quinta-feira, 28 de novembro de 2013

A VERDADEIRA CONFIANÇA EM JESUS CRISTO.

Veja porque só Jesus salva, e que satanás é o pai da mentira.

Apocalipse
12:9 E foi precipitado o grande drag√£o, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satan√°s, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lan√ßados com ele.
Deuteron√īmio
7:25 As imagens de escultura de seus deuses queimar√°s a fogo; a prata e o ouro que est√£o sobre elas n√£o cobi√ßar√°s, nem os tomar√°s para ti, para que n√£o te enlaces neles; pois abomina√ß√£o √© ao SENHOR teu Deus. 
2 Coríntios
11:14 E n√£o √© maravilha, porque o pr√≥prio Satan√°s se transfigura em anjo de luz.                    
Êxodo
23:24 N√£o te inclinar√°s diante dos seus deuses, nem os servir√°s, nem far√°s conforme √†s suas obras; antes os destruir√°s totalmente, e quebrar√°s de todo as suas est√°tuas.
Levítico
20:7 Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o SENHOR vosso Deus.


O amor de Deus. Consiste em Ju√≠zo e Justi√ßa, p√īquer ele corrigi e exorta a todos quanto ele ama! Por isso a B√≠blia diz que tudo que o homem planta ele colhe! Seja imitadores de Cristo o SENHOR. Aleluia


 SENHOR        JESUS.

Eu quero SENHOR lhe agradecer, por tudo que o  SENHOR fez por mim,  E eu n√£o ag√ľentaria fazer.
Sofreu por mim: eu n√£o ag√ľentaria sofre.
Foi espancado por mim: eu n√£o ag√ľentaria ser espancado.
Foi ferido por mim: eu n√£o ag√ľentaria ser ferido.
Foi cuspido por mim: eu n√£o ag√ľentaria ser cuspido.
Obrigado SENHOR JESUS.
Pela cruz que o SENHOR carregou por mim.
Pela ferida que foi ferido por mim.
Pela coroa de espinho que usou por mim.
Pelos pés descalços que andou por mim.
Pelas acusa√ß√Ķes que foi acusado por mim.
Pelas chicotadas que levou por mim.
Obrigado SENHOR pela sua morte para que eu tivesse vida.
Eu te agradeço Deus. Aleluia Aba Pai. Amém

Evangelista Manoel Moura. 

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

ESSA CARTA VEIO DE DEUS. DIRETO DO C√ČU. AM√ČM


 A Carta de amor do Pai

Essa carta é a verdadeira prova de amor de Deus pelo povo! Todos aqueles que ainda não reconhecerão o SENHOR Jesus Cristo, leia está carta e acompanhe com a Bíblia Ferreira de Almeida corrigida e atualizada. Amém que o Espírito Santo te abrace nessa viagem do amor de Deus. Fica na paz. Amém

Meu filho… Voc√™ pode n√£o me conhecer, mas Eu sei tudo sobre voc√™. Salmo 139:1 Eu sei quando voc√™ se senta e quando se levanta. Salmo 139:2 Eu conhe√ßo bem todos os seus caminhos. Salmo 139:3 E at√© os cabelos da sua cabe√ßa s√£o todos contados. Mateus 10:29-31 Pois voc√™ foi feito a minha imagem. G√™nesis 1:27 Em mim voc√™ vive, se move e tem existido. Atos 17:28 Pois voc√™ √© a minha descend√™ncia. Atos 17:28 Eu te conheci mesmo antes que voc√™ existisse. Jeremias 1:4-5 E escolhi voc√™ quando planejava a cria√ß√£o. Ef√©sios 1:11-12 Voc√™ n√£o foi um erro, pois todos os seus dias est√£o escritos no meu livro. Salmo 139:15-16 Eu determinei o momento exato do seu nascimento e onde voc√™ viveria. Atos 17:26 Voc√™ foi feito de forma admir√°vel e maravilhosa. Salmo 139:14 Eu formei voc√™ no ventre da sua m√£e. Salmo 139:13 E tirei voc√™ do ventre de sua m√£e no dia do seu nascimento. Salmo 71:6 Eu tenho sido mal representado por aqueles que n√£o me conhecem. Jo√£o 8:41-44 Eu n√£o estou distante e zangado, pois sou a express√£o completa do amor. 1 Jo√£o 4:16 E o meu desejo √© derramar meu amor sobre voc√™. 1 Jo√£o 3:1 Simplesmente porque voc√™ √© meu filho e Eu sou seu Pai. 1 Jo√£o 3:1 Eu ofere√ßo a voc√™ mais do que o seu pai terrestre jamais poderia oferecer. Mateus 7:11 Porque sou o Pai perfeito. Mateus 5:48 Cada bom presente que voc√™ recebe vem da minha m√£o. Tiago 1:17 Pois Eu sou o seu provedor e supro todas as suas necessidades. Mateus 6:31-33 Meu plano para o seu futuro tem sido sempre cheio de esperan√ßa. Jeremias 29:11 Porque Eu te amo com um amor eterno. Jeremias 31:3 Meus pensamentos sobre voc√™ s√£o incont√°ves como a areia na praia. Salmo 139:17-18 E Eu me regozijo sobre voc√™ com c√Ęnticos. Sofonias 3:17 Eu nunca vou parar de fazer o bem para voc√™. Jeremias 32:40 Porque voc√™ √© meu tesouro mais precioso. √äxodo 19:5 Eu desejo te estabelecer com todo meu cora√ß√£o e toda minha alma. Jeremias 32:41 E quero te mostrar coisas grandes e maravilhosas. Jeremias 33:3 Se voc√™ me buscar de todo o cora√ß√£o, voc√™ me encontrar√°. Deuteron√īmios 4:29 Se deleite em mim e Eu darei a voc√™ os desejos do seu cora√ß√£o. Salmo 37:4 Pois fui Eu quem colocou esses desejos em voc√™. Filipenses 2:13 Eu sou capaz de fazer mais por voc√™ do que podes imaginar. Ef√©sios 3:20 Pois Eu sou o seu maior encorajador. 2 Tessalonicenses 2:16-17 Eu sou tamb√©m o Pai que conforta voc√™ em todas as suas dificuldades. 2 Cor√≠ntios 1:3-4 Quando seu cora√ß√£o est√° quebrantado, Eu estou perto de voc√™. Salmo 34:18 Como um pastor carrega um cordeiro, Eu carrego voc√™ perto do meu cora√ß√£o. Isa√≠as 40:11 Um dia Eu enxugarei todas as l√°grimas dos seus olhos. Apocalipse 21:3-4 E afastarei de voc√™ toda a dor que tenha sofrido nesta terra. Apocalipse 21:3-4 Eu sou o seu Pai, e Eu amo voc√™ assim como amo ao meu filho, Jesus. Jo√£o 17:23 Pois em Jesus, meu amor por voc√™ √© revelado. Jo√£o 17:26 Ele √© a representa√ß√£o exata do que sou. Hebreus 1:3 Ele veio para demonstrar que eu estou contigo, e n√£o contra ti. Romanos 8:31 E tamb√©m para dizer a voc√™ que Eu n√£o estou contando os seus pecados. 2 Cor√≠ntios 5:18-19 Jesus morreu para que voc√™ e eu pud√©ssemos ser reconciliados. 2 Cor√≠ntios 5:18-19 Sua morte foi a express√£o suprema de meu amor por voc√™. 1 Jo√£o 4:10 Eu desisti de tudo que amava para que pudesse ganhar o seu amor. Romanos 8:31-32 Se voc√™ receber o presente do meu filho Jesus, voc√™ recebe a mim. 1 Jo√£o 2:23 E nada poder√° separar voc√™ do meu amor outra vez. Romanos 8:38-39 Venha para casa e Eu vou fazer a maior festa que o c√©u j√° viu. Lucas 15:7 Eu sempre fui um Pai, e sempre serei Pai. Ef√©sios 3:14-15 A minha pergunta √©...Voc√™ quer ser meu filho? Jo√£o
1:12-13 Eu estou esperando por você. Lucas 15:11-32

