quinta-feira, 12 de março de 2015

Enquanto você adorar e se prostra, diante de imagem de escultura, você nunca terá a paz que vem de Deus! Só em Jesus você terá essa paz!!!




INTRODUÇÃO
A idolatria é um pecado que o povo de Deus cometia repetidas vezes, ao longo de sua história no AT. A idolatria é adorar, venerar, ajoelhar–se diante de ídolos, fazer-lhes orações, prostrar-se diante deles e prestar-lhes culto. Durante este estudo bíblico, identificaremos a idolatria e seus males e a forma bíblica de se libertar dela. Todos os textos bíblicos citados ao longo deste estudo podem ser examinados em qualquer Bíblia, de qualquer versão, no final estaremos dando uma lista das abreviaturas dos livros aqui mencionados para facilitar a sua pesquisa. Oro a Deus para que este trabalho leve você a encarar os fatos aqui tratados e tenha uma vida abundante.
O QUE É IDOLATRIA?
Definindo os termos
  • Idolatria
    - Adoração dos ídolos
  • Idólatra
    - O que adora ídolos
  • Idolo
    - Figura que representa uma divindade ou qualquer ser, ou coisa e é objeto de culto.
NATUREZA DA IDOLATRIA
O ídolo em si, nada é.
O ídolo não tem poder em si mesmo. É meramente um pedaço de gesso, barro, ferro, prata, ouro, madeira ou outro qualquer material utilizado pelo homem para sua confecção, conforme os textos bíblicos descrevem .
"Fazem os homens para si deuses que de fato não são deuses? " Jr.16.20
" ... sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só. Pois ainda que haja alguns que se chamem deuses, quer no céu, quer na terra, como há muitos deuses e muitos senhores, todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também por ele." 1Co 8.4-6.
Por isso os salmistas e profetas freqüentemente zombavam dos ídolos:
"Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos do homem. Têm boca, mas não falam, têm olhos mas não vêem; têm ouvidos, mas não ouvem, têm nariz, mas não cheiram; têm mãos, mas não apalpam, têm pés, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. Tornem-se semelhantes a eles os que o fazem, e todos os que nele confiam." Sl 115.4-8
Veja o que o profeta Isaias fala em seu livro sobre os ídolos e aqueles que os adoram
"Todos os artífices de imagens de escultura são nada, e as suas coisas mais desejáveis são de nenhum préstimo, e as suas próprias testemunhas nada vêem, nem entendem, para que eles sejam confundidos. Quem forma um Deus, e funde uma imagem de escultura, que é de nenhum préstimo? Ele e todos os seus seguidores serão confundidos; os artífices são apenas homens. Ajuntem-se todos, e levantem-se; assombrar-se-ão, e serão juntamente confundidos. O ferreiro faz o machado, e trabalha nas brasas, e o forma com martelos, e forja com a força de seu braço. Ele tem fome e a sua força falta, não bebe água, e desfalece. O carpinteiro estende a régua sobre a madeira, e com lápis esboça um deus; dá-lhe forma com o cepilho, e torna a esboça-lo com o compasso. Faz o seu deus à semelhança de um homem, segundo a forma de um homem, para habitar em uma casa. Cortou para si cedros, ou tomou um cipreste, ou um carvalho. Ele o deixou crescer entre as árvores do bosque, ou plantou um pinheiro, e a chuva o fez crescer. Tal árvore serve ao homem para queimar; com parte de sua madeira se aquenta, e coze o pão, e também faz um deus, e se prostra diante dele, fabrica uma imagem de escultura, e se ajoelha diante dela. Metade queima no fogo, e prepara a carne para comer; faz um assado, e dele se farta. Também se aquenta, e diz: Ah! Já me aquentei, já vi o fogo. Então do resto faz um deus, uma imagem de escultura; ajoelha-se diante dela, e se inclina, e lhe dirige a sua oração, e diz livra-me, tu és o meu deus. Nada sabem, nem entendem; grudaram-se-lhe os olhos, para que não vejam, e se fecharam os seus corações, para que não entendam. Nenhum deles pára para pensar, ninguém tem entendimento nem conhecimento, para dizer: Metade queimei no fogo, e assei pão sobre as brasas, assei sobre elas carne, e a comi. Faria eu do resto uma abominação? Ajoelhar-me-ia ao que saiu de uma árvore? Apascenta-se de cinza, o seu coração enganado o desvia; de maneira que não pode livrar a sua alma, nem dizer: Não será mentira o que está na minha mão direita?" Is 44.6-9
Fascínio da idolatria
Por que a idolatria era tão fascinante aos israelitas?
Podemos afirmar que três coisas fascinavam os israelitas na idolatria pagã.
1) A influência da multiplicidade de deuses
As nações ao redor de Israel criam que a adoração a vários deuses era superior à adoração a um único Deus, ou seja, quanto mais deuses melhor. Os deuses da fertilidade prometiam o nascimento de filhos; os deuses do tempo (sol, lua, chuva etc.) prometiam as condições apropriadas para colheitas abundantes e os deuses da guerra prometiam proteção dos inimigos e a vitória nas batalhas. A promessa de tais benefícios fascinavam os israelitas; daí, muitos se dispunham a servir aos ídolos.
Essa convivência do povo de Israel com essas nações lhes influenciavam, porque Israel estava afastada do verdadeiro conhecimento da palavra de Deus. E quando nos falta conhecimento, somos levados pela multidão; pensamos: todo mundo faz eu vou fazer! Isso é tradição temos que segui-la.(...invalidando, assim, a palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas. (Marcos 7:13); E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição. (Marcos 7:9). Meus pais e avós fizeram assim, eu vou fazer também! Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo.( Colossenses 2:8); sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais. ( 1 Pedro 1:18 )
Veja que para cada exclamação dessa natureza a Bíblia tem uma palavra.
O Deus de Israel é o mesmo Deus da Igreja hoje. Ele se manifestou na pessoa de Jesus Cisto.
2) A não definição de padrões morais
Os deuses das nações vizinhas a Israel não exigiam nenhum tipo de obediência a padrões morais, como o Deus de Israel. Por exemplo, muitas das religiões pagãs incluíam imoralidade sexual religiosa no seu culto, tendo para isso prostitutas cultuais. Essa prática sem dúvida atraia muitos israelitas. Deus, por sua vez, exigia padrões morais para o seu povo, vida de consagração, adoração com reverência. Muitas religiões hoje também idólatras não exigem padrões morais de acordo com as escrituras sagradas, para elas o mais importante é que os ídolos sejam adorados.( Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás. Mateus 4:10)
Influência demoníaca:
A Bíblia deixa claro que por trás de toda idolatria, há demônios, que são seres sobrenaturais controlados pelo diabo. Observe nestas passagens da Bíblia que tanto Moisés como o salmista associam os falsos deuses com demônios.
" Sacrifícios ofereceram aos diabos, não a Deus; aos deuses que não conheceram, novos deuses que vieram há pouco, dos quais não se estremeceram seus pais. Deuteronômio 32:17 "
" E serviram os seus ídolos, que vieram a ser-lhes um laço. Demais disto, sacrificaram seus filhos e suas filhas aos demônios; Salmos 106:36-37 "
No hebraico o termo é shedim, literalmente, demônios. Esse termo aparece nos dois textos aqui citados, demonstrando que por trás de deuses(ídolos) deste mundo estão os poderes espirituais dos demônios. Os demônios podem agir através dos seus seguidores, chegando até operar milagres.
"Então, Moisés e Arão entraram a Faraó e fizeram assim como o SENHOR ordenara; e lançou Arão a sua vara diante de Faraó, e diante dos seus servos, e tornou-se em serpente. E Faraó também chamou os sábios e encantadores; e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos". (Êxodo 7:10-11)

Satanás como "o deus deste século" o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. (2 Coríntios 4:4 ), exerce grande poder nesta geração.

Veja mais algumas referências bíblicas sobre o assunto.
"Sabemos que somos de Deus e que todo o mundo está no maligno". (1 João 5:19 )
"E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás mantinha presa?" (Lucas 13:16 )
"(...) o qual Jesus se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus, nosso Pai". (Gálatas 1:4 )
 "(...) porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais". (Efésios 6:12 )
"E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo". (Hebreus 2:14 )
Portanto Satanás tem poder de produzir falsos milagres, sinais e maravilhas de mentira.
"(...)a esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais, e prodígios de mentira, e com todo engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira", (2 Tessa 2:9-11)
"E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens". (Apocalipse 13:13)
 "E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta vi saírem três espíritos imundos, semelhantes a rãs, porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis de todo o mundo para os congregar para a batalha, naquele grande Dia do Deus Todo-poderoso". (Apocalipse 16:13-14 )
"E a besta foi presa e, com ela, o falso profeta, que, diante dela, fizera os sinais com que enganou os que receberam o sinal da besta e adoraram a sua imagem. Estes dois foram lançados vivos no ardente lago de fogo e de enxofre". (Apocalipse 19:20)
A correlação entre a idolatria e os demônios vê-se mais claramente quando percebemos a estreita vinculação entre as práticas religiosas pagãs e o espiritismo, a magia negra, a leitura da sorte, a feitiçaria, a bruxaria, a necromancia, e coisas semelhantes. Todos estes se relacionam, inclusive em cada prática religiosa esse ídolo, ou demônio, recebe um nome diferente, porém são os mesmos, adorados de forma e em lugares diferentes. Segundo as escrituras todas essas práticas ocultistas envolvem submissão e cultos aos demônios. Isto significa dizer que, quando você se prostra diante de um ídolo, uma imagem de escultura, não importa quem, ou o que ela está representando, seja aonde for, em um templo ao ar livre, em um centro de magia.; na verdade por traz desse ídolo, ou imagem, está um demônio.
Veja por exemplo o que Paulo ensina sobre isso.
"Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo e que não há outro Deus, senão um só. Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores), todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele". (1 Coríntios 8:4-6 )

"Antes, digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele? Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam". (1 Coríntios 10:20-23 )



Vale a pena enfatizar que, nenhum apóstolo ou seguidor de Cristo, ou Profeta , ou anjo aceitaram adoração. Veja essas passagens bíblicas que concordam com esse pensamento. Exemplos:
a) Um profeta: João Batista
O que Jesus falou a respeito dele?
"Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; mas aquele que é o menor no Reino dos céus é maior do que ele. E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao Reino dos céus, e pela força se apoderam dele. Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João". (Mateus 11:11-13)
O que João falou a respeito de Jesus?
"É necessário que ele cresça e que eu diminua". (João 3:30 )
 b) Um apostolo: Pedro
O que Jesus falou a respeito de Pedro:
"Pois também eu te digo que tu és Pedro {Gr. Petros} e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do Reino dos céus, e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus". (Mateus 16:18-19)
"E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros". (João 21:15)
 O que Pedro falou a respeito de Jesus?
"E, quando Pedro viu isto, disse ao povo: Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem? O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu Filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto". (Atos 3:12-13)
Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo e vós, anciãos de Israel, visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo e do modo como foi curado, seja conhecido de vós todos e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dos mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. (Atos 4:8-12)
"Deixando, pois, toda malícia, e todo engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo, se é que já provastes que o Senhor é benigno. E, chegando-vos para ele, a pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo. Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido {ou envergonhado}" (1 Pedro 2:1-6)
Maria (Mãe de Jesus)
O que Jesus disse a respeito de Maria?
"Chegaram, então, seus irmãos e sua mãe; e, estando de fora, mandaram-no chamar. E a multidão estava assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram e estão lá fora. E ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? E, olhando em redor para os que estavam assentados junto dele disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Porquanto qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe". (Marcos 3:31-35)
E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: "Não tem vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora". (João 2:3-4)
E foi-lhe dito: "Estão lá fora tua mãe e teus irmãos, que querem ver-te. Mas, respondendo ele, disse-lhes: Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a executam". (Lucas 8:20-21)
"Ora, Jesus, vendo ali sua mãe e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse à sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa". (João 19:26-27)
O que Maria disse a respeito de Jesus?
