sexta-feira, 30 de maio de 2014

Um Renovado Derramamento do Espírito Santo David Wilkerson | September 15, 2008



Quando Deus sopra o sopro do Espírito, todos sabem que Ele chegou. Lucas, o autor de Atos escreve, “De repente veio do céu um ruído, como que de um vento impetuoso” (Atos 2:2). Gosto de uma tradução diferente dessa última frase, dizendo “uma rajada, um vento forte”.
Segundo esse versículo, o sopro de Deus veio no Pentecostes com um “ruído do céu”. Lucas diz que esse som era forte, impetuoso, enchendo toda a atmosfera: “e encheu toda casa onde estavam sentados” (2:2).
Algo mais acontece quando o Espírito Santo vem: Ele abala tudo que está à vista. No Pentecostes, os líderes religiosos em Jerusalém ficaram desnorteados com o que viram acontecer entre os seguidores de Jesus; eles tentaram conter o efeito daquele impetuoso sopro do céu.
Mas o Espírito Santo se moveu em Pedro, ungindo-o a dizer, “Vocês podem nos ameaçar e prender, mas não podem parar o vento impetuoso que está soprando sobre a terra. Vocês podem mandar calarmos a boca, mas não podemos parar de falar. Deus soprou sobre nós, nos ungindo, e temos que declarar a palavra que Ele nos deu”.
Então os crentes no Pentecostes se uniram em um grande encontro de louvor e oraram: “Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo servo Jesus. E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus” (Atos 4:29-31).
Quero examinar o que os profetas dizem sobre o derramamento final do Espírito Santo sobre a igreja nesses últimos dias
A Bíblia diz que nos últimos dias tudo que puder ser abalado, será. Esse abalo incluirá a igreja, a eleita do próprio Deus. “A voz do qual abalou então a terra... Ainda uma vez hei de abalar não só a terra, mas também o céu” (Hebreus 12:26).
Pedro e os discípulos viram que o que acontecia no Pentecostes era esse derramamento do céu, o qual fora profetizado. Pedro imediatamente se levantou e declarou, “Isto é o que foi dito pelo profeta Joel... derramarei do meu Espírito naqueles dias” (Atos 2:16, 18). Hoje, de igual modo, somos capazes de ver nas escrituras o que o Espírito Santo está fazendo nesses últimos dias – de fato, nessa última hora.
Os profetas do Velho Testamento falam de uma “chuva temporã” e de uma “chuva serôdia”, derramamentos do Espírito descritos por Isaías, Jeremias, Ezequiel e os profetas menores. Malaquias – o último livro do Velho Testamento – descreve a “chuva serôdia” como um acontecimento vindouro que abalará a terra. E Malaquias oferece prova de que a maior obra do Espírito Santo – esse derramar da “chuva serôdia” – está acontecendo agora mesmo, em nossa geração.
A mensagem de Malaquias é uma profecia de duas partes. Primeiro, ele fala para o mundo ímpio, materialista, secular, louco por prazeres. E segundo, ele fala àqueles que amam e temem ao Senhor.
1. Eis o alerta de Malaquias para as nações ímpias
“Pois eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como restolho” (Malaquias 4:1). Vejo evidências por todos os lados de que estamos vivendo exatamente na época que Malaquias descreve. Se já houve um dia ardendo como fornalha, quando tudo está “quente” no mundo inteiro – econômica, social e espiritualmente – esse dia é hoje.
Segundo Malaquias, um holocausto ardente está vindo, e não deixará nada para os ímpios se protegerem: “Não lhes deixará nem raiz nem ramo” (4:1).Todo porto seguro será consumido. Quem irá para esse holocausto atroz? “... todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade” (4:1). Isso significa não apenas aqueles que cedem aos vícios e perversões. A grande perversidade da qual Malaquias fala aqui, sugere um arrogante brandir de punhos contra Deus.
Vemos um exemplo moderno desse brandir de punhos na União Europeia. Ela se gaba orgulhosamente de ser uma sociedade secular. Segundo a constituição deles, Deus não tem lugar em sua sociedade, nenhum reconhecimento, Seu nome está completamente apagado. Até onde diz respeito aos líderes da União Europeia, Deus está morto.
Agora mesmo, o nosso país está apontando na mesma direção. Estamos lentamente empurrando Deus para fora de nossos tribunais, escolas e da nossa sociedade. Recusamo-nos a reconhecer Suas bênçãos sobre a nação; ao invés disso dizemos, “Conquistamos tudo com nosso próprio esforço. Somos a maior nação, a mais forte e a mais rica da terra, e alcançamos tudo por nós mesmos”.
Amo o nosso país, mas me arrepio de pensar que essa nação tenha levantado seu nariz contra Deus, sacudindo o punho contra Ele e desafiando-O a agir. A palavra em hebraico para “impiedade” em Malaquias 4:1 significa “arrogância”; é o pior tipo de arrogância ostentar o pecado diante dos céus e dizer, “Deus não vê. Ele não pode fazer nada. Ele não tem nada a ver conosco”.
É arrogância pisotear Sua santa palavra, escarnecendo de tudo o que reflete Seu coração. Veja o escárnio que está sendo feito do casamento com a glorificação das perversões sexuais. É arrogância total legalizar casamento entre dois homens ou duas mulheres e permitir que adotem crianças, um assunto presente agora nos tribunais. Enquanto isso, movimentos vem exigindo direitos para que homens possam ter relações sexuais com crianças.
Enquanto essa iniquidade se desdobra diante de nossos olhos, parecemos estar incapazes de contê-la. Contudo, me pergunto: quanto tempo os ímpios acham que Deus irá tolerar tanta arrogância e não a julgará?
A profecia de Malaquias foi cumprida no passado quando sociedades perversas passaram dos limites
Está claro nas escrituras que o nosso país agora ultrapassou os pecados da desviada nação de Israel, ultrapassou os pecados de Sodoma e Gomorra, ultrapassou a sociedade violenta e perversa de Noé. Isaías profetizou, “Olhe! A escuridão cobre a terra, densas trevas envolvem os povos” (Isaías 60:2). A palavra hebraica para “densas” aqui significa “desalento”. Isaías estava dizendo, “Um desalento negro está vindo e encobrirá toda a terra”.
Jeremias falou sobre tais trevas quando clamou para a apóstata Judá: “Dai glória ao Senhor vosso Deus, antes que venha a escuridão e antes que tropecem vossos pés nos montes tenebrosos; antes que, esperando vós luz, ele a mude em densas trevas, e a reduza a profunda escuridão” (Jeremias 13:16).
Malaquias também fala daquele dia que há de vir, um tempo de trevas e amargor quando Deus irá humilhar os soberbos e os arrogantes. Quando esse dia chegar, o profeta diz, todas as raízes e ramos serão totalmente consumidos, significando que não sobrará nada como base para reconstrução. Antes desse momento na história, o Senhor jamais havia destruído as raízes de recuperação por completo; mas agora, o profeta diz que Deus irá revolver tudo e “não lhes deixará nem raiz”, o que quer dizer, não deixará nenhum meio de recuperação.
Agora mesmo, o dia do acerto de contas chegou para o nosso país e para o mundo. Todos os ramos do governo dos Estados Unidos – incluindo bancos federais e instituições financeiras – verão a queda e a ruína da nossa economia. As corporações antigas e sólidas – velhas instituições enraizadas em nossa sociedade – serão afetadas, com nenhum meio de recuperação visível. A melancólica escuridão se espalhará e as melhores mentes ficarão confusas, sem um jeito para sair das trevas.
Até mesmo o mundo secular vê que os Estados Unidos se direcionam a tempos penosos. Uma edição recente de The Economist mostra a estátua da liberdade sentada, desolada com as mãos no rosto e a tocha largada no chão. A manchete diz “Estados Unidos infelizes”. Os editores escrevem o seguinte, palavra por palavra: “Há um desalento furioso varrendo todo o mundo”... “Fomos gananciosos por muito tempo, e agora a ganância nos venceu”... “É tarde demais. Os deslizamentos e os terremotos já começaram”... “Os Estados Unidos estão em um clima terrível. Estamos rastejando rumo a Sodoma e Gomorra”... “A economia está cambaleando”... “O mundo está sendo assado” (itálicos meus).
Há dez anos, escrevi um livro intitulado America’s Last Call (ultima chamada para os Estados Unidos), prevendo um holocausto econômico. Na época, fui ridicularizado e chamado de pregador do apocalipse (embora eu nunca tenha pregado juízo sem lágrimas). Recentemente, os telefones do nosso ministério têm tocado sem parar com pedidos do livro.
Os Estados Unidos não são a única nação enfrentando um tempo de escuridão. Recentemente, nosso ministério enviou uma equipe para uma cidade grande da Rússia. Eles voltaram relatando que o desespero econômico domina aquela parte da nação. Os custos de gasolina, eletricidade e outras necessidades básicas estão subindo às alturas, com salários somente pela metade do que o povo precisa para sobreviver. Nossa equipe disse que não conseguiu encontrar sorrisos em lugar algum – exceto nas igrejas, onde a esperança era florescente por causa da confiança do povo no Senhor.
Você pode dizer, “As coisas são diferentes nos Estados Unidos. Nossa economia sempre se corrige. Já houve problemas como esses antes, e sempre houve recuperação. Pode levar cinco anos, mas tudo será restaurado”. Porém, e se a palavra de Malaquias for verdadeira? E se todas as raízes de recuperação forem queimadas até o ponto mais baixo, sem qualquer esperança de recuperação?
Agora permita que eu lhe sugira algo: suponha que Malaquias estivesse vivo hoje. E suponha que ele pregasse a mesma mensagem no próximo domingo em sua igreja. Imagine o pastor Malaquias de pé no púlpito. Quando ele encerra a mensagem, repetindo as palavras dos profetas e detalhando as coisas que hão de vir, ele fecha a Bíblia. Aí ele sai do púlpito e vai para o meio da congregação.
As pessoas tremem diante do que ouviram, um dia de trevas e amargura chegando. Mas ao se postar diante deles, um grande sorriso vem à sua face. De repente, ele estende os braços e grita, “Regozijem-se! Essa profecia que vocês acabaram de ouvir não é para vocês. Não é para aqueles que amam e temem ao Senhor. Pelo contrário, essa palavra é para os soberbos, os arrogantes, os corruptos. É um alerta santo para o mundo ímpio.
Sim, haverá efeito colateral com a vinda do dia da fornalha. Os cristãos também sofrerão como efeito dele. Isso não pode ser evitado. Mas Deus enviou uma palavra a vocês, e essa palavra vai lhes guardar através dos tempos difíceis. Que as montanhas se transportem para os mares. Que a economia estremeça e caia. Que tudo o que possa ser abalado, seja abalado. Mas para os que temem ao Senhor, Deus deu uma palavra muito diferente”.
2. Para a igreja vencedora, existe uma profecia inteiramente diferente, gloriosa
Para o povo de Deus, a mensagem não é de melancolia, mas de alegria. Enquanto as trevas cobrem a terra – enquanto os corações dos homens desfalecem de terror ante as terríveis coisas que estão acontecendo – é dito a nós nesse momento “nascerá o sol da justiça, trazendo curas nas suas asas”(Malaquias 4:2).
Na hora mais negra, quando as coisas parecerem sem esperança – quando houver medo por todos os lados, com tudo sendo encoberto pela escuridão – Jesus se erguerá na maior revelação da história. E o mundo testemunhará o Seu poder de salvação e de proteção em toda Sua glória. Em um mundo que já enlouqueceu – quando islâmicos radicais se gabam de terem prevalecido, quando os agnósticos gritam, “Deus está morto!” – Jesus Cristo se erguerá. E Ele brilhará como um Sol curador, mais brilhante que em todas as gerações passadas.
Algo irá acontecer com o povo de Deus como resultado da aparição do Filho. O restante desse versículo diz: “e vós saireis e saltareis como bezerros da estrebaria” (Malaquias 4:2). O original em hebraico é traduzido como “vocês sairão pulando como bezerros quando libertos da estrebaria”.
Isso fala do derramamento da chuva serôdia, o prometido renovar do batismo do Espírito do Santo, incluindo um ruído do céu maior e mais poderoso. Quando isto vier, o Espírito Santo irá restaurar o milagroso: “E concede aos teus servos que falem com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Servo Jesus” (Atos 4:29-30).
Existem três palavras que muitos cristãos não falam mais: sinais, maravilhas e milagres
Para uma geração inteira de crentes, essas três palavras evocam lembranças de muitos abusos na igreja. Numa época em que muitos estavam à procura de obras genuínas de Deus “seguidas por sinais”, charlatões estavam encenando falsas “obras santas”. Assim chamados evangelistas da cura transformavam tudo em um circo – homens e mulheres gananciosos que ofereciam “curas” cobrando por isso.
Agora sempre que muitos de nós ouvimos essas três palavras, sentimentos incômodos surgem dentro de nós: medo do fanatismo, constrangimento pelas zombarias, memórias dolorosas de queridos irmãos e irmãs cuja fé acabou em cinzas por causa de toda essa falsidade. Tragicamente, muitos na igreja de Cristo não esperam que Deus opere mais milagres.
No entanto, por favor, ouça o que vou dizer. O Diabo conhece as escrituras, e sabe que um avivamento genuíno de cura, inspirado pelo Espírito Santo, foi profetizado. É por isso que agora mesmo ele está promovendo suas próprias e deturpadas reuniões de “cura”. Nas reuniões dele, Cristo não é o centro, mas sim a exaltação de anjos ou de algum indivíduo.
Mas o que Malaquias está profetizando não pode ser promovido pelo homem. Não será algo localizado, e não girará em torno de uma personalidade ou de um indivíduo. Antes, apresentará a pregação santa de Cristo. E acontecerá nos lar de crentes vitoriosos de todos os lugares, bem como nas igrejas. Pastores e ministros leigos receberão unção para orar pelos enfermos. Presbíteros se erguerão com renovada fé no poder do nome de Jesus para operar maravilhas. Todos imporão as mãos nos enfermos, e orarão para que sejam curados.
Agora vou acrescentar uma quarta palavra nessa lista de termos que não falamos mais: manifestações. Tememos manifestações da carne, onde as pessoas agem de forma bizarra. Sim, houve muitos destes abusos carnais que foram chamados de “manifestações do Espírito”. Mas se o Espírito Santo realmente se move sobre nós, como fez com Seu povo ao longo das escrituras, não deveríamos ter medo de uma manifestação verdadeira.
E a manifestação que acontecerá no derramar do Espírito nos últimos dias será uma alegria do Espírito Santo. Enquanto o mundo fica sob uma nuvem de melancolia, o testemunho do povo de Deus será de pura alegria. Enquanto os alicerces da sociedade estão sendo arrancados, os seguidores de Jesus serão vistos louvando a Deus em meio aos escombros, oferecendo ajuda e esperança aos mais necessitados.
Precisamos dessa manifestação de alegria mais do que nunca. Dia após dia ouço o povo de Deus dizendo, “É só isso que existe na caminhada cristã? Temos sempre de ficar ligados em sofrimento e provações? O Senhor não fala mais? Ele não cura mais? Não deveríamos esperar respostas quando oramos? Onde está o milagre que Sua palavra promete?”
Deixe-me dar uma resposta muito simples para essas perguntas: milagres e curas se tornam possíveis pelo e através do poder do Espírito Santo. O livro de Atos nos diz que Estevão era um homem “cheio de graça e poder, (e) fazia prodígios e grandes sinais entre o povo” (Atos 6:8). Se formos honestos diante do Senhor, muitos de nós teremos de admitir que perdemos o coração para tamanha fé.
Em multidões de cristãos, o fogo do Espírito Santo está definhando
Deus não pode responder onde não existe fé. E Satanás não fugirá de onde existe medo e incredulidade. O fato é que temos falhado em tomar a nossa autoridade concedida por Deus sobre o Diabo e seu império demoníaco. A palavra de Deus nos diz que o inimigo não está no controle. Está escrito que temos poder sobre ele: “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós” (Tiago 4:7).Todavia muitos têm deixado Satanás atropelar inescrupulosamente sua fé sem nenhuma resistência.
Se isso descreve você, Malaquias lhe oferece uma palavra por demais maravilhosa: “E saireis e saltareis como bezerros da estrebaria” (v. Malaquias 4:2). Que palavra incrível para o povo de Deus nesses últimos dias. Malaquias imagina crentes como bezerros confinados em estrebarias. A palavra raiz para “estrebaria” aqui, significa, “amarrados”, “circulando, dando voltas e voltas”.
Você já viu bezerros brincalhões presos em estrebarias? Eles andam em círculos, chutando e fazendo barulho. Você entende o quadro que Malaquias está nos apresentando? Satanás teve êxito em trancar uma multidão de crentes em pequenas estrebarias. Ele os têm mantido trancados, longe dos verdes pastos de Cristo, longe de Suas refrescantes águas tranquilas. Considere o seguinte:
·         Alguns cristãos estão confinados em uma estrebaria de desesperança. Esses crentes estão morrendo de tédio, levantando todos os dias só para darem voltas e mais voltas em seus pequenos mundinhos. Estão amarrados em um espírito de escravidão – de si mesmos, de materialismos, de suas próprias necessidades – sem um pingo de alegria. Muitos cristãos assim desistiram de qualquer esperança de serem livres. Eles suspiram enquanto se lembram dos velhos tempos quando se regozijavam no Senhor. Agora, eles constantemente se perguntam “Deus, onde estás?”.
·         Alguns cristãos estão trancados em uma estrebaria de amargura. A Bíblia diz que amargura é um veneno mortal, chamando-a de “fel”. Preciso enviar um alerta aqui, no amor de Cristo: se você tem uma única raiz de amargura – se você tem qualquer ressentimento racial, qualquer ausência de perdão, qualquer rancor “justificado” – você está no cativeiro da iniquidade. E se você permanecer nesse cativeiro permanecerá confinado numa estrebaria. Você viverá com medo, um bezerro teimoso, e acabará em morte espiritual.
Outras estrebarias confinantes podem ser mencionadas aqui: incredulidade, desespero, medo descontrolado, pecados que assediam. Não importa qual tipo de confinamento seja, a verdade é que não podemos abrir nossas próprias estrebarias. Não podemos nos livrar nós mesmos do medo, do desespero ou da incredulidade com nossa própria força humana. Simplificando, precisamos de um renovado enchimento do Espírito Santo. Caro santo, insisto com você: não siga nem mais um dia satisfeito com as coisas do jeito que estão. O Senhor dá Seu Espírito Santo àqueles que pedem. E a sua soltura deve vir pela fé. Quando Deus promete, “Você sairá e saltará como bezerro livre da estrebaria”, significa mais do que ser liberto do confinamento. Quando Ele abre o portão da nossa estrebaria, iremos emergir dela pulando de alegria. Não teremos mais uma nuvem de melancolia pairando sobre nós, mas seremos libertos para uma caminhada de esperança, liberdade e vida abundante.
 Nesses dias de incertezas e amarguras, o testemunho do poder de Deus serão aqueles que foram libertos das estrebarias. Eles serão vistos se regozijando por verem o Filho se erguendo. E a promessa eterna de Deus ao Seu povo será evidente para todos.
Temos participação quanto a sermos libertos da estrebaria
O Espírito Santo é dado somente aos que pedem. Ore para que o Espírito Santo traga de volta o seu fogo, que renove sua fé, que lhe atraia para mais perto do coração Dele.
Alegria é fruto do Espírito Santo. Como povo de Deus, devemos cantar em voz alta, celebrando com júbilo o Senhor. Devemos louvá-Lo, sentindo vontade ou não. As escrituras dizem que Deus habita no meio dos louvores.
Pode-se argumentar, “Mas é hipocrisia saltar de alegria quando não tenho vontade. Esse tipo de ‘alegria’ não significa nada quando a gente está deprimida e com dor”.
Mais uma vez, ouça Malaquias: “E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés naquele dia que prepararei, diz o Senhor dos exércitos” (Malaquias 4:3). No momento que você aceitar sua soltura – quando você pisar fora do seu confinamento – você colocará o Diabo para correr. Os demônios vão fugir. Não importa que notícias o mundo traga, não importa que aflições ou problemas venham, a palavra de Deus permanece verdadeira. Você pode receber um renovado enchimento do Espírito Santo, e sairá pulando como um bezerro para fora da estrebaria.
Deixo-o com essas gloriosas palavras de promessa:
·         “Porque o Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden e a sua solidão como o jardim do Senhor; gozo e alegria se acharão nela, ação de graças, e voz de cântico” (Isaías 51:3).
·         “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos pobres. Enviou-me a restaurar os contritos de coração... a apregoar o ano aceitável do Senhor... e ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de alegria por tristeza, veste de louvor por espírito angustiado. Eles se chamarão árvores de justiça, plantação do Senhor, para que ele seja glorificado” (Isaías 61:1-3).


Copyright/Limitações para reproduções: a publicação destes arquivos é propriedade exclusiva de World Challenge, Inc. Ela pode ser impressa na totalidade de seus textos para o uso pessoal do leitor, ou visando passá-la adiante para familiares ou amigos. Ela não pode ser alterada ou editada de modo algum e toda reprodução desta publicação deve conter essa nota de copyright. Este material não é para ser colocado ou transmitido publica/eletronicamente a nenhum site, página ou FTP senão os seguinte: worldchallenge.org, davidwilkerson.org, ou tscpulpitseries.org.


A UNÇÃO DO ESPÍRITO SANTO Atos 1:8



Introdução:Quero agora falar sobre um assunto especialíssimo: a unção do Espírito Santo.
Em 1Jo 2.20 lemos a respeito da unção. Está escrito: "Porém sobre vocês Cristo tem derramado o Espírito Santo, e por isso todos vocês conhecem a verdade".

A unção é um derramar de Deus... é quando o Espírito Santo, com o Seu poder, vem numa medida generosa, sobre aqueles que crêem.

Receber a unção do Espírito Santo é a experiência de se receber um revestimento de poder.
Como lemos em Lc 24.49, Jesus fazendo promessa aos discípulos, Ele disse: "...esperem aqui em Jerusalém, até que o poder de cima venha sobre vocês". Unção é o derramar desse poder que desce de cima.

Unção é também como um batismo com fogo.
A palavra "batismo" sugere "mergulho", onde a pessoa é envolvida pela glória de Deus, é preenchida.

Essa unção do Espírito Santo na vida do crente, significa a plenitude do Espírito possuindo a plenitude do homem.
Ninguém pode ser 100% feliz na vida ministerial se não for cheio do Espírito Santo.

E para quem é a unção do Espírito Santo?É para todos os que são crentes em Jesus! Em Atos 2:39 está escrito: "Pois essa promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, isto é, para todos aqueles que o Senhor, o nosso Deus, chamar". Aleluia!

E qual o propósito da unção?Lemos algo revelador em At 10.30.

Jesus foi ungido com o Espírito Santo e, aí, diz a Bíblia que Ele "...andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com Ele".

Esse é o propósito da unção: Capacitar o crente com um poder tal, que ele ande também por toda a parte, fazendo o bem e manifestando o poder sobrenatural de Deus.
Você deve receber a unção de Deus, porque a unção do Espírito Santo visa uma atuação sua, de maneira útil, na obra de Deus.

Você deve receber esta unção porque ela é necessária aos servos de Deus; a unção capacita o crente para um testemunho poderoso de Jesus... como está escrito em Atos 1.8: "...quando o Espírito Santo descer sobre vocês, vocês receberão poder e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até nos lugares mais distantes da terra". Oh! Glória!

Quando estamos cheios do Espírito Santo, cheios da unção do Alto, somos ousados, corajosos, intrépidos... o mundo das trevas nos identifica e treme.
A unção é uma poderosa arma contra o diabo... é um revestimento de poder completo.

E esse poder, essa unção é necessária.
Você sabe que para se tornou um cristão, um crente em Jesus, você teve que nascer do Espírito de Deus.

Pois, para você viver como cristão, que cresce e dá frutos, você precisa ser guiado pelo Espírito Santo... É através do Espírito Santo que somos levados a um plano de vida sobrenatural.

Na história da Igreja, no decorrer do tempo, muitos receberam a unção de Deus, mas não aproveitaram esse presente, não fizeram uso desse dom.
Mas hoje, vivemos um tempo profético, no qual Deus promete derramar do Seu Espírito sobre toda a carne e a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como águas cobrem o mar (Is 11.9). Amém? (aplauda ao Senhor)

Quando você recebe a unção do Espírito Santo, algumas coisas acontecem com você... a unção resulta no seguinte:
Você ganha mais sensibilidade contra o pecado (João16: 8)

Você tem mais interesse em viver uma vida que glorifica a Jesus (João 16:13-14 Atos 4:33)

Você pode ter visões da parte do Espírito, como João na Ilha de Patmos, que foi arrebatado em espírito e pode ouvir uma grande voz como de trombeta e ver o sobrenatural;

Com a unção, foi pode fluir na manifestação dos dons espirituais, porque o Espírito Santo "Ele dá diferentes dons para cada pessoa, conforme ele quer". (1Co12.4-10).

Na unção, você também tem um maior desejo de orar e de interceder (Atos 2:41-42, Romanos 8:26).

Sabe, o Espírito Santo foi à única fonte de poder no ministério de Jesus.
Foi a unção de Deus sobre Jesus que O capacitava. Lemos em Atos 10.38: "Deus derramou o Espírito Santo sobre Jesus de Nazaré e lhe deu poder. Jesus andou por toda parte fazendo o bem e curando todos os que eram dominados pelo Diabo, porque Deus estava com ele".

No Velho Testamento, essa unção veio sobre Davi e, por ela, Davi conseguiu vitória contra o gigante Golias.

Assim também em nós, é a unção de Deus em nossas vidas que nos capacita a lutar e vencer.

Dito estas coisas, consideremos agora as condições para receber a unção do Espírito Santo.As condições são estas:
Ser um crente em Jesus;
Buscar e obedecer a Deus;
Desejar essa unção... você deve ter grande fome e sede pela unção do Espírito Santo; e,
Pedir a Deus em oração, por esta unção.

