segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Jesus é o SENHOR, de toda minha vida. Aleluia Glória a Deus. Amém
Ajude esse Ministério, como puder ajudar. Amém

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Procurando em Deus, a melhor forma de ser SALVO.

Advertências Sobre os Maus Pastores Nestes Últimos Dias

Autor: Alan Yusko
Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3
Escrevi este artigo devido à crescente apostasia que tenho visto e experimentado nestes últimos dias que antecedem o retorno do Senhor Jesus. Já vi uma quantidade suficiente de pastores que são maus mordomos e servos inúteis de Deus. Este artigo é uma advertência e um encorajamento a todos os que se chamam cristãos. Imprima e distribua livremente para as pessoas que possam se beneficiar com estas observações.
Deixe-me dizer logo de início que não creio que todas as igrejas sejam corruptas e que os cristãos devam viver enfurnados em suas casas. Acredito que devemos nos reunir regularmente com os outros cristãos, participando de um uma igreja fundamentada na Bíblia e que reverencie a Deus. O fato é que as igrejas fundamentadas na Bíblia e onde há reverência ao nome de Deus estão se tornando cada vez mais raras nestes últimos dias. Muitos 'pastores' esqueceram-se de Deus e da sã doutrina e levam suas igrejas às falsas doutrinas e a uma grande contemporização. Conseqüentemente, está ficando cada vez mais difícil para uma família encontrar uma igreja que reverencie a Deus, onde todos possam amadurecer e crescer em Cristo.
A Bíblia diz claramente que haverá uma grande apostasia nos últimos dias. Não haverá um grande reavivamento, como alguns lobos estão anunciando, mas, ao contrário, apostasia, a rejeição e o afastamento da sã doutrina bíblica. Eis o que diz a Bíblia:
"Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição."[2 Tessalonicenses 2:3].
O verso referido diz que chegará um tempo nos últimos dias quando os fundamentos da doutrina cristã serão contemporizados e derribados pela aceitação do erro e da heresia. Os homens esquecerão o ensino bíblico sadio. Bem, estamos atualmente vivendo nesses dias! Estamos vivendo em dias de uma terrível apostasia da sã doutrina bíblica e dos valores de Deus. Adivinhe quem está liderando essa tendência para a apostasia. São os pastores que contemporizaram na fé e que realmente não estão nem aí. Eles rejeitaram a sã doutrina e estão desejosos de agradar e de alcançar a aprovação dos homens. Não são como os bereanos, que diligentemente examinaram as Escrituras e que procuraram agradar a Deus.
Infelizmente, pastores maus, que contemporizam na doutrina, estão na liderança de muitas igrejas. Esses 'pastores' procuram agradar aos homens e nem querem saber se estão caminhando em obediência a Deus e à firmeza de sua palavra, a Bíblia. Participando como membros dessas igrejas, estão todos os tipos de pessoas que rejeitam a sã doutrina bíblica. A Bíblia adverte:
"Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas." [2 Timóteo 4:3-4].
Estamos atualmente vivendo nesses dias quando os homens rejeitarão a são doutrina. Não somente muitos que chamam a si mesmos de 'cristãos' rejeitam a sã doutrina, mas também muitos que se atrevem chamar a si mesmos de 'pastor'. Esses maus pastores causam grandes danos à igreja e já feriram muitas pessoas do povo de Deus. Os pastores têm poder; podem levar o povo mais para perto de Deus e torná-lo mais forte, ou podem fazer o contrário. Aqui está um versículo que ilustra esse fato:
"E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões." [Mateus 21:13].
Esse verso tem um significado real nestes dias, à luz da crescente tendência à apostasia. Deus não quer que seu templo seja um covil de ladrões; quer que seja um lugar santo, ao qual as pessoas possam vir e humildemente adorar a Deus. Entretanto, os líderes religiosos o transformaram em outra coisa. O versículo diz, "vós a tendes convertido" referindo-se ao fato que os líderes religiosos permitiram que o templo deixasse de ser uma casa de oração para se tornar um covil de ladrões. Deus também atribui a responsabilidade por essa mudança aos líderes religiosos, que deveriam ter mais discernimento.
Esse verso tem uma aplicação muito importante para hoje! Poucos pastores encaram seu trabalho com seriedade. A maioria está preocupada em buscar os louvores dos homens, jactando-se dos 'grandes números' obtidos no último domingo, e outros estão enriquecendo e vivendo como 'filhos do Rei'.
Vejamos algumas das coisas que alguns homens que chamam a si mesmos de 'pastor' estão fazendo nestes últimos dias de grande apostasia:

Alguns Pastores a Evitar

Promotores de concertos de música Rock na igreja e serviços 'contemporâneos'. Para eles, o único modo de alcançar os jovens é dar-lhes o que querem. Afinal, o objetivo é fazê-los entrar pelas portas da igreja e, depois disso, talvez alguma 'mágica' aconteça. Pode ser que entre uma canção de música Rock e outra alguns jovens 'aceitem' a Jesus como Salvador. No entanto, o objetivo primordial é fazer com que venham à igreja. Assim, essa 'variedade' moderna de pastores está iniciando serviços/concertos de Rock contemporâneo para atrair a juventude. Obviamente, a pregação da Bíblia não é mais considerada suficiente. Se o bom e fora de moda ensino bíblico expositivo não funciona mais, então vamos usar a música Rock. Além disso, é menos trabalhoso contratar uma banda de Rock do que passar várias horas preparando um bom estudo bíblico! Estou sugerindo que esses pastores sejam preguiçosos? Sim, estou! Estão longe de Deus, não têm fé na Palavra de Deus e não têm discernimento algum. Raciocinam tolamente que a mocidade não quer a Bíblia (como também o pessoal mais velho)... o que querem é a música Rock. Portanto, vamos lhes dar o que desejam e, pelo menos assim, virão à igreja! Esses pastores são inúteis e serão julgados com severidade por Deus!
- Em seguida, temos os pastores ecumênicos. Eles raciocinam que a unidade e o amor sejam as coisas mais importantes na caminhada cristã. Assim, preocupam-se em quebrar as 'barreiras' e em 'dialogar' com as outras fés. Suas igrejas participam ativamente de movimentos como Promise Keepers, e querem se aproximar da Igreja Católica Romana e de outros grupos religiosos que são 'cristãos' apenas no nome. Os Promise Keepers estão muito próximos de se unirem ao catolicismo e ao mormonismo e de chamar os membros dessas igrejas de 'irmãos' salvos. Em vez de levar as almas perdidas para fora dos erros do catolicismo, o objetivo dos Promise Keepers é a união, sem consideração pela sã doutrina. Muitas igrejas e 'pastores' aderiram a esse movimento ecumênico. Esses pastores pensam que é ótimo ver 30 ou 40 mil homens 'cristãos' de todas as fés reunidos nos encontros dos Promise Keepers. Se eles são católicos ou mórmons, não importa; afinal, todos cremos no mesmo Jesus... é o que raciocinam. Esses 'pastores' ignoram as advertências sobre as falsas doutrinas e só pensam em união. Não querem saber que o catolicismo seja um sistema baseado em sacramentos e em boas obras em que as pessoas ganham o direito de ir ao céu aqui na terra (após pagarem seus pecados no purgatório). Ignoram todas as advertências e acham que aqueles que são contrários, têm mentalidade estreita, gostam de julgar os outros e não têm amor. O único problema é que estão se unindo com homens perdidos que estão ligados à instituições religiosas que são cristãs apenas no nome. Esses homens deveriam estar testemunhando para aquelas almas perdidas em vez de ter um encontro ecumênico de oração. No entanto, eles nem querem saber o que Deus pensa. Não querem saber que são maus mordomos diante de Deus e estão contemporizando grandemente na fé. Preferem ter o louvor dos homens do que o louvor de Deus por serem bons mordomos. Deixe-me dizer algo que deve ser lembrado: Não pode haver unidade fora da sã doutrina. A unidade fora da doutrina é perigosa e enganosa.
Pastores que emitem vozes de animais e que se baseiam na experiência. Esses homens baseiam-se mais nas experiências do que na Bíblia. Como não são bereanos e não estão firmados na Palavra de Deus, estão totalmente abertos à enganação demoníaca. Para esses pastores, as 'experiências' têm maior peso que as Escrituras. Seguem os mestres da prosperidade que ensinam a 'nomear e reivindicar'. A experiência é a força propulsora porque não acreditam que o Espírito Santo permitirá que Satanás os engane. Se têm uma experiência, imediatamente dizem que é de Deus, e não fazem nada para discernir. Portanto, quando as pessoas desmaiam na igreja, ou riem descontroladamente, ou latem como cachorros, ou rugem como leões, esses pastores acham que todas essas manifestações são de Deus. Não examinam a Bíblia para ver o que ela diz e, na verdade, não estão mesmo interessados naquilo que diz! Na verdade, esses pastores ficam bravos quando alguém se atreve a adverti-los sobre todas as 'maravilhosas' experiências que ocorrem em suas congregações (como os risos convulsivos, os latidos, rugidos, etc.) A Bíblia só é boa quando não contradiz suas experiências e 'visões' do Senhor. Essas experiências são consideradas de autoridade igual ou superior à da Bíblia. Ser uma pessoa baseada em experiências é estar aberto à enganação. A Bíblia é a âncora da alma... não nossas experiências do dia a dia. Nossas experiências vêm e vão mas a Palavra de Deus é uma base sólida.
Pastores réprobos. É a pior variedade possível; esses homens estão na parte inferior do amontoado de estrume. Entregam-se ao mal e à falsa doutrina. Envolvem-se em relacionamentos com as mulheres da igreja e ensinam ou pregam falsas doutrinas. Os pastores réprobos também rejeitam a sã doutrina. Muitos não crêem na doutrina da Trindade, na salvação pela fé e sem a necessidade de obras, na inspiração das Escrituras, no nascimento virginal de Jesus Cristo, e em outros fundamentos da fé cristã. Também não vêem nada de errado com os sodomitas e alguns na verdade até oficiam casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Esses pastores dão muita importância aos direitos humanos e às coisas mundanas, mas são muito levianos com a Bíblia.
Pastores que pregam sobre prosperidade. Alguns desses 'pastores' ensinam que Deus quer que todos os seus filhos sejam ricos e que uma pessoa somente adoece por falta de fé. São mundanos e extremamente interessados nos prazeres terreais. Observe-os enquanto falam e conte o número de anéis que têm nos dedos ao pedirem ofertas e dízimos para seus ministérios. Muitos têm um salário altíssimo. Por favor, não me entenda mal. Não há nada de errado em um pastor receber um salário adequado. No entanto, quando o pastor torna-se milionário e vive em uma grande mansão com as ofertas recebidas do seu 'rebanho', então é realmente um lobo mercenário interessado apenas em ganhar muito dinheiro.

- Finalmente, temos as rebeldes mulheres pastoras, que decidiram desobeder a Deus, sem temor algum. Qualquer igreja que tenha uma mulher como pastora deve ser rejeitada. Todas as mulheres pastoras ignoram ou rejeitam estes versos da Bíblia:
"A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação." [1 Timóteo 2:11-15].
As mulheres desobedientes não pensam nada da usurpação da autoridade sobre o homem. As pessoas que participam dessas igrejas estão encorajando as mulheres pastoras a continuarem em sua rebelião.

Procurando uma Igreja Para a Família

Acabamos de ver vários exemplos de 'pastores' que devem ser evitados. Com todos os lobos que estão por aí, torna-se realmente um problema encontrar uma boa igreja para a família.
O que acontece quando uma família temente a Deus quer encontrar uma boa igreja que pregue a Bíblia? Essa família quer uma boa e sólida igreja que ensine a Bíblia, onde possa ser abençoada e amadurecer em Cristo. A igreja deve oferecer coisas boas para todos na família. Isso significa uma boa programação para as crianças, e pregação da Bíblia para os adolescentes e para os adultos. Detesto dizer isto, mas esse tipo de igreja e de pastor está se tornando cada vez mais raro!
O que a família fará com todos esses maus pastores que existem por aí? Será se todos os pastores são maus? É claro que não. No entanto, a família precisará procurar muito até encontrar uma boa igreja que esteja firmada na Palavra de Deus. As boas igrejas baseadas na Bíblia estão se tornando raras nestes últimos dias. Eu diria que há uma grande fome na terra; fome da Palavra de Deus!
"Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR." [Amós 8:11].
Bem, a fome está aqui e podemos agradecer aos pastores maus, mundanos e contemporizadores pela parte que fizerem para cumprir esse versículo! Em vez de ensinar e pregar a Palavra de Deus, os maus pastores utilizam a música Rock, o ecumenismo e outros erros para encher suas igrejas.
Assim, se você ou sua família estiverem procurando uma boa igreja firmada na Bíblia, meu conselho é fazer uma boa pesquisa. Não aceite um pastor que seja liberal, que não tenha o temor de Deus, que na realidade não ama a Deus, nem a Bíblia, nem a sã doutrina. Ainda existem bons pastores e boas igrejas, mas você precisará procurar e usar seu discernimento até encontrar.

Responsabilidade Diante de Deus

Os pastores e líderes de igreja atuais têm uma tremenda responsabilidade e precisarão prestar contas de como pastorearam a igreja que estava sob seu encargo. Se o pastor permite que a palhaçada e a malignidade entrem na igreja, isso afetará o povo que Deus redimiu com seu próprio sangue de uma forma negativa, causando mundanismo, carnalidade, e o afastamento das pessoas. Um exemplo é a cena do Rock religioso. O triste fato é que essa música demoníaca nunca teria entrado nas igrejas se os pastores e líderes tivessem obedecido a Deus e fechado a porta para esse mal. No entanto, os pastores liberais que buscam agradar aos homens em vez de buscar o louvor de Deus, acham aceitável abrir as portas para todo o tipo de lixo, desde que esse 'lixo' tenha apelo popular. Bem, a música Rock certamente tem apelo popular. É errada diante de Deus, mas é muito popular nestes últimos dias. Os pastores transigentes colocaram suas Bíblias de lado e a substituiram por sermões aguados e por serviços contemporâneos com música Rock. Eles serão julgados e devem ser evitados pelo povo de Deus, que busca crescer em Cristo e agradar a Deus com seu estilo de vida!
Por outro lado, se um pastor manter o mal longe e concentrar-se em edificar o povo com a Palavra de Deus, a igreja crescerá e amadurecerá em Cristo e será uma bênção para Deus e para a sociedade. Não é a melhor coisa que um pastor pode fazer?
Pastores, 'dêem ouvidos' ao que está sendo dito. Este artigo não é algo que possa ser encarado com superficialidade ou com desdém. Encarem seu trabalho com grande temor e tremor, pois são muito responsáveis diante de Deus!
"Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão o rebanho; e que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si." [Atos 20:28-30].
O senhor pastor está ciente da sua responsabilidade diante de Deus para supervisionar a igreja de Deus? Ou é um dos lobos que defraudam e fazem o povo de Deus contemporizar e se desviar? Esses versos são uma advertência aos cristãos que pastores perversos aparecerão e ferirão o povo de Deus. Os cristãos precisam saber que Deus advertiu seu povo para estar alerta com relação aos maus pastores.
O pastor não deveria ter objetivos mais elevados? Por exemplo, agradar a Deus e ser um bom mordomo em seu trabalho? Não é um objetivo melhor? No dia do julgamento, não será melhor para esse pastor se ele fez o melhor que pôde para ser um bom mordomo diante de Deus e procurou encorajar, edificar, proteger do mal, e alimentar com a Palavra de Deus a congregação que estava sob seu encargo? Não será melhor se Cristo lhe disser: "Muito bem, servo bom e fiel!". Não é um bom objetivo para um pastor ouvir essas palavras? Para mim, parece que é! Se é assim, por que então temos tantos pastores orgulhosos, transigentes, que rejeitam a sã doutrina, que não aceitam a repreensão, e que procuram agradar aos homens?

Advertências aos Pastores

Os versos seguintes são uma advertência aos pastores e líderes que não encaram seu trabalho com a devida seriedade e que não estão comprometidos com o fortalecimento e a proteção da igreja de Deus:
"Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem discernem o impuro do puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles." [Ezequiel 22:26].
Maus pastores não são novidade para Deus! A Bíblia descreve esse tipo de líder 'religioso' em muitas passagens. Um pastor que procura agradar aos homens não faz diferença entre o santo e o profano. Rapaz, essa descrição certamente se encaixa direitinho em muitos pastores hoje! De um lado esses pastores liberais pregam sobre santidade e de outro permitem que a mocidade da igreja seja 'abençoada' com um concerto de Rock. Esses pastores liberais falam sobre assuntos neutros e caminham com pés de gato sobre a palavra de Deus. O objetivo deles é não ofender ninguém; evitam pregar sobre o sangue de Jesus, a existência do Inferno, o amor e a ira de Deus. Além disso, seria terrível se o resultado fosse uma redução nas ofertas e no número de pessoas que vêm à igreja.
No entanto, Deus atribuiu um encargo aos pastores e eles têm uma grande responsabilidade, que POUCOS encaram com a devida seriedade. A Bíblia continua:
"Contudo serão ministros no meu santuário, nos ofícios das portas da casa, e servirão à casa; eles matarão o holocausto, e o sacrifício para o povo, e estarão perante eles, para os servir. Porque lhes ministraram diante dos seus ídolos, e fizeram a casa de Israel cair em iniqüidade; por isso eu levantei a minha mão contra eles, diz o Senhor DEUS, e levarão sobre si a sua iniqüidade. E não se chegarão a mim, para me servirem no sacerdócio, nem para chegarem a alguma de todas as minhas coisas sagradas, às coisas que são santíssimas, mas levarão sobre si a sua vergonha e as suas abominações que cometeram." [Ezequiel 44:11-13].
Os pastores que não se atrevam a encarar com leviandade o encargo que receberam de Deus! Os pastores podem levar ao pecado o povo que foi resgatado com o próprio sangue de Deus. Eles serão julgados com base em como executaram seu trabalho. Hoje, entretanto, muitos pastores literalmente cometem abominação diante de Deus, rejeitando a doutrina bíblica e transigindo com o pecado. Deixe-me dizer-lhe que Deus o conhece bem, senhor pastor, e você responderá por isso! Responderá aqui na Terra e responderá na eternidade!
Em seguida, temos dois versículos muito apropriados para estes últimos dias que antecedem o retorno de Jesus Cristo. Estamos vivendo em dias de grande apostasia. Deus literalmente diz 'ai de vós'..., que encaram com leviandade sua responsabilidade e não cumprem com fidelidade o trabalho de pastor!
"Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. Portanto, assim diz o SENHOR Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR." [Jeremias 23:1-2].
Saibam todos os pastores liberais que aceitam o Rock and Roll e unem-se com as falsas religiões, que estão contemporizando as doutrinas bíblicas fundamentais e prejudicando o povo de Deus. Como resultado, deixe-me dizer que Deus sabe o que vocês estão fazendo e ele diz "Ai"! Sempre que Deus usa a interjeição "ai" na Bíblia, está anunciando julgamento. Deus julgará suas más obras e sua contemporização! O julgamento que cairá sobre vocês será aqui na Terra e na eternidade. Observe o que ele diz no versículo 2, "... eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR". Minha sugestão é esta: Se você não sabe encarar o trabalho de pastor com seriedade e não consegue realizar sua tarefa de uma maneira que agrada a Deus, então é melhor renunciar agora e procurar outro emprego! É uma coisa muito séria diante de Deus prejudicar, por meio do liberalismo, do mundanismo e da contemporização doutrinária, o povo que ele resgatou com seu próprio sangue.

Membros Cegos de Igrejas

Esta seção não é para os pastores liberais e que não têm o temor de Deus. É para as pessoas que participam como membros dessas igrejas e que apóiam esse tipo de pastor. A primeira coisa que observo é que muitos seguidores desses falsos pastores são elas próprias pessoas não-salvas. Elas participam da igreja apenas para ouvirem palavras agradáveis, por razões sociais, ou para fazer contatos nos negócios. Esse tipo de pessoa merece um lobo transigente como pastor.
Entretanto, existem algumas pessoas do povo de Deus que participam de igrejas em que o pastor é um dos tipos de personagem descritos neste artigo. Minha pergunta a você é: Por que está ali apoiando esse tipo de homem? Sua lealdade deve ser para o Senhor Jesus Cristo. As igrejas aparecem e desaparecem, mas o Senhor Jesus nunca muda e é totalmente confiável. Se uma igreja ou um pastor é liberal e está caminhando longe de Deus, então é seu dever sair dela e procurar uma boa igreja para você e para sua família. Não permaneça nessa igreja, mas procure e encontre uma boa igreja que pregue a Bíblia. Dê ouvidos a esse conselho, pois é importante encontrar um lugar onde você possa ser abençoado e crescer em Cristo.
Infelizmente, muitas pessoas que fazem parte do povo de Deus parecem não se preocupar e acabam continuando com um falso pastor. Existe um ditado que diz: 'Ovelhas agem como ovelhas'. Aqui está um exemplo de algumas ovelhas cegas, sem conhecimento doutrinário. Visitei uma igreja para participar de uma reunião de oração e de estudo bíblico. Ouvi um missionário da congregação negar a divindade de Jesus Cristo. Adivinha? Ninguém, exceto eu se preocupou (incluindo o pastor assistente)! Levantei minha mão e confrontei aquela pessoa, enquanto todos os demais ficaram assistindo calados. Aquilo me deixou chocado, pois não pensava que seria possível em uma igreja 'cristã'... no entanto, aconteceu.
Estes versos aplicam-se a muitos membros de igrejas:
"Porque, se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, com razão o sofrereis." [2 Coríntios 11:4].
Muitas pessoas sofrem (toleram, suportam) os falsos mestres e as falsas doutrinas. O pregador liberal, que procura agradar aos homens, põe o povo a perder e poucos se importam. O povo simplesmente senta-se nos bancos e meneia a cabeça, vai para casa, mas volta na semana seguinte, para receber mais.
Se você não é esse tipo de pessoa e seu objetivo é agradar a Deus e crescer em Cristo, sugiro que afaste-se desse tipo de pastor. Não os encoraje, não lhes ofereça nenhum suporte financeiro, e não vá à igreja deles. Não deixe de ir à igreja, mas procure uma que tenha um pastor bom e que realmente ame a Deus.

Conclusão: Um Desafio Para Obedecer a Deus

Assim, leitor... qual é seu objetivo? Procura agradar a Deus, ou para você é mais importante contemporizar e agradar aos homens?
"Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo." [Gálatas 1:10].
Tudo realmente se resume a ser um servo de Deus e um bom mordomo das doutrinas fundamentais do cristianismo. Quando estivermos diante de Jesus Cristo, precisaremos prestar contas sobre as coisas que fizemos na terra. Ouvir o elogio "Muito bem, servo bom e fiel" não deveria ser nosso maior objetivo?
Por que um pastor se envolveria no liberalismo doutrinário e na contemporização com o mundo? Por que as pessoas participam como membros de igrejas liberais onde a Bíblia não é o fundamento? Simplesmente não faz sentido.
Acho muito importante que as pessoas tomem uma posição de um modo ou de outro. Se você é um pastor e não pode justificar seu 'ministério' diante de Deus com uma consciência limpa, então por que ainda é pastor? Não sabe que será julgado com muita severidade se ferir e desencaminhar o povo que Deus resgatou com seu próprio sangue?
"E confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, instrutor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei; tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Tu, que dizes que não se deve adulterar, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, cometes sacrilégio?" [Romanos 2:19-22].
É hora de tomar uma posição. Se você tem sido liberal, então endireite-se. Arrependa-se diante de Deus e determine no seu coração que daqui para frente será um bom mordomo. Não endureça seu coração nem recuse a correção.
"Ah SENHOR, porventura não atentam os teus olhos para a verdade? Feriste-os, e não lhes doeu; consumiste-os, e não quiseram receber a correção; endureceram as suas faces mais do que uma rocha; não quiseram voltar." [Jeremias 5:3].

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A JUSTIÇA DE DEUS


A JUSTIÇA DE DEUS
A justiça de Deus é muito diferente da justiça que se aplica neste mundo.
Deus julga as pessoas de acordo com suas intenções e perdoa de acordo com o arrependimento. A justiça dos homens julga baseada em acusações (que em alguns casos podem ser falsas), em provas (algumas vezes duvidosas) e perdoa muitas vezes mesmo sem o culpado ter se arrependido.
Deus quando dá uma sentença ou corrige alguém, Ele sabe perfeitamente o que aconteceu e o que se passou na mente e no coração daquele que cometeu o erro. Ou seja, Deus jamais erra em seu julgamento. Na justiça dos homens, muitas vezes o culpado é declarado inocente e o inocente culpado, porque as pessoas que julgam não sabem exatamente o que aconteceu.
Em alguns casos a verdade está mais do que clara, mas por causa de brechas na lei ou por causa de as pessoas acusadas terem dinheiro e influência, a sentença é favorável ao culpado.
É bom deixar claro que tudo que acontece tem a permissão de Deus e que todos devem respeitar as leis. Mas as pessoas que são encarregadas de julgar e favorecem os outros para receberem algum benefício, prestarão contas ao Deus Todo-Poderoso. E as pessoas que usarem suas riquezas ou sua influência para serem beneficiadas, também prestarão contas a Deus. Como dizem as Escrituras Sagradas: Tu não queres nada com juízes desonestos, pois eles fazem a injustiça parecer justiça, ajuntam-se para prejudicar as pessoas honestas e condenam à morte os inocentes. Ele castigará esses juízes por causa das injustiças que eles têm cometido; o Senhor, nosso Deus, os destruirá por causa dos seus atos de maldade.” (SALMOS 94 v. 20-21, 23)
Muitos acham que Deus não se importa com o que acontece nesta terra. Estão enganados. Deus corrige e dá oportunidades para que as pessoas se arrependam e façam o que é certo. Mas as pessoas, principalmente aquelas que ocupam cargos de autoridade nesta terra ou são muito ricas e influentes, não enxergam essas oportunidades nem dão atenção às correções de Deus.
As coisas acontecem porque todos são desobedientes a Deus. Se o povo é explorado é porque elegem pessoas erradas para estarem no comando. Até brigam e discutem para defender seus candidatos. Por outro lado, as pessoas que estão no comando usam seu poder para beneficiar os seus e não dão nenhuma importância a quem precisa.
Tomem cuidado. Deus vê todas as coisas e ninguém escapará do julgamento de Deus.
Um servo perguntou a Deus: “O Senhor acha justo que as pessoas sofram com doenças que não têm cura? Que passem fome? Que vivam mendigando? Que sofram com as desgraças que acontecem em suas famílias?”
E Deus disse: “Você acha justo que as pessoas desejem o mal as outras? Que humilhem os outros por terem melhores condições financeiras? Que odeiem as outras? Que tirem a vida das outras? Que sejam orgulhosas, invejosas e fofoqueiras? Que os que têm condições não ajudem os que precisam? Que os filhos maltratem seus pais? Você acha certo que acreditem em tudo nesse mundo, mas não acreditem que existe um Deus que os criou, o qual elas devem amar, honrar e obedecer como Pai e Criador?”           
Os seres humanos pensam que Deus não vê com que intenção eles fazem as coisas e se esquecem que Deus conhece os segredos mais íntimos de nossa alma. Por isso, todo aquele que fizer o mal ao seu irmão, será cobrado por Deus. Então, meus irmãos, pensem bem antes de fazer o mal ao seu irmão. Não se esqueçam que o Senhor é um Deus justo. “Deus sabe por onde você anda e vê tudo o que você faz. Você pode pensar que tudo o que faz é certo, mas o Senhor julga as suas intenções.”(PROVÉRBIOS 5 v. 21/16 v. 2)
A justiça de Deus, como já foi dito, se baseia na intenção das pessoas e no que levou a pessoa a cometer um erro. Preste atenção nesses dois casos:
1º- Uma esposa era muito dedicada ao seu marido, mas ele sempre saía com outras mulheres e dizia: “Não posso fazer nada se sou bonito e as mulheres me querem.” 
2º- Uma mulher trabalhava muito e sempre deu prioridade a sua carreira profissional. Seu marido sempre a chamava para sair e namorar, mas ela estava sempre estressada, cansada ou com outros compromissos. Certa vez seu marido encontrou uma antiga amiga e por estar carente, acabou tendo um relacionamento com ela.
Pela Lei de Deus é pecado cometer adultério. E quem peca, paga um preço por seu erro. Mas Deus que julga as intenções cobrará a cada um de forma diferente. No primeiro caso, o marido traía e humilhava sua esposa, e com certeza pagará um preço alto. No segundo caso a mulher teve culpa em ser traída. É claro que não justifica o erro do marido, mas Deus não o julgará da mesma forma que o marido do primeiro caso.
O que Deus quer que as pessoas entendam é que todos estão sujeitos ao erro. Mas que em nenhum caso justifica você fazer o mal ao outro. E se você comete um erro, Deus sabe o porquê e se você se arrepender, Ele te perdoará, mas cobrará, para que você aprenda a não errar mais.
A cobrança feita pela justiça dos homens é errada em muitos casos. Por exemplo: se uma pessoa simples roubar um alimento na intenção de alimentar sua família, e for pega, ela é condenada e passará alguns anos na prisão (que como vocês sabem, na maioria das vezes, estão superlotadas e o tratamento é desumano). Mas se uma autoridade, por exemplo um prefeito de uma cidade, desviar milhões que seriam usados para alimentar e cuidar de centenas de pessoas, e for descoberto, ele ficará numa prisão especial, se tiver nível superior, com tratamento diferenciado, podendo até responder em liberdade.
Isso está errado! Se uma pessoa cursou uma faculdade, teve condições de estudar no exterior ou tem conhecimento da lei, e mesmo assim comete um erro, ela deve pagar ainda mais porque sabe que está errada e poderia ter evitado esse erro. Como dizem as Escrituras Sagradas: O empregado que sabe qual é a vontade do patrão, mas não se prepara e não faz o que ele quer, será castigado com muitas chicotadas. Mas o empregado que não sabe o que o patrão quer e faz alguma coisa que merece castigo, esse empregado será castigado com poucas chicotadas. Assim será pedido muito de quem recebe muito; e, daquele a quem muito é dado, muito mais será pedido.” (LUCAS 12 v. 47-48)
Deus julga dessa forma: se você faz o mal consciente de que prejudicará alguém, o peso do seu pecado será ainda maior e seu castigo também será muito mais pesado. Portanto, cuidado com o que você anda fazendo com as pessoas, porque Deus está te observando e cobrará cada lágrima que você fizer os outros derramarem.         
Da maneira que algumas igrejas pregam parece que Deus apóia as coisas erradas que o povo faz. Elas dizem que quando aceitaram Jesus, seus pecados foram perdoados e jogados no mar do esquecimento. E mesmo depois que estão na igreja continuam fazendo o que é errado (fofocas, discriminação, orgulho, falsidade, traição...). 
Não confundam o Deus Eterno com essa gente, porque Ele não tem nada a ver com esse povo. Em primeiro lugar, Deus cobra a todos pelos erros que cada um comete. Se você se arrepende de seus erros, Ele te dará força e tranqüilidade para passar pelos momentos de cobrança: tudo que você fez ou faz de errado com os outros farão com você. Mas se você se acha justo, que não comete erros ou que seus pecados foram lançados no mar do esquecimento e por isso você não pagará por eles, tome muito cuidado, porque na hora da cobrança, Deus não estará com você, pois Ele só ajuda a quem reconhece que é um pecador, se arrepende de seus erros e procura Sua ajuda. Preste atenção no que dizem as Escrituras Sagradas: “Se Deus não deixou de castigar os judeus, que são como galhos naturais, vocês acham que Ele vai deixar de castigar vocês?” (ROMANOS 11 v. 21) 
As Escrituras Sagradas dizem que não há nenhum justo. Vocês acham que Deus não corrigirá vocês? Vocês se acham melhores do que o povo de Israel, o povo escolhido por Deus? Davi era segundo coração de Deus, mas Deus o cobrou pelos seus erros e mesmo assim Davi não deixou de amar a Deus; aceitou a correção e agradeceu, pois sabia que era um pecador.
Deus nos corrige porque Ele quer que Seus filhos sejam pessoas corretas, que façam o bem e tenham misericórdia dos outros, pois todos cometem erros. “Quando somos corrigidos, isso no momento nos parece motivo de tristeza e não de alegria. Porém, mais tarde, os que foram corrigidos recebem uma vida correta e de paz.” (HEBREUS 12 v. 11) 
Todos são maus, pecadores e desobedientes. Você não pode deixar que o orgulho te cegue ou que a certeza de que já está salvo, te afaste de Deus, pois ainda será julgado. Você deve agradecer todos os dias pela misericórdia de Deus em sua vida. Todos os dias Ele te dá oportunidade de se arrepender dos seus erros. As dificuldades que você enfrenta são oportunidades para pedir a ajuda de Deus e reconhecer que você é nada sem Ele. “Será que você já reconheceu diante de Deus que você sofreu por causa dos seus pecados e que prometeu que não vai pecar mais? Será que você pediu a Deus que lhe mostrasse as suas faltas e resolveu parar de praticar o mal? Se você peca, isso não atinge a Deus lá no alto; as suas faltas, por muitas que sejam, não vão prejudicar a Deus. Se você faz o bem, não está ajudando a Deus; Ele não precisa de nada que é seu. São os outros que sofrem por causa dos pecados que você comete; e são eles que são ajudados quando você pratica o bem.” (JÓ 34 v. 31-32 / 35 v. 6-8)
O seu sofrimento não pode ser uma desculpa para ser mau e fazer maldades com os outros. Se você já sofreu por alguém, não faça os outros sofrer, pois se doeu em você, também doerá no seu irmão. 
Ninguém sofre injustamente! Ninguém morre por engano! Deus sabe de todas as coisas e conhece o coração de cada pessoa. Depois que as pessoas morrem, o povo diz que elas eram boas, pessoas decentes. Só Deus sabe o que cada pessoa é.
Existe muita gente má nessa terra. Quando se fala em maldade o povo acha que é só quem mata, rouba, seqüestra, estupra. Mas não é só isso. Maldade é você discriminar as pessoas, caçoar dos outros, fazer piadas para ofender os outros como muitos fazem, humilhar, enganar, trair, ofender, desprezar, odiar, fazer macumba, usar de desonestidade, falsidade, julgar, fazer fofoca, desejar o mal àquela pessoa, se aproveitar dos outros... Tudo isso as pessoas acham normal, mas machuca o coração dos outros. Se acontece uma tragédia com as pessoas que fazem essas coisas, todos acham injustiça, mas não sabem o que elas faziam com os outros e como eram seus corações.
Se olharem para dentro de vocês e pedirem para Deus lhes mostrar quem realmente são, verão quanta podridão existe dentro dos seus corações. Muitos mentem, enganam, fazem comentários maldosos sobre os outros, são orgulhosos, não pedem perdão quando estão errados, são apegados ao dinheiro, dão más respostas aos seus pais, sentem inveja... Meus irmãos, vocês precisam mudar essa maneira de agir! Não esperem que aconteça algo de ruim com vocês ou com suas famílias para que seus corações sejam quebrantados, pois se isso for necessário, Deus deixará que aconteça.  
O que Deus quer é que você admita que há muitas coisas ruins dentro de você que precisam ser retiradas e que você precisa mudar sua maneira de agir para que Deus possa te ajudar e te proteger da maldade deste mundo.
Muitos acham Deus injusto, pois quando estão passando por determinada situação de sofrimento dizem: “O que foi que eu fiz para merecer isso, sou uma pessoa que não faço mal a ninguém e tenho um bom coração?” Tome cuidado quando abrir sua boca para dizer que Deus é injusto. Você que é injusto e tem um coração cheio de maldade. Qual ser humano que realmente obedece a Deus e ama ao seu próximo? Nenhum. “Como dizem as Escrituras Sagradas: Não há uma só pessoa que faça o que é certo; não há ninguém que tenha juízo; não há ninguém que adore a Deus. Todos se desviaram do caminho certo, todos se perderam.”(ROMANOS 3 v. 10-12)
Deus criou leis para que o mundo tivesse ordem, pois Ele faz com que Sua Lei seja cumprida. A desordem e a maldade dos dias em que vivemos são causadas pela desobediência à Lei de Deus. As pessoas sofrem as conseqüências de serem desobedientes.   
Da justiça desse mundo é fácil de escapar, pois é falha, cheia de brechas e em muitos casos não é aplicada. Mas quem escaparáda justiça de Deus? Se você é desobediente, o mal que você fizer nesta terra, você pagará. Não faça aos outros aquilo que não quer que façam com você. 
Lembre-se que Deus corrige quem Ele ama. Quando você estiver passando por uma situação difícil lembre-se da justiça de Deus, reconheça seus erros e pare de fazer o que é mau. Peça perdão a Deus e aceite com alegria a correção, pois é uma oportunidade que Deus está te dando para se arrepender e ir descansar com Ele. Preste atenção nesse ensinamento:
“Ó Deus Eterno, quem tem o direito de morar no Teu Templo?
Quem pode viver no Teu santo monte?
Só tem esse direito aquele que vive uma vida correta,
que faz o que é certo e é sincero no que diz.         
Ele não fala mal dos outros, nem prejudica os seus amigos
e não espalha boatos a respeito dos seus vizinhos.
Ele cumpre o que promete, mesmo com prejuízo próprio,
Empresta sem cobrar juros e não aceita dinheiro para ser testemunha contra pessoas inocentes. Aquele que age assim estará sempre seguro.” (SALMOS 15 v. 1-5)

Deus te prepara para uma vida celestial e é por isso que Ele corrige a todos. 
Antes de você pensar que Deus é injusto, analise sua vida e veja se o conhece, se já deixou Ele agir em sua vida. Não fale daquilo que não conhece. Se você não acredita em Deus nem na Sua justiça, cuidado para não ser pego de surpresa no Dia do Juízo e ser condenado ao inferno.
Que Deus o abençoe!

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

O que Jesus, faria em seus passos?

O Que Jesus Faria? 

Decisões morais e éticas

Jesus chamou as pessoas para segui-lo. Os verdadeiros discípulos andam nos passos do Senhor (Marcos 8:34). Ele nos deixou um exemplo perfeito para ser imitado (1 Pedro 2:21b-22). Ele enfrentou as mesmas tentações que nós encaramos hoje, mas nunca caiu no pecado (Hebreus 4:15).
O exemplo de Jesus se torna imprescindível na nossa luta diária com as tentações e provações. Para vencer os desafios morais e éticos, precisamos buscar a resposta certa à pergunta: O que Jesus faria na minha situação?

Como podemos saber o que Jesus faria?

Não adianta fazer o que eu imagino que Jesus teria feito, e muito menos fazer o que eu quero e depois tentar convencer a mim mesmo que ele faria o mesmo! Eu preciso saber como ele agiria se enfrentasse as mesmas opções que estão diante de mim. De três maneiras, aprendemos nas Escrituras o que Jesus faria:
  • O que Jesus fez – pelo exemplo que ele 
  • deixou. 

  • Quando Jesus ensinou uma lição sobre humildade e serviço, ele disse aos apóstolos: “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também” (João 13:15). Jesus deixou um exemplo de obediência perfeita ao seu Pai, submetendo sua própria vontade à vontade do Pai (Mateus 26:39,42). Mostrando-nos seu exemplo de obediência, ele quer a nossa submissão à vontade divina (Hebreus 5:8-9).

  • O que Jesus falou – pelas suas palavras. Quando se trata de homens, sabemos que as palavras e os atos podem se contradizer. Alguém pode ensinar uma coisa e praticar outra. Jesus condenou tal hipocrisia dos líderes religiosos de sua época (Mateus 23:27-31). Infelizmente, o mesmo problema persiste até hoje. Mas quando Jesus fala, podemos confiar totalmente na integridade de seu caráter. Ele é Deus, e as palavras dele concordam plenamente com os seus atos (Hebreus 1:12; 13:8; Tiago 1:17). Quando Jesus ensina como agir, podemos ter certeza que ele faria da mesma maneira que ensina aos outros.

  • O que ele mandou outros falarem – pelas palavras que ele transmitiu. Antes de voltar para o céu, Jesus deixou homens encarregados da responsabilidade de continuar seu ensinamento. Hebreus 2:3-4 mostra que as palavras transmitidas por estas testemunhas fazem parte do evangelho revelado pelo Senhor. Jesus foi claro em mandar que eles revelassem suas instruções aos homens (Mateus 28:20; Atos 26:16,19). Todos os livros do Novo Testamento fazem parte da bússola que nos orienta nas nossas decisões.
Como escolher o caminho certo – três perguntas fundamentais:
As três maneiras de saber o que Jesus faria sugerem três perguntas fundamentais para acharmos o caminho certo:
  • O que Jesus fez em circunstâncias semelhantes? Jesus já passou por experiências semelhantes às nossas, e o procedimento dele serve para nos guiar. Se você for maltratado, olhe para o exemplo de Jesus (1 Pedro 2:23).

  • O que Jesus falou sobre o assunto? Jesus nunca se casou, mas falou da permanência do casamento (Lucas 16:18). Ele nunca pecou, mas mostrou a importância de pedir perdão (Mateus 6:12).

  • O que Jesus mandou outros falarem sobre a questão? Os apóstolos entenderam bem a importância de se limitarem à vontade de Deus em tudo que falaram (1 Pedro 4:11). Eles escreveram para orientar os fiéis em seu proceder (1 Timóteo 3:14-15). Eles esperavam que os discípulos se lembrassem do ensinamento, mesmo depois da morte daquela geração (2 Pedro 1:12-15).
O que Jesus faria – algumas aplicações práticas

Uma vez que entendemos estes princípios, devemos aplicá-los nas nossas decisões cotidianas. Tenho usado esta abordagem em muitas palestras em relação às práticas religiosas dos nossos dias, perguntando o que Jesus faria num mundo de confusão religiosa. É uma aplicação importante. Mesmo entre pessoas que se preocupam em voltar ao padrão bíblico nas práticas e ensinamentos de uma igreja, é necessário fazer outras aplicações – especialmente na conduta pessoal – destes mesmos princípios. O que Jesus faria diante das escolhas que enfrentamos no dia-a-dia? Como ele resolveria decisões de prioridades? Qual seria a resposta dele aos desafios morais e éticos? Quero sugerir algumas aplicações para ilustrar o valor desta abordagem. Você, certamente, pensará em muitas outras.

O que Jesus faria . . .

● Se alguém pedisse para colocar seu emprego acima do seu serviço espiritual? Muitos discípulos usam o trabalho como justificativa automática para não cumprir suas responsabilidades espirituais. Será que Jesus teria as mesmas prioridades? Ele nos adverte sobre o perigo de buscar riquezas (Mateus 6:19-21; 1 Timóteo 6:9-10). E quando se trata de necessidades do dia-a-dia, e não de riquezas, ele ainda prioriza o serviço espiritual (Mateus 6:25,33). Devemos considerar estes fatos antes de aceitar empregos que envolvem horários ou viagens que impedem a participação em reuniões da igreja (Hebreus 10:24-25), ou empregos que exigem alguma conduta que não convém para o cristão.

● Se alguém pedisse para colocar um passeio acima do seu serviço espiritual? Não é errado sair da rotina para descansar em algum outro lugar, talvez um lugar mais deserto. Jesus mesmo levou os apóstolos num “passeio” deste tipo (Marcos 6:31-32). Mas, durante a viagem, surgiram trabalhos espirituais que eram mais urgentes, e Jesus atendeu as pessoas que o buscavam (Marcos 6:34). Afinal, o “descanso” dele foi uma caminhada subindo a um monte, onde passou várias horas em oração (Marcos 6:46-48). Não há dúvida sobre as prioridades de Jesus. E as nossas?

● Se alguém pedisse para colocar a família acima das coisas de Deus? Famílias nem sempre ajudam em nosso serviço ao Senhor. Numa ocasião, a família de Jesus tentou impedir o trabalho dele (Marcos 3:20-21). Quando chegaram, Jesus não deu atenção à família, preferindo continuar seu trabalho com sua família espiritual (Marcos 3:31-35). Este exemplo não justifica a negligência de responsabilidades familiares. Os homens devem ser maridos e pais responsáveis, e as mulheres devem cumprir bem seus papéis como esposas e mães. Mas quando as atitudes carnais de uma pessoa da família força uma escolha entre Deus e a família, devemos ficar com o Senhor.

● Se tivesse namorada? Mesmo não achando na Bíblia nenhum exemplo de namoro ou casamento na vida de Jesus, não temos dúvida que o comportamento dele num namoro teria sido exemplar. Se ele tivesse uma namorada que quisesse passar dos limites no contato físico, o que Jesus faria? Se ela quisesse usar uma roupa sensual, o que o Senhor faria? Se ela incentivasse a participação em atividades impuras, como Jesus reagiria? Não há dúvida de que Jesus manteria sua pureza, mesmo se tivesse que terminar o namoro. Considere o que ele nos instrui em 1 Pedro 1:14-16; Gálatas 5:19; 2 Coríntios 7:1 e Mateus 5:28-29.

● Se os amigos incentivassem a participação das coisas erradas do mundo? Jesus tinha bastante contato com pessoas do mundo, mas sempre como a luz que convidava as outras pessoas a saírem das trevas. O cristão pode manter amizades com pessoas do mundo, desde que ele exerça a influência positiva, e não deixe os outros o levarem para o pecado (Mateus 5:14-16). Os discípulos do Senhor não saem do mundo, mas ficam livres do pecado do mundo (João 17:14-17). Os amigos podem estranhar, mas precisamos recusar participar das coisas erradas que fazem (1 Pedro 4:3-4).

● Se vivesse no meio de pessoas perdidas no pecado? Jesus, como todos nós, viveu numa sociedade cheia de pessoas perdidas. Ele se compadecia delas e ensinava-lhes a palavra de Deus, que é o meio que Deus oferece para a salvação (Marcos 6:34; cf. Romanos 1:16). Ele olhou para as pessoas que o rejeitaram e queria resgatar e proteger todas (Mateus 23:37). E nós? Se já aprendemos alguma coisa da palavra salvadora do evangelho, não temos a obrigação de compartilhar esta mensagem com as pessoas perdidas ao nosso redor? Nós devemos imitar o exemplo de Jesus com a mesma urgência que Paulo sentiu quando disse: “Pois sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes; por isso, quanto está em mim, estou pronto a anunciar o evangelho também a vós outros” (Romanos 1:14-15).

que Jesus faria? A resposta certa bem aplicada pode mudar o rumo de sua vida – para seguir os passos do Senhor até a vida eterna!

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Creio que Deus vai tocar em seu coração. Amém



Seja um amigo para ganhar almas. Amém
e lembre em seus passos o que faria Jesus?
todos podem!
o endereço as contas estão anexo, é só abrir o coração, e deixar Deus te usar. Amém
diga venha o teu Reino Senhor.
Deus se alegra com quem oferta com o coração. Amém
são crianças, viúvas, órfãos, e pessoas que estão esperando do que você tem em abundância, Deus te abençoou. Amém
abençoe a outros também..
conto com você!
Estarei orando por sua vida. Amém


Jesus quer quebra preconceito, soberba e o eu de sua vida!

OS 7 MERGULHOS DE NAAMÃ (1º MERGULHO)
II Reis 5:1 a 19

Reflita sua veda e veja, o que está faltando para que você seja transformado como Namaã, foi transformado. Amém 

Vemos nesse texto a história de um homem que podia dizer que tinha de tudo; prestigio, dinheiro, fama, e tudo mais que uma pessoa normal sonharia em ter. Era herói de guerra, sua farda estava cheia de condecorações por seus atos de bravura, seu nome ocupava as manchetes de todos os jornais da época.Talvez somente com essa informação já nos seria suficiente para entender a quantidade de barreiras e de preconceitos que esse homem teve que enfrentar até chegar onde chegou. Porém era leproso. Um grande sucesso para o público, e um imenso fracasso pessoal.
Agora o que é essa doença?
A lepra é uma doença transmissível causada por uma bactéria, afeta na maioria dos casos a pele e os nervos. Ela progride lentamente com uma media de um período de incubação de 3 anos. A principal característica de alguém que possui essa doença é a perda da sensibilidade ao calor, e muitas vezes a mutilação de partes do corpo.
Hoje existem remédios que podem trazer a cura desde que diagnosticado em seu começo.
Agora, traga essa doença para o âmbito espiritual. Naamã é a simbologia do estado espiritual de muitos crentes hoje. No mundo espiritual a lepra representa o pecado. E assim como a doença física, o pecado causa morte espiritual que futuramente leva a morte física.
Preste atenção se você ou alguém que você conhece não esta com esses sintomas de lepra:
  • Perda da sensibilidade ao calor (não sente mais a presença de Deus), o fogo e a paixão de Deus não ardem mais. E por mais que Deus faça, não sentimos nada.Ou pior ainda, nos tornamos insensíveis a necessidade alheia, somente conseguimos enxergar nosso próprio umbigo.
  • Manchas no corpo, ou seja, o pecado já esta tão impregnado na pele, que aquilo que a alguns anos atrás era abominável pra mim, hoje se tornou a coisa mais normal do mundo.
  • Torna-se uma doença transmissível, ou seja, já estou tão insensível pras coisas de Deus, que a única coisa que me resta é transmitir meu veneno a outras pessoas.
  • Mutilação de partes importantes do corpo, ou seja, quando estamos insensíveis, e nos tornamos contagiosos, logo vemos que parte do corpo de Cristo começa a ser afetada por nossa causa.
Uma das servas de Naamã havia dito a esposa de Naamã sobre Eliseu. Naamã vai ao seu rei e pede pra que ele mande uma carta ao rei de Israel, provavelmente para autorizar sua entrada em Israel.
O rei de Israel então recebe uma carta do rei Sírio, e como já havia acontecido alguns conflitos entre Síria e Israel, mas estavam em um tempo de paz e colaboração, o rei se desespera por encontrar uma oportunidade de ajudar um antigo inimigo que atualmente era aliado, porém não tinha recursos para isso.
O rei rasga suas roupas com uma mistura de raiva e frustração por não poder ajudar.
Naamã procura Elizeu e ao contrario do que pensava, Elizeu nem o recebeu, talvez porque fosse leproso, e havia uma lei que proibia a qualquer um de ter contato com leproso, tanto que o único relato de alguém que tocou em um leproso foi o de Jesus. Ou pode ser também que Eliseu simplesmente queria mostrar a senhor incrível (comandante) que diante de Deus somos todos iguais e ninguém merece glória a não ser Deus. Por causa das dificuldades que aquele homem possa ter enfrentado para chegar a fama que chegou, Naamã desenvolveu uma soberba muito grande.
O primeiro mergulho de Naamã não o livra da lepra, e sim da sua soberba.
II Crônicas 7:14 diz: “se o meu povo que se chama pelo meu nome se humilhar e orar e buscar a minha face e se arrepender dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céus perdoarei seu pecado e sararei a sua terra.”
Para que o comandante Sírio pudesse ser curado, o primeiro mergulho foi fundamental, porque foi a prova de total submissão a vontade de Deus revelada através de seu profeta. O que ele queria dizer no versículo 12 que ele conhecia outros rios melhores é porque o Jordão era um rio muito sujo, e para um comandante tão renomado se rebaixar a tanto era uma ofensa. Porém, assim como Deus faz hoje, muitas vezes Deus nos pede algo que fere nosso conceito para provar nossa total submissão a sua autoridade. O primeiro mergulho foi fundamental, porque foi a hora que Deus vence o homem, Deus vence a soberba. Ao final dos 7 mergulhos ele foi limpo, porém o primeiro revela a total dependência do homem a Deus.
Assim como foi com Moisés e o povo hebreu, assim como foi com Josué, Deus espera que dependamos de suas forças, de sua estratégia e de seu poder. O que temos não vale pra Deus. O que somos não surpreende o criador, porem quando nos voltamos a Ele, Ele nos ouve, e estende suas mãos poderosas. Todo reconhecimento humano não pode se comparar com a Gloria que Deus quer revelar em sua vida.
Atreva-se a crer dê seu primeiro mergulho. Livre-se da soberba, permita que Deus te vença para que Ele revela sua vontade que é boa, perfeita e agradável.
NAAMÃ É CURADO DO CORPO, DA ALMA E DO ESPÍRITO.



Texto: 2 Rs 5.19
Tema: Naamã é curado do corpo, da alma e do espírito
Introdução:
        Através do texto lido conhecemos a história de um homem muito conceituoso comandante do rei da Síria , herói de guerra, pois através dele, Deus havia dado livramento aos Sírios dos ataques de Israel.Aos olhos de quem não sabia do seu problema, que era a lepra, diria: Naamã tem tudo para ser um homem realizado,  feliz ,honrado e valoroso pois era muito respeitado por todos.Porém não era bem assim,Naamã tinha um grande problema, a lepra.

1.Naamã tinha uma doença na carne  (v. 1)
*  ( a lepra) não era só uma doença biológica, era uma doença preconceituosa. Naquela época o sujeito com lepra, muitas vezes tinha de ficar em local isolado para que não houvesse contaminação com outras pessoas, A lepra  tem uma característica de perda da sensibilidade na pele, e podemos comparar com o pecado.O pecado torna as pessoas insensível.E com a insensibilidade ela não vê o pecado como pecado ela se torna orgulhosa e soberba e presunçosa mas não é só essa doença que Naamã tinha.
2.Naamã tinha uma doença na alma (vs 11,12)
* (O orgulho e a soberba) primeiro por não ser recepcionado pelo profeta pessoalmente,  “ pensei que ele iria me encontrar, e colocar-se ia de pé e iria invocar o nome do Senhor e ficaria curado  ( v.11)”, segundo  em achar que na sua terra teria rios melhores que os de Israel( v12 ), talvez esse seja o nosso problema ,em alguma situação, achamos que somos importantes,as vezes por termos um alto cargo , por acharmos que pertencermos a maior  e mais bonita igreja. Ai o seu líder te manda para um a igreja que só tem 10 pessoas lá no fim do mundo.  Então  você diz: não ! eu sou um bacharel em teologia,  como que o pastor presidente me manda para aquela igreja tão pequena tão simples, como vou mostrar quem eu sou? Orgulhoso e soberbo!
3.Naamã tinha uma doença no espírito
* ( A idolatria v.17,18) talvez essa seria a pior doença de Naamã  adorar ao deus Rimon (deus do vento e da chuva em Damasco) e hoje vemos crentes caindo em escandalos por causa do deus chamado dinheiro, pessoas que não tem compromisso com a igreja e só pensam em ganhar ,ganhar, e ganhar dinheiro , em serem reconhecidos, enfim. Afinal não é só imagem de escultura que é idolatria, mas tudo o que é colocado no lugar de Deus em nossa vida.


Três passos para alcançar a cura que precisamos, seja ela da carne da alma ou do espírito:

1 - A humilhação     
( 2 Cr 7.14)” Se o meu povo que se chama pelo meu nome se humilhar...”
Naamã se humilhou deixando sua cidade para ir buscar cura à uma cidade inimiga.
 Humilhado por não ser recebido com honra pelo profeta Eliseu.
 Mergulhar sete vezes num rio que considerava pior que o da sua cidade.

2 - A  obediência e a perseverança
( 1Samuel 15.22; Mt 15.21-28) “... Eis que é melhor obedecer do que sacrificar...”
Naamã obedeceu ao  profeta quando lhe  mandou dizer para  ir e mergulhar sete vezes. E ele o fez com perseverança.

3 - A fé
(Lc 7.2-10) O centurião disse: ”Dize, porém,  uma palavra, e meu criado será curado” e  seu criado foi curado pela fé.
Naamã  creu mergulhando sete vezes e ficou curado, do espírito, da alma e do corpo, quando se converteu.

Conclusão:
       Concluo esta mensagem lembrando que,  seja  quem você for  ou qual seja a sua função,  sem a humilhação, obediência ,  perseverança e a fé, não vamos conseguir nada do que precisamos ,portanto, se precisar se humilhar,  se humilhe, se precisar pedir perdão, peça, se precisar pedir  desculpa, peça, e se Deus quiser agir em uma das áreas de sua vida, não questione,  submeta-se, pois Ele sabe o melhor método de agir e nossa vida.



terça-feira, 4 de agosto de 2015

VOCÊ É SEGUIDOR OU DISCÍPULO?

CARACTERÍSTICAS DO CRENTE VERDADEIRO

Texto básico: 1 João 2.1-6

Texto devocional: Gálatas 5.16-26

Versículo-chave: 1 João 2.6
“Aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou”
Alvo da lição:
Partindo de uma reflexão sobre a excelência da pessoa e obra de Cristo, levar o aluno a pensar na importância de uma vida cristã digna do evangelho de Jesus, incluindo um exame de sua vida diária como reflexo de sua salvação.

Leia a Bíblia diariamente
S – 1Jo 2.1-6
T – Cl 1.13-23
Q – Fp 1.27-30
Q – Ef 4.25-32
S – Ef 5.15-21
S – Gl 6.11-17
D – Mt 13.24-30

Introdução

Uma das histórias contadas pelo Senhor Jesus que todos conhecemos muito bem é a “parábola do joio” (Mt 13.24-30). Descobrimos nessa parábola que não é tarefa fácil separar o crente verdadeiro do falso. São tão pa­recidos que há o risco de alguém tentar separá-los e se enganar, de modo que apenas no tempo de Deus, mediante a apresentação dos frutos, é que o julga­mento acontecerá.
A grande questão está no fato de que as características do crente verda­deiro não são externas, mas trata-se de uma atitude de coração, de uma mudança de mente, da maneira como se relaciona com o Senhor Jesus. O ver­dadeiro crente procura ser semelhante a Jesus. O texto da lição de hoje nos ajuda a examinar exatamente essa dimensão do caráter cristão que se manifesta no relacionamento do crente com Jesus.
I. Crentes sabem quem é Jesus (1Jo 2.1)
O conhecimento de Jesus tem múltiplas faces e implicações. Ele é muito mais do que aquilo que se pode revelar em apenas um verso da Bíblia. Da mesma forma como uma dona de casa tem muitas vasilhas e muitos temperos e, no momento de preparar um prato delicioso, não usa todas as vasilhas nem todos os temperos, mas apenas aqueles de que precisa para pro­duzir o sabor que deseja, assim também o crente conhece Jesus e é abençoado pela qualidade necessária a cada mo­mento de sua vida. Ele é o “socorro bem presente” (Sl 46) na hora da angústia, a força na fraqueza, a companhia na solidão, a paz em tempo de guerra. Ele é o Advogado junto ao Pai no momento do nosso pecado.
Enquanto fomos separados de Deus por causa de nossos pecados, Ele é aquele que está junto ao Pai. Enquanto somos injustos, Ele é “o justo”. Não ape­nas justo, mas Ele é também justo “para nos perdoar” (1Jo 1.9), é aquele que jus­tifica, pois “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8.1). Ainda que nos reconheçamos pecadores, somos exortados a que não pequemos. Isso significa que, mesmo sendo pecador, o crente não vive na prática deliberada do pecado, porque o seu desejo é viver na luz e agradar Aquele que o chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz. Ainda assim, quem “pensa estar em pé veja que não caia” (1Co 10.12). Continuamos com a possibilidade de pecar.
A pessoa que não chegou ao co­nhecimento da verdade não tem solução para o problema do pecado. Ela ignora que está pecando ou continua no pecado, fazendo do ato pecaminoso uma prática natural de vida, ou luta contra o pecado com armas inúteis – recursos inade­quados como boas obras, rezas, esforço pessoal ou qualquer outro. O crente sabe que Jesus é o Advogado – aquele que é “chamado para o lado”, nosso intercessor junto a Deus ( Jo 14.16,25; 15.6; 16.7). Como lembra o Dr. Shedd, “a intercessão de Cristo é a aplicação contínua de Sua morte para nossa salvação”. O crente sabe quem é Jesus!
II. Crentes confiam naquilo que Cristo fez (1Jo 2.2)
O justo, Jesus Cristo, é também a propiciação pelos nossos pecados. Foi o sangue de Jesus, vertido pelos nossos pecados, que tornou possível a propiciação.
1. Suficiente para o meu pecado
O termo propiciação é bastante ligado à ideia de propiciar, ou tornar possível. No caso bíblico, propiciatório é o lugar onde os pecados eram expiados ou removidos. Em Romanos 3.25, somos informados que “Deus propôs, no seu san­gue (de Jesus), como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos”. Deve-se observar novamente a íntima ligação en­tre a justiça ( Jesus é o justo – 1Jo 2.2) e a propiciação. Através da morte de Cristo, Deus remove os pecados do Seu povo, não apenas simbolicamente como no ritual de Levítico 16, mas em fato e realidade, limpando a consciência do homem e eliminando sua culpabilidade perante Deus (veja o comentário da Bíblia Vida Nova para Rm 3.25).
O crente honra a Deus não apenas no ato de buscar o Seu perdão, mas também na disposição consequente e continuada de perceber-se perdoado. Ainda que o inimigo use inúmeros ar­tifícios para fazer-nos lembrar de nossa indignidade (e de fato somos indignos!), ou mesmo de nossa história passada (inclusive maldições ou traumas), sabemos muito bem que, da mesma forma como o bode emissário (de Lv 16) era enviado para levar o pecado do povo para o deserto, também o Senhor levou sobre Si as nossas transgressões (Is 53.4) e lançou nossos pecados “no fundo do mar”. Sabemos que o sacrifício de Cristo é suficiente para remover toda a culpa, de modo radical e completo.
2. Suficiente para o pecado do mundo todo
O lembrete incluído no verso 2 é maravilhoso: “não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo in­teiro”. O fato insistentemente lembrado na Bíblia e pelo cristianismo em todos os tempos é que Deus amou ao mundo ( Jo 3.16), e que foi por isso que Ele deu o Seu Filho para morrer na cruz. Nós, os crentes em Cristo Jesus, precisamos ser relembrados constantemente de que o amor de nosso Senhor é maior do que nosso ego – que Ele ama também o descrente, aquele que mora perto de nós e aquele que está mais distante: “todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”! ( Jo 3.16)
O outro lado dessa verdade é que podemos e devemos proclamar essa mensagem para cada pessoa do mundo. Tendo confiança no que Ele fez, somos desafiados a um envolvimento absoluto com a obra de evangelização e de missões. Essa é a razão por que somos “evangéli­cos”: fomos alcançados pelo evangelho e pregamos o evangelho – as Boas-Novas de salvação de que Cristo morreu e res­suscitou, e de que Nele há salvação para todo pecador – do mundo todo.
III. Crentes fazem o que Cristo manda (1Jo 2.3-6)
O padrão de vida santa não é um preço pago para comprar a salvação, e nem mesmo um complemento para isso (já que Jesus é suficiente, e nada está faltando em Sua obra propiciató­ria). Do outro lado, essa vida santa é um resultado obrigatório da natureza da obra de Cristo na vida do crente. Guardar os mandamentos de Cristo é o sinal evidente que acompanha todo o crente verdadeiro – é o fruto que se espera como resultado da semente do evangelho que nasceu em nosso coração.
Aquele que se diz crente e vive em pecado é semelhante a um produto de marca falsificada que traz a etiqueta, imita o original, mas não tem a qua­lidade e a durabilidade dele. Além de enganar o comprador, esse produto depõe contra o controle de qualidade da marca falsificada. Essas pessoas, joio no meio do trigo, estão inevitavelmente no mesmo campo de ação dos crentes verdadeiros, são perfeitas imitações, mas vivem de forma pecaminosa. Paulo lembrava aos judeus que, devido à ma­neira desregrada como viviam mesmo na condição de “povo de Deus”, eles acabavam fazendo com que o nome de Deus fosse “blasfemado entre os gentios” (Rm 2.24). Infelizmente, ainda nos dias atuais, a vida indigna de muitos de nós acaba por desonrar o nome de nosso Senhor (e havemos de prestar contas a Deus por isso!).
O outro lado da verdade também é proclamado nesse texto: quando o crente obedece aos mandamentos de Cristo, ele demonstra de forma exuberante os feitos de Deus em sua vida. Na linguagem
bíblica, o amor de Deus é aperfeiçoado nele. Esse crente é “o bom perfume de Cristo”, “embaixador de Deus”, como se Deus falasse por intermédio dele. A evidência mais clara que o mundo pode ver como demonstração do poder do evangelho é a maneira santa e justa como você e eu vivemos. Nós somos as cartas vivas para o mundo! Crente que é crente de verdade permanece em Cristo. Cristo está junto ao Pai (v.1), e o crente tem de andar como Ele andou (v.6). Daí o texto bíblico dizer que a mensagem que ouvimos e anunciamos é para que mantenhamos comunhão com o Seu povo, e “a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo” (1Jo 1.3). En­quanto nossos pecados nos separam de Deus, o fato de estarmos em Cristo nos aproxima de Deus, “derrubando a parede da inimizade” e permitindo uma vida de comunhão com Deus (cf. Cl 1.21-23).
Conclusão
O crente verdadeiro tem inúme­ras razões para se alegrar. Não é sem motivo que ele louva e exalta o Senhor constantemente. Só aquele que sabe quem Cristo é, que conhece Suas obras e aprendeu a viver em obediência à Sua santa palavra pode entender a dimensão extraordinária do evangelho de Cristo Jesus.
Temos sido frequentemente en­sinados a separar uma nota falsa (di­nheiro) de uma verdadeira. Como crentes, não nos compete julgar os outros crentes, mas somos ensina­dos a examinarmos a nós próprios (1Co 11.31-32). Um exercício bastante saudável para concluir a lição de hoje será um exame pessoal de nossos atos e nossa maneira de viver para perceber se verdadeiramente demonstramos o fruto do Espírito de Deus em nossa vida. O texto de Gálatas 5.16-26 é uma excelente referência para nos ajudar nessa tarefa. A advertência final é sem­pre a mesma: “se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl 5.25) – “aquele que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou” (1Jo 2.6).

Postagem em destaque

VIVA SUA VIDA EM CRISTO