Com amor, seu Pai Onipotente Deus. o Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.


SENHOR Deus. Meu  Pai nesse momento SENHRO te pe√ßo para que teu ESP√ćRITO venha de encontro a esse cora√ß√£o e fa√ßa meu Pai morada a partir da leitura dessa carta, em nome do SENHOR Jesus eu oro nesse estante Am√©m  Am√©m.  

TODA HISTORIA DE DEUS √Č MARAVILHOSAMENTE LINDA.

PER√ćODO INTERBIBLICO

I. Definição

A. Trata de eventos que ocorreram entre o fim do AT., e o início do NT.
B. As datas são de 424 a.C., até 5 a.C.

II. Por que Estudar?

A. Hist√≥ricas raz√Ķes - explicam o fundo hist√≥rico do NT.;
B. Culturais - explica a origem e desenvolvimento dos costumes, institui√ß√Ķes e vida           espiritual do povo judaico do per√≠odo do NT.
C. Messi√Ęnico - demonstra como Deus preparou o mundo para o advento.

III. As Divis√Ķes do Per√≠odo Interbiblico

A. Entre as datas marcadas para nosso estudo, muitos eventos se passaram que não teremos a oportunidade de reconhecer. Nós daremos atenção especial ao fim do AT., os tempos de Alexandre, as guerras dos macabeus e Herodes.

1. Per√≠odo Persa                                        536-331;
2. Per√≠odo Grego                                       331-167;
a. Per√≠odo Grego Pr√≥prio                          331-323;
b. Per√≠odo Eg√≠pcio                                     323-198;
c. Per√≠odo S√≠rio                                          198-167;
3. Per√≠odo Macabeu                                  167-63;
4. Per√≠odo Romano                                    63-5.

IV. O Fim do Período do A.T., e o Início do Período Persa

A. Os cativeiros;

1. Depois de um longo período de apostasia, o Reino do Norte foi conquistado e levado para o cativeiro pelos assírios em 721 a.C.
2. O Reino do Sul recebeu tratamento semelhante √†s m√£os dos babil√īnicos sob Nabucodonozor em 586 a.C.

B. As restaura√ß√Ķes

1. Cerca de 50.000 exilados no ano 536, foram permitidos por Ciro a voltar para a Palestina com Zorobabel - Esdras 1.6.
2. Os eventos do livro de Ester passaram na Pérsia em c. 183 a.C.
3. Esdras, um escriba, chegou em Jerusalém c. 457, promoveu várias reformas civis e religiosas. - Esdras 7.10.
4. Neemias e seus companheiros chegaram na Palestina c. 445 - Nee 1.2.
5. Malaquias dirigiu seu ministério num período de decadência espiritual c. 432-424. Ele marcou o fim do AT.

C. Características do Período Persa

1. Decadência espiritual vista em Ageu e Malaquias;
2. Desenvolvimento do poder do sumo sacerdote;
a. Após Neemias, a Judéias foi incluída na província da Síria. Assim o sumo sacerdote tornou-se governador da Judéia e autoridade da Síria.
3. Os inícios do escribismo com um interesse exagerado na letra da lei.

V. Os Tempos e Signific√Ęncia de Alexandre, O Grande.

A. A origem de Alexandre

1. Felipe de Macedom uniu os estados gregos para expulsar os persas da √Āsia Menor. Morreu assassinado durante uma festa - 337 a.C.
2. Alexandre seu filho, de grande capacidade de liderança, educado sob o famoso Aristóteles, era devotado à cultura grega. Tirou sua inspiração de Ilíade de Homero.

B. As conquistas de Alexandre.

1. Após o domínio da Grécia, penetrou a Pérsia, império 50 vezes maior, com população 20 vezes a da Grécia.
2. Em 334 penetrou na √Āsia Menor vencendo o ex√©rcito persa no Rio Gr√Ęnico, perto de Tr√īade.
3. Em pouco tempo com apenas a idade de 22 anos, conquistou a Sardo Mileto, √Čfeso e Halicarnaso, estabelecendo em cada cidade a democracia grega.
4. Em 333 a.C., foi ao encontro de Dario na batalha de Isso, a qual ganhou.
5. Dai foi sem grande resistência até o Egito que também dominou.
6. Em 332 cercou a Tiro, que tomou antes de descer ao Egito.
7. Venceu Dario decisivamente na batalha de Arbela em 331, dando fim ao grande império persa.
8. Continuou suas conquistas até ao rio Indo.
9. Morreu com apenas 33 anos com suas forças dissipadas pelo álcool e malária. No ano 323 morreu com a bebida (vinho).

C. A influência de Alexandre.

1. Sua influência foi muito grande por causa de sua extensão e permanência.
2. Estabeleceu centro de comércio e cultura em toda a extensão do seu império.
3. Com a penetração da cultura grega, a superstição oriental cedeu à liberdade do pensamento grego na filosofia, arquitetura, deuses, religião e atletismo. Surgiram bibliotecas e Universidade em Alexandria e Tarso como em outros lugares. Preparou-se assim o campo para religião universal.
4. De grande import√Ęncia foi a dissemina√ß√£o da l√≠ngua grega, criando a possibilidade da prega√ß√£o do evangelho numa l√≠ngua universal e a cria√ß√£o duma b√≠blia leg√≠vel em toda a extens√£o da bacia do Mediterr√Ęneo.

Pr√≥xima aula: "Ant√≠oco Epif√Ęnio e a Revolta Macab√©ia; A Revolta dos Macabeus; O Surgimento da Dinastia Seleucida".

Professor: Ricardo A. dos Reis
e-mail: ricardoteologia@uol.com.br
Telefax: (0xx11) 7241.0338

VI. Antíoco[1] e a Revolta Macabéia


A. Eventos relacionados com Alexandre e com Antíoco.
1.   Ap√≥s a morte de Alexandre, come√ßou a luta para o controle do imp√©rio.
2.   Em 301 a.C., na batalha de Ipso a divis√£o efetuou-se em quatro partes.
3.   Egito e Palestina ficaram com Ptolomeu Soter (Lagos), e a S√≠ria do Norte e √Āsia Menor com Seleuco.
4.   Os Ptolomeus dominaram a Palestina at√© 198 quando os s√≠rios com Seleuco anexaram a Terra Santa ao seu dom√≠nio.
5.   Ant√≠oco, o grande (III), que conquistou a Palestina morreu; foi seguido pelo seu filho Seleuco Filopater (187-175), que foi envenenado abrindo caminho para a sucess√£o de seu irm√£o Ant√≠oco Epif√Ęnio (IV).

B. Os atos e Ant√≠oco Epif√Ęnio IV 175-164 a.C.
1.    Epif√Ęnio (nome que deu a si mesmo), significa “deus manifesto”.
2.    O sumo sacerdote, Onias III, liderou os nacionalistas; Jasom, seu irm√£o dirigiu os helenistas.
a.   Joson ofereceu grande soma de dinheiro a Ant√≠oco por ser apontado sumo sacerdote no lugar de seu irm√£o. Prometeu tamb√©m helenizar a Jerusal√©m.
b.   Quando assim foi apontado, tornou o povo cidad√£o da capital da S√≠ria, Antioquia, erigiu um gin√°sio grego logo em baixo do templo; os jovens judeus come√ßaram tomar parte nos jogos gregos. Jason criou um altar, at√© mandou ofertas √†s festas de H√©rcules em Tiro.
3.    Os nacionalista s√£o os antecedentes dos Fariseus; helenistas dos Saduceus.
4.               Ant√≠oco fez v√°rias expedi√ß√Ķes para o Egito. Numa delas ouve rumores de sua morte que provocou grande regozijo entre os judeus. Ao ouvir isto, Ant√≠oco massacrou 40.000 judeus num s√≥ dia. Muitos judeus foram escravizados e o templo roubado.
5.               Numa campanha seguinte, os romanos for√ßaram sua desist√™ncia no Egito. Na sua grande ira derramou-a sobre Jerusal√©m. Mandou erradicar a religi√£o judaica. Quem possu√≠a c√≥pia da lei ou tivesse circuncidado a crian√ßa seria morto. Finalmente converteu o templo em templo de Zeus, sacrificando um porco no altar no dia 25 ano 168.
6.               Tudo isto consolidou a resist√™ncia dos judeus na revolta dos macabeus.

VII. A revolta dos Macabeus


A.  A revolta come√ßou com Matatias, sacerdote em Modim (167);
B.  Ap√≥s sua morte em 166, seu filho Judas (166-161), continuou a luta com 6.000 homens. Quando Ant√≠oco mandou 60.000 homens para subjug√°-lo, Judas mandou os temerosos voltarem para casa. Com apenas 3.000 derrotaram os s√≠rios.
C.  Em seguida Judas entrou em Jerusal√©m e reedificou o templo, em 25 de Dezembro de 166 a.C. a festa de Dedica√ß√£o foi institu√≠da no ano 164 (cf. Jo 10.22).
D.  Signific√Ęncia da opress√£o s√≠ria e revolta dos macabeus:
1.    Restaurou a na√ß√£o da decad√™ncia pol√≠tica e religiosa;
2.    Criou um esp√≠rito nacionalista, uniu a na√ß√£o e suscitou virilidade.
3.    Deu novo impulso ao judaism
a.    Percebe-se isto na purifica√ß√£o moral e espiritual;
b.    Percebe-se isto numa onda de literatura apocal√≠ptica;
c.     Percebe-se isto numa nova e intensa esperan√ßa messi√Ęnica.
4.    Intensificou o desenvolvimento dos dois movimentos que se tornaram os Fariseus e os Saduceus.
a.    Os Fariseus surgiram do grupo purista e nacionalista.
b.    Os Saduceus surgiram do grupo que se aliou com os helenistas.
5.    Deu maior √≠mpeto ao movimento da dispers√£o com muitos judeus querendo se ausentar durante as terr√≠veis persegui√ß√Ķes de Ant√≠oco.









Prof. Ricardo A. dos Reis

Telefax: 72410338
Disciplina: Período Interbíblico






quarta-feira, 13 de novembro de 2013

TEOLOGIA SISTEM√ĀTICA, APRESTA√á√ÉO NAS ESCRITURAS SAGRADA.

APOSTILA 01 - TEOLOGIA SISTEM√ĀTICA:

CARTA DE APRESENTAÇÃO:


Prezados Ministros, Professores e Líderes (Discipuladores),
A Paz do Senhor Jesus seja convosco.

Estamos vivendo tempos de fome espiritual, onde heresias têm procurado se instalar no seio da Igreja; Deus levantou o projeto para um grande avivamento espiritual.
N√£o basta apenas termos talentos naturais ou compreens√£o das conseq√ľ√™ncias das crises que o mundo atravessa.
Precisamos, exercer influências com nosso testemunho perante os que dispomos a ensinar a Palavra de Deus.
Esse treinamento da Doutrina Sistemática é muito importante porque nos dará ampla visão da teologia Divina, atrairá futuros líderes ao aprendizado e criará um ambiente mais espiritual na nossa Igreja (Koinonia).
Aprendizados errados geram desastres e resistência à Obra de Deus.
Somente o correto de forma correta leva ao sucesso, na consciência e submissão ao Espírito Santo que rege a igreja. Temos que combinar estratégias de ensino com o nosso caráter revelado em nossas vidas; devemos incentivar a confiança dos alunos na Escritura, com coerência e potencial.
Temos capacidade, em Deus, de mudarmos o mundo, começando do mundo interior das consciências humanas dos alunos, que se tornarão futuros evangelizadores capacitados na Palavra de Deus.
Professor: Tome esta certa decis√£o: Estude, antes, o material, re√ļna seus alunos, apresente os planos de aula, d√™ um tempo para refletirem, divulgue a doutrina, em conjunto, como facilitador do processo educacional, tranq√ľilize e encoraje os outros a fazerem parte de novas turmas.
Não preguemos a verdade para ferirmos os outros ou para destruir, mas para ajudar e corrigir as almas, com amor, esperando que Deus lhes conceda o entendimento do Reino dos Céus.

Como facilitador da visão de ensino, conheça os quatro pilares da Educação:

1) Aprender a Conhecer: - Tenha a humildade de saber que n√£o sabes tudo; Seja competente, compreensivo, √ļtil, atento, memorizador e informe o assunto de forma contextualizada com a realidade atual.

2) Aprender a fazer: - Seja preparado para ministrar as aulas, conhecendo a matéria previamente, estimulando a criatividade dos alunos, preparando-os para a tarefa determinada de Jesus de serem discípulos.

3) Aprender a Viver juntos: - Estimule a descoberta m√ļtua entre os alunos da Palavra de Deus, em forma de solidariedade, cooperativismo, promovendo autoconhecimento e auto-estima entre os alunos, na solidariedade da compreens√£o m√ļtua; o objetivo do curso n√£o √© apenas ter conhecimento, mas “ser crist√£o”.

4) Aprender a Ser: - Resgate a visão holística (completa) e integral dos alunos, preparando-os para integrarem corpo, alma e espírito com sensibilidade, ética, responsabilidade social e espiritualidade, formando juízo de valores, levando-os a aprenderem a decidir por si mesmos, com a ajuda do Espírito Santo.
Lembrem-se de que a primeira impress√£o √© a que fica marcada na consci√™ncia. Temos que ser perceptivos, h√°beis para lidar com as d√ļvidas, sem agress√Ķes, procurando solu√ß√Ķes com base b√≠blicas sem fundamentalismo de usar textos sem contextos por pretextos de posicionamentos individuais.

Estimule os alunos, com liberdade de pensamento para terem respostas.
Torne comum a mensagem, filtrando os resultados no bom-senso.
Seja amável, compreensivo, sincero, sem ter uma visão exclusivista do seu ponto de vista, em detrimento da Palavra de Deus, que sempre é o referencial.

S√£o 14 (catorze) li√ß√Ķes, apresentadas de forma sistem√°tica, visando levar os alunos a aprenderem e vislumbrarem a verdade do Evangelho.
S√£o li√ß√Ķes a serem ministradas a novos-convertidos, membros e at√© mesmo a leigos e n√£o-crentes.
Que este estudo te ajude a crescer o n√ļmero de salvos em qualidade, para que as pessoas possam construir as suas vidas em Jesus, aplicando a Palavra de Deus, restaurando suas vidas espirituais e buscando viver de modo semelhante ao de nosso Senhor Jesus Cristo.
Agradecemos a Deus, aos amados Líderes e aos alunos por seu interesse.

Deus vos abençoe.

Darlan Lima, Alexandre Arcanjo (Evangelistas)
Orlando Nascimento (Cooperador)

Referências pastorais:
Nosso Pastor: (Pr. Jecér Góes) - prjecergoes@ministeriocanaa.com.br

 

 

 

 



AULA 1 – DOUTRINA



1) CONCEITO DE DOUTRINA:

Doutrinar é ensinar as verdades fundamentais da Bíblia, organizadamente.
√Č o conjunto de princ√≠pios que servem de base ao cristianismo, compreendendo desde o ensinamento, prega√ß√£o, opini√£o das lideran√ßas religiosas, desde que embasadas em Textos de obras B√≠blicas escritas, como Regra de f√©, preceito de comportamento e norma de conduta social, referente a Deus, a Jesus, ao Esp√≠rito Santo e Salva√ß√£o.

2) CONCEITO DE DOUTRINA NO ANTIGO TESTAMENTO:

Doutrina (hebraico ”xql Ieqach”) - (Dt. 32:2; Pv.4:2; Pv.9:9; Pv. 13:14) - ensinamento, ensino, percep√ß√£o, capacidade de persuas√£o. Palavra proveniente de laqach, que significa tomar, pegar, buscar, segurar, apanhar, receber, adquirir, comprar, trazer, casar, tomar esposa, arrebatar, tirar, carregar embora, tomar em casamento.
A doutrina escorrerá suavemente em todos os lugares. Além disso, é uma boa lei que dá instrução ao sábio e ensina aos justos uma fonte de vida e como se desviar dos laços da morte.

Doutrina (hebraico ”hrwt towrah ou hrt torah) - (Is. 28:9; Is.29:24) - lei, orienta√ß√£o, instru√ß√£o, orienta√ß√£o (humana ou divina), conjunto de ensino prof√©tico na era messi√Ęnica de orienta√ß√Ķes ou instru√ß√Ķes sacerdotais legais, referente aos costumes e h√°bitos.
Palavra oriunda de yarah que significa lançar, atirar, jogar, derramar, como lançar flechas, jogar água, atirar, apontar, mostrar, dirigir, ensinar, instruir.(Ter uma direção definida).
Ela dá entendimento aos errados de espírito e é um aprendizado aos murmuradores.

3) CONCEITO DE DOUTRINA NO NOVO TESTAMENTO:

Doutrina (grego “didach didache”) - (Mc. 1:22; Lc. 4:32; At.2:42; Rm. 6:17) ensino, doutrina, instru√ß√£o nas assembl√©ias religiosas dos crist√£os, fazer uso do discurso como meio de ensinar, em distin√ß√£o de outros modos de falar em p√ļblico.
Palavra oriunda de didasko, significando conversar com outros a fim de instruí-los, pronunciar discursos didáticos; desempenhar o ofício de professor conduzir-se a dar instrução, explicar ou expor algo a alguém.

Doutrina (grego “didaskalia didaskalia”) - (1 Tm.4:6; 1 Tm.4:16; 1 Tm.6:1; Tt.2:1;Tt.2:10) - ensino, instru√ß√£o, preceitos; palavra oriunda de didaskalos - No NT, algu√©m que ensina a respeito das coisas de Deus, e dos deveres do homem; como os mestres da religi√£o judaica, que pelo seu imenso poder como mestres atraem multid√Ķes, como Jo√£o Batista.
Jesus, pela sua autoridade, refere-se a si mesmo como aquele que mostrou aos homens o caminho da salvação e como os apóstolos e Paulo, que, nas assembléias religiosas dos cristãos, encarregavam-se de ensinar, assistidos pelo Santo Espírito contra os falsos mestres entre os cristãos.


Doutrina (grego “logov logos”) - (Hb. 6:1) - Ato da palavra, proferida a viva voz, que expressa uma concep√ß√£o ou id√©ia dos ditos de Deus, envolvendo seus decretos, mandatos ou ordens dos preceitos morais dados por Deus, como as profecias do Antigo Testamento dadas pelos profetas, bem como narrativas de assuntos em discuss√£o, com respeito √† MENTE em si, raz√£o, a faculdade mental do pensamento, medita√ß√£o e racioc√≠nio.
Em João, denota a essencial Palavra de Deus, Jesus Cristo, a sabedoria e poder pessoais em união com Deus. Denota seu ministro na criação e governo do universo, a causa de toda a vida do mundo, tanto física quanto ética, que para a obtenção da salvação do ser humano, revestiu-se da natureza humana na pessoa de Jesus, o Messias, a 2ª pessoa na Trindade, anunciado visivelmente através suas palavras e obras.
Este termo era familiar para os judeus e na sua literatura muito antes que um fil√≥sofo grego chamado Her√°clito fizesse uso do termo Logos, por volta de 600 a.C., para designar a raz√£o ou plano divino que coordena um universo em constante mudan√ßa. 
Era palavra apropriada para o objetivo de Jo√£o 1:1. Quem prega outro Jesus, ir√° sofrer (2 Co.11:4)

4) CARACTER√ćSTICAS DA DOUTRINA DE CRISTO:

O bom Ministro é o criado na fé e na Doutrina (1Tm.4:6)
A)Expulsa os espíritos malignos, pois é vinda de Deus (Jo.7:16);
B)Pode ser provada como verdadeira (Jo.7:17);
C)Deve ser perseverada (At.2:42);
D)Deve ser obedecida de coração (Rm.6: 17);
E)Tem mesmo valor que revelação,ciência e profecia (1Co.14:6) e interpretação de língua(1Co.14:26);
F)Temos que cuidar dela para nossa salvação(1Tm.4:16);
G)Indica modo de vida na fé (2Tm.3:10);
H)Convence contradizentes (Tt.1:9);
I)Deve ter incorrupção,seriedade e sinceridade (Tt.2:7), levando à perfeição em Cristo (Hb.6:1).

5) QUANTO √ÄS FALSAS DOUTRINAS DA √ČPOCA DE JESUS CRISTO E O ALERTA √Ä IGREJA CRIST√É:

Os judeus se maravilhavam da doutrina de Jesus pois Ele ensinava com autoridade, mas eram advertidos contra a doutrina dos Fariseus e dos Saduceus: Mas quem ultrapassa a doutrina, n√£o tem Deus (2 Jo.1:9-10).

DOUTRINA DOS FARISEUS(grego “farisaiov Pharisaios”) = Chamados Separados -  Reconheciam na tradi√ß√£o oral um padr√£o de f√© e vida.
Procuravam reconhecimento e m√©rito pela observ√Ęncia externa de ritos e formas de piedade,como lavagens cerimoniais,jejuns,ora√ß√Ķes e esmolas.Mas negligenciavam a genu√≠na piedade,orgulhavam-se em suas boas obras.
Mantinham de forma persistente a fé na existência de anjos bons e maus, e na vinda do Messias; e tinham esperança de que os mortos, após uma experiência preliminar de recompensa ou penalidade no Hades, seriam novamente chamados à vida por ele, e seriam recompensados, cada um de acordo com suas obras individuais.
Em oposição à dominação de Herodes e do governo romano, eles de forma decisiva sustentavam a teocracia e a causa do seu país, e tinham grande influência entre o povo comum.
De acordo com Josefo, eram mais de 6000.
Eram inimigos de Jesus e sua causa; foram, por outro lado, duramente repreendidos por ele por causa da sua avareza, ambição, confiança vazia nas obras externas, e aparência de piedade a fim de ganhar popularidade.

DOUTRINA DOS SADUCEUS(grego “saddoukaiov Saddoukaios”) = Chamados Justos - Partido religioso judeu da √©poca de Cristo, que negava que a lei oral fosse revela√ß√£o de Deus aos israelitas, e que cria que somente a lei escrita era obrigat√≥ria para a na√ß√£o como autoridade divina. Negavam a ressurrei√ß√£o do corpo, a imortalidade da alma, a exist√™ncia de esp√≠ritos e anjos, mas afirmavam o livre arb√≠trio.
OBS:Outro Evangelho, mesmo dito por um anjo, seja maldito (Gl.1:6-9).

Doutrina(qrego “eterodidaskalew heterodidaskaleo” ) - 1Tm.1:3 - Ensino de outra ou diferente doutrina, desviando-se da verdade.
H√° os que provocam divis√Ķes e esc√Ęndalos em desacordo com a doutrina (Rm.16:17), inventando ventos de doutrinas err√īneas (Ef.4:14),sendo impuros mentirosos (1Tm.1:10).Se algu√©m ensina outra doutrina diferente da Palavra, seja maldito (1Tm.6:3-4).Temos que repreender, usando a doutrina pois n√£o a suportar√£o (2 Tm.4:2-3).

6) NECESSIDADE DA DOUTRINA:

 A) Verdade precisa (opini√£o final):Todas as pessoas tem uma teologia e os seus atos demonstram suas cren√ßas, pois a vida humana √© uma viagem e as pessoas precisam estar certas do que Deus lhes planejou.Pode-se te√≥logo sem ser religioso e ser religioso, sem o conhecimento teol√≥gico da doutrina.

B) Essencial para desenvolver o caráter cristão: Sem uma crença firme e bem definida,que é parte da religião,não haverá crescimento correto, pois podemos viver a vida dita cristã, sem conhecer a doutrina;mas não haverá experiências cristãs.

C) Abrigo contra mentira e erros de interpreta√ß√£o: Deus √© eterno; homens ignorantes criaram conceitos err√īneos,originando males na consci√™ncia e as Doutrinas b√≠blicas expulsam falsas id√©ias que conduzem os homens para a cegueira e perdi√ß√£o.

D) Necess√°ria para ensinar a Palavra Divina: A B√≠blia fala de muitas verdades espalhadas nos seus diversos livros, obedecendo o tema:JESUS. √Č necess√°rio relacionar os diversos temas e organiz√°-los de maneira a facilitar o seu estudo.
A doutrina estuda a f√© Crist√£, sobre a verdade da realidade espiritual, √ļnica, envolvendo a exist√™ncia de Deus, a possibilidade dos milagres, a confiabilidade das escrituras, a divindade de Cristo, a encarna√ß√£o de Deus em Cristo e a verdade da B√≠blia como a Palavra de Deus genu√≠na.

7) DOUTRINA E TEOLOGIA:

TEOLOGIA - Estudo das quest√Ķes referentes ao conhecimento da divindade, de seus atributos e rela√ß√Ķes com o mundo e com os homens, e √† verdade religiosa, expressa na doutrina de Cristo, que como j√° dissemos, ensina as verdades fundamentais da B√≠blia,organizadamente.
Teologia √© o estudo racional dos textos sagrados, dos dogmas e das tradi√ß√Ķes do cristianismo, geralmente ministrados em cursos ou faculdades, formando os te√≥logos. √Č a ci√™ncia que trata do nosso conhecimento de Deus e das rela√ß√Ķes com o homem; ci√™ncia, pois organiza em seq√ľ√™ncia l√≥gica,fatos comprovados, podendo aplicar na religi√£o.
Visa entender a revelação,fé e tradição na atual prosperidade,exorcismo e curas.

8) √ĀREAS DE ESTUDO DA TEOLOGIA:

a) Teologia Fundamental - Analisa a realidade cristã da auto-manifestação de Deus, sua plenitude e o plano da Salvação por Jesus Cristo. Explica a razão do mistério, a liberdade e a necessidade que temos de conhecer esse plano, querendo ou não termos compromisso com Deus.
Fala sobre o que √© teologia e sobre as condi√ß√Ķes b√°sicas que possibilitam a f√© num contexto s√≥cio-hist√≥rico e cultural.

b)Teologia Bíblica - Estuda a introdução a geral da Bíblia, com estudo dos livros do Antigo e Novo testamento, falando sobre a história do povo de Deus e reflete temas gerais, familiarizando os alunos com termos bíblicos e as línguas bíblicas, como hebraico e grego.
Usa a “exegese”-que analisa criticamente o texto, desde a sele√ß√£o do texto, sua estrutura gramatical, sua mensagem e tema central para hoje “hermen√™utica”, aplicando a mensagem para hoje.

c)TeoIogia Moral - Visa refletir sobre a resposta concreta que o crist√£o d√° a Deus nos diversos √Ęmbitos de sua exist√™ncia seja pessoal, interpessoal, comunit√°ria, social, familiar e pol√≠tica., analisando as bases e os crit√©rios de como o crist√£o deve agir e sobre temas globais como sexualidade, √©tica e ecologia, pol√≠tica, globaliza√ß√£o, etc.

d)Teologia Sistem√°tica ou Dogm√°tica - Compreende uma s√©rie de disciplinas estudadas pela igreja, como cristologia (Jesus), eclesiologia (igreja), trindade, antropologia teol√≥gica (vendo o homem quanto √† cria√ß√£o, pecado, gra√ßa e salva√ß√£o), escatologia (√ļltimas coisas) e Heresiologias (Seitas e Heresias).
Ademais, n√£o se ocupa em repetir dogmas, que s√£o declara√ß√Ķes de f√© do que as pessoas cr√™em., tenta entender a vida, e refletir a real e pura f√© crist√£.

e) Hist√≥ria da Igreja - Visa conhecer uma vis√£o panor√Ęmica das grandes fases da hist√≥ria universal, as rela√ß√Ķes da igreja crist√£ com o mundo, os conflitos de mentalidades, id√©ias e movimentos sociais e as id√©ias e eventos do passado que repercutem hoje em dia.
Compreende desde a hist√≥ria antiga, medieval, moderna, contempor√Ęnea e atual.

f) Espiritualidade - Envolve n√£o apenas disciplinas teol√≥gicas, mas dimens√Ķes da vida crist√£ como f√©, louvor, reino de Deus, o seguimento a Jesus e outros temas, como cruz, esperan√ßa, caridade, piedade, liberdade crist√£.

g)Outros - (Patrologia:Estudo dos pensadores crist√£os at√© o s√©culo V; Teologia Pastoral, Teologia das Religi√Ķes, Homil√©tica (Arte de pregar).
Religiosidade Popular (tradi√ß√Ķes culturais),Aconselhamento Pessoal e Miss√Ķes.

9) DOUTRINA E RELIGIÃO:

Religi√£o(qrego “deisidaimonia deisidaimonia”) -  (At.25:19) - Em um bom sentido, rever√™ncia a Deus ou aos deuses,dependendo do culto, num sentido piedoso, religioso; e num mau sentido, a supersti√ß√£o.

Religi√£o(qrego “yrhskeia threskeia”) - (At.26:5; Tg.1:26-27) - Adora√ß√£o religiosa externa; aquilo que consiste de cerim√īnias com disciplina religiosa.A religi√£o deveria significar adora√ß√£o a Deus, mas adorava tamb√©m a falsos deuses, como cumprimento da obriga√ß√£o de algu√©m.
O problema era haver o cumprimento de obriga√ß√Ķes de todos os tipos, tanto para com Deus como para com as pessoas, n√£o significando qualquer tipo de adora√ß√£o correta a Deus.
Havia também, o adorador ansioso e escrupuloso, que cuidava para não mudar nada que deveria ser observado na adoração, e temeroso de ofender.
Significa devoto, e pode ser aplicado a um aderente de qualquer religi√£o, sendo especialmente apropriado para descrever o melhor dos adoradores judaicos, adorando pelo elemento de medo.
Enfatiza fortemente as idéias de dependência e de ansiedade pelo favor divino.
Pode originar um medo sem fundamento, no sentido de supersticioso.
Existem pessoas religiosas de todos os lugares (At.2:5), mas precisam estar na graça de Deus (At.13:43) para não serem incitadas por falsos líderes contra a obra de Deus (At.13:50), numa religião de vãos falatórios, sem santidade e sem obras sociais (Tg.1:26-27).
O sagrado é uma experiência da presença de Deus, sobrenatural, na medida em que se realiza o impossível às forças e capacidades humanas.

Religi√£o(Latim “religio=re+ligare”) - A religi√£o tenta ser um vinculo entre o mundo profano e o mundo sagrado, operando em v√°rias culturas, criando templos que se erguem aos c√©us como que querendo unir o espa√ßo novo do sagrado (ar) com o consagrado (no solo).
A religião cria a idéia de um espaço sagrado, como que querendo unir a mitologia dos falsos deuses gregos do Olimpo com as montanhas do deserto do Sinai onde Deus se manifestou.
Enquanto que a religião pode ser apenas uma narrativa, um mito, uma fábula ilusória, a espiritualidade requer algo mais, a fé, que se expressa na confiança e plena adesão às verdades ouvidas.

OBSERVAÇÃO:
Enquanto que a religião externa uma forma de crer, a doutrina é uma crença racional, baseada na Palavra de Deus, onde fé e razão andam juntas.
A fé usa a razão é a razão não pode ser bem sucedida sem a fé, na descoberta da verdade.
A razão não pode produzir fé , mas a acompanha, pois a fé não vem de um questionamento, mas de Deus.
Contudo, a pessoa pode tentar compreender aquilo em que acredita, envolvendo a vontade de descobrir, por exemplo, a lógica de que Deus existe, se relaciona com as pessoas e que através da teologia, poderemos defender racionalmente, a verdade das coisas de Deus pela investigação escriturística da doutrina.
Defendamos nossa fé (1 Pe.3:15; 2 Co.10:4-5),combatendo as heresias (Fp.1:7; Jd.3; Jd.22; Tt.1:9; 2Tm.2:24-25).

COMPARATIVAS DE RELIGI√ēES:

O QUE A B√ćBLIA DIZ E QUE N√ďS ACREDITAMOS:

Nome: Cristianismo B√≠blico (NT-B√≠blia Sagrada) (At.11:26); Fundador: Jesus Cristo, filho de Deus Bendito (1 Co.3:11); Mensagem: Jesus morreu p/salvar pecadores(1Co.15:3-8); Igreja: Formada por aqueles que s√£o salvos (1 Co.1:2); Deus: √Č a Trindade - tr√™s pessoas em um Deus. (Mt.28:19; Jesus: 2¬™pessoa da Trindade,filho de Deus-Pai(1Jo.5:11-14); Salva√ß√£o: Pela Gra√ßa, atrav√©s da F√© s√≥ em Jesus. (At.15:11); Ressurrei√ß√£o: Jesus subiu no corpo que morreu; (At.1:9); Escrituras: B√≠blia- √ļnica Palavra de Deus (66 livros) (2 Tm.3:16).

Nome do grupo: Catolicismo Romano; Fundador: Jesus, sobre a pedra que √© Pedro (considerado como primeiro Papa); Mensagem: Sacramentos, caridade, culto a Maria e aos “Santos”; Igreja: Os membros da Igreja Cat√≥lica Apost√≥lica Romana; Deus: Trindade tr√™s pessoas em um Deus; Jesus: Deus em carne. 2¬™ pessoa da Trindade; Salva√ß√£o:Fora da Igreja Cat√≥lica Apost√≥lica Romana n√£o h√° Salva√ß√£o; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: Sim; Escrituras:A B√≠blia (+ 7 livros ap√≥crifos) + a tradi√ß√£o (Dogmas).
  
Nome do grupo: Legi√£o da Boa Vontade – LBV; Fundador: Alziro Zarur,04-03-1949. Mensagem: Assim como Jesus, todos poder√£o alcan√ßar a perfei√ß√£o ap√≥s muitas reencarna√ß√Ķes. Igreja: Todos s√£o crist√£os independentes da religi√£o; Deus: Impessoal      ; Jesus:  N√£o √© Deus nem teve corpo humano; Salva√ß√£o: Atrav√©s da caridade e reencarna√ß√Ķes sucessivas; Ressurrei√ß√£o de Jesus: N√£o; Escrituras: Livros da LBV.
  
Nome do grupo: Espiritismo Kardecista; Fundador: Dr. Hippolyte L√©on Denizard Rivail, vulgo Allan Kardec (1857); Mensagem: Assim como Jesus, todos poder√£o alcan√ßar a perfei√ß√£o ap√≥s muitas reencarna√ß√Ķes. Igreja: O Espiritismo √© a Igreja restaurada e o Consolador prometido por Jesus;         Deus: N√£o √© Pessoa; Jesus: N√£o √© Deus nem teve corpo humano; Salva√ß√£o: Atrav√©s da caridade e  por reencarna√ß√Ķes sucessivas; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: N√£o; Escrituras: Livros de Allan Kardec e outros.
  
Nome do grupo: Testemunhas de Jeov√°; Fundador: Charles Taze Russell(1852-1916) Fundada em 1881; Mensagem: Jesus abriu a porta para conquistarmos nossa salva√ß√£o; Igreja: 144.000 ungidos que ir√£o para o c√©u. Deus: Jeov√°, que √© uma s√≥ Pessoa; Jesus:N√£o √© Deus; √© o Arcanjo Miguel, a primeira e √ļnica criatura de Jeov√°. Salva√ß√£o: Obedecendo as ordens da Sociedade Torre de Vigia; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: N√£o; Escrituras: B√≠blia deles (Tradu√ß√£o do Novo Mundo) + literaturas dos l√≠deres.
  
Nome do grupo: Ma√ßonaria; Fundador: Anderson e Desagulliers (Londres, 1717); Mensagem: Buscar o pr√≥prio aperfei√ßoamento; Igreja: —; Deus: Impessoal como for√ßa superior; Jesus:Um grande mestre semelhante a Buda, Maom√©, e etc. Salva√ß√£o: “”Erguer templos √† virtude e cavar masmorras aos v√≠cios””; Ressurrei√ß√£o  de Jesus:N√£o; Escrituras: Rituais e manuais secretos.
  
Nome do grupo: Adventistas do S√©timo Dia; Fundador: Ellen Gould White(1860); Mensagem: Crer em Jesus e observar a Lei; Igreja: Somente os adventistas; Deus:Trindade tr√™s pessoas em um Deus; Jesus: Deus em carne. 2¬™ pessoa da Trindade; Salva√ß√£o: Guardando o s√°bado e os mandamentos;  Ressurrei√ß√£o de Jesus:Sim; Escrituras: B√≠blia e livros de Ellen White

Nome do grupo: Mormonismo; Fundador: Joseph Smith (1805-1844) fundado em 1830; Mensagem: Alcan√ßar a divindade pelas ordenan√ßas do evangelho m√≥rmon; Igreja: Membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos √öltimos Dias. Deus: Tr√≠ade 3 deuses; Jesus:N√£o √© Deus. √Č irm√£o de L√ļcifer e dos homens; Salva√ß√£o: Salva√ß√£o pelas boas obras da igreja m√≥rmon; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: Sim; Escrituras:A B√≠blia, Livro de M√≥rmon, Doutrina e Conv√™nios, P√©rola de Grande Valor.
  
Nome do grupo: Teosofia; Fundador: Madame Helena Blavatsky (1831-1891) fundada em 1875; Mensagem:Igreja: —; Deus: Deus √© um princ√≠pio; Jesus: Um grande Mestre; Salva√ß√£o:—Ressurrei√ß√£o  de Jesus: N√£o; Escrituras:A Doutrina Secreta, Isis sem V√©u, A Chave para a Teosofia e A Voz do Sil√™ncio.
  
Nome do grupo: Ci√™ncia Crist√£; Fundador: Mary Baker Eddy (1821-1910); Mensagem: Cren√ßas religiosas extra√≠das dos ensinos de Jesus. Rejeitam a expia√ß√£o; Igreja: Uma colet√Ęnea de id√©ias espirituais            ; Deus: √Č uma presen√ßa Impessoal Universal; Jesus: Um homem afinado com a consci√™ncia divina; Salva√ß√£o:Pensamento correto; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: N√£o; Escrituras:Ci√™ncia e Sa√ļde com Chave para as Escrituras, Miscel√Ęnea
  
Nome do grupo: Unitarismo; Fundador: Charles Filmore(1854-1948) fundado 1889; Mensagem: Os princ√≠pios gerais do Unitarismo; Igreja: Uma cole√ß√£o de id√©ias espirituais; Deus: For√ßa Universal Impessoal; Jesus:Um homem, n√£o o Cristo; Salva√ß√£o: Adotando a correta Unidade atrav√©s de princ√≠pios; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: N√£o; Escrituras: Revista Unitarista, Dicion√°rio B√≠blico de Metaf√≠sica

Nome do grupo: Moonismo; Fundador: Sun Myung Moon(1920); Mensagem: Moon √© o Rei dos reis, e Senhor dos senhores, e o Cordeiro de Deus. Igreja: Igreja da Unifica√ß√£o; Deus: Deus √© tanto positivo como negativo. N√£o h√° Trindade. Deus precisa de Moon para faz√™-lo feliz; Jesus:Jesus foi um homem perfeito, n√£o Deus. Jesus falhou em sua miss√£o. Moon vai completar sua obra; Salva√ß√£o:Obedi√™ncia e aceita√ß√£o dos verdadeiros pais (Moon e sua esposa); Ressurrei√ß√£o  de Jesus: Jesus n√£o ressuscitou fisicamente; Escrituras:Princ√≠pio divino por Sun Myung Moon, Esbo√ßo do Princ√≠pio, N√≠vel 4 e a B√≠blia   

Nome do grupo: Cientologia; Fundador: Ron Hubbard(1954); Mensagem: Todos s√£o “”thetans””, esp√≠ritos imortais com poderes ilimitados; Igreja: —      Deus: Rejeita o Deus revelado na B√≠blia. Raramente mencionado. Jesus:Jesus n√£o morreu pelos pecados de ningu√©m; Salva√ß√£o:Salva√ß√£o √© a liberta√ß√£o da reencarna√ß√£o. Ressurrei√ß√£o  de Jesus:— ; Escrituras: Dian√©tica: A Ci√™ncia Moderna da Sa√ļde Mental, e outros de Hubbard, e A Chave para a Felicidade.

Nome do grupo: Meninos de Deus; Fundador: Daniel Brandt Berg (1968); Mensagem: Desistir de tudo para seguir a Jesus. J√° usaram a prostitui√ß√£o para atrair novos adeptos; Igreja: Fam√≠lia do Amor; Deus: Pai, Filho e Esp√≠rito Santo, mas n√£o Trindade           ; Jesus: Foi uma cria√ß√£o de Deus.        Salva√ß√£o:—; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: —; Escrituras: Cartas MO - cartas escritas por David “Moses” Berg. Mesmo n√≠vel de inspira√ß√£o do Antigo e Novo Testamentos.

Nome do grupo: Nova Era; Fundador: —    Mensagem: Todos s√£o deuses e s√≥ precisam se conscientizar disso; Igreja: —;  Deus: Deus √© uma for√ßa impessoal ou princ√≠pio, n√£o uma pessoa. Tudo e todos s√£o Deus; Jesus: N√£o √© o verdadeiro Deus nem Salvador, mas um mestre elevado; Salva√ß√£o: O mau carma tem que ser compensado com bom carma; Ressurrei√ß√£o de Jesus:Jesus n√£o ressuscitou fisicamente, mas subiu a um n√≠vel espiritual mais alto; Escrituras: Escritos I Ching, hindus, budistas, tao√≠stas, cren√ßas americanas nativas e magia em geral.
  
Nome do grupo: Hindu√≠smo; Fundador: —  Mensagem: O homem deve se conformar com sua condi√ß√£o para alcan√ßar uma vida melhor na pr√≥xima encarna√ß√£o           Igreja:Deus:        O Absoluto. Um esp√≠rito universal (Brahman). V√°rios deuses s√£o manifesta√ß√Ķes dele; Jesus: √Č um mestre ou avatar   (uma encarna√ß√£o de Vishnu). Ressurrei√ß√£o  de Jesus: Sua morte n√£o foi expiat√≥ria; Salva√ß√£o: Liberta√ß√£o dos ciclos de reencaran√ß√£o, e absor√ß√£o em Brahman alcan√ßadas atrav√©s da Yoga e medita√ß√£o. Ressurrei√ß√£o  de Jesus: —; Escrituras: Vedas, Upanishads, Bhagavad Gita
  
Nome do grupo: Budismo       Fundador: Buda (Siddartha Gautama em 525 a.C.)Mensagem: O alvo da vida √© o Nirvana para escapar do sofrimento  Igreja:Deus:N√£o existe. Buda √© considerado por alguns como uma consci√™ncia universal iluminada   Jesus: —; Salva√ß√£o: O Nirvana (inexist√™ncia) que pode ser alcan√ßado seguindo-se o Caminho das Oito Vias; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: —; Escrituras: A Tripitaka (Tr√™s Cestos),que t√™m mais de100 volumes    

Nome do grupo: Islamismo    Fundador: Maom√© (610 d.C.)          Mensagem: S√≥ Allah √© Deus e Maom√© o seu profeta; Igreja: —; Deus: Al√°, um juiz severo. N√£o √© descrito como amoroso    √Č um dentre mais de 124 mil profetas enviados por Deus a v√°rias culturas. Jesus:N√£o √© Deus, n√£o foi crucificado, voltar√° para viver e morrer;  Salva√ß√£o: O equil√≠brio entre as boas e m√°s obras determina o destino eterno no para√≠so ou no inferno; Ressurrei√ß√£o  de Jesus:N√£o ressuscitou, porque n√£o morreu. Escrituras: Cor√£o e Hadith. A B√≠blia √© aceita, mas considerada corrompida.     

Nome do grupo: Juda√≠smo     Fundador: Deus (o Eterno), atrav√©s de Abra√£o, formou o povo escolhido; Mensagem: O Eterno √© o √ļnico Deus Igreja:Deus: O Eterno, chamado de Jeov√° ou Iav√©; Jesus: Simples judeu Salva√ß√£o: Obedi√™ncia √† Lei e aos Mandamentos; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: Negam;  Escrituras: Tanach (o Velho Testamento), dividido em Lei, Profetas e Escritos   

Nome do grupo: Umbanda     Fundador:Mensagem: Solu√ß√£o de problemas imediatos com a ajuda dos esp√≠ritos. Igreja: —   Deus: Zambi √© √ļnico, onipotente, irrepresent√°vel, adorado sob v√°rios nomes; Jesus: Oxal√° novo. Salva√ß√£o: Pr√°tica de caridade material e espiritual como meio de evolu√ß√£o c√°rmica; Ressurrei√ß√£o  de Jesus:— Escrituras:Tradi√ß√£o oral .

Nome do grupo: Candombl√©  Fundador: Primeiro templo erguido na Bahia, na primeira metade do s√©culo XIX; Mensagem: Dan√ßa religiosa de origem africana atrav√©s da qual as pessoas homenageiam seus orix√°s; Igreja: —     Deus: Olodumar√™, criador de todas as coisas, eterno e todo-poderoso; Jesus:Salva√ß√£o: Ao morrer o candomblecista vai para o Orum (nove c√©us sob o comando de Ians√£) Ressurrei√ß√£o  de Jesus:—; Escrituras:Tradi√ß√£o oral         

Nome do grupo: Ate√≠smo        Fundador:Mensagem: A evolu√ß√£o √© um fato cient√≠fico, portanto √©tica e moral s√£o relativas   Igreja: —        Deus: N√£o h√° Deus ou diabo, uma vez que n√£o podem ser provados cientificamente    Jesus:Jesus foi um mero homem; Salva√ß√£o:N√£o h√° vida ap√≥s a morte; Ressurrei√ß√£o  de Jesus: N√£o h√° ressurrei√ß√£o, pois n√£o existem milagres; Escrituras: