quarta-feira, 29 de julho de 2015

Estou aqui, para pedir sua ajuda para continuarmos a obra do SENHOR. Amém

Que Deus abençoe cada um que ofertar nessa obra. Amém
Que tudo seja para a Glória de Deus. Amém 
O que Jesus faria, em nossos passos?
E quem desejar terá a Empresa ou o nome devulgado aqui no Blog. Amém

"Mas, se eu demorar, esta carta vai lhe dizer como devemos agir na família de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, a qual é a coluna e o alicerce da verdade." (I Timóteo 3:15 

O objetivo desta mensagem é esclarecer a verdade a respeito de contribuição. Em graça, passamos a entender a respeito do dízimo, sabemos que o dízimo não tem nada ver com dinheiro, e sim alimentos. O dízimo da lei findou em Cristo, e que nós estamos vivendo o novo pacto, pacto esse de superiores promessas. Porque devo ofertar em graça? Em graça ofertamos porque somos abençoados com toda sorte de bênçãos. Na LEI, o dízimo era a causa principal da bênção do povo judeu, e, a bênção era consequência deste dízimo (Malaquias 3:10). A maneira certa, de o povo judeu contribuir na LEI, era dando o dízimo para ser abençoado. Na GRAÇA, o Sacrifício de Cristo é a causa principal da bênção do povo cristão.

Paulo, em Efésios 1:3, nos afirma que Deus nos abençoou “EM CRISTO”, não “EM DÍZIMO e OFERTAS”, por este motivo, a maneira correta do povo cristão contribuir em GRAÇA é no uso de II Coríntios 9:7, porque abençoados já somos.

"Portanto, ninguém se glorie nos homens, porque tudo é vosso: seja Paulo, ou Apolo, ou Pedro, seja o mundo, ou a vida, ou a morte, sejam as coisas presentes, ou as vindouras, tudo é vosso, e vós de Cristo, e Cristo de Deus" (I Co 3.21, 22, 23).

"Portanto já não és mais servo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro por Deus" (Gálatas 4.7).

Paulo considera a fé dos fiéis como um "sacrifício e uma oblação" (Filipenses 2.17). Os socorros pecuniários que ele recebe da igreja de Filipos são um "perfume de bom odor", um sacrifício aceitável, agradável a Deus (Filipenses 4.18).

Para ele, a vida toda dos cristãos é um ato sacerdotal; ele os convida a oferecer seus corpos "como sacrifício vivo, santo, agradável a Deus. Esse é o culto espiritual que temos de prestar" (Romanos 12.1,2).

A ordem dada pelo Espírito Santo na dispensação da GRAÇA como sacerdotes que somos quanto ao contribuir é: "Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria" (II Co 9.7).

Isso quer dizer que não há limites para contribuição na GRAÇA. Veja o que o Espírito Santo diz: ..."Contribua segundo propôs no seu coração"..., isto pode ir de 0% a 100% quem irá propor no seu coração é o Espírito da GRAÇA, uma vez que ele habita em cada um dos sacerdotes nesta dispensação.

Depois ele prossegue: ... "não com tristeza, nem constrangimento"..., ou seja, você não deve contribuir levado pelo sentimento e emoção da carne, nem pela aparência, coagido pelo medo, sem vontade, levado pelos outros, ou quando pregadores fizerem uso de textos bíblicos para atingir certos objetivos, chegando até a determinar a quantidade. Espere o Espírito propor no seu coração, isto levará você a dar com alegria, ele colocará no Seu coração: o quanto, o quando, o onde e a quem você deve dar. Porque na verdade, enquanto o nosso sentimento quanto à contribuição não for aquele que se baseia na gratidão e no reconhecimento, não haverá aprovação de Deus em nada que realizarmos em seu nome. Lembrando sempre: Deus primeiro nos salvou para depois aceitar a nossa contribuição no reino. Então, passaremos a contribuir em amor e graça, ou melhor, contribuir sem pensar que deveria contribuir, ou com medo de não estar contribuindo o que deveria contribuir, agradecendo sempre, ao nosso eterno e sumo sacerdote, e verdadeiro Deus, o Soberano Senhor Jesus.


Nenhum comentário:

Postagem em destaque