terça-feira, 29 de setembro de 2015

Busque o enchimento do Espírito Santo. Amém


“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor, com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” (Efésios 5.18-21)

É importante assimilar a relação entre a doutrina da igreja e a doutrina do Espírito Santo, que aparece nesta carta. Paulo ensina a doutrina da plenitude do Espírito Santo dentro da estrutura da Igreja de Deus.
Vejamos o que Paulo nos ensina acerca do Espírito Santo, num contexto mais abrangente desta carta:
- No capítulo 1, ensina que o Espírito Santo é o selo de todas as bênçãos espirituais, ou seja, é Ele que nos marca para Deus, como sendo sua propriedade;
- Já no capítulo 2, Paulo afirma que a barreira entre judeus e gentios fora rompida por intermédio do Espírito Santo, ou seja, o acesso de ambos a Deus é feito pelo Espírito e que o mesmo Espírito Deus habita na igreja;
- No capítulo 3, é mencionado que pelo Espírito Santo o evangelho fora revelado aos apóstolos e profetas.
- No capítulo 4, Paulo diz que é o Espírito quem concede paz que mantém cristãos unidos.
- No capítulo 5, lemos que a igreja deve ser cheia do Espírito e por fim no capítulo 6, Paulo ao tratar da guerra espiritual, nos orienta a orar no espírito.
Tratando agora da perícope (5.18-21), qual o significado de ser cheio do Espírito Santo?
Devemos ressaltar de que, apesar de Paulo usar uma linguagem figurada (“enchei-vos do Espírito”) é evidente que para ele o Espírito Santo é uma pessoa, é Deus e não uma força ou algo que possamos manipular.
Paulo nesta passagem nos ordena a nos submeter ao domínio do Espírito Santo, de tal forma que todas as áreas de nossa vida, fiquem sob seu controle e que o fruto do Espírito encha o nosso ser, assim como um vaso.
A idéia de ser cheio pelo Espírito Santo significa ser controlado pelo Espírito. Paulo chega a contratar alguém que está embriagado com alguém que está cheio do Espírito.
A embriaguez consiste no domínio ou controle de alguém pelos efeitos do álcool. Quando alguém está embriagado, o álcool já subiu a sua mente e já o dominou de tal maneira que tudo o que ela fizer será feito pelos efeitos do álcool. Uma pessoa embriagada, não percebe mais o que faz; ela perde o controle de sua vida. Paralelo a essa situação, Paulo afirma que uma pessoa cheia do Espírito terá suas palavras, ações, sentimentos, caráter influenciados pelo Santo Espírito.
Uma pessoa embriagada perde todo o domínio de si, enquanto uma pessoa dominada pelo Espírito Santo, mais domínio sobre si terá.


Podemos compreender que a vontade de nosso Senhor, é que cada cristão viva na plenitude do Espírito. Somente por intermédio do Espírito de Deus, temos condições e somos capacitados a realizar aquilo que o Senhor projetou para sua Igreja.
Não estamos falando de crentes pentecostais, dons ou línguas estranhas, mas falamos de termos nossas vidas, na integralidade, controlada por Deus.
Ser controlado pelo Espírito é o que cada cristão deve buscar. Se o projeto do Senhor é formar uma nova sociedade, não existe outra forma ou maneira de se formar uma coletividade de santos a não ser por intermédio de Seu Espírito.
Sem o Espírito Santo, não há Igreja, sem santidade não há Espírito Santo, Sem viver na presença de Jesus, não há Espírito Santo, pois foi Jesus quem rogou ao Pai que o mandasse o Espírito da promessa. Amém
Se você que ser salvo! Quer ir morar com Deus, é crente mais não tem o Espírito Santo, eu e convido a buscá-lo. Amém pois é ele que sela quem vai morar com Deus. Aleluia


Nenhum comentário:

Postagem em destaque