Uma evidência de que você recebeu a unção do Espírito Santo, pode ser o falar em línguas.
Falar em línguas é uma manifestação sobrenatural do Espírito Santo... trata-se de falar numa linguagem que você nunca aprendeu.

E, esse orar em línguas, tem dois propósitos:
Se tiver interpretação, serve para a edificação de toda a igreja.
Se não tiver quem interprete, o falar em línguas serve como linguagem sobrenatural de oração, e edifica o crente. No v.14, Paulo declara que quando ora em línguas, o seu espírito ora bem!

No v.2, ele diz isto: "Quem fala em línguas estranhas fala a Deus e não às pessoas, pois ninguém o entende". A pessoa, o crente, ora em mistérios, isto é, numa linguagem que ela mesma não entende, os outros não entendem, mas que somente Deus entende.

É o que o apóstolo Paulo explicou: "...o que fala língua estranha... em espírito fala de mistérios" e no v.4, ele afirma: "O que fala língua estranha edifica-se a si mesmo".

Na carta de Judas 1.20, lemos sobre orar no Espírito Santo... uma experiência que edifica a fé santíssima, que faz bem, beneficia ao espírito, edifica...

Todos temos a necessidade de estar cheios do Espírito Santo.
Deus quer Sua Igreja cheia do Espírito Santo... e para isso Ele unge os Seus filhos. Aleluia!

Conclusão:Todos nós precisamos ser cheios do Espírito Santo, necessitamos ser renovados nEle.
Neste momento, vamos orar por isso... você será cheio do Espírito Santo e, dos seus lábios, creia, poderá fluir outras línguas, línguas estranhas, que você não entende, ninguém entende, mas que Deus entende... e que edifica a sua vida.

Creia na manifestação sobrenatural do Deus Todo-Poderoso!

quinta-feira, 29 de maio de 2014

GLORIA A DEUS. ALELUIA. AMÉM


PRECISAMOS SABER, OS ACONTECIMENTOS QUE ENVOLVE NOSSA NAÇÃO

OBAMA REAGE A CRÍTICOS E PROMETE AJUDA À OPOSIÇÃO SÍRIA

Em discurso a uma turma de formandos da Academia Militar dos EUA, em West Point, no Estado de Nova York, Obama fez uma ampla explanação sobre a condução da política externa até o final de seu mandato, que muda o foco da luta contra o terrorismo no Afeganistão para lidar com ameaças mais difusas em outras partes do mundo
28 DE MAIO DE 2014 ÀS 17:28
Por Steve Holland
WEST POINT, Estados Unidos (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reagiu às criticas sobre sua política externa nesta quarta-feira ao insistir que a confiança na diplomacia dos EUA, em vez da intervenção militar, estava sendo efetiva para resolver crises mundiais, citando a Ucrânia e o Irã como exemplos, e prometeu aumentar a ajuda à oposição síria.
Em discurso a uma turma de formandos da Academia Militar dos EUA, em West Point, no Estado de Nova York, Obama fez uma ampla explanação sobre a condução da política externa até o final de seu mandato, que muda o foco da luta contra o terrorismo no Afeganistão para lidar com ameaças mais difusas em outras partes do mundo.
A tendência de Obama a recorrer à diplomacia e contornar um envolvimento maior em questões externas tem dado munição a oposicionistas republicanos no Congresso e a vários especialistas em política externa, que prefeririam uma abordagem mais veemente.
Uma dessas questões diz respeito à Síria. Em seu discurso, Obama defendeu sua decisão de não intervenção militar no país e expressou a vontade de expandir a assistência a grupos de oposição síria que tentam derrubar o presidente Bashar al-Assad.
"Como presidente, tomei a decisão de que nós não deveríamos colocar tropas norte-americanas no meio dessa guerra cada vez mais sectária, e creio ter tomado a decisão certa", disse ele. "Mas isso não significa que não devamos ajudar o povo sírio a se afirmar contra um ditador que lança bombas contra a própria população e provoca fome."
Obama disse que o governo iria trabalhar com o Congresso para "aumentar" o suporte a grupos que "oferecem a melhor alternativa contra terroristas e ditadores brutais". Mais recursos devem ser entregues a países vizinhos da Síria, como Jordânia, Líbano, Turquia e também o Iraque.
Obama também anunciou plano para um fundo contraterrorismo de 5 bilhões de dólares, destinado a treinar e equipar aliados em outros países para combater o extremismo violento.
Obama fez uma forte defesa do uso de instituições multilaterais para lidar com problemas globais. Segundo ele, a liderança norte-americana ajudou o restante do mundo a isolar a Rússia por ter invadido a Ucrânia e é real a possibilidade de um avanço para firmar um acordo com o Irã sobre seu programa nuclear --apesar de amplos desentendimentos.
(Reportagem adicional de Roberta Rampton)

COMENTÁRIOS
9 comentários em "Obama reage a críticos e promete ajuda à oposição síria"
Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247


Gilmar Miranda 29.05.2014 às 09:16
É um engano total, uma total alienação (que foi imposta pelos meios de comunicação do Brasil, Rede Globo e cia), acreditar que os atentados de 11 de set/2001 foram praticados por terroristas muçulmanos, a mando de Bin Laden. Não! Não foram! Foram cometidos pelos próprios norte-americanos, para justificarem suas intervenções militares no Oriente Médio! Não existe a menor possibilidade de terroristas muçulmanos atacarem os EUA daquela maneira! Os atentados foram forjados! As torres gêmeas foram implodidas! O Pentágono foi atingido por um míssil de longo alcance (que terroristas muçulmanos não têm). Os aviões não foram sequestrados, mas sim teleguiados, pq os EUA têm tecnologia militar para fazer isto. E mesmo que tivessem sido sequestrados, seriam interceptados antes de atingirem as torres, pois quem tem tecnologia para interceptar mísseis, por que razão não interceptaria Boengs, muito mais lentos? Ocorre que, mesmo isto, seria totalmente impossível a fanáticos muçulmanos que não sabem pilotar nem mesmo teco-tecos, e muito menos habilidades suficientes para manobrá-los precisamente contra dois prédios, o que seria difícil até a pilotos muito experientes. Nós fomos enganados, pelos meios de comunicação, que além de sonegarem informação, sonegam impostos no nosso país, como a "Rede Globo de alienação". Acordem!
VEM PRO LADO DO BEM VC TBEM 29.05.2014 às 09:10
Esse neguinho obama bin laden perdeu a guerra do Afeganistão, da Síria e da Ucrania. E tá cagando de medo dos russos. Sai daqui canalha, tira sua lacaia e seus mercenarios da embaixada brasileira, porque sabemos que ela foi implantada para derrubar nossa querida Dilma. Vc só é macho pra bater em mulher, quero ver encarar o poderoso Putin.
Gilmar Miranda 29.05.2014 às 09:00
O presidente Barak Obama é, em grande parte, uma marionete nas mãos dos oligarcas norte-americanos, donos das armas e do dinheiro. Prestem atenção, nós somos enganados!!! Vocês sabiam que os atentados de 11 de set/2001 foram forjados pelos americanos, para terem um pretexto para invadirem o Afeganistão? Não sabiam? Então saibam! Vejam o documentário "A grande farsa dos atentados de 11 de setembro de 2001 - RTP-2", traduzido pela TV portuguesa (no Brasil, a Globo não mostra, pq defende os interesses dos magnatas norte-americanos que patrocinaram os atentados - portanto, sonega informação aos brasileiros, como aliás sonega impostos também, alienando todo mundo. Isto mesmo, a Rede Globo trabalha contra o nosso país. Trago aqui uma citação de um analista político norte-americano, Paul Craig Roberts. Vejam, são os próprios americanos que reconhecem a atuação de governantes tiranos dos EUA no mundo. Vejam: "Os regimes de Bush e Obama destruíram a reputação dos EUA com suas incessantes mentiras e a violência recorrente contra outros povos. O mundo vê Washington como a mais grave ameaça a pesar contra todos. A maioria das pessoas ao redor do mundo considera EUA e Israel como as maiores ameaças à paz mundial, como mostram consistentes pesquisas já realizadas. Os países declarados pelos EUA “estados párias” e do “eixo do mal”, como Irã e Coréia do Norte, estão muito distantes e bem abaixo na lista de países que ameaçam os povos do mundo. O mundo claramente já não acredita na autopropaganda de Washington. Verdadeiros estados párias, como o mundo os vê, são Israel e EUA. São eles os dois únicos países do mundo ainda dominados hoje por uma ideologia. Nos EUA, é a ideologia neoconservadora, que levou os EUA ao ridículo de se declarar “país excepcional, indispensável” supostamente escolhido pela história para exercer sua hegemonia sobre todos os outros. Essa ideologia é sustentada pelas doutrinas de Brzezinski e Wolfowitz, que se tornaram a base da política externa dos EUA... A mesma ideologia de superioridade manifestada na ideia neoconservadora de supremacia dos EUA e dos norte-americanos era pregada pela ideologia nazista de Hitler... O presidente Putin respondeu que “Deus nos criou todos iguais” quando Obama declarou em discurso que os norte americanos são “excepcionais”, superiores a todos os outros. Ora, é evidente que todos os “outros” não gostam nem se sentem bem com esse tipo de declaração ou doutrina. Enquanto isso, o governo israelense coleciona inimigos por todos os lados, com prejuízo de sua própria população. Conseguiu de forma muito competente isolar totalmente o país. A existência de Israel depende servilmente da capacidade e vontade de Washington, de protegê-la. Assim, o poder de Israel deriva diretamente do poder dos EUA. O poder de Washington tem história bem diferente. Como era a única economia em boa situação depois do fim da IIª Guerra Mundial, o dinheiro dos EUA, o dólar, tornou-se moeda mundial. Esse poder do dólar deu aos EUA a hegemonia financeira global, a origem principal de seu poder. Se outros países obtêm poder, põem em perigo essa “hegemonia” de Washington. Agora, os EUA invocam as doutrinas de Brzezinski e Wolfowitz, para justificar que só os EUA possam usar todos os meios para impedir que outros países adquiram poder. Sintetizando: a doutrina de Brzezinski advoga que, para continuar a ser a única potência mundial, hegemônica, Washington terá de dominar a Eurásia. Zbig concede que seja feito de modo pacífico, mediante suborno aos governantes russos, subordinando a Rússia ao Império Americano. “Uma Rússia vagamente confederada ... descentralizada, seria menos suscetível à movimentação imperial”. Falando cruamente: trata-se de despedaçar a Rússia em pequenos pedaços de estados semiautônomos, administráveis por políticos abjetamente nomeados e atrelados ao dinheiro de Washington. Brzezinski já propôs uma “Geoestratégia para a Eurásia”. Nela, a China e a tal ”Rússia Confederada” fazem parte de uma “estrutura transcontinental de segurança”, administrada, claro, por Washington, que permita perpetuar o papel dos EUA como a única superpotência mundial." (Paul Craig Roberts − Institute for Political Economy, in “Why War Is Inevitable”)
ADNAN EL KADRI 28.05.2014 às 23:59
Ditador é mãe desse COMERCIANTE de ARMAS INDECOROSO e CANALHA. Esse, ora governante do Império em decadência, NÃO perde a oportunidade de mostrar a TRUCULÊNCIA que preside o COMÉRCIO de ARMAS de manda na economia dos EUA. Esse é um mero despachante dos FABRICANTES de ARMAS. EL ASSAD é reconhecido pelo povo da SÍRIA, como seu LEGÍTIMO REPRESENTANTE. E esse súcubo do capital que está lá pelo poder do dinheiro e dos fabricantes de armas é o que ?! Um FANTOCHE do GRANDE CAPITAL. A sola do sapato de ASSAD tem mais valor que esse súcubo da direita.
castro 28.05.2014 às 21:46
Como presidente de um ESTADO BANDIDO Obama logicamente MENTE. O mundo DEVERIA sim isolar EUA por INVADIR o IRAQUE contrariando a uma RESOLUÇÃO da ONU que não autorizou o ato, por saber que o EUA mentia dizendo HAVER ARMA QUÍMICA em território IRAQUIANO e deu no que deu, os EUA proporcionou uma CARNIFICINA no IRAQUE, destruiu sua INFRAESTRUTURA e o ABANDONOU a PRÓPRIA SORTE. Paisinho BANDIDO.
Atualpha 28.05.2014 às 19:37
É Sr. Obama, o Afeganistão você irá ter que devolvê-lo aos Talibãs, em situação muito pior do que quando invadiram aquele país. Que pena, quanto desperdício de recursos e vidas para se levar a nada. Pelo menos a produção de drogas no Afeganistão aumentou uns 95% depois que vocês invadiram aquele país. O Iraque que invadiram sobre a mentira deslavada de procurar armas de destruição em massa, vocês foram embora e deixaram por lá um caos total. Na Líbia vocês apoiaram a invasão (o serviço de bombardear deixaram para os seus serviçais europeus). Ao final mataram dezenas de milhares de civis, inclusive o Kadaffi e parte de sua família, destroçaram a infraestrutura do país, tudo sobre a falsa justificativa de “proteger civis”. Exatamente no dia de hoje a Líbia já tem mais de 1700 milícias que lutam entre si pelo poder e já transformaram aquele outrora próspero e rico país num caos nunca antes imaginado. SERÁ SR. OBAMA QUE OS SENHORES AINDA NÃO DESCOBRIRAM QUE ESSA POLÍTICA DE INTERVIR EM NAÇÕES SOBERANAS NÃO VALE A PENA, E NA VERDADE ESSA POLÍTICA PRODUZ DESGRAÇA, SOFRIMENTO E TODO TIPO DE PERDAS PARA MUITOS INOCENTES. Hoje mesmo Sr. Obama o Departamento de Estado do seu governo recomendou a todos os americanos, civis ou não, que deixem imediatamente a Líbia. QUE VERGONHA! Vejam aí as notícias no USA TODAY, apesar de que a matéria não conte a verdade sobre o que realmente aconteceu na Líbia. (http://www.usatoday.com/story/news/world/2014/05/27/libya-turmoil/9387743/).==================================================================================================================================> DEPOIS DE TANTA DESGRAÇA SR. OBAMA, OS SENHORES AINDA INISTEM EM APOIAR TERRORISTAS PARA DERRUBAR O PRESIDENTE DA SÍRIA. AFINAL SR. OBAMA ELEIÇÕES ESTÃO ACONTECENDO NA SÍRIA. NÃO SERIA MELHOR RESPEITAR O DIREITO DOS SÍRIOS DECIDIR O QUE QUEREM PARA SEU PAÍS E SEU POVO?
eros alonso 28.05.2014 às 18:20
Faz tempo que ajudam os terroristas. Mas terrorismo por terrorismo fico com bin Laden, que não fez nada mais nada menos do que os EUA fazem.Apenas devolveu na mesma moeda ao povo americano o que sue governo faz a outros povos.
bene 28.05.2014 às 17:56
os EUA já esta ajudando os rebeldes Sírios, só precisa eles serem sinceros e dizer a verdade, querem derrubar o governo sírio para implantar suas politicas o que é seu é meu e um abraço , vai acabar sobrando para os EUA ainda a ira das nações
bene 28.05.2014 às 17:55
os EUA já esta ajudando os rebeldes Sírios, só precisa eles serem sinceros e dizer a verdade, querem derrubar o governo sírio para implantar suas politicas o que é seu é meu e um abraço


Curso Fé: Módulo 2: lição 02: parte F - Como tomar posse da benção

Curso Fé: Módulo 2: Como tomar posse da benção: Lição 3: O Ministério de...

quarta-feira, 28 de maio de 2014

A Vindicação de Deus Postado em 05/09/2013 sob Artigo, Atributos de Deus, Expiação/Ressurreição, O Poder e a Mensagem do Evangelho,



A quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus.  (Romanos 3.25-26)
O início de Romanos 3.25-26 nos diz que foi a vontade de Deus expor publicamente, ou pendurar em um outdoor, seu Filho na cruz do Calvário. Como já afirmamos, no momento específico da história, Deus o ergueu em um madeiro justamente no cruzamento do centro religioso do universo para que todos vissem.[1] De acordo com nosso texto, Deus escolheu esse lugar dos mais públicos para o sacrifício de seu Filho para que viesse a vindicar a si mesmo ao demonstrar de uma vez por todas que ele é um Deus justo. Ainda assim devemos perguntar: por que tal vindicação foi necessária?[2] O texto acima coloca a razão diante de nós: “por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos”.[3]
De acordo com o apóstolo Paulo, foi necessário que Deus vindicasse a si mesmo, ou provasse sua justiça, porque em sua tolerância ele havia deixado impunes os pecados de seu povo e não aplicou a justiça ou a punição que era devida a ele. Ao longo da história humana, ele havia demonstrado graça e concedido perdão para uma multidão incontável de homens que ele chamou do mundo e declarou que eram seu povo. Contudo, ao fazê-lo, ele expôs a múltiplas acusações de injustiça: Como um Deus justo pode conceder perdão ao perverso, e como pode um Deus verdadeiramente santo chamá-los à comunhão consigo mesmo? Se Deus é justo, por que ele não aplica justiça? Em qual base ele concede perdão para aquela grande multidão de santos no Antigo Testamento? As Escrituras testemunham claramente que os antigos sacrifícios de sangue de bois e cabras não tinham poder para remover o pecado.[4] Então como Deus poderia perdoá-los? Sua tolerância aos pecados prova que ele não é justo? Isso demonstra que ele é tão apático para com o mal que ele pode olhar para o pecado com indiferença ou conceder perdão por uma questão de capricho? O Deus do céu comprometeu sua justiça ao conceder perdão àqueles que deveriam ser justamente condenados?[5] Não fará justiça o juiz de toda a terra?[6] A cruz do Calvário fornece a resposta para todas essas perguntas. Lá, Deus depositou os pecados de seu povo sobre a cabeça de seu Filho. Lá, a justiça de Deus que era devida ao povo de Deus em todas as eras — passadas, presentes e futuras — foi derramada sobre Jesus de Nazaré. Desde o primeiro homem perdoado na dispensação do Antigo Testamento até o último homem perdoado no fim do mundo, todos eles devem seu perdão ao fato de que Cristo morreu por seus pecados. Através da cruz, é como se Deus declarasse a seus acusadores:
Vocês questionam como eu poderia chamar um povo mesmo do perverso período antediluviano e declará-los meus? Vocês exigem explicação sobre porque poupei Noé, quando na verdade ele também deveria ter morrido no dilúvio? Vocês me chamam para explicar o motivo pelo qual chamei o pagão Abrão daquela cidade vil de Ur, creditei justiça a ele, e fiz dele meu amigo? Vocês se perguntam o porquê de eu ter salvado um remanescente da nação de Israel e os abracei como meu tesouro especial ainda que seus pecados exigissem sua rejeição? Vocês tentam entender como eu pude perdoar a multidão de pecados de Davi e chamá-lo de filho meu?
Suas acusações já foram longe demais. Agora respondi a vocês na cruz de meu Filho amado, que foi destinado a morrer pelos pecados de meu povo mesmo antes da fundação do mundo. Ao longo das extensas eras de minha tolerância, meu olho esteve fixo naquele madeiro onde ele sofreria por eles. Tudo o que eu fiz por eles no passado foi baseado no que meu Filho fez por eles agora. Sim, eu perdoei livremente uma grande multidão de homens perversos, perdoei suas obras ilegais, cobri seus pecados e não levei em conta suas transgressões, mas foi porque eu determinei satisfazer cada demanda de justiça contra eles através da obra expiatória de meu Filho amado!
A cruz do Calvário cala todas as vozes e demonstra que cada acusação contra Deus é falsa. Naquele madeiro, ele condenou os pecados de seu povo com perfeita justiça e expiou por seus crimes com um amor que não pode ser medido. Naquele altar de madeira, “encontraram-se a graça e a verdade, a justiça e a paz se beijaram”.[7] Deus vindicou a si mesmo. Ele provou ser tanto justo quanto o justificador daquele que tem fé em Jesus Cristo.[8] A cruz abole quaisquer incertezas a respeito de sua justiça ou intolerância para com o pecado. A cruz prova que quaisquer dúvidas a respeito de seu amor são infundadas e não devem ser acolhidas nos corações de seu povo.



[1] Gálatas 4.4
[2] O Dicionário Webster’s define vindicação como a defesa de qualquer coisa; uma justificação contra a negação ou a censura, ou contra objeções ou acusações.
[3] Romanos 3.25
[4] Hebreus 10.4
[5] Provérbios 17.15
[6] Gênesis 18.25
[7] Salmo 85.10
[8] Romanos 3.26


terça-feira, 27 de maio de 2014

NA BÍBLIA ESTÁ A MINHA E A SUA SALVAÇÃO. AMÉM


Postado em 29/08/2013 




À hora nona, clamou Jesus em alta voz: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? (Marcos 15.34)
Ele, por sua vez, se afastou, cerca de um tiro de pedra, e, de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua. Então, lhe apareceu um anjo do céu que o confortava. E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra.  (Lucas 22.41-44)
Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito. (João 19.30)
Diante de nós está o capítulo mais importante deste livro, ou, como a maioria dos cristãos concordariam, o capítulo mais importante na história da humanidade. Este tema não pode ser quebrado em porções menores, mesmo que seja para a conveniência do leitor. Este é o coração do evangelho, e se devemos labutar através dele, esse é, de fato, um labor digno!
Uma dos grandes males da pregação evangelística contemporânea é que ela raramente explica a cruz de Cristo. Não é suficiente dizer que ele morreu – todos morrem. Não é suficiente dizer que ele morreu uma morte nobre – mártires fazem o mesmo. Devemos entender que não teremos proclamado completamente a morte de Cristo com poder salvador até que tenhamos limpado as confusões que a cercam e exposto seu verdadeiro significado para os nossos leitores: ele morreu carregando as transgressões de seu povo e sofreu a pena divina por seus pecados. Ele foi abandonado por Deus e esmagado sob a ira de Deus em nosso lugar.
Desamparado por Deus
Uma das passagens mais perturbadoras, até mesmo assombrosas, das Escrituras é o relato de Marcos do grande questionamento do Messias enquanto ele estava pendurado na cruz romana. Em alta voz, ele clamou “Eloí, Eloí, lamá sabactâni?”, que traduzido significa: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”[1]
À luz do que sabemos sobre a natureza impecável do Filho de Deus e o seu relacionamento perfeito com o Pai, as palavras do Messias são difíceis de compreender, porém elas carregam o sentido da cruz e a razão pela qual ele teve que morrer. O fato de suas palavras terem sido registradas no original em hebraico nos diz algo sobre a sua grande importância. O autor não queria que compreendêssemos mal sequer um detalhe!
Nessas palavras, Cristo não apenas está clamando a Deus, mas como um consagrado professor, ele está também direcionando aqueles que o viam e todos os futures leitores para uma das mais importantes profecias messiânicas do Antigo Testamento: o Salmo 22. Todo o salmo está repleto de profecias detalhadas da cruz, mas iremos nos ocupar somente com os primeiros seis versos:
Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que se acham longe de minha salvação as palavras de meu bramido? Deus meu, clamo de dia, e não me respondes; também de noite, porém não tenho sossego. Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel. Nossos pais confiaram em ti; confiaram, e os livraste. A ti clamaram e se livraram; confiaram em ti e não foram confundidos. Mas eu sou verme e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo.
Nos tempos de Cristo, a Escritura Hebraica não era numerada por capítulos e versículos como hoje. Portanto, quando um rabi buscava direcionar seus leitores para certo salmo ou certa porção da Escritura, ele o faria recitando as primeiras linhas daquele texto. Nesse clamor da cruz, Jesus nos direciona para o Salmo 22 e nos revela algo sobre o caráter e o propósito do seu sofrimento.
No primeiro e no segundo versículo, ouvimos o Messias lamentando: ele se considera desamparado por Deus. Marcos usa a palavra grega egkataleípo, que significa desamparado, abandonado ou desertado.[2] O salmista usa a palavra hebraica azab, que significa deixar ou desamparar.[3] Em ambos os casos, a intenção é clara. O próprio Messias está consciente que Deus o desamparou e se fez de surdo ao seu clamor. Esse desamparo não é simbólico ou poético. Ele é real! Se houve uma pessoa que já se sentiu o desamparo de Deus, esse foi o Filho de Deus na cruz do Calvário!
O quarto e o quinto versículo desse salmo, a angústia sofrida pelo Messias se torna mais aguda enquanto ele se lembra da fidelidade pactual de Deus para com seu povo. Ele declara: “Nossos pais confiaram em ti; confiaram, e os livraste. A ti clamaram e se livraram; confiaram em ti e não foram confundidos.” A contradição aparente é clara. Nunca houve um episódio na história do povo da aliança em que um justo clamou a Deus e não foi livrado. Contudo, agora, o Messias imaculado está pendurado sobre o madeiro totalmente desamparado. Qual poderia ser a razão do abandono de Deus? Por que ele voltou as suas costas para seu Filho unigênito?
Jesus tece a resposta para essas questões perturbadoras em seu lamento. No verso 3, ele faz uma firme declaração dizendo que Deus é santo e, no verso 6, ele admite o indizível: ele se tornou um verme, não mais um homem. Por que Cristo falaria de si mesmo com tal linguagem degradante e depreciativa? Ele se via como um verme porque ele se tornara “opróbrio dos homens e desprezado do povo” ou havia uma razão maior e mais terrível para a sua autodepreciação?[4] Afinal, ele não clamou “Meu Deus, Meu Deus, por que as pessoas me desampararam?”, mas buscou saber porque Deus o havia feito. A resposta pode ser encontrada nesta amarga verdade: Deus fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos, e, como um verme, ele foi desamparado e moído em nosso lugar.[5]



[1] Marcos 15.34
[2] Marcos 15.34
[3] Salmo 22.1
[4] Salmo 22.6
[5] Isaías 53.5-6


quinta-feira, 22 de maio de 2014

IMPORTA NASCER DE NOVO, DA AGUA E DO ESPÍRITO JESUS DISSE ISSO A NICODEMOS. AMÉM


A Bíblia é bem clara sobre a necessidade de uma pessoa nascer de novo para receber a vida eterna. Jesus cunhou esse termo em João 3:3-7, quando disse ao líder religioso Nicodemos: "Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." Como essa necessidade é tão importante, Satanás a tem atacado com todo o seu poder nos últimos dois mil anos, fazendo a maioria das igrejas cristãs deixar de ensinar essa doutrina, apesar de que ninguém pode ser salvo sem passar por essa maravilhosa conversão espiritual. No entanto, a arma mais eficiente de Satanás contra a doutrina do Novo Nascimento sempre foi a confusão.
Felizmente, Jesus tornou esse processo de transformação bem simples, tão simples que todas as pessoas, independente de seu grau de instrução ou de inteligência, podem compreender. Existem vários passos para nascer de novo e eles estão relacionados a seguir:
1. Compreenda que TODOS os homens nascem pecadores. Romanos 3:23, diz "Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus." Essa mensagem que todos os homens são pecadores é amplamente repetida nas Escrituras, tanto no Velho quanto no Novo Testamento. Isso significa que você é um pecador diante dos olhos de um Deus que é santo e que precisa punir todo o pecado. Você reconhece que é um pecador?
2. Como todo homem é um pecador imperfeito, e Deus é um Deus perfeito, nenhum homem pode salvar a si mesmo. Jesus deixou esse fato bem claro em Mateus 5:48, quando disse: "Portanto, sede vós perfeitos, como perfeito é o vosso Pai celeste." Se todos precisamos ser perfeitos aos olhos de Deus, como alguém poderá ir ao céu, especialmente se a Bíblia declara diversas vezes que TODOS são pecadores? Obviamente, ninguém irá ao céu assim, tentando ser bom para merecê-lo. Como a Bíblia diz que milhões de pessoas estarão no céu, deve haver outro modo de chegar lá, além de tentar ser bom o suficiente.
Você precisa estar arrependido dos seus pecados e querer obter o perdão. Isso se chama Arrependimento. A palavra arrependimento significa que você se arrepende dos pecados passados e que não quer pecar mais. Arrependimento significa o desejo de dar uma volta de 180 graus em sua vida. Não significa que você nunca mais pecará, mas significa que o pecado será uma exceção na sua vida, não a regra. Não se preocupe — o Espírito Santo de Deus lhe dará o poder espiritual para se transformar nesse tipo de pessoa.
3. Jesus Cristo, oferecendo seu sangue derramado no Calvário, morreu como um sacrifício substituto pelos seus pecados, e agora está oferecendo vida eterna no céu para você como um Dom Gratuito!! Parece bom demais para ser verdade? Em Romanos 6:23, temos: "Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor." A vida eterna é um dom, um dom gratuito, de Deus por meio do sacrifício de Jesus na cruz. Você não pode comprar a vida eterna, e com certeza não a merece, mas ela é oferecida como um DOM GRATUITO.
4. Em Efésios 2:8-9, o apóstolo Paulo reitera esse ensino que a vida eterna com Deus é um dom gratuito"Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie." Nenhum homem poderá estar diante de Deus na eternidade, e se gloriar que "comprou" sua entrada no céu. Ao contrário, todas as pessoas no céu estarão ali somente por causa do Dom GRATUITO de Deus, que Jesus obteve com sua morte em nosso lugar na cruz. Em vez de punir os pecados individuais de cada pessoa, Deus acumulou esses pecados sobre Jesus quando Ele estava na cruz. [Isaías 53:2-12].
Agora, você provavelmente está pensando, 'Como posso receber esse dom gratuito da vida eterna?' Em Atos 16:25-33, o carcereiro perguntou a Paulo, "O que devo fazer para que seja salvo?" Paulo respondeu: "Crê no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo, tu e tua casa." Você precisa CRER em Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador pessoal. Para crer realmente, você precisa colocar toda sua fé e confiança em Cristo e depender somente dEle como sua única esperança de salvação e de vida eterna. Essa é uma questão de crer no coração e você não pode fingir e enganar a Deus, pois Ele sabe tudo a seu respeito. Muitas pessoas erroneamente pensam que aceitando os fatos acerca da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo, automaticamente receberão o dom da vida eterna. No entanto, esse não é o caso. Normalmente, os pregadores chamam isso de "conhecimento mental, mas sem aceitação no coração". A salvação é dada gratuitamente, mas somente para aqueles que creram genuinamente.
5. Em João 1:1,14, vemos que Jesus Cristo é Deus, igual com Deus, presente com Deus antes do início dos tempos, e o verdadeiro criador do Universo e de tudo o que nele há. Jesus fez repetidamente essa afirmação durante seu ministério. Ele é 100% Deus e 100% humano ao mesmo tempo, e é essa a razão pela qual Ele usou ambos os títulos durante seu ministério, Filho de Deus e Filho do homem. Para nascer de novo, você precisa crer nessa doutrina acerca de Jesus Cristo.
O verso 14 é o mais importante, o ensino que o Filho de Deus, Jesus Cristo, tornou-se homem. Esse ensino torna-se um ponto de separação entre os seguidores de Cristo e do Anticristo. Em 1 João 4:1-3, vemos que se alguém nega que Jesus veio em carne tem o espírito do Anticristo. Logicamente, isso era exatamente o que os gnósticos daquele tempo estavam dizendo, isto é, que o Jesus humano não era o Deus Messias vindo em carne; em vez disso, a 'Consciência do Cristo' a Consciência do Messias veio sobre Jesus por ocasião do seu batismo e O deixou quando Ele estava na cruz. Eles não criam que Jesus fosse Deus e homem. O Movimento de Nova Era e a Maçonaria ressuscitaram essa blasfêmia.
6. Isaías 53:6 prediz exatamente o que Jesus Cristo fez por nós na cruz; "O SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos." Glória a Deus!! Somente a sabedoria, a graça e o poder do Deus Todo Poderoso poderia conceber um Plano de Salvação tão gracioso!! A natureza de Deus exige a punição de todo pecado. Ponto final! No entanto, Deus teve um plano por meio do qual um substituto inocente seria punido no lugar do pecador. No Antigo Testamento, Deus permitia que um cordeiro fosse o sacrifício substituto para o pecado; Jesus então se tornou o sacrifício perfeito, para todos os pecados do mundo. Seu sacrifício foi perfeito, nunca precisa ser repetido e salva todas as pessoas em todas as épocas.
Para nascer de novo, você precisa compreender e crer nesse princípio da morte substitutiva de Jesus na cruz do Calvário em seu lugar.
Agora que você compreende essas verdades, e crê nelas, precisa compreender como pode receber esse Dom GRATUITO da vida eterna por meio de Jesus Cristo. Afinal, se eu estivesse tentando lhe dar um presente GRATUITO, esse presente não se tornaria seu se você se recusasse a estender o braço e pegá-lo da minha mão. Você precisa ir até o Senhor Jesus e receber o Dom GRATUITO da Vida Eterna das mãos dEle. Como você faz isso?
Por meio da fé salvadora.
Observe que eu disse fé salvadora. Existem tipos de fés que não o salvarão. Você pode entender intelectualmente os fatos sobre a pessoa de Jesus Cristo, mas essa não é uma fé salvadora. Você pode estar em uma 'igreja' ou em uma seita que ensina muitas verdades sobre Jesus Cristo, mas que ensina que você precisa fazer outras coisas para ganhar sua entrada no céu. Essa também não é a fé salvadora.
Fé salvadora é confiar em Jesus Cristo e nEle somente, para sua salvação.
Se você acha que precisa de algo mais do que confiar na obra de Jesus Cristo na cruz, está contrariando Efésios 2:8-9 e Isaías 53:6b. A maioria das seitas e as falsas religiões cristãs erram nesse ponto; acrescentam outras coisas que são "necessárias" para a salvação, ou oferecem um caminho falso para o céu (por exemplo, salvação por meio do batismo).
Você recebe esse maravilhoso Dom GRATUITO de Vida Eterna aceitando-o pela fé salvadora. Essa é a maior história já contada, sobre a maior oferta que já foi feita, pela maior de todas as pessoas que já viveu. Verdadeiramente, somente um Deus sábio e gracioso poderia conceber um plano maravilhoso assim por meio do qual os homens pudessem ter seus pecados perdoados, e obter a vida eterna. Pense nisso! Deus, por sua própria natureza, precisa punir todo pecado, mas como é misericordioso, oferece o Plano da Punição Substitutiva, por meio de Seu Filho Jesus Cristo. Historicamente, chamamos esse plano maravilhoso de Evangelho, ou Boas Novas!!
Quer receber esse Dom da Vida Eterna que Jesus Cristo oferece? Se sua resposta for "Sim", pode receber imediatamente a vida eterna.
Deixe-me deixar bem claro o que está envolvido. Primeiro, você vai transferir sua confiança, sua esperança de vida eterna do que está fazendo para o que Jesus fez por você na cruz. Jesus removerá seus pecados e transferirá para você a justiça dEle. Isso significa que embora você tenha falhado continuamente em guardar os mandamentos de Deus, e em viver de acordo com Sua palavra, Cristo obedeceu perfeitamente todas essas leis de Deus. Ele viveu uma vida imaculada e pode ser o sacrifício substitutivo perfeito, inocente que Deus aceitou pelos seus pecados e os de todo o mundo, para todos os que aceitarem essa dádiva.
Você deseja arrepender-se de seus pecados agora, e tornar-se um membro responsável da família de Deus para sempre, seguindo-o, servindo-o como membro do corpo de Cristo, a igreja? Se a resposta do seu coração for 'Sim', então podemos ir a Ele agora em oração e podemos dizer-lhe que você quer deixar de confiar em qualquer outra coisa, especialmente naquilo que você mesmo tentou fazer para obter a salvação eterna. Você pode colocar sua confiança nEle e nEle somente para sua salvação, recebendo-o agora como seu Salvador pessoal. Antes de orarmos uma oração simples, preciso enfatizar que o Senhor Jesus Cristo está olhando mais para o seu coração do que para seus lábios. Como Ele prometeu, "Buscar-me-eis e me achareis, quando me buscardes de todo vosso coração". [Jeremias 29:13].
Se for isso que você quer, então o Senhor ouvirá sua oração e lhe dará a vida eterna, agora, na privacidade do seu lar. Vamos orar.
"Pai, peço que concedas o Dom GRATUITO da vida eterna. Que teu Santo Espírito leve esta pessoa até ti. Conceda-lhe a fé para crer nas tuas maravilhosas promessas. Dá-lhe o arrependimento para converter-se dos seus pecados. Revele a ela Jesus Cristo crucificado como o sacrifício substitutivo perfeito."
O Senhor Jesus Cristo está com você a partir deste momento. Você não está falando com ninguém agora, somente com Ele. Se você realmente quer nascer de novo, entrar na família de Deus por meio de Jesus Cristo, faça esta oração, no seu coração:
"Senhor Jesus, quero receber-te na minha vida e que passes a ter o controle dela. Sou um pecador. Até aqui confiei em mim mesmo e nas minhas boas obras, e em outras coisas. Mas, agora, coloco minha confiança em Ti. Eu Te aceito como meu Salvador pessoal. Creio na Tua morte em meu lugar. Eu Te recebo como Senhor e Mestre da minha vida. Ajude-me a deixar os pecados e a Te seguir. Aceito Tua oferta do Dom GRATUITO da vida eterna. Sou indigno dela, mas agradeço a Tua graça. Amém."
Agora, permita que eu ore por você. "Pai, ouvistes a oração feita por esta pessoa. Que neste momento silencioso, Teu Santo Espírito lhe dê segurança absoluta da vida eterna; conceda-lhe a certeza que seus pecados estão perdoados. Que ela possa ouvir, no fundo de sua alma, Tua voz dizendo 'Perdoados estão teus pecados. Vá em paz.' Que possa ouvir Tua voz dizendo, "Quanto dista o oriente do ocidente, assim afastarei de ti as transgressões, e nunca mais me lembrarei dos teus pecados." Aquele que crê em Jesus Cristo passou da morte para a vida, não perecerá, mas terá a vida eterna. Oro no nome de Jesus. Amém." [Salmo 103:12; João 3:16,18, 5:24, paráfrase].
Você acaba de fazer a oração mais importante da sua vida. Se foi sincero nisso, quero que veja o que Jesus diz sobre o que você acaba de fazer. Em João 6:47, Ele diz, "Em verdade, em verdade vos digo, que aquele que crê em mim tem a vida eterna." Durante sua oração, você não ouviu um coral de anjos ou teve alguma visão; no entanto, por um simples ato de fé, colocou sua confiança para sua salvação eterna em Jesus Cristo.
Fé salvadora é confiar em Jesus Cristo SOMENTE para a sua salvação. Se no seu coração, você concordou com o que seus lábios disseram, tem a promessa de Jesus Cristo que Ele perdoa seus pecados, o adota no Reino dos Céus, e que concede vida eterna nos céus com Ele.
Se isso tudo parece simples e você acha inacreditável que possa ser verdade, a Bíblia garante que é assim mesmo. Ao longo dos séculos, o homem complicou o Plano de Salvação e a maioria das pessoas não sabe o quão simples e descomplicado é esse plano por meio de Jesus Cristo! Se você foi genuíno na sua oração, tem agora a vida eterna e a certeza dela como se já estivesse no céu. Jesus disse que ninguém pode tomar aquele que está em Suas mãos. Não há nada no céu ou na terra que possa tirá-lo de lá!!
Como você pode saber com certeza que nasceu de novo? Não espere uma experiência de "tremor no chão", porque na maioria dos casos ela vem de uma forma tranqüila, uma sensação de alívio, de ter uma carga removida dos ombros. Você não verá fogos de artifício ou bandas tocando, mas sentirá uma calma maravilhosa no coração. Com o passar do tempo, descobri que um dos melhores indicadores do novo nascimento é uma genuína compreensão da Palavra de Deus. Antes de nascer de novo, o "homem natural" (a pessoa perdida), não pode compreender as Escrituras porque elas se discernem espiritualmente (1 Coríntios 2:14). Na verdade, a Bíblia é uma tolice para essa pessoa. Assim, quando a Palavra de Deus começar a fazer sentido, a falar ao seu coração e a convencê-lo do pecado, esse é um indicador muito bom que você tem o Espírito Santo de Deus habitando em sua vida. O cristão obtém uma nova natureza espiritual por meio do novo nascimento, mas não se liberta da velha natureza pecaminosa com a qual nasceu. Portanto, é vitalmente importante que "cresçamos na graça e no conhecimento de Jesus Cristo." [2 Pedro 3:18]. Precisamos cooperar com o Espírito Santo durante o tempo em que vivemos rodeados pelo pecado neste mundo. O Espírito Santo literalmente passa a residir dentro de nós quando nascemos de novo e nunca nos deixará ou nos esquecerá.
Outra evidência maravilhosa da salvação genuína encontra-se no "fruto do Espírito" [Gálatas 5:22] que ocorre nas nossas vidas cotidianas à medida que o Espírito Santo opera dentro de nós. A presença dEle será manifesta ao mundo exterior por meio do amor, da alegria, da paz, da longanimidade, da fé, etc. que o mundo verá em nós! A Bíblia diz em Romanos 8:16 que, "O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus." Em outras palavras, o Espírito Santo que habita dentro de nós nos diz que pertencemos a Deus.
No entanto, há muito mais!! Em Apocalipse 3:20, Jesus prometeu: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e cearei com ele e ele comigo." Jesus Cristo acaba de entrar NO SEU CORAÇÃO por meio da atuação do Espírito Santo, para viver nele para o resto da sua vida! É uma grande notícia, pois agora temos o mesmo poder do Espírito Santo que ressuscitou Jesus Cristo dentre os mortos. [Romanos 8:11] Na verdade, recomendo que você leia o Capítulo 8 de Romanos para ver todas as vantagens que temos pelo fato de o Espírito Santo habitar em nós.
A salvação por meio do sangue que Jesus derramou no Calvário lhe dá um relacionamento pessoal e profundo com o Espírito Santo enquanto você viver!! Quando você começar a ler a Bíblia, e especialmente o Novo Testamento, compreenderá a maravilhosa profundidade do relacionamento que pode ter com o Criador! A salvação produz um relacionamento que enriquecerá diariamente sua vida! Você nunca conseguirá acreditar, até que nasça de novo, o tipo de vida que perdeu por tanto tempo!
Se você tomou sua decisão de nascer de novo, escreva e conte-nos, para que possamos lhe dar alguns conselhos práticos sobre como garantir sua crescente maturidade e produtividade no Senhor. Quando nos escrever, coloque "Nascido de Novo" no campo Assunto.
Outro bom artigo que pode ler em nosso site, é Se Você For Novo na Fé Cristã. Ele oferece ótimas diretrizes para você crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus Cristo.
Nós o amamos no Senhor. Ore por este ministério, que procura alertar as pessoas no mundo inteiro acerca da Nova Ordem Mundial. Precisamos das suas orações, pois Satanás está nos atacando fortemente.
Por causa do amor de Jesus Cristo por nós no Calvário,
David Bay, diretor da Cutting Edge Ministries


Postagem em destaque