Sua mãe disse aos empregados: "Fazei tudo quanto ele vos disser". (João 2:5)
"Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque atentou na humildade de sua serva; pois eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada. Porque me fez grandes coisas o Poderoso; e Santo é o seu nome. E a sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem". (Lucas 1:46-50)
Quando analisamos estes textos da Bíblia Sagrada, chegamos a pensar, o que essas pessoas que conheceram a Jesus e sua doutrina, pessoas simples, mas consagradas e ungidas por Deus, fariam a esta geração, ao verem o que fazem com e em seus nomes.
Anjos:
O que a Bíblia diz a respeito dos anjos?
"(Jesus) feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles". (Hebreus 1:4)
"E, quando outra vez introduz no mundo o Primogênito(Jesus), diz: E todos os anjos de Deus o adorem". (Hebreus 1:6)
"Não são, porventura, todos eles(os anjos) espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação?" (Hebreus 1:14)
O que os anjos dizem a respeito de Jesus?
"E eu lancei-me a seus pés para o adorar, mas ele disse-me: Olha, não faças tal; sou teu conservo e de teus irmãos que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia". (Apocalipse 19:10)
"E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar. E disse-me: Olha, não faças tal, porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus". (Apocalipse 22:8-9)
A cobiça como forma de idolatria
O Novo Testamento declara que a cobiça é uma forma de idolatria. O dinheiro e os bens materiais são os deuses de pessoas cobiçosas e avarentas.
"Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria; pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência". (Colossenses 3:5-6).
A conexão é óbvia: pois os demônios são capazes de proporcionar benefícios materiais.
"Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares". (Mateus 4:8-9).
Uma pessoa insatisfeita com aquilo que tem sempre cobiça mais, e não hesitará em obedecer aos princípios e vontade desses seres sobrenaturais que conseguem para tais pessoas aquilo que desejam. Embora tais pessoas talvez não adorem ídolos de madeira e de pedra, entretanto adoram os demônios que estão por traz da cobiça e dos desejos maus; logo, tais
pessoas são idólatras. Dessa maneira a declaração de Jesus "Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. {ou as riquezas}’" (Mateus 6:24), é basicamente a mesma que a admoestação de Paulo: "Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores". (1 Timóteo 6:10)
Eis o conselho bíblico para aqueles que querem prosperar na vida material.
"Pedi, e dar-se-vos -á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos -á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre. E qual dentre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente? Se, vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas {ou boas dádivas} coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?" (Mateus 7:7-11)
"Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós". (1 Pedro 5:6-7)
"Não estejais inquietos por coisa alguma; antes, as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus". (Filipenses 4:6-7)
"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança. E, por causa de vós, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; e a vide no campo não vos será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos". (Malaquias 3:10-12)
A aversão de Deus à idolatria
Deus não tolera nenhuma forma de idolatria.
Nos dez mandamentos, os dois primeiros mandamentos são contrários diretamente à adoração a qualquer deus que não Seja o Senhor Deus de Israel
"Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra". (Êxodo 20:3-4).
Vinculada à proibição de servir a outros deuses, havia a ordem de destruir todos os ídolos e quebrar as imagens de nações pagãs na terra de Canaã.
"Não te inclinarás diante dos seus deuses, nem os servirás, nem farás conforme as suas obras; antes, os destruirás totalmente e quebrarás de todo as {ou os seus pilares} suas estátuas". (Êxodo 23:24)
"Mas os seus altares transtornareis, e as suas estátuas quebrareis, e os seus bosques cortareis". (Êxodo 34:13)
"(...) pois elas fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do SENHOR se acenderia contra vós e depressa vos consumiria. Porém assim lhes fareis: derrubareis os seus altares, quebrareis as {ou os seus pilares; ou os seus obeliscos} suas estátuas, cortareis os seus bosques e queimareis a fogo as suas imagens de escultura". (Deuteronômio 7:4 -5)
"Totalmente destruireis todos os lugares onde as nações que possuireis serviram os seus deuses, sobre as altas montanhas, e sobre os outeiros, e debaixo de toda árvore verde; e deitareis os seus altares, e quebrareis as {ou os seus pilares ou os seus obeliscos} suas estátuas, e os seus bosques queimareis a fogo, e abatereis as imagens esculpidas dos seus deuses, e apagareis o seu nome daquele lugar". (Deuteronômio 12:2-3)
O Novo Testamento também adverte todos os crentes contra a idolatria. A idolatria manifesta-se de varias formas hoje em dia. Aparece abertamente nas falsas religiões mundiais, bem como na feitiçaria, no satanismo e noutras formas de ocultismo. Finalmente ela ocorre dentro da igreja quando os seus membros acreditam que, a um só tempo, poderão servir a Deus, desfrutar da experiência da salvação e as bênçãos divinas, e também participar das práticas imorais e ímpias do mundo. Daí o Novo Testamento nos admoestar a não sermos cobiçosos, avarentos nem imorais.
"Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria". (Colossenses 3:5)
"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas! Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. {ou as riquezas}" (Mateus 6:19-24)
"Sejam {ou Sede livres do amor ao dinheiro} vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei. E, assim, com confiança, ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem". (Hebreus 13:5-6)
Devemos sim fugir de todas formas de idolatria
"Portanto, meus amados, fugi da idolatria". (1 Coríntios 10:14)
"Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém!" (1 João 5:21)
Deus reforça suas advertências com a declaração de que aqueles que praticam qualquer forma de idolatria não herdarão seu reino.
"Não sabeis que os injustos não hão de herdar o Reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus". (1 Coríntios 6:9-10)
"(...) idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus". (Gálatas 5:20-21)
"Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira". (Apocalipse 22:15).
Como ficar livre da idolatria
Entregando sua vida a Deus através de Jesus Cristo.
"Portanto, dize à casa de Israel: Assim diz o Senhor JEOVÁ: Convertei-vos, e deixai os vossos ídolos, e desviai o vosso rosto de todas as vossas abominações". (Ezequiel 14:6)
"Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor JEOVÁ, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho e viva; convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois por que razão morrereis, ó casa de Israel?" (Ezequiel 33:11)
"E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em beneficência e se arrepende do mal". (Joel 2:13)
‘(...) e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra". (2 Crônicas 7:14)
"Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve". (Mateus 11:27-30)
 "Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim". (João 14:5-6)
"Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida". (João 8:12)
Jesus, portanto é o caminho para quem quer se livrar da idolatria. Aceitando o sacrifício de Jesus somos salvos. Muitas outras informações podemos lhes dar sobre Jesus e a salvação, entre em contato conosco pelo ícone Koinonia. Deus o Abençoe.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

A Pena Capital e a Lei de Deus - Crimes e Punições na Palavra de Deus Escrito por O Tempora, O Mores. Postado em Artigos Índice de Artigos Crimes e Punições na Palavra de Deus Podemos aprender bastante com os princípios que norteavam o tratamento que a Bíblia dá aos crimes e punições. Estamos tão enraizados em nossa cultura, em como ela trata a questão da quebra da lei, que talvez até nos surpreendamos com o encaminhamento dado pela Palavra de Deus à manutenção da lei e da ordem na sociedade civil de Israel. Vamos, portanto, dar uma rápida olhada em alguns princípios que encontramos, quando estudamos esse assunto nas Escrituras: 1. A primeira coisa que nos chama a atenção, é que na Bíblia não existe a provisão para cadeias. Isso mesmo! Elas nem existiam como instrumento de punição, nem como meio de reabilitação. Isso realmente nos intriga, pois estamos tão acostumados com essa instituição que não podemos imaginar uma sociedade sem cadeias. Quando um crime é cometido, a punição que pensamos de imediato é a cadeia. "Merece cadeia!; devia estar na cadeia"! Dizemos com tanta freqüência. Mas na sociedade de Israel, no Antigo Testamento, a cadeia era apenas um local onde o criminoso era colocado até que se efetivasse o julgamento devido. Em Números 15.34 lemos: "...e o puseram em guarda; porquanto não estava declarado o que se lhe devia fazer...". Logicamente encontramos na Bíblia o registro da existência de cadeias. Jeremias foi encarcerado e Paulo, igualmente, diversas vezes, dentro do sistema romano de punições. Mas estes encarceramentos eram estranhos às determinações de Deus. 2. Desta forma, por mais familiarizados que estejamos com esse conceito, não encontramos, na Palavra de Deus, o encarceramento como remédio, ou a perspectiva de reabilitação através de longas penas na prisão. Muito menos, encontramos a idéia de "proteção da sociedade" através da segregação do indivíduo que nela não se integra, ou que contra ela age. Ou seja, não encontramos, nas prescrições dadas ao povo de Deus, cadeias para punir, remediar, reabilitar ou proteger. 3. O princípio que encontramos na Bíblia é o da restituição. Em Levítico 24.21 lemos, "...quem pois matar um animal restituí-lo-á, mas quem matar um homem assim lhe fará". A restituição ou retribuição, era sempre proporcional ao crime cometido. Como a restituição da vida era impossível, ao criminoso, no seu caso a punição era a perda da própria vida. 4. Isso significa que aquela sociedade não tinha meios para lidar com o crime? Ou aplicava a pena de morte em todos os casos de quebra da lei? Não. Ela possuía determinações bem precisas e eficazes contra a banalização e proliferação da criminalidade. Ela responde à quebra da lei com medidas rápidas e que representavam prejuízo econômico para o infrator. Para os casos de furto, a Lei Civil Bíblica prescrevia a restituição múltipla. Vejamos em Êxodo 22.4 "...se o furto for achado vivo na sua mão, seja boi, seja jumento, ou ovelha, pagará o dobro". 5. Nos casos de furto de propriedade que representa o ganha pão ou meio de subsistência do prejudicado, a Bíblia prescrevia a restituição de quatro ou cinco vezes o que foi subtraído. Assim lemos em Êxodo 22.1 "...se alguém furtar boi ou ovelha e o degolar ou vender, por um boi pagará cinco bois, e pela ovelha quatro ovelhas". 6. As determinações das Escrituras procuravam proteger a vítima e colocar temor no criminoso, tirando qualquer idéia de proteção que viesse tornar a vítima em acusado também. O que queremos dizer é que, contrariamente aos nossos dias, quando as vítimas ou agentes da lei possuem as mãos amarradas pela excessiva proteção ao criminoso, o direito de cada um de defesa de sua propriedade era algo abrigado, concedido e salvaguardado, na legislação mosaica. Vemos isso em Êxodo 22.2: "...se o ladrão for achado a minar e for ferido, e morrer, o que o feriu não será culpado do sangue". 7. Aqueles que roubavam alimentos para satisfazer a fome, deviam ser tratados com clemência, mas mesmo assim, persistia a obrigação de restituir sete vezes o alimento que furtou do legítimo dono, uma vez que a própria constituição da sociedade já possuía a provisão para atendimento aos carentes, tornando desnecessário o furto, como vemos em Deuteronômio 24.19 a 21. Desta forma lemos em Pv. 6.30, 31: "...não se injuria o ladrão quando furta para saciar sua alma, tendo fome; mas encontrado, pagará sete vezes tanto: dará toda a fazenda da sua casa..". 8. Vemos então, em apenas um rápido exame das diretrizes bíblicas e um confronto destas com as opiniões que agora surgem, a sabedoria ali encontrada. Já há milênios antes de Cristo a Bíblia determinava punições pecuniárias, que o homem, a elas hoje chega, baseado na constatação empírica de que outras medidas não funcionam. Com efeito os encarceramentos prolongados, hoje aplicados, não produzem reabilitações, não são bem sucedidos em conservar o criminoso fora de ação e as prisões constituem-se, na realidade, em verdadeiras fábricas de criminosos piores e mais violentos. 9. O sistema bíblico de punição pecuniária é destinado a tornar o crime uma atividade não lucrativa. No que diz respeito àqueles criminosos que se recusavam a obedecer as autoridades constituídas, a sentença é a pena de morte. Lemos isto em Deuteronômio 17.12: "...o homem pois que se houver soberbamente, não dando ouvidos ao sacerdote, que está ali para servir ao Senhor teu Deus, nem ao juiz, o tal homem morrerá e tirarás o mal de Israel". [10] 10. Isto eqüivale a dizer que a condição de reabilitação na sociedade, para o criminoso primário, era total e absoluta. Indo na direção contrária à nossa sociedade, que coloca o criminoso iniciante enjaulado, em condições subumanas, como criminosos experientes " que se encarregam de formá-lo na escola do crime, o criminoso primário em Israel, pagando a indenização devida, estava pronto a se reintegrar na sociedade atingida pelos seus desmandos. Essa sociedade não deveria discrimina-lo de nenhuma forma, pois restituição havia sido efetivada. 11. Por outro lado, havia aqueles que se recusavam a obedecer, reincidindo no caminho do crime. A Bíblia reconhece a necessidade de proteger a sociedade desses elementos, mas não através do encarceramento " uma forma pseudo-humanitária, somente onerosa, imperfeita e impossível de produzir resultados. O sistema encontrado na Bíblia apresenta a efetivação desta proteção de uma forma radical, mas destinada a produzir frutos permanentes e a gerar a paz e a tranqüilidade em uma sociedade. Além disto, poderíamos falar no efeito didático, que a aplicação coerente e sistemática desta pena teria nos reincidentes em potencial. 12. Que diferença encontramos entre a forma de tratar o crime na sociedade de Israel e na filosofia e sistema empregados nos dias atuais! Em nossos dias, o crime prospera porque é lucrativo e porque corre impune, sendo isto também uma conseqüência da falta de adequação das penas impostas aos crimes cometidos. O sistema penal do Antigo Testamento previa não somente a adequação da penalidade aos crimes cometidos, mas a sua rápida aplicação. Lentidão da justiça é reconhecida até os dias de hoje como uma manifestação de injustiça. Nesse sentido, temos o registo apropriado da Palavra de Deus, em Eclesiastes 8.11:"Porquanto não se executa logo o juízo sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto para praticar o mal". 13. Obviamente não há a possibilidade da aplicação direta e total das Leis Civis prescritas por Deus ao estado teocrático de Israel, na sociedade atual. Nem podemos advocar a aplicação da pena de morte para todas as situações temporais prescritas na Lei Mosaica (como, por exemplo, pela quebra do sábado), pois destinavam-se a uma nação específica, dentro de específicas circunstâncias, e com propósitos definidos, da parte de Deus. Muitos dos princípios encontrados, naquela sociedade agrária, entretanto, são eternos e válidos até os dias de hoje e merecedores do nosso exame e estudo. A rapidez das sentenças; as penas pecuniárias e o peso econômico sofrido pelos infratores, em benefício das vítimas; a visão clara de quem é vítima e de quem é infrator, sem cometer a inversão de valores de considerar os criminosos "vítimas do sistema"; o apreço pela vida humana, acima de qualquer outra perda; o cuidado todo especial pela preservação de uma sociedade na qual liberdade também significasse ausência de violências e de ameaças trazidas por indivíduos incorrigíveis; o chamado constante ao bom senso e à preservação da lei e da ordem, não apenas com meras palavras, mas com duras penas contra os malfeitores; a ênfase, respaldada igualmente em penas severas, no respeito aos anciãos e às autoridades; são alguns desses princípios que deveriam estar presentes em qualquer sociedade. Juristas cristãos muito poderiam contribuir para um aprofundamento deste tema, penetrando a fundo na regulamentação da sociedade veto-testamentária e procurando uma adequação desses princípios às nossas condições. A questão de crimes, punições e determinações divinas está alicerçada no tema maior da Lei de Deus. Mas o que realmente significa este termo. O que a Bíblia tem a nos dizer sobre os seus diferentes aspectos? Seria difícil prosseguir em nossa caminhada, se não fizermos uma exploração, neste estágio, do significado da Lei de Deus, e da sua relevância aos nossos dias: