA DO NAZARENO REGIÃO ÁFRICA
2
3
Igreja do Nazareno Região de África
Celebrando a Santidade
Esboços de Sermões
Introdução...........................................................………………………………..………………………5
Sermões sugeridas por semana:
Semana 1 -
Sermão 1: Os Dois Batismos – Água e Espírito ou Fogo…......................................................7
Mateus 3:1-12/ Dr. Enoch Litswele
Sermão 2: Levantando Cristo……………...................................................…………………...10
João 12:20-32/ Dr. Enoch Litswele
Sermão 3: Fazendo Completa A Nossa Salvação……….....................................................…12
Marcos 1:1-8/ Rev. Chanshi Chanda
Sermão 4: O Propósito Da Morte de Cristo..............................................................................13
Titos 2:11-15/ Dr. Enoch Litswele
Sermão 5: Morrendo e Vivendo Com Cristo………….....................................................….....14
Romanos 6:1-23/ Dr. Enoch Litswele
Semana 2 -
Sermão 6: Pessoas Normais Em Missão Extraordinária……..................................................15
João 15:4-5/Dr. Filimão Chambo
Sermão 7: Convite de Deus.....................................................................................................16
Gênesis 17:1-2/Dr. Filimão Chambo
Sermão 8: A Videira Verdadeira e Os Ramos Verdadeiros….................................................18
João 15:5-8/Rev. Collin Elliot
Semana 3 -
Sermão 9: O Curso De Santidade………................................................……………………...19
João 7:37-39/Rev. Collin Elliot
Sermão 10: Devedores Do Evangelho……………...................................................…………..20
Romanos 1:8-17/Rev. Kenneth Phiri
Sermão 11: A Vida Da Santidade – A Nossa Chamada...........................................................22
4
Semana 4 –
Sermão 12: Santidade E A Vida Ética........................................................................................23
Isaías 6:1-7/Dr. Enoch Litswele
Sermão 13: Nós Devemos Ser Santos Porque Isto Está Escrito...............................................25
I Pedro 1:13-2:3/Dr. Enoch Litswele
Sermão 14: O Brilho Da Casa De Deus Sobre Nós...................................................................27
Salmos 67, Números 6:22-27, Apocalipse 1:16/Dr Enoch Litswele
Sermão 15: Os Puros De Coração.............................................................................................29
Mateus 5:8/Dr. Cosmos Mutoa
Semana 5 –
Sermão 16: Habitando Na Presença Do Santo Deus................................................................31
Salmos 15/Rev. Paul Mtambo
Sermão 17: A Santidade Que Escorre......................................................................................32
I João 1:5-10/Rev. Paul Mtambo
Sermão 18: O Espírito Unifica....................................................................................................34
Efésios 4:12-15/Rev. Collin Elliott
Semana 6 –
Sermão 19: A Verdade Acerca da Santidade............................................................................35
Romanos 6:19-22/Dr. Stan Toler
Sermão 20: A Integridade Que Não Pode Ser Recusada..........................................................37
Jó 1-6/Dr. Enoch Litswele
Sermão 21: Sejam Perfeitos Assim Como o Vosso Pai no Céu É Perfeito...............................39
Mateus 15:14-48/Rev. Chanshi Chanda
Sermão 7 –
Sermão 22: Reflectindo A Santidade De Deus..........................................................................40
Êxodo 3:5-6/Dr. Stan Toler
Sermão 23: O Mandamento Positivo De Amor..........................................................................42
Mateus 22:35-40/Rev. Canshi Chanda
Sermão 24: Repouse – A Próxima Fronteira!............................................................................43
Hebreus 3:7-19/Reva. Samantha Chambo
Sermão 25: Adorando O Senhor Na Beleza De Santidade.......................................................45
5
Salmos 29:1-2/Dr. Enoch Litswele
Sermões Suplementares – Purificado Pelo Espírito Santo
Sermão 26: Purificado Para Parar de Pecar..............................................................................46
Romanos 6:1-14/Esboço De Sermão 2008
Sermão 27: Purificado Para Resistir As Tentações...................................................................47
Mateus 4:1-11/ Esboço De Sermão
Sermão 28: Purificado Para Controlar Os Teus Pensamentos..................................................48
João 8:1/ Esboço De Sermão 2008
Sermão 29: Purificado Para Controlar Os Teus Pensamentos..................................................49
2 Samuel 11:2-5; Mateus 5:27-30/ Esboço De Sermão 2008
Sermão 30: Purificado Para Ficar Sempre Fiel..........................................................................50
Daniel 6/ Esboço De Sermão 2008
Sermão 31: Purificado Para Ter Cuidado Da Cobiça (Gulocidade)...........................................51
Mateus 26:14-16, 27:1-10/ Esboço De Sermão 2008
Sermão 32: Purificado Para Perdoar E Esquecer......................................................................52
Gênesis 42; 45:3-7/ Esboço De Sermão 2008
Sermão 33: Purificado Para Viver Como Jesus.........................................................................53
Efésios 5:1-10/ Esboço De Sermão
Sermões Suplementares – Recém Convertidos
Sermão 34: Sentimento De Grande Fome E Sede Para Ter A Vida Eterna..............................54
Marcos 10:17-31/Dr. Enoch Litswele
Sermão 35: O Povo De Deus Deixando Os Seus Maus Caminhos...........................................55
2 Crónicas 7:14/Dr. Enoch Litswele
Sermão 36: Pecado, O Problema Humano................................................................................57
2 Reis 5:1/Rev. Kenneth Phiri
6
INTRODUÇÃO
A Santificação, povo de Deus!
Que por Jesus é herdeiro dos céus!
Do mundo mau Ele nos libertou,
Da escravidão do Pecado tirou.
CORO
“É Santidade ao Senhor” , Hino e senha de Sião;
“É Santidade ao Senhor” da jornada canção.
Canta, clama, sem coação,
“Por Santidade ao Senhor”, agora e sempre
A Santificação, filhos da luz,
Com alvo e traje, seguindo a Jesus;
Não se maculem no mal ao redor
Guarda na alma o consolador.
A santificação, noiva fiel,
Não tarda a vinda do Cristo do Céu
Glorioso dia em que Ele voltar
Para consigo a Igreja levar.
“É Santidade ao Senhor” foi o tema da canção da Igreja do Nazareno durante anos. Nós
somos uma Igreja Santa.
Desde o princípio da denominação, a nossa chamada foi de pregar a realidade da santidade
completa a qual é recebida pela fé em Jesus Cristo e para empregar semelhantemente a Cristo
nos seus ministérios para a salvação das almas e libertar os necessitados. Esta foi a crença de
que os Cristãos eram separados a parte e não deviam mostrar o espírito do mundo, mas o
Espírito de Cristo.
As influências do mundo são fortes. Contudo, Deus nos chamou para sair fora do mundo: “Não
amem o mundo nem o que nele há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” (I
João 2:15)
Hoje vemos a Igreja do Nazareno em África lutando contra sistemas deste mundo, aqueles que
são contra a Cruz de Jesus Cristo. Nós chamamos a igreja para voltar a mensagem de
santificação do coração e a vida. Durante as semanas que seguem o Domingo de Páscoa, o qual
nos leva ao Domingo de Pentecostes, cada pastor local e a igreja é pedido a participar na ênfase
de santidade: Celebrando a Santidade 2012.
Os esboços de Sermões providos (fornecidos) aqui foram criados especialmente para este
tempo de ênfase de santidade, Celebrando a Santidade 2012, assim como chamamos a Igreja
do Nazareno através da Região de África para o tempo de reconcentração (refoco) e renovação.
A ênfase de cada semana corresponde ao Poder da Páscoa da Ressurreição até á Devoção de
Pentecostes que foram escritas por Dr. Gary Moore.
Há alguns esboços para você escolher em cada semana. Faça favor de rever os esboços e
escolha um que você vai utilizar para cada um dos sete Domingos começando em 15 de Abril de
2012; o Domingo que segue o Domingo de Páscoa.
Por exemplo: sermões sugeridos para Semana 1 incluindo o seguinte.
7
SEMANA 1
Sermão 1: Os Dois Baptismos – Água e Espírito ou Fogo
Mateus 3:1-12/ Dr. Enoch Litswele
Sermão 2: Levantando Cristo
João 12:20-32/Dr. Enoch Litswele
Sermão 3: Fazendo Completa a Nossa Salvação
Marcos 1:1-8/Rev. Chanshi Chanda
Sermão 4: O Propósito Da Morte De Cristo
Titos 2:11-15/Dr. Enoch Litswele
Sermão 5: Morrendo e Vivendo com Cristo
Romanos 6:1-23/Dr. Enoch Litswele
Você pode decidir usar o Sermão 3: Fazendo Completa a Nossa Salvação como o primeiro
Sermão dentro da série. Podes usar outros em qualquer tempo durante o ano depois do término
da ênfase no Domingo de Pentecostes, 27 de Maio 2012.
Um total de 36 esboços de sermões foram incluidos para o vosso uso todo o ano de 2012 assim
como nós aplicamos (focamos) no avivamento pessoal e corporativo de Santidade através da
Região de África. Esta ênfase de Santidade vai completar e aumentar o trabalho actual das
igrejas locais, distritos e campos em avançar com a criação dum ambiente espiritual na Região
de África onde Deus é dado a liberdade para trazer o avanço do avivamento nas nossas igrejas e
a renovação espiritual dos nossos dirigentes e membros. Em adição a estes esboços de
Sermões, você foi oferecido sete semanas de devoções completas com toda a família, e com
mais sete semanas de Estudo Bíblico.
Estes recursos são para guiar a sua igreja no estudo e reflexão que lhes vai levar a uma
Santidade pessoal e corporativa que refere a tradição Wesleana com o desejo de que o
resultado seja a chamada para a acção que nos leva a consciência da necessidade, com foco na
oração e jejum, pessoal e unido, confissão e arrependimento pessoal e corporativo,
compromisso na aliança e responsabilidade entre o relacionamento com Deus e a Igreja.
Muito obrigado por fazer parte na Celebração de Santidade 2012. Estou orando por si e sua
igreja e também para o forte derramamento do Espírito Santo através do grande continente de
África!
Dr. Filimão Chambo
Director Regional de África
8
Os Dois Baptismos – Água E Espírito Ou Fogo
Escrituras: Mateus 3:1-12
Texto: Mateus 3:11
Introdução:
João Baptista diz que há dois tipos de baptismos:
- Água e
- Espírito Santo ou baptismo pelo fogo
Paulo diz que há um baptismo (Efésios 4:5)
Baptizar (Grego - baptizo) é mergulhar dentro ou debaixo da água.
A preposição grega “eis” e “en” significa “com” e “dentro” (veja Mateus 3:11; Actos 19:3,5
e Gálatas 3:27
1. Baptismo com Água
a. Este era um ritual para limpar usado para tirar a culpa (Salmos 26:6; Mateus 27:24).
b. Os gentios eram aceites dentro do Judaísmo depois da purificação pela água (Qumran)
c. A travessia do povo de Israel do Mar Vermelho debaixo da nuvem era baptismo simbólico
para Moisés segundo a aliança do Velho Testamento
d. João Baptista introduziu este ritual na fé Cristã do Novo Testament (Mateus 3:6)
e. Jesus aceitou esta prática e foi baptizado por João e também ordenou que os seus
seguidores fossem baptizados (Mateus 28:18-19).
f. Baptismo pela água é um sacramento, como a Santa Comunhão.
1) “É o sinal e selo da graça de salvação. É o símbolo que Deus fez para que o pecador
fosse limpo... um testemunho público de que a pessoa recebeu Cristo como seu
salvador” (Dicionário Bíblico, Al Truesdale e George Lyons).
2) É um processo da graça significando o recebimento da expiação.
3) Este é um sinal exterior e visível da graça que está dentro (arrependimento, perdão,
conversão, justificação, regeneração, adopção, novo nascimento).
g. O sinal exterior (baptismo pela água) é válido somente quando este significa a existência
no seu interior do espírito da graça.
Ilustrações:
1) O anel do casamento não é o casamento, é um sinal visível da relação do casamento
entre marido e mulher, é um sinal ou prova do amor, fidelidade e um cometimento
permanente ou duradouro.
2) O uniforme é símbolo que representa alguma coisa.
3) O cheque não é dinheiro; é pedido de dinheiro ao banqueiro.
h. O simbolismo da água exterior é fortalecida pelo certificado de baptismo.
i. João Baptista recusou baptizar aqueles que não tinham esta graça interna (Mateus 3:7)
j. Um pecador pode ser baptisado pela água, mas a água não vai lhe fazer santo.
k. O machado já está posto no pé dos pecadores que são baptisados ou não baptisados.
2. Baptismo do Espírito Santo
a. O Espírito Santo não é um sacramento e não é um processo da graça. Ele é um espírito
profundo da graça interna (Mateus 3:11; Actos 1:5).
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
9
b. Este baptismo é Deus Próprio, Ele nos baptiza para Ele Próprio – Deus Pai, Deus Filho e
Deus Espírito Santo.
c. Quando uma pessoa é baptizada com/no Espírito Santo.
1. Ela é batizada na morte de Jesus Cristo – e morre a acção negativa da velha
natureza pecaminosa e é sepultado com Cristo (Romanos 6:3-6).
2. Ela é batizada na ressurreição de Cristo – uma acção positiva onde o crente é
unido com Jesus e vive uma vida nova (Romanos 6:3-7).
3. Baptismo em Cristo é estar vestido com Cristo (Gálatas 3:27).
4. O pecado próprio (homem/mulher velho) é posto fora quando nós somos
baptizados na morte de Cristo e sepultados com Ele (Efésios 4:22).
5. O novo justo (novo homem/mulher) é vestido quando nós somos baptizados na
vida da ressurreição de Cristo (Efésios 4:24).
d. Quando estamos em Cristo (através do baptismo n’Ele) somos novas criaturas, as coisas
antigas já passaram, eis que surgiram coisas novas (2 Corintios 5:17).
e. Através do baptismo temos um ser espiritual em Deus (Actos 17:28).
3. O Baptismo do Espírito Santo é o Baptismo de Fogo
a. Somos baptizados em Deus, o Fogo.
1) O pecado é consumido pelo fogo (Deuteronómio 4:24; Hebreus 12:29).
2) O fogo purificando o coração (Actos 15:8-9).
3) O fogo dando brilho (I João 1:5-9).
4) Este fogo baptizou e purificou o mato que Moisés viu. Todos os corpos estranhos
nesse mato (cobras, lagartos, formigas, vespas, etc)... com excepção do mato que foi
queimado(Êxodo 3:2-3).
5) O fogo santo que purifica dá-nos força para sermos testemunhas eficazes (Actos 1:8).
b. O fogo do Espírito Santo que baptiza uma pessoa não precisa dum certificado para
verificar o baptismo dela, ela própria é certificado. A vida semelhante a de Cristo é uma
prova válida de que ela/ele foi baptizada pelo Espírito Santo (Mateus 5:16; Romanos
12:1-2; 2 Coríntios 3:1-3).
4. O Baptismo do Espírito Santo é o Baptismo no Amor de Deus
a. Este é o Baptismo em Deus, que é Amor (I João 4:8).
1) O amor d’Ele eleva os pecadores que se arrependem dos pecados onde eles
afundam para nunca mais levantarem e serem baptisados n’Ele Próprio.
2) Na água a pessoa é baptizada por mergulhar na água e depois tirada fora antes que
ele/ela afunde.
3) Jesus não nos mergulha e tira-nos do seu amor; Ele submerge-nos e deixa-nos ir
mais profundo e profundo todo o tempo no oceano insondável do Seu amor (João
15:9-12).
4) Este amor habilita-nos a guardar o maior mandamento - Amar a Deus, a nós
próprios, nosso vizinho (Mateus 22:37-40) amar uns aos outros (João 15:12-17) e aos
nossos inimigos (Mateus 5:43-48; Romanos 12:14-21).
b. A oração do crente em cântico para um aprofundamento contínuo caminhando a Jesus:
1) Em 1900 Charles P. Jones orou:
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
10
Mais profundo no amor de Cristo quero sempre estar;
Mas profundo no valor divino, para bem andar.
Leva-me para um profundo sossegado.
Até que a minha vida fique completamente perdida em Cristo.
2) Em 1914 Oswald Smith orou:
Profundo e profundo no coração Jesus
Profundo e profundo no desejo de Jesus
Profundo e profundo na alegria de Jesus
Profundo e profundo no amor de Jesus
Profundo e profundo deixe-me ir.
3) A pessoa que esta afundar está dentro da água e a água esta nela.
- Ele/a está em Jesus e Jesus está dentro dela (João 15:4).
- Ele/a está no Espírito Santo e o Espírito Santo está dentro dela.
- Ele/a está no oceano do mar de Deus e o oceano do amor de Deus está dentro dela
(João
15:10).
4) Há muita gente que diz “Senhor, Senhor” a Jesus mas não fazem a vontade de Deus.
Estes são somente bons nadadores e mergulham na igreja mas não são baptizados
em Jesus nem afundam em Jesus; no Seu amor.
Conclusão:
Esta mensagem é para nós todos hoje.
1. É para vós, pecadores, vocês que foram baptizados com o baptismo do Diabo e estão
fora da graça de Deus, submergindo e afundando no pecado – drogas, imoralidade,
HIV/SIDA, bebedeiras, crimes e de todas as formas de iniquidades. Vocês carecem do
arrependimento e de confessar os vossos pecados a Deus e receberem o perdão e ser
baptisado na água. (I João 1:9)
2. E para voces crentes, aqueles que foram baptizados com água, mas ainda carecem de
ser baptisados pelo Espírito Santo e fogo (Actos 19:1-7).
3. É para vocês, santos, aqueles que foram baptisados pelo Espírito Santo e fogo. O seu
brilho da alvorada deve manter a claridade (Provérbios 4:18). Há um quarto no amor de
Jesus para você onde você pode ir sempre afundar profundamente no seu amor.
Obrigado Deus porque está em Cristo. A pergunta é, quão profundo és no Seu amor?
(Efésios 3:16-19):
- Para Ele (Mateus 22:37)
- Para a tua mulher/marido (Efésios 5:25)
- Para o seu vizinho (Mateus 22:39)
- Para o seu inimigo (Mateus 5:44)
4. VENHA A JESUS
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente (Adjunto) do Director Regional da Região de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
11
Levantando Cristo
Escritura: João 12:20-32
Introdução:
O pedido dos Gregos – eles queriam ver Jesus
Estes eram gentios, homens sábios, filósofos que procuravam a verdade.
Eles foram ter com os seguidores de Jesus; Filipe e André. Estes dois eram bons ganhadores de
almas (João 1:41, 45).
Quando Jesus ouviu a pergunta, Ele deu uma resposta estranha. Não era uma resposta directa
(João 12:23-33)
A resposta foi: Os Gregos e todo o mundo vão ver a Ele quando fôr levantado na cruz. (João
12:32).
1. A Sua Elevação na cruz era pressagiado (prefigurado)
a. No Velho Testamento, a Páscoa no Êxodo.
- O sangue do cordeiro morto devia estar nos lados e em cima dos caixilhos (Êxodo
12:7); um sinal da cruz.
- Aqueles que obedeceram a este mandamento foram salvos da morte (Êxodo 12:13).
b. No deserto quando Moisés levantou a cobra de bronze (Números 21:4-9), Sinal de
crucificação (João 3:14).
- Aqueles que eram mordidos pelas cobras eram salvos da morte se eles
obedecessem o mandamento e olhando em cima para a cobra de bronze.
- Jesus disse ao Nicodemos que “Da mesma forma como Moisés levantou a serpente
no deserto, assim também é necessário que o Filho do homem seja levantado, para
que todo o que n’Ele crer tenha a vida eterna.” (João 3:14-15)
c. A profecia foi cumprida no Monte Calvário dos mil anos passados quando Ele foi
crucificado nessa cruz escarpada.
d. Deste Calvário o ensinamento de cruz da qual Jesus morreu tem sido e continua a ser
importante para a fé Cristã.
2. A importância e o profundo significado da cruz não é baseada naquela estrutura
particular de madeira onde Ele foi levantado.
a. A cruz física era um símbolo de sofrimento e vergonha, diz George Bennard no seu livro
“A Velha Cruz Escarpada.”
b. Nós não sabemos o que aconteceu nesses pedaços de madeira. Se encontrássemos
podiamos guardar no nosso arquivo ou como lembrança.
3. A cruz real de Jesus é o Próprio Jesus.
a. Ele é uma revelação de Deus o Salvador do mundo.
b. É o trabalho de Cristo de salvação.
c. É esvaziar a Ele Próprio.
d. Esta é uma sentença da morte, e não para os seus próprios pecados, como aquela dos
dois malfeitores que foram crucificados com Ele, mas isto foi para os nossos pecados.
e. É Cristo, bode expiatório que carregou a nossa vergonha para o deserto da morte numa
áspera cruz.
f. É Cristo, que aturou a separação com Deus por três horas enquanto estava na cruz por
causa dos nossos pecados. Esta separação quebrou a comunhão divina e eterna que Ele
tinha com Deus a partir da eternidade.
g. É a Sua morte.
h. É a viagem que Ele teve sozinho no vale da morte na cruz sem o conforto de Deus.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
12
i. É Sua humildade – a caida para baixo da Sua vida como o miolo de trigo (Isaías 53;
Filipenses 2:5-8).
j. É uma oferta voluntária d’Ele próprio.
k. É Ele Próprio sacrificando-se.
l. É o sofrimento do Servo.
m. É a Sua vida de redenção e santificação que está no Seu sangue.
4. Há outra cruz onde Cristo foi levantado. Esta é a cruz dos Seus seguidores.
a. Tú, assim como Seu seguidor, deves negar a ti mesmo e carregar a tua cruz e seguir-lhe.
b. Esta cruz és tu – é a tua vida. Isto é a chamada de Deus sobre a tua vida. Esta é a tua
chamada através da qual Jesus é levantado.
c. Quando Jesus nos chamou e nos deu o mandamento de lhe seguirmos, levamos a nossa
cruz (vida) e seguimos-lhe para a nossa crucificação, onde, éramos como um miolo de
trigo, morremos nos nossos pecados, e o nosso velho ser foi crucificado com Ele
(Romanos 6:1-14)
d. Jesus carregou sozinho a sua cruz. Quando o ajudava Simão de Cirene (Mateus 27:32)
estava a carregar o símbolo, e não a cruz real que Jesus carregava.
1) Ele foi crucificado sozinho na Sua cruz.
2) Ele sofreu sozinho.
3) Ele foi deixado sozinho na cruz quando o Seu Deus o abandonou.
e. Não é assim conosco.
1. Nós somos crucificados com Ele (Gálatas 2:20).
2. Sofremos com Ele (Filipenses 3:10).
3. Morremos com Ele (Romanos 6:3).
4. Somos sepultados com Ele. E ressuscitamos com Ele (Romanos 6:4).
f. Estando nós a seguir Jesus nesta grande viagem da Salvação, o nosso velho ser não
ressuscita, mas um novo ego, um novo ser ressuscita unindo-se com o Salvador
(Romanos 6:6)
Conclusão:
1. A nova vida que agora vivemos não é a nossa vida, é a vida de Cristo que está dentro e
através de nós (Gálatas 2:20).
2. O novo ser em Cristo é capaz de elevar-nos.
3. Quando nós carregamos a nossa cruz estamos a compartilhar o Seu sofrimento e
fazemos o que foi mencionado previamente.
4. Quando o peso da cruz que tu carregas torna-se muito pesada e ficas cansado e cais
sobre o seu peso, Jesus é o teu ‘Simão’ que vai te ajudar (Mateus 11:28-30; Filipenses
4:13)
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
13
Fazendo Completa A Nosa Salvação
Escritura: Marcos 1:1-8
Introdução:
Salvação é a pergunta que levantou muitas preocupações dentro dos Cristãos. Alguns não
podem dizer se estão ou não salvos. Quando você pergunta a eles, eles vão te dizer “Eu não
sei”. Nós somos chamados à salvação enquanto ainda estamos neste mundo e fazendo a
nossa salvação completa. As Escrituras dão testemunho neste facto, são grandíssimas novas
de sempre. Baptismo com Espírito Santo faz a nossa salvação completa.
1. Toda a gente procura a boa nova
a. A boa nova do poder que vem de cima;
b. A boa nova de Jesus Cristo;
1) Perdão de pecados (Primeira obra da graça)
2) Baptismo do Espírito Santo (Segunda obra da graça).
2. Baptismo na água (João Baptista/Pastor)
a. Recebendo perdão é uma boa nova
b. Perdão ou baptismo não transforma
3. É um sinal exterior da graça interna
a. Quem recebe perdão pode continuar a cometer pecados;
b. O ministro que baptiza não tem acesso ao coração do baptizado;
c. Muitos crentes ficam satisfeitos apenas por terem sido perdoados e não procuram nada
mais profundo.
4. Baptismo do Espírito Santo (Jesus Cristo)
a. É necessário por causa do pecado na vida do crente;
b. Não é trabalho do homem como no baptismo com água;
c. Jesus Cristo faz isso;
d. É uma declaração na vida da pessoa perdoada;
e. É o selo da nossa salvação;
f. Sem isto a salvação não está completa;
g. Purifica o coração do crente;
h. Não vem do prato de prata;
i. Tentação sempre estará lá, mesmo sendo muito grande;
j. Dá força ao crente para vencer o pecado.
5. Preparar-se para ser baptizado pelo Espírito
a. Como crente, pesar o pecado na vida de alguém;
b. Preferir ser baptizado por Jesus;
c. Oração e jejum como túnel do baptismo;
d. Confiar nas promessas da Bíblia para que seja purificado;
e. Evitar uma má companhia.
Conclusão:
É evidente partindo das escrituras de que o selo da nossa salvação é o baptismo do Espírito
Santo que Jesus faz. A justiça é completamente restaurada neste baptismoo e este é o alvo
da fé cristã.
Por Rev. Chanshi Chanda
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
14
Coordenador das Estratégias do Campo Centro Ocidental de África
O Propósito Da Morte De Cristo
Escrituras: Tito 2:11-15
Texto: Tito 2:14
1. Ele Entregou-se Voluntariamente
a. Ele entregou-se a Si Próprio na eternidade e foi morto a partir da criação do mundo
(Apocalipse 13:8b).
b. Entregou-se a Si próprio e voluntariamente deixou a Sua divina glória “Mas quando
chegou a plenitude... nascido de mulher” (Gálatas 4:4; Filipenses 2:5-8).
c. Ele entregou-se a Si Próprio quando foi preso no jardim de Getsêmani. Ele podia ter
chamado um grande batalhão de anjos para proteger a Si Próprio, mas não fez (Mateus
26:47-56).
d. Ele tinha autoridade de entregar e recuperar a Sua vida (João 10:14-18).
2. Ele Entregou-se a Si Próprio Para Nos Redimir Dos Nossos Pecados.
a. Redimir significa restaurar alguma coisa ou alguém duma posição que estava perdida.
b. Por causa das nossas iniquidades estavamos perdidos no relacionamento com Deus,
mas a redenção de Cristo restaura-nos desse relacionamento.
c. O sangue de Jesus, a Sua vida era a única válida, adequada e suficiente para redimir-nos
(I Pedro 1:18-21)
3. Ele Entregou-se a Si Próprio Para Nos Purificar
a. A Sua redenção não nos tira da maldade apenas, mas também tira a maldade dos
nossos corações.
Ilustração: Os filhos de Israel foram tirados fora do Egípto mas o Egípto necessitava de
ser tirado deles (Números 11:4-6).
b. Esta purificação – santificação é feita pelo sangue precioso de Jesus Cristo (I João 1:9).
c. Esta purificação faz-nos Seus Próprios quando nós transforma-mo-nos e parece-mo-nos
com Ele. (Igual a Cristo).
d. Esta purificação – santificação – salvação – redenção é a graça de Deus que ensina-nos
a dizer NÃO naquilo que não é de Deus e dizer SIM para aquilo que é de Deus (Tito 2:11-
13)
4. Ele Entregou-se a Si Próprio Para Nos Fazer Desejosos de Boas Obras
a. As boas obras da nossa luz brilhante, a vida santa e vivendo de uma boa ética (Mateus
5:16);
b. As boas obras que espalham a Boa Nova da salvação;
c. Ficamos excitados e desejosos como Apóstolo Paulo (Romanos 1:15);
d. Somos desejosos porque o amor de Cristo nos motiva (2 Coríntios 5:14);
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
15
Morrendo e Vivendo com Cristo
Escritura: Romanos 6:1-23
1. Devemos nos Unir Com Cristo Na Sua Morte
a. Ele morreu pelos nossos pecados para que nós que eramos mortos nos nossos pecados
possamos morrer no nossos pecados.
b. Estávamos mortos nos nossos pecados (Efésios 2:1-5).
c. Cristo morreu na cruz por nós.
d. Tornamo-nos unidos a Ele na Sua morte quando nós morremos nos nossos pecados
(Romanos 6:2,6,11):
- Uma pessoa morta não vive a vida deste mundo, ela está ausente deste mundo.
- Uma pessoa morta saiu desta vida pela morte física.
Igualmente:
- Um cristão não vive a vida do pecado (Colossenses 3:1-10), ele está ausente no
pecado.
- Ele morreu no pecado pela morte espiritual e agora ele vive a vida celestial.
2. Devemos Ser Unidos Com Ele No Seu Enterro
a. Nós somos enterrados com Ele através do Baptismo (Romanos 6:3-4).
b. O Sacramento do Baptismo é o sinal e selo de uma nova aliança da graça.
c. Somos enterrados com Cristo em Deus (Colossenses 3:3).
Rocha Eterna, meu Jesus,
Que por mim na amarga Cruz
Foi ferido em lugar,
Morto para me salvar;
Nele quero me esconder,
Pois me poderá valer.
3. Devemos Estar Unidos Com Ele Na Sua Ressurreição
a. A sua ressurreição foi uma grande vitória sobre o pecado, morte e inferno (I Coríntios
15:54-57)
b. Quando nós somos unidos com Ele na Sua ressurreição o nosso homem velho (Velho
“eu”) foi tirado (Romanos 6:4,6).
c. Quando nos ressuscitamos com Cristo, os nossos corações e pensamentos olham para
as coisas celestiais (Colossenses 3:2-17)
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 1
16
Pessoas Ordinárias Numa Missão Extraordinária
Escritura: João 15:4-5
Introdução:
Nós somos pessoas mandadas para o mundo “para avançar o Reino de Deus por conservação e
propagação de Santidade Cristã assim como está estipulado nas Escrituras” (Manual 2009-2013,
Igreja do Nazareno). Somos enviados ao mundo para sermos agentes do Reino e para encarrar
e incorporar a missão de Deus em toda a esfera da vida; mandados para comover a vida das
pessoas, culturas e comunidades pelo Evangelho de Jesus Cristo.
1. A nossa eficácia é dependente da nossa permanência em Cristo.
a. Jesus disse, “Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode
dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar
fruto, se não permanecerem em mim – Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém
permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem
fazer coisa alguma.” (João 15:4-5).
b. Nós devemos ficar n’Ele... devemos ficar na Sua presença porque quando nós ficamos
n’Ele, Ele vai guiar-nos e dirigir-nos. Ele dar-nos-á a sabedoria, força e graça. Ele vai
habilitar-nos para fazer o Seu trabalho.
c. A chave de ficar n’Ele é ser obediente à Sua Palavra. “Se vocês obedecerem aos meus
mandamentos, permanecerão no meu amor; assim como tenho obedecido aos
mandamentos de meu Pai e em seu amor permaneço (João 15:10).
2. A nossa eficácia é dependente da nossa sensibilidade no trabalho do Espírito Santo.
a. “Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade...” (João 16:13).
b. A obediência aos mandamentos de Deus é vital. Quando fazemos isto permanecemos
n’Ele.
c. Devemos aliar à obediência fiel e encorporar a Palavra de Deus em todas as esferas da
vida.
“O Espírito da verdade... vai guiar-nos... na verdade...” Mas nós devemos ser sensitivos
n’Ele em todos os tempos.
Conclusão:
Queres fazer aliança com Ele hoje para permanecer n’Ele?
Por Dr. Filimão Chambo
Director Regional para África
17
Convite de Deus!
Escritura: Gênesis 17:1-2
Introdução:
Deus apareceu a Abraão para reafirmar a Sua promessa a Abraão e Sara (Gênesis 12:15). Esta
não foi a primeira vez que Deus apareceu a Abraão. Nos capítulos anteriores Deus apareceu e
fez aliança com Abraão. Deus prometeu a Abraão e Sara um filho através deles. Ele iria
abençoar o mundo. Mesmo assim, como os anos foram passando, parecia que Deus não iria
cumprir a Sua promessa. Abraão e Sara tornaram-se velhos enquanto ainda não tinham filho
assim como Deus lhes tinha prometido. Depois de tantos anos de frustração e desapontamento o
Senhor apareceu mais uma vez a Abraão para renovar a aliança mas o seu cumprimento
precisava da continuação da fidelidade de Abraão conforme as regras do Senhor.
Deus convida Abraão para andar na justiça. A palavra sem mancha tem alguns significados. Ela
significa honrado ou recto na sua conduta, integridade, verdade, perfeição, completo, inteiro,
acima da censura, pureza, moral, inocência de fazer mal, dirigindo uma vida sem mancha, sem
culpa, exemplar, além da crítica, etc. Deus está a chamar o seu povo para ser recto na conduta e
que sejam exposição de santidade nas pessoas que nos rodeiam. O povo de Deus deve viver
sem mancha. Jesus disse em João 13:34 de que a nossa conduta deve guiar os outros para
saberem que nós somos discípulos.
A pergunta é, o que significa isto hoje na igreja?
1. Sou Deus Todo Poderoso (El Shaddai)
a. Deus reafirma a confiança a Abraão de que Ele é El – Shaddai (Deus Todo Poderoso).
Isto significa que, Ele é um Deus que tem todo o poder, Deus que alimenta, fornece, dá e
satisfaz. Ele é Deus suficiente. Ele é Deus que dá em abundância e Ele é Todo Poderoso
e fiel para fazer o que Ele prometeu e completar os Seus planos e propósitos.
b. Deus assegura Abraão de que Ele pode dar-lhe um filho. Ele não é limitado pelo tempo e
idade. Todas as coisas são possíveis com Deus. “Pois nada é impossível para
Deus.”/”Porque não há nenhuma palavra vindo de Deus que jamais será chumbada”
(Lucas 1:37)
c. Deus queria que Abraão ficasse ciente que ele estava na presença de um único Deus
Poderoso, o criador e oferecedor da vida. Isto era importante para Abraão ver com quem
ele estava a falar.
2. Convide para Andar: Anda Perante Deus!
O convite de Deus para o Seu povo (denominação, igreja local, individuos, etc.) é para andar
literalmente Perante Deus sem pecado. A palavra andar aqui também pode significar: Juntar-se a
Deus, morrer, ser visível, ir andando com e desligando-se com. A ênfase está na chamada de
Deus ao Seu povo para andar com Ele, para aderir n’Ele, para morrer no pecado próprio e
desligar-se d’Ele na justiça. Este é um convite para habitar permanentemente na Sua presença
com Ele habitando no Seu povo.
É mesma coisa como Abraão e Sara, a Igreja de hoje existe no mundo que tem algumas culturas
e práticas tradicionais que não dão honra a Deus. A Igreja não deve aderir aos modelos deste
mundo mas, deve ser transformada e renovada pelo Espírito de Deus (Romanos 12:1-2) para
estabelecer um exemplo no mundo duma vida vivendo em Deus.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 2
18
3. O Convite para a Justiça: Ande Perante Deus e Sem Mancha (culpa)!
O convite para a justiça é um convite para aderir á semelhança de Deus (veja Romanos 12:1-2).
19
O povo de Deus é chamado para ser fiel na Sua presença (Salmos 89:15). É importante
permanecer na Sua presença porque é através d’Ele e estanto n’Ele que alguém é dado o poder
de viver na justiça. Aqueles que andam no conselho dos ímpios não conseguem seguir a vida da
justiça porque eles estão saturados de iniquidades, portanto os justos são aconselhados a não
aderir ao conselho dos ímpios (Salmos 1:1). Isto pode concluir-se por dizer que aqueles que
andam na justiça:
a) Não andam ou escutam o conselho dos ímpios. Não imitam os caminhos abomináveis
(detestáveis) da sociedade (veja Salmos 1:1; Romanos 12:1);
b) Evitam o mal e fazem aquilo que é justo na obediência de Deus e esta Palavra.
“Permaneçam inculpáveis perante o Senhor, o seu Deus” (Deuteronómios 18:13);
c) Deleitam-se e meditam na Verdade (Palavra de Deus) dia e noite (Salmos 1:2). A Palavra
de Deus é o poder de Deus para a salvação de toda a gente que n’Ele crê (Romanos
1:16)
“E conhecerão a Verdade (O Evangelho) e a verdade os libertará” (João 8:32). (veja
Romanos 1:22)
d) São totalmente dependentes de Deus e desejam saber e seguir a vontade d’Ele em todas
as áreas das suas vidas. Uma devoção total a Deus! “O Senhor está longe dos ímpios,
mas ouve a oração dos justos” (Provérbios 15:29)
Conclusão:
O Senhor chama os Seus seguidores a praticarem a santidade. Ele chama a Sua igreja para
andar fielmente perante Ele e sem mancha em todas as áreas da vida. “Como são felizes os que
andam em caminhos irrepreensíveis, que vivem conforme a lei do Senhor” (Salmos 119:1).
Abençoado é aquele que “é íntegro na sua conduta e pratica o que é justo, que de coração fala a
verdade” (Salmos 15:1-2).
Deus nos convida para andarmos na justiça, integridade e irrepreensível. Ele é Todo Poderoso e
é capaz de nos dar a vida nova. Quando vamos ter com Ele com fé para sermos purificados Ele
é fiel e pode fazer isto.
Por Dr. Filimão Chambo
Director Regional para a Região África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 2
20
A Verdadeira Videira E Os Verdadeiros Ramos
Escrituras: João 15:5-8
Introdução:
Deus quer que o Seu povo produza frutos que Ele deseja numa colheita. Produzir frutos tem
haver com o propósito de Deus para nós.
Israel é simbolizado como uma videira degenerante que foi consumida pelo fogo (Ezequiel
19:12), enquanto podia ser a ‘videira escolhida’ que produz boas uvas.
Foi contra este cenário que Jesus usou as palavras, “Eu sou uma Verdadeira videira” (João
15:1).
1. A União com Cristo é Certa para Produzir Frutos (João 15:5)
a. “Eu sou a videira” – o principal ribeiro para a vida.
b. “Permaneçam em mim” – a condição para a comunhão, sociabilidade, devoção e
crescimento.
c. “Sem Mim” – qualificação, uma vida de união com Cristo é absolutamente necessária;
sem ela não há nada.
2. Murchar e Destruição Resulta em Separação com Ele
a. A pessoa que não permanece, por exemplo: aquele que por sua livre atitude corta
relações por si mesmo saindo da videira verdadeira, é lançado fora.
b. “Murchar” – não é uma consequência futura, assim como o julgamento final, mas uma
inevitável consequência da separação
c. “Lançados no fogo para serem queimados” – neste universo, que é governado pela sua
moral e natureza da lei, alguma coisa terrível acontece quando o homem se separa de
Cristo. (veja João 13:30; Mateus 27:5).
3. A União com Cristo é a Condição para Satisfazer os Desejos (João 15:7)
a. “Quando tu permaneceres em mim e as minhas palavras habitarem em ti...” – É
impossível orar correctamente separado do conhecimento e crença dos ensinamentos de
Cristo.
b. “Pede tudo aquilo que tu precisares e será feito para ti” – A nossa vontade em
conformidade com a Sua completa existência. Sempre procurando os Seus desejos para
ficar com Ele, sensível ao Seu trabalho e andamento no Seu caminho. “Seja feita a vossa
vontade” (Mateus 6:10 – 26:39). Desejo para o Seu Reino.
Conclusão:
Deus procura ver os frutos. Ele tem razão de esperar os frutos vindo do Seu povo. Quando nós
estamos envolvidos na missão de Deus, nós vamos dar frutos. Os Cristãos que permanecem em
Cristo, possuindo a riqueza do poder do Espírit Santo, vão dar frutos.
Por Rev Collin Elliot
Coordenador das Estratégias do Campo Meridional de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 2
21
A Afluência Santa
Escritura: João 7:37-39
Introdução:
Jesus não quer somente matar a nossa sede espiritual mas também quer encher-nos com o
Espírito d’Ele para que possamos nos transformar como uma fonte de abastecimento dos
homens e mulheres que nos rodeiam.
1. A Qualidade da Água em Curso apartir de Nós – Rios
Não estagnada, morta, poluida, tal e qual como a água deliciosa (agradável) do mundo que,
a. Somente tortura
b. Não mata a sede do espírito
c. É veneno e mata
d. Não dá ou não sustenta a vida;
2. A Medida da Água que Flui saindo de Nós
a. Um sustento abundante para todos;
b. Um sustento abundante de todos os tempos – em todas as estações do ano, nunca gela
de mais, nunca seca e a seca não pode esgotá-la.
3. A Origem desta Provisão – O Espírito Santo no Coração dos Crentes
a. Esta é a plenitude do Espírito que Deus prometeu (Joel 2:28-29);
b. O Profeta Isaías viu isto (Isaías 55:1-13);
c. A plenitude é disponível a todos os crentes que virem a Jesus (Efésios 3:14-21);
Conclusão:
Cristãos cheios do Espírito estão a transbordar e fluindo com o Espírito de Deus. Eles sabem e
estão ocupados na Missão de Deus e estão fazendo discípulos semelhantes a Cristo nas
nações”.
Por Rev Collin Elliot
Coordenador das estratégias do Campo Meridional de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 3
22
Devedores do Evangelho
Escritura: Romanos 1:8-17
Introdução:
Paulo cresceu com um forte desejo e zelo para com a cultura judaica e a sua religião.
Escrevendo aos Filipenses ele diz:
“Se alguém pensa que tem razões para confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado no oitavo
dia de vida, pertencente ao povo de Israel, a tribo de Benjamim, verdadeiro hebreu; quanto à Lei,
fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja, quanto á justiça que há na Lei, irrepreensível”
(Filipenses 3:4-6)
Foi este desejo que lhe motivou a ganhar tão elevada educação Judaica debaixo dos melhores
eruditos (estudiosos, sábios) tal e qual Gamaliel (Actos 22:3). Depois de graduar no colégio, o
seu desejo lhe fez um grande defensor da cultura e religião Judaica. “Respirava ameaças de
morte contra os discípulos do Senhor (Actos 9:1) ele perseguia a igreja. No seu caminho a
Damasco, motivado pelo seu desejo assassino, o Senhor apareceu-lhe e mudou a sua vida,
tirando o seu desejo de assassinar.
Ele foi dado o novo desejo e zelo – um desejo de pregar o Evangelho de Jesus Cristo. Esse era
o desejo do amor de Cristo que o obrigava a servir o Senhor e os gentios que eram invejados
pelos Judeus. (II Coríntios 5:14). Ele escreve nos Filipenses 3:7-9.
“Mas o que para mim era lucro, passei a considerar como perda, por causa de
Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do
conhecimento de cristo Jesus, meu Senhor, por amor do qual perdi todas as
coisas e considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não
tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a
justiça que procede de Deus, baseada na fé.”
Charles (Carlos) Wesley expressou correctamente aquilo que Paulo sentiu quando ele viu Jesus
naquela visão celestial:
“Quando examino as maravilhas da cruz na qual o Príncipe da Glória morreu. O
meu riquíssimo ganho Eu conto mas perda, e pobre desprezo em todo o meu
orgulho.”
Este era um desejo não somente de ir para Roma mas para todo o mundo e proclamar o
Evangelho. O desejo forte e longo fez ele sentir a obrigação, desejo e sem vergonha. Esta foi a
visão que ele recebeu vinda do céu aquela que ele não podia recusar. (Actos 26:19).
1. Ele Foi Obrigado a Pregar o Evangelho – Ele Era um Devedor
a. Esta é uma linguagem contabilística – devedor é aquele que recebeu benefício do outro.
Nós todos somos devedores porque recebemos o amor de Deus.
b. O nosso credor é Deus e não os gregos nem os gentios, etc
c. O nosso serviço para deus é o serviço de todo o seu povo – sábios e não sábios (A
parábola de Ovelhas e Cabritos (Mateus 25:34)
d. A dívida é uma grande pressão do amor (II Coríntios 5:14)
e. A tua graduação no colégio deve ser o princípio dessa pressão de amor.
f. O amor de Deus e todo o plano de Salvação é uma oferta livre de amor. Ele não espera
que lhe paguemos mais uma vez – Não podemos pagar. O Seu amor criou o desejo nos
nossos corações para dizer MUITO OBRIGADO a Ele pelo nosso serviço de amor.
2. Ele Tinha o Desejo De Pregar O Evangelho – Ele Estava Pronto:
a. A pregar o evangelho.
b. A experimentar o pagamento da grande dívida de amor.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 3
23
O que posso trazer a Ele para exprimir o meu agradecimento,
Não tenho o suficiente, dou-lhe a minha vida.
c. Agora que acabou o teu curso de estudo, você deve estar pronto para continuar a pelejar
uma boa peleja, correndo o curso preparado à frente e guardando a fé (2 Timóteo 4:7-8).
d. Para estar pronto tu não deves ser somente graduado neste colégio mas também deves
ser graduado no colégio de Jesus.
Depois de treinar os seus discípulos, Jesus disse aos seus estudantes para esperarem
até que eles sejam vestidos (de uniforme de graduação) “mas fiquem na cidade até
serem revestidos do poder do alto.” (Lucas 24:49)
No dia de Pentecostes eles foram revestidos e lhes corroou do Espírito Santo, que lhes
encheu (Actos 2:2).
e. As pessoas que vão servir não conhecem as vossas credenciais mas os vossos
professores conhecem, os vossos graus e créditos estão no arquivo no escritório do
vosso Director Pedagógico.
f. As pessoas que vocês vão servir não sabem se vocês estão prontos, mas logo que vocês
deixam este colégio elas vão saber se vocês estão ou não prontos.
g. Eles vão saber quando vos verem a desempenhar bem e quando a vossa luz brilhar
antes delas ou mesmo quando vocês chumbarem (reprovarem) ao acenderem a vossa
luz para brilhar.
h. O vosso curso de estudo cobriu os quatro C’s?
1) Conteúdo
2) Competência
3) Carácter
4) Contexto
i. Quando vocês deixarem este colégio as pessoas vão avaliar-vos e depois dar-vos um
grau – elas vão dar a passagem ou reprovação quando eles verem como desempenham
as vossas funções. O vosso desejo ou falha, vai determinar o vosso grau (Mateus 5:16).
j. Vocês estão prontos para cantar: “Pronto para seguir...”?
3. Ele Não Estava Envergonhado Do Evangelho
a. Ele não estava envergonhado porque Deus tinha arrancado para fora a vergonha dele.
b. Positivamente ele era orgulhoso, alegre e emocionado por aquilo que Deus podia ou
devia fazer por ele pela força do Evangelho.
c. Ele estava satisfeito porque Deus havia de trazer a salvação para toda a gente que cré
n’Ele.
d. O poder do evangelho trabalha dentro e através de nós.
e. O poder que Paulo está a falar dele é a força que trabalha dentro de nós.
“Aquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou
pensamos, de acordo com o seu poder que actua em nós, a ele seja a glória na igreja e
em Cristo Jesus por todas as gerações, para todo o sempre! Amen! (Efésios 3:20,21)
Conclusão:
Este desejo, saudade, zelo, amor vai conservar o teu andamento e vai te fazer grande
testemunha e ganhador de almas. Sem isto você perde a coragem, frustra-se e abandona.
Este zelo vai te ajudar a pacientar na aflicção e no fim do seu ministério você vai conseguir dizer:
“Pelejei uma boa peleja, acabei a minha carreira, guardei a fé” (2 Timóteo 4:7)
Por Dr Enoch H. Litswele
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 3
24
Apresentado no culto de Graduação no NTC (Colégio Nazareno na África do Sul)
O Estilo de Vida de Santidade – A Nossa Chamada
Escritura: Isaías 35:8
Introdução:
Um famoso comerciante de carros com o nome de Nissan tinha um lema que dizia, “A vida é
uma viagem, goza a subida.” Toda a viagem iniciada tem o seu destino no pensamento.
Qualquer um de nós está numa viagem desta vida. Nós também teremos o nosso fim no nosso
pensamento.
Isaías fala sobre a verdade (caminho) que os redimidos pelo Senhor viajam com se fosse uma
estrada alta chamada Caminho de Santidade. O Comentário Wesliano diz o “Caminho” e
“Caminho Alto” não será usado para dois caminhos diferentes, mas para um e sempre o mesmo
caminho. O caminho alto é uma terra levantada e no Caminho de Santidade, as pessoas que
andam ali são justas; os fracos e cegos, e aleijados esses Deus vai guiá-los e salvá-los. O
caminho será tão claro e directo que mesmo os loucos (tolos) que andam ali não vão facilmente
cometer erros nele.
1. Santidade é uma obra de Deus
a. Ela não é nosso trabalho, ou nossos bons trabalhos, mas uma obra de Deus.
b. Levítico 20:8 diz, “Obedeçam aos meus decretos e pratiquem-nos. Eu sou o SENHOR
que os santifica.”
2. A Santidade não é facultativa
a. Ela é um mandamento
b. Em Levítico 20:26 lê-se, “Vocês serão santos para mim, porque eu, o SENHOR, sou
santo, e os separei dentre os povos para serem meus.”
3. A Santidade é Atractiva
a. Assim como a luz atrai os insectos, também a santidade faz assim na vida de cada
crente; ela atrai os outros para entrarem no Reino de Deus.
b. João 12:32 diz, “Mas eu, quando for levantado da terra atrairei todos a mim.”
4. A Santidade é um bilhete para ir a Deus
a. Sem a santidade nesta vida, ninguém vai vier Deus (Hebreus 12:14)
b. A santidade é necessária para uma relação com Deus.
c. David perguntou nos Salmos 15, “SENHOR, quem habitará no teu santuário, Quem
poderá morar no teu santo monte?” E a resposta que ele dá nos quatro versículos que
seguem pode ser resumida com: “Aquele que é guiado pela vida santa.”
Ilustração: Há um conto acerca dum pastor que está a preparar ripas de madeira para
suportar a subida na videira. Assim que ele ia batendo viu que um pequeno rapazinho esta a
vigiá-lo. O pequeno não falou nenhuma palavra, por isso o pastor continuou com o seu
trabalho, pensando que o rapazinho iria justamente sair. Mas ele não foi. Finalmente o pastor
perguntou, “Bem, filho você está a experimentar colectar algumas coisas no jardim?” “Não”
ele respondeu, “Estou à espera de ouvir aquilo que o pregador diz quando ele bate o seu
dedo polegar com o martelo.”
Conclusão:
Há um portão estreito e outro largo conforme Mateus 7:13-14. Qual é o teu destino nesta
viagem da vida a qual segues?
Por Rev. Kenneth Phiri
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 3
25
Presidente Regional da JNI
26
Santidade e a Vida Ética
Escritura: Isaías 6:1-7
Introdução:
Nesta passagem vemos a santidade transformando a moral de Isaías do mal para o bem.
1. A Santidade de Deus
a. A Santidade é a qualidade de Deus que faz d’Ele completamente diferente desde a Sua
criação. Ele é o Outro Santo.
b. A santidade é o resumo daquilo que Ele é. Ele e Ele somente é Santo “Não há ninguém
santo como o SENHOR” (I Samuel 2:2)
c. Ele é o Criador, tudo é Sua criação e não há criatura ou coisa que é igual a Ele.
d. A Sua Santidade não significa simplesmente perfeição moral. Ele não é Santo justamente
porque é moralmente perfeito.
e. Ele é santo porque Ele somente é Deus e Ele é Deus porque Ele somente é Santo.
f. Ele não tem a santidade – Ele Próprio é Santidade – Santidade não é uma entidade
separada ou uma coisa fora d’Ele Próprio.
g. Onde não há Deus não há Santidade e onde não há Santidade não há Deus.
h. A diferença de significados do termo “santidade”:
Inglês – Holiness = Completamente
Português – Santidade = Plenitude, puro
Tsonga (Shangaan) – Vukwetsimi = Brilhando
Zulu – Ubungewele = Plenitude
Nhluwuleko = Separado
Pedi – Bokgetwa = Separado
Tswana – Moya o Boitshepo = Espírito da Verdade
Sutho – Bohalaleli = Brilhando
Afrikaans – Heilig = Puro/Perfeito
2. Santidade Cristã
a. A Santidade Cristã é possível somente pela revelação de Deus – Isaías viu o Rei (Isaías
6:5).
b. A Santidade Cristã é a santificação (purificação e separação) dos crentes pelo Espírito
Santo através de Jesus Cristo.
c. Esta santificação/brilhante/fidedígna começa na conversão quando somos separados dos
nossos pecados e separados para Deus. (João 1:12).
d. Esta santificação/brilhante/fidedígna, continua a crescer depois da nossa conversão,
quando nós caminhamos lealmente na luz, até chegarmos á segunda crise quando nos
separamos dos nossos pecados, que são o posicionamento do velho homem
interiormente, homem/pecador natural/inato” e nos separamos para Deus interiormente.
Ilustração - Treinando o cão traz mudanças nele, torna-se num cão novo: (Gálatas 2:20)
e. Depois da segunda crise de santificação completa, a nossa
santificação/brilhante/fidedígna” continua a crescer de glória para glória e de graça para
graça todos os dias assim como Ele nos dirige.
f. A santificação completa não nos faz como Deus, Cristo ou Espírito Santo, mas ela nos faz
parecidos com Jesus Cristo – Semelhantes a Cristo.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
27
g. Assim como o crescimento glorioso continua a tomar parte, nós cantamos alegremente
este coro:
Todos os dias com Jesus é tão doce do que o dia anterior
Todos os dias com Jesus, é tão doce do que o dia anterior
Jesus Salvou-me e protege-me, É a Ele que aguardo
Todos os dias com Jesus, é tão doce do que o dia anterior
h. Este é o ‘Santo de Israel’ que Isaías viu naquela grande visão que transformou o seu
estilo de vida (Isaías 6)
3. Santidade E A Vida Ética É Para Os Santificados Porque
a. Eles sabem, pelas Santas Escrituras, o bem que eles podem fazer e o mal que eles não
devem fazer (Miquéias 6:8).
b. O código da conduta deles não está somente escrito na Bíblia, isto está também colocado
nos seus pensamentos e escritos nos seus corações. (Jeremias 31:31-34)
Ilustração de uma pessoa a qual o seu estilo de vida mudou depois que ela passou a ser
cristã.
c. A consciência dela foi modificada pelo sangue de Jesus Cristo e lhe tornou muito sensível
para o mal e o bem.
d. A moral de Isaías e a ética de vida não era desejosa, embora ele estivesse no ministério,
até que a sua consciência foi despertada e purificada (Isaías 6:56).
“A boa consciência é aquela que foi iluminada pelo Espírito da verdade, e... fez a sua decisão
conforme os padrões da Santa Palavra de Deus” (H. Orton Wileg)
e. A sua santificação aconteceu quando ele orava no altar chorando:
“Ai de mim! Estou perdido! Pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio dum
povo de lábios impuros; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos!”
f. Com “uma brasa viva, que havia tirado do altar com uma tenaz. Deus tocou a vida de
Isaías e expiou para os seus pecados.
g. A brasa de carvão mudou-o para a brasa do crente brilhando quente-vermelho no fogo de
santidade como brilha o aço no calor do fogo.
Conclusão:
Você ouve este coro celestial de Serafins cantando?
“Santo, santo, santo é o Senhor Todo Poderoso;
Toda a terra está cheia da Sua glória”
Enquanto canta, o Senhor está revelando alguma necessidade espiritual na sua vida? Se sim,
gostaria de lhe encorajar a chegar no altar de oração como o Isaías fez. O Salvador está a
espera para satisfazer a sua necessidade.
Por Dr. Enoch H. Litswele
Na Convenção de Santidade no NTC
19 de Maio de 1999
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
28
Devemos Ser Santos Porque Está Escrito
Escritura: I Pedro 1:13-2:3
Introdução:
Para fazer alguma coisa obrigatória, oficial ou autenticada, fazemos por escrito.
1. O Mandamento de Ser Santo Foi Escrito Por Deus
a. Este é um mandamento para ser:
- Perfeito assim como Deus é perfeito
- Puro no coração
- Separado do pecado e separado para Deus
- Semelhante a Cristo
b. Este mandamento é obrigatório, oficial e autentico.
c. A Santidade é a qualidade de Deus a qual pertence somente a Ele e faz d’Ele diferente
na Sua criação.
d. A Santidade é eternamente escrita n’Ele; Ele é o Santo de Israel.
e. Isto está escrito na Sua criação (Génesis 1:31, Salmos 19:1-2) “Quão Grande És Tu”
f. Isto está escrito na Santa Bíblia (Sagrada) (Levítico 11:44,19:1-2,20:7)
g. Todas as escrituras nos mandam para sermos santos (2 Timóteo 3:15)
h. Todos os livros e literatura Cristã são escritos para nos dizer para sermos santos.
2. Toda a Informação Acima Escrita É Boa E Ajuda Muito Mas Não É Boa o Suficiente
a. O Conhecimento da sabedoria acerca do Deus Santo não muda a pessoa.
b. A boa mensagem que recebemos da santa criação de Deus não nos muda.
c. A Lei Escrita de Moisés não mudou os Israelitas; foi somente uma escola mestre que
dirigiu-lhes a Cristo (Gálatas 3:24).
d. Os bons livros e a literatura Cristã vão nos trazer bom conhecimento de versículos, lidos e
conhecidos, mas não podem transformar-nos.
3. A Nova Aliança (Nova Escrita) Foi Prometida por Deus
a. Podemos ver em Jeremias 31:33-34
b. A Santidade não deve estar somente nos nossos lábios e pensamentos mas deve estar
nos nossos corações (Mateus 5:8).
c. O mundo necessita de ver uma transformação na nossas vidas e não ouvir como nós
conhecemos a santidade.
d. A Santidade transforma o velho livro sujo das nossas vidas, que está em Gálatas 5:19-20,
para que vá se ler conforme está escrito em Gálatas 5:22-23.
e. O sangue de Jesus e a eliminação suprema que remove para fora a mancha do pecado (I
Pedro 1:18-19)
f. O escritor do hino está certo:
“Como foi que me Salvei? Pelo precioso sangue.
Como paz com Deus achei? Sempre pelo mesmo sangue.
Oh fonte sem igual, que lava o nosso mal!
Paz e perdão real, vemos nesse mesmo sangue.
É dito que Jesus nunca escreveu um livro, mas esta é a verdade que Ele escreveu
milhões de livros santos vivos.
g. A luz da santidade deve brilhar tão bem para que as pessoas possam ver e ler as boas
obras (Mateus 5:16).
h. Homens e mulheres santos são os melhores livros vivos (2 Coríntios 3:1-3).
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
29
i. A Bíblia é o livro mais vendido, mas o crente semelhante a Cristo é a venda suprema.
Conclusão:
A Santidade Cristã é a imagem de Deus dentro de nós.
- Ela é o Documento de Identidade positiva.
- Ela é o nosso Casaco divino de Armas
- Ela é o passaporte dos cidadãos celestiais
- É o bilhete da nossa residência que nos dá acesso para a presença do nosso Deus
Santo (Hebreus 12:14)
O escritor de hinos estava desejoso de ver este documento de identidade quando ele
escreveu:
“Meu Salvador, tal como requeres,
Perfeito e Santo quero viver.
Dá-me que siga as tuas pisadas
Deixando o mundo de vil Prazer”
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
30
O Brilho da Face de Deus Sobre Nós
Escritura: Salmos 67, Números 6:22-27, Apocalipse 1:16
1. O brilho da Sua Face é como o brilho do sol sobre toda a criação, boa ou má
2. Esta é a oração das boas pessoas:
- Que Deus olhe para nós com Seu favor e aprovação
- Que Ele sorrisse para nós.
3. O brilho da Sua Face é a bênção do sacerdotismo sobre os vitoriosos (Números 6:24-26)
a. Uma bênção (alegria e satisfação)
b. O poder conservador (Judas 24)
c. Necessitada da graça suficiente todo o momento da vida (2 Coríntios 12:9)
4. O brilho da Sua face sobre o pecador traz convicção assim como a luz que bolba de
consciência que é virada sobre exposição do pecado dele (João 3:19-21; Romanos 2:14-16)
5. Depois de Adão e Eva terem cometido o pecado, o brilho da face de Deus convenceulhes
(Gênesis 3:8-10; João 3:19-21)
a. Moisés foi convencido pelo fogo ardente da sarça quando a face de Deus revelou
a sua vida pecaminosa (Êxodo 3:6)
b. Isaías foi convencido quando ele viu a face de Deus brilhando no Templo (Isaías
6:5)
c. David foi convencido dos seus pecados quando a face de Deus brilhou sobre ele,
através de Natã o Profeta (Salmos 51)
d. Paulo foi convencido quando ele viu a luz celestial (Actos 9:3-5)
6. A iniquidade do pecador esconde a face de Deus justamente como os criminosos
escondem suas caras no tribunal (Isaías 59:2)
7. Quando Jesus morreu na cruz, os nossos pecados esconderam a face de Deus para Ele
(Mateus 2:7:46). Este foi o único tempo na eternidade que Deus abandonou a Jesus
8. A face de Deus começa a brilhar sobre o pecador que se converte (2 Coríntios 7:14-15)
a. Quando o pecador se converte a face celestial brilha com alegria de aprovação
(Lucas 15:7)
b. Quando uma pessoa cumpre a pena e sai da prisão ela não esconde a sua cara.
9. O brilho da face de Deus é aperfeiçoado na entrega total e na vida santificada. Uma vida
perfeitamente santificada é como:
a. Um espelho limpo e claro que reflecte toda a luz; a luz do sol.
b. A luz que reflecte a luz do sol sobre a terra escura. A lua não tem luz; ela recebe a
luz do sol e reflecte a luz sobre nós. Nós devemos ser luas cheias – não 1/4 ,1/2
ou ¾ lua.
10. Nós recebemos a luz da santidade na face de Jesus assim como Ele brilha sobre nós.
a. A luz que vem da Sua face está a ver o que está dentro do coração assim como o
Raio X (Salmos 39:23-24)
b. O coração de Isaías foi examinado pela luz de Deus quando ele foi orar dentro do
Templo (Isaías 6:1-7)
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
31
c. Jesus diz quando nós estamos a oferecer as nossas ofertas no altar e a luz vindo
da Sua face, mostra-nos alguma coisa, que devemos parar e orar e ir consertar o
que está errado (Mateus 5:23-24)
d. A Sua luz limpa-nos e mantem-nos santos enquanto andamos em com Ele
(Gênesis 17:1, I João 1:17).
e. Assim como a Sua luz brilha sobre nós, nós também reflectimos no mundo escuro
cheio de pecados.
11. O brilho da face de Deus sobre nós faz as pessoas verem o Deus que está dentro de
nós (Mateus 5:16)
a. A face de Deus brilhou a Moisés (Êxodo 34:29-34)
b. A face Deus brilhou sobre Estêvão (Actos 6:15,7:54-56)
c. Que a Sua face brilhe sobre nós hoje.
d. Que a Sua face brilhe sobre os 511.000 e mais Nazarenos na nossa Região de
África
12. Assim como a face de Deus brilha sobre nós, que nós como estrelas no firmamento
possamos, reflectir a luz da Sua face dentro da escuridão espiritual da nossa Região
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
32
Os Limpos de Coração
Escritura: Mateus 5:8
“Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus” (Mateus 5:8)
Introdução:
O debate sobre a moralidade na nossa cultura que está na marcação da importância do
procedimento. Para ser moral, alguém deve actuar duma maneira moral. Isto está claro. Mas, a
moralidade, aparece a mim sendo mais do que simples procedimento, e isto é alguma coisa que
devia ser deixada pela nossa cultura quando nós não temos cuidado.
Enquanto nós podemos ser capazes de fazer impacto ao procedimento dos indivíduos que estão
na nossa sociedade pela restrição da lei, nós não podemos mudar a essência da moralidade da
pessoa desta maneira. Limitando por aquilo que a pessoa pode fazer lá fora, não muda aquilo
que a pessoa é interiormente. Procedimento corre partindo do interior do indivíduo. Você pode
dizer que isto é um caso do coração.
Por isso, quando Jesus disse, “Bem aventurados os puros de coração” Ele estava a dar
ênfase do que realmente necessitamos que é sermos certos interiormente.
1. A Chamada Para A Pureza do Coração
a. Nas beatitudes, Jesus está a lidar com os princípios que tem impacto em todas as áreas
das nossas vidas. Esta frase simples, “Bem aventurados os puros de coração, pois
verão a Deus”, torna-se uma rua do mapa poderosíssima que nos vai guiar para o
cumprimento prometido de uma personalidade que encontra-se com Deus. Esta é uma
chamada para os puros de coração. Jesus está a dizer que a condição do nosso coração
perante Deus é duma importância primária. De facto, parece que a nossa prioridade
como crentes é manter as actitudes dum coração correcto perante Deus.
1) Podemos conseguir enganar as pessoas por pretender ser alguma coisa que não
somos. Podemos aparentar que andamos com Deus enquanto não andamos. Mas
Deus não pode ser enganado. No livro de I Samuel 16:7 lemos: “O SENHOR, contudo
disse a Samuel: “Não considere sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei, o
SENHOR não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o SENHOR vê o
coração”. Isto está claro que Deus vê o passado fora do procedimento e fora da
aparência para a real distribuição – a condição dos nossos corações. Lemos em
Provérbios 21:2, “Todos os caminhos do homem lhe parecem justos, mas o SENHOR
pesa o coração.
b. O que é que Jesus queria dizer quando Ele falou de puro de coração? O que realmente
significa a palavra puro? Isto significa ser perfeito? Isto significa sem pecado?
1) O coração nas escrituras significa mente, desejo, emoções. Significa domínio do que
está dentro do desejo. O escritor do Provérbio aconselhou, “Acima de tudo, guarde
o seu coração pois dele depende toda a sua vida.” (Provérbios 4:23). Em Mateus
15:19, Jesus disse: “Pois do coração saem os maus pensamentos, os
homicídios, os adultérios as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos
testemunhos e as calúnias”. O coração envolve ambos, pensamento e desejo. O
coração determina o procedimento.
2) Quando Jesus fala de puro de coração, Ele fala acerca dum coração que tem um
motivo puro. Os corações devem ser caracterizados por pensamento único e devoção
unânime.
a. Jesus disse, “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará
o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro”. (Mateus 6:24)
b. Tiago, no seu livro lembra-nos de que “amizade com o mundo é inimizade com
Deus” e depois deu-nos a solução: limpem as mãos e vocês, que têm a mente
dividida purifiquem o coração. (Tiago 4:4-8)
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
33
c. Quando nós examinamos a nós mesmos nesta luz, o que nós encontramos?
Muitas vezes, encontramos que nós caimos muito longe do padrão. Os nossos
motivos são raras vezes não puros. Muitas vezes são egoístas e centralizados no
ego. Em vez de ter
uma mente simples de devoção a Deus e um desejo de paixão para satisfazer a
Ele, mas muitas vezes estamos preocupados somente com o que beneficia a nós
mesmos.
d. A chamada de Cristo é clara. Não vamos misturar a nossa devoção a Ele. E você?
O teu coração está completamente devotado somente a Deus?
2. O Processo Da Pureza Do Coração
Como é que devemos purificar os nossos corações? Quando nós que os nossos motivos
estão misturados, como é que devemos voltar para a mente simples de devoção a Deus?
1) Para que sejamos puros de coração devemos ver a nossa necessidade e responder
aquela necessidade. Devemos andar atrás dessa progreção que já vimos nas primeiras
quatro beatitudes. Assim como aqueles que “são pobres de espírito”, vemos os nossos
pecados. Assim como aqueles que “choram” arrependemos no sofrimento divino pelos
nossos pecados. Os nossos corações estão quebrados perante Deus. E assim tornamonos
“mansos” e compassivos perante Deus. A humildade marca aqueles que foram
tratados por Deus. Depois chegamos num lugar onde nós sentimos “fome e sede de
justiça” porque já vimos que somente a justiça de Deus satisfaz. Esta é a fundação que
devemos fazer quando queremos ser puros de coração.
2) Este é na realidade o processo de santificação. É isto que Jesus disse quando nos disse
que devemos carregar a nossa cruz diariamente. É procurar Deus com todos os nossos
corações. Isto é vir a Deus como David e orar: “Cria em mim um coração puro, ó Deus
e renova dentro de mim um espírito estável” (Salmos 51:10). Isto é desejar a Deus
mais do que outras coisas.
3. O Resultado da Purificação do Coração
a. A razão de sermos puros do coração é porque somente aqueles que são puros verão
a Deus.
1) Deus reserva a íntima relação com Ele para aqueles que os seus corações são
puros na sua devoção com Ele.
2) A Pureza Do Coração é que afina os nossos receptores espirituais na frequência
de transmissão de Deus.
3) E quando estamos afinados n’Ele, vamos gozar o privilégio de apanhar o
vislumbro da Sua glória – uma visão de Sua Majestade.
4) Ele deseja revelar mais do seu poder a nós. Ele deseja revelar-se a Si Próprio a
nós, para que possamos compreender os Seus caminhos e andarmos neles.
b. Deus deseja uma relação conosco. Deus deseja que nós sejamos habilitados para lhe
servir. E esta é uma promessa para nós - e é um resultado de sermos puros de
coração.
Conclusão:
Os puros de coração são uma criação rara na nossa sociedade hoje. São mesmo raros nas
nossas igrejas.
Mas creio que Deus está a chamar-nos para que regressemos dessa simples mente, pura de
devoção n’Ele que caracteriza aqueles que sobre eles derrama o Seu Espírito. Mas, no Reino o
caminho de cima sempre está debaixo. Devemos ajoelharmo-nos e arrependermo-nos antes de
olhar em cima e apanhar o brilho da Sua glória. Ó Deus purifica os nossos corações para que
possamos ver Jesus!
Rev Cosmos Mutowa
Coordenador da MNC (Ministerío Nazareno de Compaixão) na Região de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 4
34
Habitando na Presença Do Deus Santo
Escritura: Salmos 15
Introdução:
Levíticos 19:2 diz, “Sejam santos porque eu, O SENHOR, o Deus de vocês, sou santo”. O
Templo tinha um quarto dentro chamado Santo dos Santos onde era o lugar que ficava Deus
entre o Seu povo. Este era um lugar santíssimo porque a presença de Deus estava lá. A
presença de Deus é uma presença de santidade. Somente o Sumo Sacerdote podia entrar no
lugar Santo dos Santos uma vez por ano, no Dia de Expiação. Ele devia fazer uma preparação
cuidadosa lavando-se, vestindo uma roupa especial para fazer a expiação dos pecados do povo
(Hebreus 9:7). Segundo a tradição Judáica, um extremo do comprimento da corda estava
amarada no tornozelo do Sumo Sacerdote e outro ficava lá fora do tabernáculo. Quando as
campainhas (sinetas) que estavam na sua túnica (veste) parassem de tinir enquanto ele ainda
estivesse no Lugar Santo, presumiam que ele estivesse morto e testavam por puxar a corda
devagarinho. Justamente assim como o Sumo Sacerdote devia entrar sem pecado para ministrar
perante Deus, isto é absolutamente necessário para que nós também sejamos sem pecado, que
nós devemos ser santos, para entrar na Sua presença.
1. Salmos 15 mostra sete qualificações para habitar na presença do Deus Santo.
a. Um andamento sem mancha (v2)
b. Fazendo aquilo que é justo (v2)
c. Falando a verdade (v3)
d. Amar o próximo (3)
1) Quem não faz difamação
2) Quem não faz mal a ninguém
3) Quem não arremessa mácula ao próximo (falar mal contra os outros)
e. Guardar o juramento (guardar a sua promessa) (v4)
f. Não tire vantagem dos outros economicamente (quando emprestar dinheiro, não pede
lucros) (v5)
g. Não aceite suborno (5)
2. Porque é que estas qualificações são muito importantes para Deus?
a. Vendo pela face o valor destas qualificações parecem muito insignificantes
b. Mas quando elas são desprezadas, elas têm uma potencial cheia de distruir as nossa
salvação.
c. Por isso, nós devemos sempre guardar os nossos corações contra todas as formas
do mal (Provérbios 4:23).
d. Nós devemos procurar a presença de Deus em todos os tempos (I Crônicas 16:11;
Salmos 105:4).
Conclusão:
Deus é Santo, e o Seu desejo é para o Seu povo ser santo e habitar na presença d’Ele todos os
dias.
Levar um momento para examinar a tua vida nesta manhã. Ela está na linha daquilo que Deus
deseja? Quando você necessita de uma oração, convido-te para vir ao altar e ter um encontro
como SENHOR. Ele aceita e pode te dar um coração novo e um bom espírito.
Rev. Paul Mtambo
Coordenador das Estratégias do Campo Central de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 5
35
Santidade que Escorre
Escritura: I João 1:5-10
Introdução:
Sem minimizar as crises da experiência Cristã, a nossa relação com Deus é de momento a
momento um estilo santo de vida. Não devemos pregar sempre ou falar acerca da santidade.
Assim, a santidade deve escorrer em nós através dos meios em que nós vivemos! A definição de
escorrer é de gotejar ou verter devagarinho. O nosso próprio caminho de vida verte Cristo e
santidade. Cristo diz em Mateus 5:13-14, “Vocês são o sal da terra” e “Vocês são a luz do
mundo”. Assim como o sal da terra, devemos guardar sempre o sabor da nossa santidade.
Assim como “Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte” por isso também o
nosso andamento com Cristo deve ser uma luz perante o povo que contacta-se connosco. Em
outras palavras, o nosso estilo de vida deve apoiar aquilo que nós falamos.
1. Vocês são a luz do mundo
a) I João 1:5-6 diz, “Esta é a mensagem que dele ouvimos e transmitimos a vocês: Deus
é luz, nele não há treva alguma. Se afirmamos que temos comunhão com Ele, mas
andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.”
1) Quando nós dizemos que fomos nascidos de novo, enquanto continuamos a viver
na escuridão, continuando com o nosso velho estilo de vida do pecado, mentimos
.
2) A nossa vida não apoia aquilo que nós estamos a dizer que aconteceu em nós.
b) Mas o versículo 7 diz, “ se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, temos
comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo o
pecado.”
1) Isto é o que nós chamamos santificação.
2) O Espírito Santo limpa e purifica os nossos corações do pecado, e enche-nos do
poder para que possamos viver a vida da vitória sobre o pecado.
2. A Confissão e limpeza do pecado vem primeiro
a) O trabalho divino de limpeza do coração não toma parte quando nós não
confessamos os nossos pecados. “se confessamos os nossos pecados, ele é justo
para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1:9). Nós
devemos reconhecer os nossos pecados e confessá-los e pedir o Espírito Santo
para limpar os nossos corações.
b) Antes de ser nascido de novo, o ego é o centro da nossa vida e temos uma forte
tendência de pecar e irritar a Deus. Mesmo assim, quando nós somos santificados,
Cristo toma a parte central e domínio da nossa vida. Isto é feito no eco das palavras
do Apóstolo Paulo, “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas
Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus,
que me amou e se entregou por mim.” (Gálatas 2:20)
3. A Santidade Escorre apartir do coração limpo e puro
a. Apartir do coração puro e limpo que está cheio do Espírito Santo, a santidade deve
justamente escorrer, como penetrações doces vindas de todos os lados do corpo
quando está numa corrida ou fazendo exercícios vigorosamente.
b. Quando nós vivermos uma vida santa seremos vistos porque a santidade vai penetrar
através de todas as áreas da nossa vida.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 5
36
c. Quando Cristo toma conta do reino dentro dos nossos corações Ele domina tudo o
que nós somos e tudo o que nós fazemos.
Aqui estão algumas das poucas coisas que Ele vai dominar estando a guiar-nos:
1) Ele domina os olhos – aquilo que nós vemos!
2) Ele domina as orelhas (ouvidos) – aquilo que nós escutamos!
3) Ele domina os lábios – aquilo que nós dizemos!
4) Ele controla a boca – aquilo que nós colocamos dentro!
5) Ele controla as mãos – aquilo que nós fazemos ou o que não fazemos!
6) Ele controla os pés – onde nós vamos!
4. A Vida Santa Manifesta o Fruto do Espírito
a. Em Gálatas 5:22-23 Paulo fala sobre o fruto do Espírito Santo que é “amor, alegria,
paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio.”
b. Inequívoco (claro, explícito), as qualidades acima mencionadas estão presentes numa
vida cheia de Espírito Santo. A santidade naturalmente destila correndo fora porque
transforma-se em nosso DNA.
Conclusão:
Estará a tua vida a destilar a santidade? Caso não, o que destila ou derrama de ti para o mundo?
Estás pronto para permitir que Cristo tome conta do reino do teu coração e vida e te dê vitória?
O altar está aberto para ti. Venha e peça a Deus para limpar e purificar o teu coração e dar-te
poder do Seu Espírito Santo para viver a vida de santidade, para seres o sal e luz no seu mundo.
Por Rev. Paul Mtambo
Coordenador das Estratégias do Campo Central de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 5
37
O Espírito Santo Unifica
Escritura: Efésios 4:12-15
Introdução:
A profecia do Espírito Santo depois de ter derramado na Igreja no Dia de Pentecostes, a qual
Pedro cita em Actos 2:16-18, foi profetizada por Joel (Joel 2:28-38). Nesta profecia, vemos o
Espírito Santo vindo sobre a comunidade do povo, em forma de uma pessoa sozinha aqui e
acolá. Não somente devia o Espírito Santo descer sobre a comunidade do povo, Ele também
devia criar uma comunidade de crentes na Igreja. Esta comunidade de crentes estava em
unidade. (Actos 2:44-47).
1. A Unidade Perfeita Vem Através Do Espírito Santo
a. Por Alcançar a fé em Cristo (Efésios 4:13)
b. Na Intimidade com Cristo (Efésios 4:13)
c. Uma Obediência completa a Cristo (Efésios 4:15)
2. A Unidade Perfeita Vem Através do Amor
a. Em Cristo (Efésios 4:15; Gálatas 5:24)
b. Do Corpo Da Igreja (Efésios 4:16; Gálatas 6:10, 5:14)
3. A Unidade Perfeita Vem Com A Denúncia (Condenação) Do Orgulho Próprio (Gálatas
6:14)
a. Instalado o Domínio Próprio (Gálatas 5:22)
b. Persistência ou Paciência Enraizada (Gálatas 6:2)
4. A Unidade Perfeita Na Eventualidade Ganha
a. Ela ganha Pessoas
b. Ela ganha o Mundo
c. Ela Ganha sobre o Satanás (Diabo)
Conclusão:
É evidente que o Espírito unificador na Igreja sofre quando há atitudes negativas e acções no
trabalho; “ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissessões, facções, inveja, embriaguez,
orgias...” (Gálatas 5:20—21). Estas coisas, lutam, disputam, dissessões, facções, discordam,
correm da fonte do desejo da carne que sempre é oposta para ser liderada pelo Espírito (Gálatas
5:18,5:22-26). Pela produção do amor nos nossos corações (Romanos 5:5; Gálatas 5:22;
Colossences 3:14). O Espírito Santo amarra todas as coisas juntas”... elo perfeito da unidade”
(Colossenses 3:14). Por isso, podemos ver que o Espírito Santo traz uma boa harmonia na
comunidade da Igreja que transborda com amor um para com o outro.
Por Rev Collin Elliot
Coordenador das estratégias do Campo Meridional de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 5
38
A Verdade Sobre a Santificação
Escritura: Romanos 6:19-22
Introdução:
“Se Jesus Cristo não é o Senhor de tudo, Ele nunca será o Senhor.” – R.S. Nicholson
1. Santificação é Oferta da Escolha De Deus Para Todos os Crentes: (I Tessalonicenses
4:3).
Esta é a vontade de Deus de que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade
sexual;
a. O melhor de Deus para os crentes (Efésios 1:4)
“Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo para sermos santos e
irrepreensíveis em sua presença.
b. O desafio de Deus para o crente (Hebreus 12:14)
“Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém
verá o Senhor.
c. O desejo de Deus para o crente (Hebreus 10:14-15) “porque por meio de um único
sacrifício, ele aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados.
O Espírito Santo também nos testifica a este respeito
d. O desejo de Deus para o crente (I Tessalonicenses 3:13)
“Que ele fortaleça o coração de vocês para serem irrepreensíveis em santidade diante de
nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos.”
2. Santificação é a Santidade de Deus Dada para Consagrar Crentes
(I Tessalonicenses 4:7)
Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade.
a. Isto envolve deixar procedimentos pecaminosos (Lucas 14:33)
“Da mesma forma, qualquer de vocês que não renunciar a tudo o que possui não
pode ser meu discípulo.”
b. Isto precisa de uma disciplina e domínio próprio (I Pedro 1:15-16)
“Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo
o que fizerem, pois está escrito: “Sjam santos, porque eu sou santo.”
c. Isto precisa dum trabalho dedicado ( Lucas 74b-75)
“... para o servirmos sem medo, em santidade e justiça, diante dele todos os nossos
dias.”
d. Destrói lealidades divididas (Romanos 5:12-19).
“Nós consagramos mas Deus santifica”
3. A Santificação é Recebida Pela Fé Persistente (I Tessalonicenses 5:23-24)
“Que o próprio Deus dá paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o
corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda do nosso Senhor Jesus
Cristo. Aquele que os chama é fiel, e fará isso”.
a. Esta é uma crise da experiência (Actos 4:31)
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 6
39
“Depois de orarem, tremeu o lugar em que estavam reunidos; todos ficaram cheios do
Espírito Santo e anunciavam corajosamente a palavra de Deus.”
b. É alcançado ou conseguido através da fé (João 14:11)
“Creiam em mim quando digo que estou no Pai e que o Pai está em mim; ou pelo menos
creiam por causa das mesmas obras.”
c. Isto é confirmado pela presença do Espírito Santo dentro de nós. (Romanos 15:16) “...
de ser um ministro de Cristo Jesus para os gentios, com o dever sacerdotal de
proclamar o evangelho de Deus, para que os gentios se tornem uma oferta aceitável a
Deus, santificados pelo Espírito Santo”
Dr. Stan Toler
Superintendente Geral em Jurisdição
Na Igreja do Nazareno Região de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 6
40
A Integridade Que Não É Negada
Escritura: Jó 1-6
Introdução:
Alguns dos termos bíblicos conhecidos que nós usamos no nosso ensino e pregação são
arrependimento, expiação, reconciliação, justificação e santidade. No livro de Jó não
encontramos a maior parte destes termos, mas há um só que é o tão rico, cheio e significativo –
INTEGRIDADE. Esta era a mais válida possessão de Jó.
1. A Natureza da Sua Integridade
a. A integridade de Jó era divina, santa e cristã.
b. O escritor do livro diz que ele era (Jó 1:1,8):
- Homem sem mancha
- Homem honrado
- Homem que respeita Deus
- Homem que evita o mal
c. Estas palavras lindas foram tiradas numa carta de testemunho escrita por Deus para
Diabo (satanás) acerca de integridade de Jó (Jó1:8).
d. O Dicionário de Webstar define o termo integridade como o seguinte:
- Condição inalterada (intacta)
- Solidez (firmeza)
- Aderência firme para o código da moral especial ou valores artísticos.
- Incorruptibilidade
- A qualidade de estar completo ou não divisível
- Perfeição
e. Isto é o que Deus quer que nós sejamos e Ele é capaz de nos fazer sem manchas ou
mácula, rectos, pessoas que respeitam a Deus, aqueles que evitam o mal.
f. Esta é a beleza de santidade que estamos a ver na vida de Jó.
2. As Grandes Provas e Tentações da Sua Integridade
a. A sua integridade foi testada mas ele nunca negou (NIV). Afastar ou remover (KJV).
Deitar fora (WKJV/RSV). Abandonr (NEB).
b. A sua riqueza e fama não lhe fizeram perder a sua integridade (Jó 1:2-3,9-11).
c. Lembre-se das palavras de Jesus, “Como é difícil aos ricos entrarem no Reino de
Deus!” (Marcos 10:23).
d. Quando ele perdeu tudo o que ele tinha ele não deitou fora a sua integridade (1:20-
22).
e. A segunda declaração de Deus a Satanás acerca da integridade de Jó foi dada
depois dele ter ultrapassado as provas(Jó 2:3).
f. Quando a sua carne e ossos foram tocados por aquela terrível doença, ele prosseguiu
segurando a sua integridade (Jó 2:4-8).
g. Quando a sua mulher negou-lhe porque ele era ofensivo para ela, ele recusou deitar
fora a sua integridade (Jó 19:17).
h. Quando os seus amigos acusaram-lhe e desencorajaram-lhe, ele continuou a ser fiel
a Deus.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 6
41
i. Quando Deus parecia ter-se afastado dele, ele não abandonou a sua fé (Jó 23:8-12).
j. A sua integridade ajudou-lhe a vencer tentações sexuais (Jó 31: veja o IF’S)
3. A Força da Sua Integridade
a. A força da sua integridade estava no plano do redentor dado no Velho Testamento.
b. O sacrifício de purificação e ofertas queimadas era um costume regular que manteve
a ele e sua família puros perante Deus e outras pessoas.
c. Esta era a Santa Comunhão de Jó que é similar a nossa Santa Comunhão hoje.
d. Não estamos a fazer sacrifícios ou ofertas queimadas hoje, mas simplesmente
estamos a lembrar o sacrifício que nos foi feito no Calvário. É daí onde vem a nossa
santidade, justiça e integridade.
e. Através desta comunhão, quando a caminhada era pesada, Jó conseguiu dizer: “Eu
sei que o meu Redentor vive...” (Jó 19:25-27).
f. A força da nossa integridade e a vida santa vem desta íntima relação e comunhão
com o nosso Redentor assim como lemos nas escrituras de I João 1:5-7.
Conclusão:
Deus precisa de homens e mulheres que tem grande integridade. Através do seu plano de
Salvação e graça de salvar Ele pode nos dar este santo carácter. O Espírito Santo, o
Consolador, vai nos ajudar a guardar a nossa integridade quando nós formos tentados.
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 6
42
Sejam Perfeitos Assim Como O Vosso Pai No Céu É Perfeito
Escritura: Mateus 5:14-48
Introdução:
A chamada para a perfeição Cristã continua a ser debatido de diferentes perspectivas entre os
crentes. A perfeição Cristã é acessível, mas isto não vem como um prato de prata. Há poucas
coisas na vida de um crente que necessitam de refinamento na perseguição desta chamada.
Jesus Cristo aponta oito destes combates humanos que precisam de ajuda divina no nosso
caminho para a perfeição.
1. A criatura humana pode ser perfeita como Deus?
a. A perfeição humana pode ser alcançada e precisa que nós façamos as seguintes
escolhas:
1) Não ter ódio contra pessoas sem nenhum caso
2) Reconciliar as relações quebradas
3) Não divertir com pensamentos pecaminosos
4) Guardar a santidade do casamento
5) Falar palavras honestas
6) Resistir a pessoas más
7) Amar os nossos inimigos e aqueles que nos odeiam
8) Orar por aqueles que nos perseguem
2. O caminho para a perfeição não é fácil
Conclusão:
Jesus Cristo está a nos mostrar o caminho para a perfeição Cristã embora Ele não satisfaça a
lógica da nossa cultura. Olhando para estes oito desafios e o crescimento no nosso andamento
espiritual e a relação com Jesus Cristo para que possamos vencé-los, esse é o caminho para
sermos mais como Cristo.
Por Rev. Chanshi Chanda
Coordenador das Estratégias do Campo Centro Ocidental de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 6
43
Reflectindo A Santidade De Deus
Escritura: Êxodo 3:5-6
Introdução:
“’Não se aproxime’ Então disse Deus. ‘Tire as suas sandálias dos pés, pois o lugar em que você
está é terra santa’. Disse ainda: ‘Eu sou o Deus de seu pai, o Deus de Abrão, o Deus de Isac, o
Deus de Jacó’. Então Moisés cobriu o rosto, pois teve medo de olhar para Deus”
Reflectir a santidade de Deus significa pôr de lado o egocentrismo e o egoísmo, para a redenção
dos outros.
1. Porque É Que Nós Nos Devemos Preocupar Sobre A Santidade? (2 Coríntios 7:1)
“Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o
corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus”
a. A Santidade caracteriza Deus (I Pedro 1:16) “pois está escrito: sejam santos, porque eu
sou santo”
b. A santidade é a devoção do pensamento simples a Deus (Hebreus 12:14). “Esforcem-se
para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor”.
“A santidade não é uma opção. Ela é essencial para a nossa comida espiritual e para a nossa
vida física”. R.S. Taylor
2. Qual É A Nossa Resposta À Santidade De Deus? (Romanos 1:20)
“Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus – seu eterno poder e sua
natureza divina, - tem sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas
criadas, de forma que tais homens sejam indisculpáveis”
a. O zelo a Deus (Mateus 6:24)
“Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e
desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”
b. Uma separação com o mundo (Mateus 5:48)
“Portanto, sejam perfeitos como perfeito é o pai celestial de vocês”
“A santidade é separação para um alvo maior, para o serviço ao ser humano” - John A.
Knight
c. Um desejo de ser semelhante a Cristo (Mateus 22:37-38)
“Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e
de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento.”
3. Como É Que Nós Devemos Reflectir A Santidade De Deus (I Coríntios 1:30)
“É, porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou
sabedoria de Deus – para nós, isto é, justiça santidade e redenção.”
a. Ódio incondicional do pecado (I João 3:6)
“Todo aquele que nele permanece não está no pecado. Todo aquele que está no
pecado não o viu nem o conheceu.”
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 7
44
b. Amar os outros incondicionalmente (I João 3:19)
“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de
Deus...”
45
c. Um sacrifício sem condição para o bem dos outros (João 3:16)
“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o
que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.
Conclusão:
“A santificação completa (inteira) não é o fim, mas muitas vezes é o começo do tempo da vida do
serviço de total entrega” – R. S. Taylor
Dr. Stan Toler
Superintendente Geral em Jurisdição
Na Igreja do Nazareno Região de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 7
46
O Mandamento Positivo De Amor
Escritura: Mateus 22:35-40
Introdução:
O alcance da santidade é amplo (extenso, largo) e profundo. Ela tem uma dimensão de limpeza
individual que exprime por si mesmo num contexto relacional. No Novo Testamento, os
ensinamentos de Jesus nestas passagens são uma colecção de meios diferentes de amar a
Deus e o nosso próximo. Hoje estamos a viver no mundo onde “o amor pode significar qualquer
coisa e é aplicado para quase todas as coisas. Para um Cristão o significado de “amor” não é o
mesmo com o significado comum da rua.
1. O Amor é uma expressão de Santidade
2. O Amor é a qualidade de Deus
a. O amor humano segue o amor de Deus
b. Nós devemos manifestar o amor de Deus
3. A Santidade tem uma dimensão relacional
a. O Amor é a mensagem central de Moisés e os profetas.
b. Moisés ensinou o amor a Deus e ao próximo.
c. Os profetas desafiaram as pessoas a amar a Deus e ao próximo.
d. Amar a Deus só não é tudo.
e. Amar as pessoas somente não é tudo.
4. O amor considera a boa semente no pecador
5. O amor não faz para aos outros o que o outro não quer que seja feito a ele próprio.
6. O amor é mais grande do que a representação externa
a. O Amor é grande do que a fé
b. O amor é grande do que uma esperança
7. O Amor é uma expressão de transformação
a. Bondade
b. Paciência
c. Regozijo na verdade
d. Aguentar todas as coisas
e. Crendo todas as coisas
f. Ter esperança de todas as coisas
g. Suportar todas as coisas
Conclusão:
O amor é uma coisa simples muito importante no nosso relacionamento, e este deve ser positivo.
Nós somos chamados para amar e não de modo secular, mas do modo positivo de santidade.
Por Rev. Chanshi Chanda
Coordenador das Estratégias do Campo Centro Ocidental de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 7
47
Repouse – A Próxima Fronteira!
Escritura: Hebreus 3:7-19
Introdução:
Estou muito agradecida e entusiasmado por aquilo que Deus está fazendo na nossa igreja. Deus
nos abençoou nestas últimas poucas semanas com uma visita do Espírito Santo. Muita gente
veio ao altar e acharam uma vitória e cura na presença do Senhor.
Reamente Deus está fazendo uma coisa nova na nossa igreja e estou anciosa para ver para
onde Deus vai nos guiar. Deus tem muito para fazer para nós e dentro de nós. Ele precisa mais
extremamente, abundantemente, mais do que nós podemos pedir ou imaginar. A minha
preocupação hoje é esta: Como é que nós vivemos a nossa vida quando levantamos do altar e
saimos das nossas igrejas. Para onde vamos quando saimos daqui?
1. A promessa do Repouso
a. Os Israelitas tinham o mesmo problema.
1. Eles viveram como escravos, debaixo duma grande opressão e sofrendo na terra do
Egípto.
2. Depois Deus os livrou do alcance do Faraó e levou-os para esta viagem excitante
(sensacional, emocionante) para a Terra Prometida.
3. Eles actuaram com uma grande fé e obediência a Deus quando eles creram em Moisés e
seguiram-lhe saindo do Egípto.
4. Mesmo assim a realidade da “liberdade” deles foi retirada pois quando eles iam partir
viram que Faraó os perseguia atrás deles com a intenção de os levar de volta a
escravatura e para o cativeiro.
5. A liberdade deles não era o fim alegre para a história do sofrimento deles, isto era o
princípio da aventura deles com Jeová. A intenção não era justamente de se libertar da
escravatura, mas também de entrar na Terra Prometida, Canã. Deus prometeu este
descanso ao Seu povo.
b. É a mesma coisa hoje connosco.
1) A nossa salvação, aceitando Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador, é
justamente o começo da viagem. Nós deixamos a terra de pecados e escravatura,
mas isto ainda não é o fim da história; Deus ainda tem muito no armazém para
nós nesta viagem de fé.
2) Assim como os Israelitas, Ele precisa que nós entremos no Seu descanso. Canã
aqui não significa quando nós morrermos e formos ao céu, mas isto significa que
nós podemos entrar no descanso de Deus agora mesmo.
2. As Barreiras do Descanso
a. A incredulidade deles (Hebreus 3:19)
Deus disse para ir e levar a terra. Eles disseram que nunca podiam fazer isso, nós
somos como gafanhotos (Números 13:33). Em vez de focar no seu grande Deus, eles
focaram nas suas próprias limitações e o resultado foi esse de eles vaguearam no
deserto por 40 anos e nenhum deles, senão somente Josué e Caleb entraram na
Terra Prometida com a nova geração.
b. A revolta deles endureceu os seus corações (3:8).
c. A desobediência deles (3:18)
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 7
48
3. Resultados da Vida Cristã Sem Descanso
a. Vaguear sem descanso, procurando mas não encontrando satisfação para as nossas
almas
b. Descontentamento, insatisfação de dirigir para todas as qualidades de inclinações e
vícios mesmo indo para o cativeiro.
c. Idolatria, amenizar poeira (o que faz com que as pessoas se esqueçam o passado por
alguns segundos).
d. Afastamento vindo de Deus.
4. Descanso Activo
Que descanso é este que Cristo nos oferece?
a. Esta é uma promessa divina para todos aqueles que crerem.
b. Este é um repouso pata tentarmos ganhar a nossa salvação e santificação pela nossa
própria força. Este é um descanso de tentar de todas as formas mais sempre
desconseguir. O trabalho que Cristo fez na cruz foi completo. Já não depende do
nosso esforço. Esta é a mensagem principal do livro de Hebreus: Cristo é superior
que os sacerdotes e sacrificios do Velho Testamento porque Ele foi para o quarto do
trono de Deus e ofereceu o sacrifício de uma vez por todas para perdão de todos os
pecados.
c. Esta é uma liberdade duma consciência culpada. Muitas vezes, nós somos
atormentados pelo mal que nós fazemos e este rouba a nossa paz. Alguém queixouse
de que eles não podiam dormir e a outra pessoa perguntou, “Quem te matou?” Isto
é o caso de que o peso de consciência pode ser o causador de muita pressão e
desordem na nossa vida. Mesmo assim, Deus fez provisão para isto em Jesus Cristo.
Hebreus 10:22 diz que nós podemos chegar perto de Deus, “tendo os corações
aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada.”
d. Esta é uma liberdade para gozarmos a presença de Deus. Para nós este não é um
lugar físico, mas esta é uma realidade que nós podemos entrar de corpo na presença
de Deus, e não por causa dos nossos próprios trabalhos, mas pelo sacrifício supremo
de Cristo. O milagre que nós experimentamos quando estamos na igreja é nosso para
levarmos para casa connosco; podemos gozar a presença do Altíssimo Deus em
cada minuto da nossa vida.
e. É a liberdade que vai ser frutífera. Viver nas bênçãos de Deus. Ver o cumprimento
das Suas promessas. Isto é o que estava disponível aos Israelitas. Nós não somos
destinados para sermos estagnados e vivermos como vencidos. O nosso destino é a
vitória.
f. Esta é a paz com Deus. Romanos 5:1 diz, “Tendo sido, pois, justificados pela fé,
temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo.”
Conclusão:
Este convite para entrar no repouso de Deus, ainda continua. Hebreus 3:7 diz, “Hoje, se vocês
ouvirem a sua voz, não endureçam o coração como na rebelião, durante o tempo da provação no
deserto.” Hebreus 4:1 diz, que a oferta para entrar no seu descanso ainda continua. Jesus disse,
“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso”
(Mateus 11:28). Você pode vir e entrar hoje no descanso de Deus!
Por Rev. Samantha Chambo
Coordenadora de MNI (NMI) Região África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 7
49
Adorando O Senhor Na Sua Beleza De Santidade
Escritura: Salmos 29:1-2
1. O Significado de Adorar
a. Isto é uma reverência ou respeito mostrado á criatura Divina.
b. Este é um louvor, honra e acção de graça dada a Deus.
c. Este é um ministério ou serviço feito para ou a Deus.
d. Este é um ministério ou serviço a ou para o povo por amor de Deus.
e. A acção de adoração começa quando nós somos salvos e continua até a eternidade.
1) A adoração não começa quando nós entramos pela porta da igreja e não termina
quando a oração do fecho é feita (Romanos 12:1-2)
2) Os Salmos e hinos são cânticos que hoje cantamos em nossa adoração mas os
cânticos de Aleluia que encontramos no livro de Apocalipse são hinos que havemos
de cantá-los no céu para sempre e sempre.
2. O Receptor Da Adoração
a. No coração do Cristão adoração é Deus Próprio
b. Na adoração damos a Ele a glória e louvor
c. Na adoração esquecemos acerca de nós próprios e concentramo-nos n’Ele.
d. Temos que ter muito cuidado para que todas as nossas acções e actividades na
doração dêem honra e glória no Seu nome e não a nós próprios.
e. A nossa adoração não deve ser um acto de diversão e entretenimento como dos
Fariseus em Mateus 6:15-5, ou do Fariseu em Lucas 18:9-12, mas deve ser como do
colector de impostos em Lucas 18:13-14.
3. A Beleza da Adoração
a. Nós somos mandatados a adorar o Senhor na beleza da santidade (Salmos 29:2;
96:9).
- Adora o Senhor no santo vestuário (RSV).
- Venha a Ele vestido dum vestuário sagrado (Bíblia Viva – Living Bible)
b. O vestuário santo é como os vestidos dos sacerdotes no santuário mundano.
1) O costume de vestir os nossos melhores vestidos na adoração é bom e deve ser
encorajado, mas este mandamento vai além disto.
2) O nosso uniforme de adoração é o vestuário da Salvação dado a nós por Deus
Próprio (Isaías 6:10, Apocalipes 7:9-14)
3) Este uniforme é a recriado imagem de Deus dentro de nós. Isto é ser semelhante a
Cristo.
c. Quando o Profeta Isaías veio para adorar o Senhor no templo, os vestuários da sua
vida eram sujos e vermelhos como escarlate, mas quando ele chorou de
arrependimento e confessou os seus pecados, eles foram lavados (limpos) (Isaías
1:18,6:7).
d. O Apóstolo Paulo diz, devemos tirar o homem velho, o velho eu e vestir o homem
novo, o novo eu (Efésios 4:20-24; Colossenses 3:12-14).
Por Dr. Enoch H. Litswele
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Semana 7
50
Antigo Assistente do Director Regional para África
Purificado Para Parar de Pecar
Escritura: Romanos 6:1-14
Introdução:
É bom sermos lembrados de tempos a tempos do motivo pelo qual Jesus morreu. Se nós
permitimos a morte e ressurreição de Jesus para ser ‘velho e familiar’, nós corremos o risco de
levar tudo dar por doação. Devemos nos cuidar para não cairmos na armadilha de pensar de que
desde que Deus é rápido para perdoar os nossos pecados quando nós confessamos, não
interessa o que fazemos na nossa vida diária, desde o momento que “limpemos as nossas
contas” com Deus todas as noites antes de dormirmos. Jesus veio para nos libertar de pecados,
para não tornar o pecado ‘livre’.
1. O Pecado nos leva à morte
a. O castigo não mudou.
1) Deus disse ao Adão e a Eva que eles iriam morrer caso eles desobedecessem as
Suas instruções.
2) Desde o momento exacto da desobediência deles, eles foram separados de Deus.
3) Hoje, o pecado continua a nos separar de Deus.
b. A lei de Deus não mudou.
1) Desobediência continua a ser pecado – obedecer maus desejos de pecados é
desobedecer a Deus.
2) Maldade (iniquidade) continua a ser pecado – a participação nos actos de
maldade mostra desprezo a Deus e à Sua bondade.
c. Alguma coisa deve morrer.
1) Quando nós continuamos a pecar, depois havemos de morrer
2) Quando nós queremos viver em Cristo, então o pecado deve morrer
2. A morte de Cristo livra-nos do pecado
a. Aqueles que estão em Cristo já não são escravos do pecado.
1) O poder do Espírito Santo é maior do que o poder do pecado.
2) A ressurreição de Cristo destrói o poder do pecado sobre aqueles que têm fé em
Jesus.
b. Nós nunca mais precisaremos de dizer, “a tentação era mais forte, não podia ajudar a
mim próprio.”
3. A vida nova de Cristo dá-nos a vida
a. A vida verdadeira é a comunhão com Deus.
1) Fomos criados para ter relação com Deus.
2) O nosso propósito é de adorar e glorificar a Ele em todos os aspectos da nossa
vida.
b. Nós somos instrumentos da justiça de Deus.
1) A nossa vida diária deve ser testemunha da graça
2) A nossa inteira criatura – pensamento, acções, palavras – devem reflectir a
santidade de Deus.
Conclusão:
O perdão não elimina (não apaga) o registo dos nossos pecados para que nós possamos
novamente com o pecado. A morte e a ressurreição de Jesus Cristo nos purifica dos nossos
pecados para que sejamos seres livres para viver a vida santa e pura perante Deus pelo poder
do Espírito Santo. Nós que somos já identificados com Cristo não devemos identificar-mo-nos
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
51
com o pecado. Antes nós devemos ser instrumentos de Deus guiando outros para a misericórdia
de Deus e os caminhos da justiça. Devemos ser mensageiros da salvação para com o mundo
que morre e peca, sermos testemunhas do poder e graça de Deus.
Purificado Para Resisir À Tentação
Escritura: Mateus 4:1-11
Introdução:
É pecado ser tentado? Absolutamente que não. É aquilo que nós fazemos quando somos
tentados que vai determinar se vamos pecar ou não. Resistir a tentação é como um exercício
espiritual – cada tempo que resistimos, estamos a dar força aos nossos músculos espirituais.
Será que isto significa que nós seremos eventualmente suficientemente fortes para não sermos
tentados em todo o tempo? Infelizmente não. Este é o perigo do qual nós devemos ter cuidado –
tentações podem ser súbteis e quando nós somos arrogantes considerando que nós estamos
além de sermos encontrados pelas tentações, podemos cair e nunca vermos até batermos o
chão.
1. Jesus resistiu á tentação pela obediência e sabedoria das Escrituras
a. Jesus foi tentado a satisfazer necessidades normais do corpo humano duma forma
errada.
1) O Diabo tentou convencer Jesus de que satisfazer uma necessidade legítima era
o Seu direito.
2) Jesus respondeu que obediência era mais importante do que o “direito”.
b. Jesus foi tentado a manipular as Escrituras para forçar a Deus a obedecer a Jesus.
1) O Diabo levou um versículo fora do contexto para sugerir que Jesus faça leis as
quais Deus devia obedecer.
2) Jesus resistiu essa armadilha por considerar o total contexto Bíblico.
c. Jesus foi tentado a achar uma versão mais aceitável da vontade de Deus para a vida
d’Ele.
1) O Diabo ofereceu alternativa para conceder os mesmos resultados sem pagar o
preço.
2) Mais uma vez, Jesus respondeu com as Escrituras dizendo que a obediência a
Deus será a melhor coisa a fazer.
2. Nós também podemos resistir à tentação pela obediência e sabedoria das Escrituras
a. Ter necessidades legítimas não nos perdoa o pecado.
1) Deus não despreza a nossa necessidade pela comida, vestuário, sombra, etc.
2) Ele precisa que nós levemos a Ele estas necessidades para Ele poder indicar-nos
o melhor meio (caminho).
b. Nós não podemos manipular as Escrituras para forçar a mão de Deus.
1) Oradores espertos não dizem a verdade, especialmente quando eles dizem
justamente aquilo que nós queremos ouvir.
2) Nós devemos estudar a Bíblia para podermos testar as palavras deles se elas
vêm de Deus.
c. Não devemos tentar completar a vontade de Deus com os nossos meios.
1) Não podemos escolher um caminho fácil e ainda terminar onde Deus precisa que
nós terminemos.
2) Para harmonizar auma parte da vontade de Deus é perder.
3. As Escrituras e o Espírito Santo proporcionam tudo o que nós necessitamos saber.
a. Devemos estudar para não sermos complicados.
b. Devemos depender do Espírito Santo para Ele nos ajudar a resistir à tentação que
havemos de enfrentar.
Conclusão:
Deus espera que nós possamos aprender com as nossas experiências e virarmo-nos a Ele para
sermos guiados não temos a certeza do caminho que devemos tomar. Jesus não nos dá
somente o exemplo de lhe seguir, mas Ele também manda-nos o Seu Espírito Santo para nos
encher do poder para resistir as artimanhas do diabo. Não há tentação nenhuma que é tão forte
que não pode-se resistir. Vamos comprometer-se a estudar a Palavra e esconde-la nos nossos
corações para que não possamos pecar contra Deus. Vamos virar os nossos corações e
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
52
pensamentos sobre o Espírito Santo para que Ele vá guiar as nossas pegadas e caminhos para
que possamos satifazer a Deus.
Purificado Para Deixar A Tua Vida Do Pecado
Escritura: João 8:1-11
Introdução:
Ás vezes os filhos de Deus estão mais preocupados em encontrar o pecado na vida dos outros
crentes em vez de serem pessoalmente responsáveis na lei de Deus. Pode ser que nós
desejamos pensar que nós podemos encontrar atenção de Deus sobre alguém “mais pecador”
do que nós somos, Ele não vai notar as áreas da nossa vida que não são, como deviam ser. O
problema dessa aproximação é de que mesmo o “pequeno pecado” não é aceite em Deus.
1. Que perigos de pecados Jesus preveniu-nos?
a. Fazer alguma coisa que a lei de Deus proíbe.
1) Quebrar o mandamento, assim como a mulher foi acusada de cometer (adultério)
2) Colocar Deus em prova (teste), assim como os dirigentes faziam ao tentar fazer uma
armadilhas para Jesus.
b. Não fazer alguma coisa que a lei de Deus manda fazer
1) Proporcionar justiça – se os dirigentes estivessem interessados em justiça, o homem
poderia também ser incluído no preço.
2) Mostrar compaixão (misericórdia) – eles estavam interessados na alma da mulher,
humilhando a ela e depois apedrejá-la, o que não podia trazê-la ao arrependimento.
2. Que exemplo Jesus proporciona?
a. Ele lembra-nos que Deus vai utilizar os nossos próprios padrões de justiça quando
Ele julgar-nos.
1) Devemos lembrar que é somente a graça de Deus que limpa os nossos pecados.
2) Devemos examinar os nossos próprios corações e vidas para que não olhemos a
mancha do olho do outro enquanto nós temos uma mancha nos nossos próprios
(olhos).
b. Enquanto vivemos, o desejo de Deus não é que nós julguemos mas para nos
arrependermos.
1) Jesus não ignora os nossos pecados ou fingir que é aceitável pecar.
2) Quando reconhecemos os nossos pecados, Jesus oferece misericórdia e perdão.
3. Que instruções Jesus dá?
a. Vão e deixem a vossa vida do pecado.
1) Primeiro, Ele oferece perdão sem condenação
2) Depois, Ele claramente nos diz que o perdão não é “licença para pecar”.
b. Aquilo que Jesus manda, Ele torna-o possível
1) Desde que Jesus nos diz para deixar a nossa vida de pecado, nós sabemos que
isso é possível.
2) Jesus, através do Seu Espírito Santo, nos dá o poder para vivermos a vida santa,
sem pecado.
Conclusão:
Haverá um pecado que não foi confessado na tua vida? Você continua a lutar com um pecado
secreto especifico enquanto você continua praticando o mesmo? Você já foi culpado de ter
julgado alguém com o desejo de o castigar do que arrepender-se? As tuas atitudes perante os
pecadores manifestam um Deus raivoso, pronto para fazer o julgamento, ou um Deus amoroso
pronto para oferecer misericórdia e perdão? Não, nós não queremos deprezar o pecado ou
aparentar que o pecado não existe ou não faz mal. Pelo contrário, nós queremos viver o
Evangelho que oferece misericórdia e exige a vida onde o pecado não é mestre. Jesus
recomenda-nos para deixar a nossa vida de pecados e andarmos com Ele na santidade. O Seu
Espírito Santo torna essa vida possível quando Ele purifica os nossos corações pela fé.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
53
Purificado Para Controlar Os Seus Pensamentos
Escritura: 2 Samuel 11:2-5; Mateus 5:27-30
Introdução:
É impossível ler a Bíblia com sinceridade e ainda continuar a pensar que aqueles pecados não
fazem mal a Deus. Nós podemos experimentar convencer a nós próprios que assim como
cumprimos o nosso trabalho a Deus, aquilo que nós fazemos pessoalmente, a vida privada não
faz mal, mas pode enloquecer a nós próprios. Deus quer que nós sejamos 100% entregues a Ele
até aos nossos pequenos detalhes da nossa vida, incluindo pensamentos, fantasias e
imaginações. Nada disto vai satisfazer-Lhe.
1. Não pecamos “acidentalmente”
a. A tentação pode se apresentar num embrulho muito atractivo.
1) A tentação muitas vezes aparece nos instintos da nossa natureza e desejos.
2) Ela oferece-se para cumprir aqueles desejos em meios que não são próprios.
3) A tentação pode seduzir, mas ela não pode forçar-nos a cometer pecados.
b. A tentação transforma-se em pecado quando fazemos uma movimentação direita a
ela.
1) Quando o piscar de olho se transformar em olhar – assim como David olhava a
Bate-Seba.
2) Quando tomamos uma acção – quando habitamos na tentação e começamos a
pensar em meios de encontrarmos qualquer coisa que é oferecida.
3) Quando recusamos mudar e escolhemos ficar na tentação ou situação de
compromisso – se David tivesse virado as costas ir-se embora, não podia ter
cometido pecado.
2. Nem somos guardados puros “por acidente”
a. Os crentes devem escolher o caminho certo, a cada hora uma escolha é apresentada.
1) Nós devemos escolher o domínio-próprio quando somos tentados a satisfazer
normalmente as necessidades humanas e desejos por meios pecaminosos.
2) Quando nos encontramo em circunstâncias de tentação, devemos escolher sair.
3) Devemos escolher a santidade quando somos oferecidos opções pecaminosas.
b. Deus não espera que nós sejemos santos pela nossa própria força.
1) Ele oferece-nos o poder do Espírito Santo para nos limpar dos nossos desejos de
pecar.
2) Ele nos oferece a presença do Espírito Santo para nos fortalecer para que
poçamos viver uma vida santa.
3) Deus não obriga-nos a receber e obedecer o Espírito Santo – isto também é uma
escolha.
3. Os nossos pensamentos são caminhos para pecar ou para a santidade
a. Quando autorizamos os nossos pensamentos a habitarem na tentação, nós
escolhemos o caminho do pecado.
b. Quando negamos habitar sobre pensamentos de tentação, escolhemos o caminho de
santidade.
c. Quando resistimos ao diabo e as suas tentações, ele vai fugir de nós e nós vamos
crescer fortes espiritualmente.
Conclusão:
O único caminho para ter fortes músculos espirituais é exercitá-los. Nós fazemos exercícios por
resistir a tentação e negar o pecado. Também fazemos o exercício pela prática de santidade. Um
dos melhores passos para a prática da santidade é permitir que o Espírito Santo purifique os
nossos corações e domine os nosos pensamentos. O que Deus nos manda fazer, Ele também
capacita-nos para podermos fazer. Ele mandou-nos viver uma vida pura e uma vida santa. O
Espírito Santo faz com que esta vida santa seja possível.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
54
Purificado Para Ser Fiel
Escritura: Daniel 6
Introdução:
Quando vemos que a santidade era possível no tempo do Velho Testamento, antes do Espírito
Santo descer para todos os filhos de Deus (crianças), nós devemos reconhecer que a santidade
é uma expectativa real para todos os seguidores de Deus hoje. Daniel tinha tudo contra ele – foi
levado ao cativeiro como escravo por um rei estrangeiro. Ele era de uma raça não aceitável e
duma religião não aceitável na terra do cativeiro. Ele foi invejado por muitas pessoas. Mas Daniel
tinha uma boa coisa na vida dele que tornou os seus problemas insignificantes nele – ele tinha
uma relação pessoal genuína com Deus do universo. A fidelidade a Deus evindenciou-se a si
mesmo pelo seu carácter e integridade e ele foi elevado para uma liderança superior no reino
embora haja todas as coisas contra ele.
1. O povo de Deus deve ter carácter de integridade
a. Por isso, Daniel distinguiu-se por si mesmo que ele havia sido posto numa liderança
superior dum governo estrangeiro.
1) O rei tinha conhecimento de que Daniel podia ser confiado para assegurar que o
rei não fosse sofrer perdas, sejam de negligência ou corrupção.
2) Mesmo os seus inimigos sabiam que o único meio de lhe culpar era a sua fé em
seu Deus.
b. Que carácter e reputação tem as pessoas de Deus hoje?
1) Você pode ter sido confiado para assegurar um cargo no serviço – mesmo que
seja para o benefício dos seus “inimigos” – sem recusa ou prática de corrupção.
2) Você é tão fiel que mesmo os teus inimigos sabem de que não podem te acusar,
excepto quando eles atacam a tua relação com Deus?
2. As pessoas de Deus devem permanecer fiéis a Ele sempre embora hajam adversidades
a. Adoração deve ser a prioridade que está em cima mesmo que hajam outros factores
nas nossas vidas.
1) Daniel continuou com a oração e adoração a Deus mesmo depois da lei declarou
que isso custaria-lhe a sua própria vida.
2) Embora a lei fosse somente por 30 dias, Daniel não adiou a sua adoração com a
desculpa de que Deus “podia ouvir”.
b. Quão grande é a nossa prioridade de adoração nas nossas vidas?
1) Que desculpas você permite para te impedirem de ter tempo com Deus
diariamente nos estudos bíblicos e oração?
2) Porque é que você permite não participar nos cultos com os outros crentes numa
adoração corporativa (no Domingo ou dentro da semana)?
Conclusão:
A fidelidade de Daniel em situações difíceis é um grande exemplo para nós. Mas nós temos uma
vantagem sobre ele. Nós não somente temos Jesus Cristo como nosso modelo, mas também
temos a contínua presença do Espírito Santo como nossa fonte do poder (força). Podemos fazer
coisas maiores mais do que o Daniel – a nossa fidelidade pode ser uma pedra sólida nas nossas
adversidades. Quando o Espírito Santo purifica-nos, Ele tira o nosso egocentrismo e orgulho
para que possamos estar firmes e sermos sempre fidedignos a Deus sem preocupação sobre a
nossa reputação e outras consequências. Somos purificados para sermos sempre fiéis embora
hajam circunstâncias ou adversidades.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
55
Purificado Para Ter Cuidado Da Cobiça (Gulosidade)
Escritura: Mateus 26:14-16, 27:1-10
Introdução:
De um modo geral, todos nós vamos a Jesus Cristo com motivos egoístas – porque não
queremos ir ao inferno, nós desejamos perdão, queremos acabar a nossa culpa, mais outras
coisas. Estes desejos egoístas devem ser substituídos pelo profundo desejo de adoração e servir
a Ele por causa daquilo que Ele é. Mesmo assim, algumas pessoas, querem uma relação com
Jesus somente por aquilo que elas podem encontrar vindo n’Ele. Pregadores que prometem
“saúde, riqueza e prosperidade”, muitas vezes ganham rapidamente a maior parte de pessoas
que os seguem. O mesmo acontecia nos dias de Jesus – muitas pessoas nas multidões que o
rodeiavam, alegrando o acontecimento de milagres e ensinamentos, mas elas não queriam uma
relação transformadora com Jesus. Muitas pessoas, incluindo alguns dos Seus 12 discípulos,
esperavam que Jesus fosse restaurar a glória do reino de David em Israel. Assim como isto ficou
claro que não era ambição de Jesus, e muitas pessoas ficaram desiludidas e abandonaram
Jesus. Judas Iscariotes era um deles.
1. Tenham Cuidado dos gulosos e ambiciosos
a. Não devemos seguir a Jesus por causa do desejo do lucro pessoal
1) O lucro transforma-se no nosso “deus” mais do que Jesus
2) Não devemos ter outro deus, mas somente Ele.
b. Não devemos seguir a Jesus fora do desejo do poder ou reconhecimento.
1) Jesus não é instrumento ou arma para ser usado como nós queremos para vencer
os outros.
2) Jesus não morreu para nós afim de alimentar ou satisfazer o nosso gosto ou
desejo de reconhecimento.
c. Quando tentamos manipular a vontade de Deus afim de servir as nossas próprias
ideias ou ambições, seremos desapontados (desiludidos).
2. A Glutonaria leva á traição
a. Uma vez que a glutonaria permitiu um apoio nas nossas vidas, a nossa fidelidade a
Jesus Cristo é desalojada.
1) Vai ser fácil para nós desculparmo-nos para justificar a nossa glutonaria.
2) Colocando alguém ou qualquer coisa como nosso número um na prioridade é uma
traição ao sacrifício de Jesus para que Ele possa restaurar a nossa relação com
Deus.
b. Uma vez que a nossa fidelidade a Cristo está deluída, o nosso compromisso a Ele é
enfraquecido.
1) Fazemo-nos de loucos quando cremos que podemos servir ambos, Deus e o
dinheiro (veja Mateus 6:24).
2) Começamos por justificar a nós próprios perante Deus, tentando convencer-lhe de
que nós merecemos aquilo que nós desejamos e por isso, os nossos desejos e
acções são bons e aceitáveis.
3. O Espírito Santo purifica-nos dos desejos de egoísmo e da ambição
a. O Espírito Santo limpa-nos do egoísmo, assim, o único meio pelo qual pode crescer
num coração santificado é quando a semente da glutonaria é aceite e as raízes
tomam lugar e crescem.
b. O Espírito Santo vai pezar a nossa consciência quando a glutonaria ou o egoísmo
tenta levar a raiz para nos dar a oportunidade de prevenir o crescimento da glutonaria.
Conclusão:
Aqueles que Cristo os livrou estão mesmo livres. Nós estamos livres da glutonaria e da ambição
do egoísmo. O Espírito purifica os nossos corações, para que possamos examinar os nossos
motivos (razões) para assegurar de que os nossos desejos e acções estão verdadeiramente
destinados a glória de Deus e para o bem do Seu Reino.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
56
Purificado Para Perdoar E Esquecer
Purificado Para Perdoar E Esquecer
Escritura: Gênesis 42; 45:3-7
Introdução:
Pessoas de África, em geral, têm sofrido horríveis atrocidades nas mãos de outras em vários
tempos através dos séculos – ou as tribos vizinhas ou países ou vindo de outras nações. Foi o
mesmo com os Israelitas, o povo escolhido de Deus, foram perseguidos através de séculos. Hoje
lemos a história de José, um homem que foi terrivelmente maltratado pelos seus próprios irmãos
e depois foi vendido como escravo. Coisas terríveis, coisas imperdoáveis, acontecem ao povo
(pessoas) de Deus. Como é que o povo de Deus pode responder?
1. Não podemos admitir que as circunstâncias passadas ou presentes nos possam
distanciar de Deus.
a. Embora como escravos numa terra longíqua, José manteve a sua relação com Deus.
1) Mesmo que as circunstâncias da sua vida eram dolorosas, José confiou em Deus
para cuidar dele.
2) Isto foi a sabedoria e perspicácia (discernimento) que ele recebeu de Deus que
colocou José numa posição de ser fortemente usado por Deus.
b. E tu estás também escravizado por quaisquer circunstâncias passadas ou presentes
na sua vida?
1) Estás vivendo em coisas erradas que fizeram você sofrer ou coisas que as
pessoas falaram de ti ou fizeram para te ferir?
2) Está você consumido com a ira ou ferimento do desejo de vingar-se que impediu a
tua alma de sentir a presença de Deus no teu coração?
2. O Perdão é uma virtude divina, por isso a nossa relação com Ele será reflectida na
nossa relação com os outros.
a. Devemos tentar persuadir os outros para se arrependerem e receberem perdão.
1) José examinou os seus irmãos, para ver se já estavam arrependidos e mudaram
os seus caminhos.
2) Mesmo que tenhamos feito coisas erradas, o grande pecado era contra Deus.
b. Mesmo que possamos ver o arrependimento ou não, ainda podemos perdoar.
1) Recusar perdoar fere-nos mais do que qualquer outra pessoa.
2) O perdão livra-nos da escravatura dos males do passado
3. Quando o Espírito Santo purifica os nossos corações, nós estamos livres de perdoar
a. Pondo os nossos olhos em Cristo ajuda-nos a menter uma perspectiva certa.
1) Nós estamos a ver a profundidade do nosso próprio pecado e o perdão que nós
recebemos
2) Nós reconhecemos que Deus é fidedigno para trazer justiça no Seu tempo.
b. O Espírito faz o impossível ser possível.
1) O que não podemos perdoar pela nossa própria força, Ele pode nos ajudar a
perdoar.
2) Aqueles que nós não podemos amar com nossa própria força, Ele pode amá-las
através de nós.
Conclusão:
Uma das coisas que distingue as pessoas de Deus no mundo deve ser a qualidade de perdoar.
O amor, a graça e a força do Espírito Santo estão disponíveis para nós para exercer perdão
quando nós queremos. Não podemos dizer que as pessoas de Deus não aceitam perdoar.
Antes de mais, vamos ser testemunhas vivas do perdão de Deus em Cristo Jesus por perdoar
aqueles que nos ofendem. Não podemos fazer isto pela nossa própria força, mas vamos viver
como aqueles que são purificados pelo Espírito Santo para perdoar o mal contra nós.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
57
Purificados Para viver Como Jesus
Escritura: Efésios 5:1-10
Introdução:
As crianças imitam os seus pais. O que elas veêm a mamã a fazer ou ouvem o seu pai dizer.
provavelmente vão fazer ou dizer. Isto pode nos preocupar em certos tempos, especialmente
quando vemos as crianças a copiarem o mal que nós praticamos (carácteres) enquanto isto se
parece com “bom hábito” são ignorados. Mas sendo como crianças de Deus, temos o papel de
seguir o modelo de quem não faz exemplos maus. Devemos imitar o nosso Deus assim como
crianças d’Ele, e Jesus é o nosso exemplo perfeito. Mas não copiamos simplesmente n’Ele – Ele
nos deu o Seu Espírito Santo para ficar dentro de nós para que tenhamos o seu carácter.
1. O Espírito Santo fortalece-nos para viver a vida de amor (5:1-2)
a. O amor é que deve caracterizar-nos.
1) Deus é amor, não um fraco, sem emoção de força mas é firme, forte para o bem.
2) Devemos permitir o Seu amor para fluir através de nós e começar a definir o
nosso carácter.
b. O amor deve ser o que está a motivar-nos.
1) Jesus Cristo viveu e morreu por causa do Seu grande amor por nós, pondo a
nossa necessidade para a salvação acima de qualquer outra coisa.
2) A nossa escolha deve fluir dum amor sem egoísmo.
2. O Espírito Santo purifica-nos para que possamos viver a vida de santidade (5:3-5)
a. Não deve haver sugestão imprópria entre crianças de Deus
1) Devemos evitar o parecimento de imoradlidade, impureza ou glutonaria.
2) Estes são os sinais de idolatria e não têm lugar entre os filhos de Deus.
b. Os filhos de Deus devem estar cheios de acção de graça
1) Indecência (obscenidade), fala ridícula, conversa de disparate, estão fora de
questão.
2) Estes são sinais de que nós já esquecemos que nós fomos comprados por um
preço e adoptados na família de Deus.
3. O Espírito Santo purifica-nos para que vivamos uma vida de luz (5:6-10)
a. Não seja conduzido ás cegas pela escuridão.
1) Não permita que palavras vazias te enganem.
2) Examine tudo que é contra a Palavra de Deus para reconhecer a verdade.
b. Brilhe a luz na escuridão em volta de ti.
1) Quando praticamos o bem, justiça e verdade, brilhamos a luz do Evangelho.
2) Cada um de nós pode fazer a diferença porque mesmo que seja um pequeno
brilho pode dissipar a escuridão
Conclusão:
Hoje, vamos celebrar a oferta de Deus do Espírito Santo que vive dentro de nós, transformandonos
diariamente mais e mais para que sejamos semelhantes ao Filho. Nós somos filhos de
Deus, adoptados para a família d’Ele quando aceitamos Jesus Cristo. Não importa agora
qualquer outra coisa que está na nossa vida, vamos aceitar o preço para sermos imitadores de
Deus assim como Ele carinhosamente amou as crianças. Você já se apresentou a si próprio
perante Deus para te transformar á Sua semelhança pelo Espírito Santo? Não há melhor tempo
do que agora para te consagrares a Deus e ter uma santificação completa, para que possas viver
uma vida de amor, santidade e luz. Só podemos fazer isto, quando estamos purificados e
fortalecidos pelo Espírito Santo.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Purificado pelo
Espírito Santo
58
A Grande Fome E Sede Para A Vida Eterna
Escritura: Marcos 10:17-31
Introdução:
Algumas das mais importantes perguntas na Bíblia são: “Que farei para herdar a vida eterna?”
(Marcos 10:17), “Irmãos que faremos?” (Actos 2:37); “Senhores, que devo fazer para ser salvo?”
(Actos 16:30)
Estas perguntas mostram-nos alguém que tem fome e sede para a salvação. A Bíblia diz: “Bem
aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos” (Mateus 5:6). Aqui
estamos a ver um homem rico que trazia uma grande pergunta precisando duma resposta.
1. A Grande Fome e Sede Dele Para A Vida Eterna
a. Ele deve ter pensado que ele tinha fome para a educação
b. Ele tentou encontrar uma satisfação através da religião; ele guardou a lei (Marcos
10:20)
c. Ele pôs gravata para apagar a sua sede por conseguir uma posição ao público –
Soberano (Lucas 18:18). Talvez ele era o chefe, mestre da sinagoga, professor e
membro do Sinédrio (João 3:1-2).
d. Ele experimentou riquezas (Marcos 10:22).
e. Assim como o grande Professor do Eclesiástes que tentou acabar com a sua sede
com o materialismo, veio ver que todas as coisas eram insignificantes (Eclesiástes
1:2). (Ilustração)
2. Seu Grande Encontro Com Jesus, Vida Eterna
a. No fim ele reconheceu que o número um que ele necessitava era a vida eterna, a qual
a necessidade de dinheiro não podia comprar.
b. Ele sabia que só Jesus é que podia ajudar-lhe (João 14:6)
c. Ele tinha fome, muita fome mesmo que até foi a correr para Jesus (Marcos 10:17)
d. Ele estava mesmo com muita fome e sede até que esqueceu a sua posição e
humilhou-se perante Jesus (Marcos 10:7; 2 Coríntios 7:14)
e. Ele veio a um certo homem e fez uma boa pergunta:
- Ele foi dito para seguir a lei porque esse era o seu maior problema
- Ele tinha quebrado o primeiro mandamento – as riquezas dele eram um deus para
ele.
-Ele tinha quebrado o segundo mandamento – ele não amou os seus pobres vizinhos
(Mateus 19:19)
f. Jesus amou-lhe (Mateus 19:19)
g. Ele precisava somente duma coisa – vida eterna – e não todas as coisas materiais
que ele tinha.
3. A Sua Grande Recusa Para Aceitar Jesus, A Vida Eterna
a. Ele recusou acabar com aquilo que lhe fazia ter fome e sede.
b. Ele negou o tesouro do céu, preferindo possuir o da terra.
c. Ele recusou o convite de seguir a Jesus.
d. Ele caiu e saiu da presença de Jesus zangado, descontente e mais ferido.
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Novos Crentes
59
e. Ele veio a Jesus com um problema mas ele deixou Jesus ainda com o seu problema
grandemente multiplicado.
f. Ele veio ao limiar do tesouro do céu mas recusou entrar.
g. Quando ele foi a Jesus, estava com a cabeça erguida para o céu, mas quando ele
deixou Jesus ele olhava para uma destruição eterna.
Conclusão:
Depois do moço ter saído, Jesus olhou ao redor e disse aos seus discípulos, “Como é duro para
o rico entrar no Reino de Deus” (Lucas 10:23). Ele está a olhar para ti e Ele está a ver a tua
necessidade e está a ouvir a grande pergunta da sua alma. Assim como está a olhar para ti, Ele
ama-te assim como Ele amou a este moço necessitado passados já 200 anos ou mais. Você
está nos passos da porta do céu mas você necessita de ir pela da porta assim como o camelo
fez, indo pelo buraco da agulha. Faça favor de não recusar e ir-se embora deixando Jesus tendo
você uma face triste. Não abandone este lugar sem ir com Ele.
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Novos Crentes
60
O Povo De Deus Abandonando Os Seus Maus Caminhos
Escritura: 2 Crónicas 7:14
Introdução:
O título da mensagem não parece ser certa segundo a nossa santidade tradicional – o povo de
Deus abandonando os seus maus caminhos!
Conforme o nosso modo de pensar, isto não se relaciona com Deus e pagãos que supostamente
abandonam seus pecados e maldades. Mesmo a escritura da leitura mostra-nos claramente que
o povo de Deus não está a ponto de cometer pecados e que quando ele peca ele próprio (o
povo) deve humilhar-se e arrepender-se das suas iniquidades.
1. As Pessoas De Deus Não São Malígnas
a. Elas foram remidas das suas iniquidades.
b. Elas foram perdoadas e instruídas a não pecar mais (João 8:11).
c. Elas não continuam pecando porque elas morreram no pecado (Romanos 6).
d. Elas foram libertas da lei do pecado e da morte (Romanos 8).
e. Através da graça de Deus elas são capazes de dizer não aos que não têm Deus (Tito
2:11-12)
2. As Pessoas De Deus Podem Escolher Parar de Pecar
a. Adão e Eva eram pessoas de Deus criadas a imagem de Deus. Elas nunca tiveram
cicatrizes (marcas) do pecado mas caíram da graça. Elas caíram da perfeição do
Adamismo.
b. O pecado das pessoas de Deus, aquelas que se chamam pelo nome d’Ele, ferem
mais do que o pecado de pagãos. Isto é verdade no Velho e no NovoTestamentos, e
na igreja.
c. A maldade das pessoas de Deus impede o derramamento de bênçãos vindas dos
céus.
3. As Pessoas de Deus São Perdoadas Quando Elas Se Arrependem E Abandonam Seus
Pecados
a. Saul e David eram pessoas de Deus e ambos pecaram. O pecado de Saul era a
desobediência e os de David eram assassinato e adultério. Saul escolheu não
arrepender-se mas David arrependeu-se.
b. Isaías era o profeta de Deus mas ele era mau. Quando ele foi culpado e convencido
dos seus pecados ele humilhou-se e arrependeu-se (Isaías 6).
c. Pedro e Judas Iscariotes eram pessoas de Deus e ambos pecaram. Ambos foram
culpados e convencidos dos seus pecados. Judas recusou-se a arrepender-se
(Mateus 27:3-5). Pedro humilhou-se a si próprio e arrependeu-se (Lucas 22:60-62)
d. Não é suposto nós pecarmos, mas quando pecarmos temos Cristo, a expiação do
sacrifício para os nossos pecados.
e. I João 1:9 é para os filhos de Deus e não pagãos.
Por Dr. Enoch H. Litswele
Antigo Assistente do Director Regional para África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Novos Crentes
61
O Pecado, Um Problema Humano
Escritura: 2 Reis 5:1-19
Introdução:
Muitas vezes encontramos pessoas na vida que têm diferentes doenças, algumas muito severas
que as outras. Naamã tinha uma doença grave que precisava de muita atenção. Ele parecia
normal e ainda bem sucedido na presença dos outros ganhando favor do Rei mas ele tinha
problemas.
1. O Pecado é mortal
a. A lepra é uma doença mortal quando não fôr tratada e é o mesmo com o pecado; ele
pode destruir a vida de alguém.
b. A alma que pecar é que morrerá (Ezequiel 18:20)
2. O Pecado é contagioso
a. A leprosos como Naamã devem ser insolados e serem colocados uma sineta para
advertir as pessoas que estão a ir ao encontro do seu estado sujo. Tal e qual a lepra,
o pecado tem uma grande influência.
b. As pessoas que passamos o tempo com elas têm uma grande influência sobre nós.
“Má companhia corrompe o bom carácter” (I Coríntios 15:33)
3. O Pecado tem cura
a. O sacerdote devia examinar a pele do leproso ou qualquer outro com doença e
anunciar se está limpa ou suja dependendo da sua observação dos factos. É a
mesma coisa como hoje, desde que Cristo proporcionou a lavagem do pecado,
mesmo os crentes como parte das pessoas escolhidas do real sacerdócio, uma nação
santa (I Pedro 1:9), é detectar o pecado na sua própria vida e dizer que isto é pecado
quando isto aparece primeiro.
b. Naamão aprendeu do profeta em Samaria duma criada jovem e foi visitar Eliseu, o
homem de Deus. Quando ele obedeceu as instruções dadas por Eliseu, ele ficou
curado da lepra.
c. Paulo diz nos Romanos 7:24-25, “Miserável que eu sou! Quem me libertará do corpo
sujeito a esta morte? Graças a Deus – por Jesus Cristo, nosso Senhor!”
d. Somos lavados pelo sangue de Jesus, “se, porém andarmos na luz, como ele está na
luz, temos comunhão uns com os outros; e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica
de todo o pecado.” (I João 1:7)
Conclusão:
Há muitas pessoas no mundo que fazem o bem e ganham popularidade e favor das pessoas,
mas nos seus corações há um problema que se chama pecado. Este pecado é mortal,
contagioso, mas PODE ser purificado pelo Sangue de Jesus Cristo que é o perfeito Cordeiro de
Deus.
“Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. (João 1:29)
Você está lavado no sangue de Jesus? Você pode ser lavado agora mesmo e ficar liberto para
viver uma vida vitoriosa em Cristo.
Por Rev. Kenneth Phiri
Presidente Regional Da JNI (NYI) Região de África
Esboços de Sermões para Celebrando a Santidade Sermões Suplementares: Novos Crentes

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

UM OBREIRO SEM APROVAÇÃO DE DEUS, É COMO UMA OVELHA SEM REBANHO.