terça-feira, 4 de março de 2014

Homens Vitoriosos Em Cristo
No Estudo Bíblico
Na Mordomia Cristã
No Casamento
Na Criação dos Filhos
No Ministério Cristão

MÉTODOS DE ESTUDO BÍBLICO (Estudo No 1)
Como Ser Um Bom Estudante da Bíblia ou Um Discípulo Feliz
TESE: Capacitar cada  homem a fazer seu próprio estudo bíblico diário; Tornar seus devocionais mais ricos e frutíferos. Dar instruções Práticas sobre como estudar a Bíblia.
 
INTRODUÇÃO:
A)   AUTO-EXAME PARA QUEM QUER SE TORNAR UM ESTUDIOSO DA BÍBLIA
A)   AUTO-EXAME PARA QUEM QUER SE TORNAR UM ESTUDIOSO DA BÍBLIA
- Antes de começar a este estudo responda  sinceramente as seguintes  perguntas :
1. Porque quero saber mais sobre Deus e a Bíblia? 
2. Porque vou me esforçar para fazer diariamente meu estudo bíblico ? 
3. Que uso pretendo fazer com os conhecimentos Bíblicos que adquirir? 
4. Quero apenas saber muitas coisas sobre Deus e a Bíblia, ou quero conhecer  mais a Bíblia, para conhcer mais intimamente a Deus e poder adora-lo e servi-lo melhor?
5. Será que estou querendo apenas me orgulhar de ser um bom conhecedor da Bíblia (I Cor. 8:1, 2) 
B)   OBJETIVOS SÁDIOS QUE DEVEM MOTIVAR E ORIENTAR O ESTUDIOSO DA BÍBLIA
- Ao estudar diariamente a Bíblia, deve  desejaR sinceramente:
1. Conhecer  a Deus de modo não apenas teórico, mas de modo prático , pessoal  e íntimo  ( Jr. 9:23, 24)
2. Fazer do alvo  de sua vida conhecer  a Cristo  mais e mais  para ter uma vida cristocêntrica  (Fl. 1.21; 3:8-10 )
3. Amar a verdade  e a verdade revelada  por Deus( Sl. 119: 12, 18, 97, 103, 125; II. Ts. 2:10)
4. Experimentar as bênçãos graciosas   dos que conhecem a Deus intimamente e andam na sua presença (Dn. 11: 32; Gn 5 :21, 24 6:9; Is. 41: 8; Oséias 6:3)
5. Ter um conhecimento de Deus que o faça ter prazer e deleite na presença de Deus, assim enriquecendo seus momentos devocionais, orações meditações louvores e serviço cristão (Sl. 1. 1: 3) Sl. . 37:4,5. 
6. Lembre-se: Pode-se saber muito sobre Deus sem conhece-lo   intimamente.     Pode-se saber muito sobre  espiritualidade sem conhecer a Deus.
7. Portanto , deve entrar no  estudo Bíblico com seriedade e temor a Deus.
8. Procurar cultivar piedade pessoal na vida particular, ou desenvolver  verdadeira espiritualidade, sendo esta a condição indispensável que capacita o crente a iniciar a feliz e gloriosa tarefa de conhecer a Deus. Isto eqüivale a querer e buscar a SABEDORIA DO ALTO . Somente vidas piedosas verdadeiramente conhecerão a Deus na intimidade:
Piedade vem de 3 coisas:
Desejo de Deus: Sl 42:1,2; 63:1; Fp 3:10
Temor a Deus: Jr 32:40; At 9:31; Ap 15:3-4
Amor a Deus: Dt 6:5; Mt 22:36-40; Fp 3:7-8


 
 
 
 
I  -   TESTEMUNHOS DE GRANDES PERNALIDADE SOBRE A INFLUÊNCIA DA  BÍBLIA
à Esta lista tem mais de vinte testemunhos pessoais de grandes personalidades históricas sobre o poder e a influência do estudo da Bíblia.
ABRAÃO LINCOLN: "Eu creia que a Bíblia o melhor dom ou dádiva que Deus deu aos homens. Todo o bem do Salvador do mundo é comunicado através deste livro.
W.E. GLADSTONE: "Eu conheci 95 grandes homens de minha geração, e destes 87 eram seguidores da Bíblia. A Bíblia foi impressa com uma originalidade Tão especial, e uma incontável distancia a separa de todos ou outros livros que competem com ela."
GEORGE WASHINGTON: "É impossível governar direito o mundo sem Deus e a Bíblia"
NAPOLEÃO: "A Bíblia não é um mero livro, mas uma criatura viva, com um poder que conquita aqueles que se opõem a ela"
DANIEL WEBSTER: "Se há qualquer coisa em pensamentos ou estilo para recomendar, o crédito é devido aos meus pais for inculcar em mim, desde cedo, amor pelas Escrituras Sagradas [A Bíblia]."  "Se  nós nos firmamos nos princípios ensinados na Bíblia, nosso país irá continuamente prosperando, mas se nos e nossa posteridade negligencia a instrução e a autoridade da Bíblia, nenhum homem poderá prever a catástrofe repentina que irá nos oprimir e sepultar nossa glória na mais profunda obscuridade".
THOMAS CARLYLE: "A Bíblia é o mais verdadeiro modo de falar que já veio por  Letras alfabéticas para alma do homem, a qual, como através de uma  janela divinamente aberta, todo homem poder olhar para  dentro da paz da  eternidade, e discernir em vislumbres sua  distante e longamente esquecida  casa [celestial]."
 THOMAS HUXLEY': "A Bíblia tem sido a Carta Magna dos pobres e oprimidos. A raça humana não está em uma posição que pode dispensá-la.
W. H. SEWARD: "A inteira esperança do progresso humano está em depender do
 cultivo continua da influência da Bíblia."
Patrick Henry: "A Bíblia é o mais  valoroso entre todos os livros que já foram impressos".
ANDREW JACKSON: "Aquele livro senhor, é a rocha sobre a qual repousa a nossa República"
ROBERT E. LEE:"Em todas as minha perplexidades  e angustias a Bíblia nunca tem falhado em me dar luz e força"
LORD TENNYSON: "A leitura da Bíblia é uma educação em si mesma".
HORACE GREELEY: "É impossível escravizar mental ou socialmente um povo que ler a Bíblia. Os princípios da Bíblia são a base da liberdade humana"
JOHN QUINCY ADAMS: "Tão grande é minha veneração que o mais cedo que meus filhos comecem a lê-la, maior é a minha confiança na esperança de que eles serão cidadãos úteis e respeitávels.
IMMANUEL KANT: "A existência da Bíblia, como um livro para o povo é o grande benefício que a raça humana já tem experimentado.  Toda tentativa para menosprezar a Bíblia é um crime contra a humanidade."
CHARLES DICKENS: O Novo Testamento é o melhor livro que já foi ou será escrito no mundo"
SIR WILLIAM HERSCHEL: "Toda descoberta humana  parece ser feita somente para o propósito de conformar-se mais e mais poderosamente as verdades contidas nas Sagradas Escrituras".
SIR ISAAC NEWTON: "Existe mais marcas seguras de autencidade na Bíblia do que em qualquer história profana."
GOETHE: "Deixe a cultura mental ir, Deixe as ciências naturais progredirem em grande extensão e profundidade,  e a mente humana se alargue  por si mesma como ela deseja: além da elevação e grandeza da cultura moral do Cristianismo, como refletida nos evangelhos, ela não vai.
II - COMO FAZER UM ESTUDO BÍBLICO FRUTÍFERO E ABENÇOADO 
·PASSOS INDISPENSÁVEIS
1o)     TOME UMA RESOLUÇÃO FIRME
1)Fazer sua mente dispor diariamente de tempo para estudar a Palavra de Deus. 
2)Decisão fácil de fazer, mas difícil de cumprir se quer fazer isto com seriedade; 
3)É uma das mas frutíferas resoluções que um cristão pode fazer 
4)Uma resolução séria e a fidelidade a ela, tem sido uma bênção em muitas vidas. 
5)Muitas vidas que eram estéreis e insatisfatórias tem sido tornado ricas e úteis, através de iniciar um estudo diário, regular e perseverante da Bíblia. 
6)Este estudo pode não ser muito interessante no início, e os resultados podem não ser muitos encorajadores; mas, se você perserverar verá que a longo prazo estes estudos iram mostrar seu valor no desenvolvimento do carater e no enriquecimento da vida toda; 
7)Não deve deixar nada interferir no seu estudo Bíblico diário, pois o inimigo tentará colocar impecílios. 
8)Muitas crentes muitos ocupados, tem deixado diariamente, pelos menos uma hora para o estudo bíblico; 
9)Quinze minutos é o mínimo possível, para um breve estudo bíblico; 
10)Portanto, este estudo é possível para qualquer pessoa.  Sendo a melhor ocasião nas primeiras horas da manhã, você sozinho e Deus.
2o)     PREPAPE SUA MENTE PARA O ESTUDO BÍBLICO
a)Tenha prazer (Sl 1:2,3) 
b)Devore a palavra com avidez (Jr 15:16) 
3o)     ESTUDE A BÍBLIA POR ASSUNTOS
a)Seja sistemático 
b)Seja Completo 
c)Seja Exato: (1) Note as palavras exatas; (2) Examine o significado das palavras 
4o)     ESTUDE A BÍBLIA POR CAPÍTULOS
a)Selecione os capítulos que deseja estudar 
b)Leia o capítulo inteiro pelo menos 5 vezes 
c)Divida o capitulo em suas divisões naturais (Parágrafos) - (II Tm 2:15) -Veja exemplo de I JOÃO 5: 
d)Note a importante diferença entre versões da Bíblica 
e)Note os fatos principais do capítulo em sua prórpria ordem 
f)Note os personagens, sua história, caráter e ações 
g)Note a lição principal do Capítulo 
h)A verdade central 
i)O verso chave 
j)O melhor verso do capítulo (sua opinião) 
k)Note versos úteis para estudos e palestras 
l)Dê nome ao capítulo 
m)Anote novas verdades que aprendeu sobre o capítulo 
n)Anote verdades já conhecidos mais que lhe reavivaram 
o)Sua decisão em relação ao que a Palavra lhe ensinou 
vUM EXEMPLO DE DIVISÕES NATURAIS DE UM CAPITULO - I JOÃO 5 
Uma das possível divisões deste capítulo:
1.Versículos 1-3         - O nobre parestesco do crentes
2.Versículos 4,5         - A grande vitória do Crente
3.Versículos 6-10       - A segurança do crente basea na Fé
4.Versículos 11,12      - A possessão de valor incalculável do crente
5.Versículo  13            - A segurança de bênção do crente
6.Versículos 14,15      -  A confiança inquestionável do crentes
7.Versículos 16,17      -  O grande poder e responsabilidade do crente
8.Versículos 18,19      -  A perfeita segurança do crente
9.Versículo  20            -  O precioso conhecimento do crente
10.Versículo  21            -  O Dever constante do Crente
5o)     ESTUDE A BÍBLIA COMO PALAVRA DE DEUS - (I Ts 2:13) 
A)    Use Ferramentas de Estudo guiado pela Piedade Cristã
1)Embora devamos usar princípios de hermineutica [regras de interpretação]; 
2)Embora, devamos usar o princípios de Gramática; 
3)Embora, devamos estudar os vocábulos nas línguas oríginais 
4)Devemos lembrar que estamos lidando com a Palavra Deus 
5)Não devemos inventar um interpretação, quando não conseguirmos entender bem um texto 
6)Devemos lembrar que Deus não revelou tudo sobre si e o Universo. Revelou apenas o bastante para que o amassemos e servissemos. (Dt 29:29) 
B)   Principios indispensáveis a um estudo piedoso da Bíblia
1)Buscar entender a mente de Deus, através do estudo Bíblico (Is 55:8,9) 
2)Pronta aceitação e inquestionável submissão aos ensinos aprendidos (Tg 1:21-25) 
3)Ter absoluta confiança nas promessas Divinas (Tt 1:2; Fp 4:19) 
4)Ler a Bíblia como se estivesse ouvindo a voz de Deus (I Ts 2:13) 
5)Não devemos tentar conciliar os ensinos da Bíblia, com a ciência nem com a filosofia do mundo. "A sabedoria de Deus, é loucura para mundo" (I Co 1:20,21; 3:19) 
6)Não estude a Bíblia, para orgulhar-se que é bom em teologia bíblica (I Co 8:1) 
6o)      ESTUDO A BÍBLIA COM ATITUDE PLENA DE ORAÇÃO
- Qual o resultado de estudar no espírito de oração?
1)A oração cria o clima para  uma melhor comprensão e transmissão do evangelho (Ef 6:18,19)
2)O espírito de oração ajuda-nos a  melhor cultivar a presença de Deis
7o)    OBSERVER "AS COISAS  RELACIONANDO-AS A CRISTO" EM TODA AS ESCRITURAS
a)Todas a Bíblia esta relacionada a Cristo, e tem a Cristo como o seu centro (Lc 24:27) 
b)Todas as coisas do Velho Testamento pré-anunciavam a Cristo e a sua obra. 
c)Todas as coisas do Novo Testamento anuncia a Cristo, Sua Obra e os resultados da mesma. 
8o)     PROCURE APROVEITAR BEM OS MOMENTOS VAGOS PARA ESTUDO BÍBLICO 
a)Ande com um Novo Testamento de bolso 
b)Compre fitas cassete da Bíblia, para ouví-las enquanto dirige 
c)Escreva, datilografe ou imprima em computador o texto que está estudando. 
9o)     ARMAZENE BASTANTE DAS ESCRITURAS  E, SUA  MENTE E CORAÇÃO
àEla o guardará de: 
a)Cair no pecado (Sl 119:11); 
b)Das falsas doutrinas (At 20:29,30,32; II Tm 3:13-15); 
c)Ela encherá seu coração de: 
(1) alegria  (Jr 15:16),
(2) e paz   (Sl 85:8),
d)Ela lhe dará vitória sobre o mal (I Jo 2:14), 
e)Ela lhe dará poder em oração  (Jo 15:7),
f)Ela lhe fará mais sabio que seus inimigos (Sl 119:100,98,130) 
g)Ela lhe deixará plenamente maduro e habilitado para toda boa obra (II Tm 3:16,17) 
CONCLUSÃO
1)Tente memorizar a Bíblia 
2)Memorize textos relacionados com assuntos que está precisando logo 
3)Memorize capítulo e versiculo que você está estudando 
---------------------------------------------------------------- 
BIBLIOGRAFIA 
1.METHODS OF BIBLE STUDY - por  Rev. R. A. Torrey - Adapted for the Online Bible by Larry Pierce


Pr. José Laérton - Fone: (085) 292-6204 
Igreja Batista Regular Emanuel - [Fortaleza-Ce)
 
Estudos feitos para o Retiro de Homens
 
No Acampamento Poço Doce
 
10-12/Outubro/1998

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

A Pena Capital e a Lei de Deus - Crimes e Punições na Palavra de Deus Escrito por O Tempora, O Mores. Postado em Artigos Índice de Artigos Crimes e Punições na Palavra de Deus Podemos aprender bastante com os princípios que norteavam o tratamento que a Bíblia dá aos crimes e punições. Estamos tão enraizados em nossa cultura, em como ela trata a questão da quebra da lei, que talvez até nos surpreendamos com o encaminhamento dado pela Palavra de Deus à manutenção da lei e da ordem na sociedade civil de Israel. Vamos, portanto, dar uma rápida olhada em alguns princípios que encontramos, quando estudamos esse assunto nas Escrituras: 1. A primeira coisa que nos chama a atenção, é que na Bíblia não existe a provisão para cadeias. Isso mesmo! Elas nem existiam como instrumento de punição, nem como meio de reabilitação. Isso realmente nos intriga, pois estamos tão acostumados com essa instituição que não podemos imaginar uma sociedade sem cadeias. Quando um crime é cometido, a punição que pensamos de imediato é a cadeia. "Merece cadeia!; devia estar na cadeia"! Dizemos com tanta freqüência. Mas na sociedade de Israel, no Antigo Testamento, a cadeia era apenas um local onde o criminoso era colocado até que se efetivasse o julgamento devido. Em Números 15.34 lemos: "...e o puseram em guarda; porquanto não estava declarado o que se lhe devia fazer...". Logicamente encontramos na Bíblia o registro da existência de cadeias. Jeremias foi encarcerado e Paulo, igualmente, diversas vezes, dentro do sistema romano de punições. Mas estes encarceramentos eram estranhos às determinações de Deus. 2. Desta forma, por mais familiarizados que estejamos com esse conceito, não encontramos, na Palavra de Deus, o encarceramento como remédio, ou a perspectiva de reabilitação através de longas penas na prisão. Muito menos, encontramos a idéia de "proteção da sociedade" através da segregação do indivíduo que nela não se integra, ou que contra ela age. Ou seja, não encontramos, nas prescrições dadas ao povo de Deus, cadeias para punir, remediar, reabilitar ou proteger. 3. O princípio que encontramos na Bíblia é o da restituição. Em Levítico 24.21 lemos, "...quem pois matar um animal restituí-lo-á, mas quem matar um homem assim lhe fará". A restituição ou retribuição, era sempre proporcional ao crime cometido. Como a restituição da vida era impossível, ao criminoso, no seu caso a punição era a perda da própria vida. 4. Isso significa que aquela sociedade não tinha meios para lidar com o crime? Ou aplicava a pena de morte em todos os casos de quebra da lei? Não. Ela possuía determinações bem precisas e eficazes contra a banalização e proliferação da criminalidade. Ela responde à quebra da lei com medidas rápidas e que representavam prejuízo econômico para o infrator. Para os casos de furto, a Lei Civil Bíblica prescrevia a restituição múltipla. Vejamos em Êxodo 22.4 "...se o furto for achado vivo na sua mão, seja boi, seja jumento, ou ovelha, pagará o dobro". 5. Nos casos de furto de propriedade que representa o ganha pão ou meio de subsistência do prejudicado, a Bíblia prescrevia a restituição de quatro ou cinco vezes o que foi subtraído. Assim lemos em Êxodo 22.1 "...se alguém furtar boi ou ovelha e o degolar ou vender, por um boi pagará cinco bois, e pela ovelha quatro ovelhas". 6. As determinações das Escrituras procuravam proteger a vítima e colocar temor no criminoso, tirando qualquer idéia de proteção que viesse tornar a vítima em acusado também. O que queremos dizer é que, contrariamente aos nossos dias, quando as vítimas ou agentes da lei possuem as mãos amarradas pela excessiva proteção ao criminoso, o direito de cada um de defesa de sua propriedade era algo abrigado, concedido e salvaguardado, na legislação mosaica. Vemos isso em Êxodo 22.2: "...se o ladrão for achado a minar e for ferido, e morrer, o que o feriu não será culpado do sangue". 7. Aqueles que roubavam alimentos para satisfazer a fome, deviam ser tratados com clemência, mas mesmo assim, persistia a obrigação de restituir sete vezes o alimento que furtou do legítimo dono, uma vez que a própria constituição da sociedade já possuía a provisão para atendimento aos carentes, tornando desnecessário o furto, como vemos em Deuteronômio 24.19 a 21. Desta forma lemos em Pv. 6.30, 31: "...não se injuria o ladrão quando furta para saciar sua alma, tendo fome; mas encontrado, pagará sete vezes tanto: dará toda a fazenda da sua casa..". 8. Vemos então, em apenas um rápido exame das diretrizes bíblicas e um confronto destas com as opiniões que agora surgem, a sabedoria ali encontrada. Já há milênios antes de Cristo a Bíblia determinava punições pecuniárias, que o homem, a elas hoje chega, baseado na constatação empírica de que outras medidas não funcionam. Com efeito os encarceramentos prolongados, hoje aplicados, não produzem reabilitações, não são bem sucedidos em conservar o criminoso fora de ação e as prisões constituem-se, na realidade, em verdadeiras fábricas de criminosos piores e mais violentos. 9. O sistema bíblico de punição pecuniária é destinado a tornar o crime uma atividade não lucrativa. No que diz respeito àqueles criminosos que se recusavam a obedecer as autoridades constituídas, a sentença é a pena de morte. Lemos isto em Deuteronômio 17.12: "...o homem pois que se houver soberbamente, não dando ouvidos ao sacerdote, que está ali para servir ao Senhor teu Deus, nem ao juiz, o tal homem morrerá e tirarás o mal de Israel". [10] 10. Isto eqüivale a dizer que a condição de reabilitação na sociedade, para o criminoso primário, era total e absoluta. Indo na direção contrária à nossa sociedade, que coloca o criminoso iniciante enjaulado, em condições subumanas, como criminosos experientes " que se encarregam de formá-lo na escola do crime, o criminoso primário em Israel, pagando a indenização devida, estava pronto a se reintegrar na sociedade atingida pelos seus desmandos. Essa sociedade não deveria discrimina-lo de nenhuma forma, pois restituição havia sido efetivada. 11. Por outro lado, havia aqueles que se recusavam a obedecer, reincidindo no caminho do crime. A Bíblia reconhece a necessidade de proteger a sociedade desses elementos, mas não através do encarceramento " uma forma pseudo-humanitária, somente onerosa, imperfeita e impossível de produzir resultados. O sistema encontrado na Bíblia apresenta a efetivação desta proteção de uma forma radical, mas destinada a produzir frutos permanentes e a gerar a paz e a tranqüilidade em uma sociedade. Além disto, poderíamos falar no efeito didático, que a aplicação coerente e sistemática desta pena teria nos reincidentes em potencial. 12. Que diferença encontramos entre a forma de tratar o crime na sociedade de Israel e na filosofia e sistema empregados nos dias atuais! Em nossos dias, o crime prospera porque é lucrativo e porque corre impune, sendo isto também uma conseqüência da falta de adequação das penas impostas aos crimes cometidos. O sistema penal do Antigo Testamento previa não somente a adequação da penalidade aos crimes cometidos, mas a sua rápida aplicação. Lentidão da justiça é reconhecida até os dias de hoje como uma manifestação de injustiça. Nesse sentido, temos o registo apropriado da Palavra de Deus, em Eclesiastes 8.11:"Porquanto não se executa logo o juízo sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto para praticar o mal". 13. Obviamente não há a possibilidade da aplicação direta e total das Leis Civis prescritas por Deus ao estado teocrático de Israel, na sociedade atual. Nem podemos advocar a aplicação da pena de morte para todas as situações temporais prescritas na Lei Mosaica (como, por exemplo, pela quebra do sábado), pois destinavam-se a uma nação específica, dentro de específicas circunstâncias, e com propósitos definidos, da parte de Deus. Muitos dos princípios encontrados, naquela sociedade agrária, entretanto, são eternos e válidos até os dias de hoje e merecedores do nosso exame e estudo. A rapidez das sentenças; as penas pecuniárias e o peso econômico sofrido pelos infratores, em benefício das vítimas; a visão clara de quem é vítima e de quem é infrator, sem cometer a inversão de valores de considerar os criminosos "vítimas do sistema"; o apreço pela vida humana, acima de qualquer outra perda; o cuidado todo especial pela preservação de uma sociedade na qual liberdade também significasse ausência de violências e de ameaças trazidas por indivíduos incorrigíveis; o chamado constante ao bom senso e à preservação da lei e da ordem, não apenas com meras palavras, mas com duras penas contra os malfeitores; a ênfase, respaldada igualmente em penas severas, no respeito aos anciãos e às autoridades; são alguns desses princípios que deveriam estar presentes em qualquer sociedade. Juristas cristãos muito poderiam contribuir para um aprofundamento deste tema, penetrando a fundo na regulamentação da sociedade veto-testamentária e procurando uma adequação desses princípios às nossas condições. A questão de crimes, punições e determinações divinas está alicerçada no tema maior da Lei de Deus. Mas o que realmente significa este termo. O que a Bíblia tem a nos dizer sobre os seus diferentes aspectos? Seria difícil prosseguir em nossa caminhada, se não fizermos uma exploração, neste estágio, do significado da Lei de Deus, e da sua relevância aos nossos dias: