quarta-feira, 27 de julho de 2016

Cuidado com os falsos!

Enganadores e Heréticos dentro do Cristianismo

; Isaías 28:13-14 >
“Assim, pois, a palavra do SENHOR lhes será preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali; para que vão, e caiam para trás, e se quebrantem, se enlacem, e sejam presos. Ouvi, pois, a palavra do SENHOR, homens escarnecedores, que dominais este povo que está em Jerusalém no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.”
Heresias Bíblicas
Como a Bíblia define
a palavra “herege?”
A Bíblia define um herege como aquele
que tem pecado em seu coração
apesar de crer em Jesus.
Existem muitos escritores falsos hoje em dia, especialmente em países em desenvolvimento. Eles fingem ser escritores, mas normalmente exigem dinheiro de suas vítimas, ameaçando expor algo que elas tenham feito. Pseudo significa algo que parece genuíno, mas não é algo real. Em outras palavras, se refere a algo cujo exterior é completamente diferente do interior.
As palavras “herege” e “pseudo” são usadas com freqüência, especialmente em igrejas Cristãs, mas existem poucas definições exatas do que é um herege e o que deve ser chamado de “pseudo.” Existem poucos que ensinam estes conceitos estritamente de acordo com a Bíblia.
Considerando tais circunstâncias, eu sinto a obrigação de expor o que a Bíblia define como “heresia” e lançar um pouco de luz sob tal assunto. Eu também quero ressaltar alguns exemplos de heresia na vida real e, portanto, teremos que pensar juntos sobre o assunto. Todos que crêem em Deus devem pensar pelo menos uma vez na vida sobre heresia.
Tito 3:10-11 define um herege como uma pessoa facciosa que está pervertida e vive pecando, condenando a si mesma. Um herege é alguém que condena a si mesmo como pecador. Portanto, aqueles que crêem em Jesus, mas têm pecado em seus corações, são hereges perante Deus.
Jesus levou todos os pecados através do Seu batismo, mas os hereges recusam-se a crer no verdadeiro evangelho que traz a salvação para os pecadores e, portanto, condenam a si mesmos a se juntarem ao grupo de pecadores.
Você é um herege? Temos que pensar sobre isso se queremos viver uma vida justa e fiel.
Você não está condenando a si mesmo como um pecador, apesar de crer em Jesus, por ainda não ter conhecido o evangelho da água e do Espírito? Se você se considera um pecador, então você está fazendo um desserviço para Jesus negligenciando a Sua perfeita salvação e o evangelho da água e do Espírito.
Chamar a si mesmo de pecador diante de Deus é admitir que não é filho Dele. Aqueles que confessam a Jesus, “Senhor, eu sou um pecador,” devem reconsiderar a sua própria fé.
Como você pode crer em Jesus e ainda dizer que é um pecador quando Jesus levou todos os pecados do mundo e salvou você perfeitamente da maldição eterna? Como você pode negar o Seu dom gratuito da salvação e se definir como um pecador quando Jesus levou todos os seus pecados através do Seu batismo e foi julgado por todos eles na Cruz?
Tais pessoas são hereges porque querem ser pecadoras afastadas da palavra de Deus. Você precisa conhecer o evangelho da água e do Espírito para evitar cometer heresias perante Deus.
Todos que crêem em Jesus, mas não são nascidos de novo, são hereges, porque ainda possuem pecados em seus corações.
Porque Deus levou todos os pecados do mundo, incluindo os nossos, somos hereges diante Dele se ignorarmos esta benção da salvação. Porque Ele é santo, nós somos hereges se tivermos pecados em nossos corações. Se realmente queremos ser justos, devemos crer no evangelho do batismo de Jesus e do Seu sangue na Cruz.
A origem da heresia na Bíblia
Qual é a qualificação mais importante
para um sacerdote?
Ele deve ser nascido de novo.
Vamos ler I Reis 12:25-26, “Jeroboão edificou Siquém, na região montanhosa de Efraim, e passou a residir ali; dali edificou Penuel. Disse Jeroboão consigo: Agora, tornará o reino para a casa de Davi.” Jeroboão era um dos subordinados de Salomão. Quando Salomão tornou-se corrupto em seus últimos anos, Jeroboão rebelou-se contra o rei e mais tarde tornou-se rei das dez tribos de Israel, no tempo de Roboão, filho de Salomão.
A primeira preocupação de Jeroboão quando se tornou rei foi sobre a possibilidade do povo retornar para Judá, onde estava o templo.
Então, ele teve uma idéia para evitar que isso acontecesse. Ele fez dois bezerros de ouro, em Betel e Dan, e ordenou a seu povo que os adorasse. I Reis 12:28 diz, “Pelo que o rei, tendo tomado conselhos, fez dois bezerros de ouro.” Um foi colocado em Betel e o outro em Dan, então foi dito ao povo para adorá-los, apesar de estarem cometendo um terrível pecado. Ele mesmo, arbitrariamente, escolheu os sacerdotes para liderarem a adoração.
“Depois destas coisas, Jeroboão ainda não deixou o seu mau caminho; antes, de entre o povo tornou a constituir sacerdotes para lugares altos; a quem queria, consagrava para sacerdote dos lugares altos” (I Reis 13:33). Esta é a origem da heresia.
Mesmo agora, os hereges escolhem para o sacerdócio qualquer um que queira fazer a obra de Deus. Qualquer um que se forma em um seminário teológico pode se tornar um ministro, um evangelista, um missionário ou um ancião, mesmo se tal pessoa não é nascida de novo da água e do Espírito.
Como uma pessoa que não nasceu de novo pode se tornar um ministro? Se tal pessoa é escolhida como ministro, a igreja que o elege se torna uma fábrica de produção de hereges.
Vamos pensar novamente sobre a origem das heresias. Primeiro, Jeroboão substituiu Deus por bezerros de ouro, para manter o seu poder político. Segundo, ele consagrou todos aqueles que se voluntariaram como sacerdotes. Em outras palavras, ele consagrou pessoas comuns como sacerdotes. E a mesma coisa é feita atualmente.
A história das heresias continuou após a época de Jeroboão. Aqueles que não são nascidos de novo da água e do Espírito nunca poderiam ser sacerdotes.
Uma pessoa que simplesmente se formou em um seminário teológico pode se tornar um ministro ou um evangelista? Está tudo bem para eles servir a Deus, apesar do fato de não serem aprovados por Deus? Nunca. Apenas aqueles que foram reconhecidos por Deus devem se tornar Seus servos. E são reconhecidos por Ele aqueles que nasceram de novo da água e do Espírito.
Está escrito em I Reis 12:25-26 e I Reis capítulo 13 que o pecado de Jeroboão provocou a ira de Deus. Nós todos deveríamos conhecer esta história, mas se não estiver familiarizado com ela, deveria ir até a Bíblia e encontrá-la.
Pense novamente se você está substituindo Deus por bezerros de ouro em seu ministério. Você, por acaso, coloca ênfase em bênçãos terrenas com medo de seus seguidores retornarem para o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito?
Você fala para os seus seguidores que eles podem ser curados de doenças se eles crerem em Jesus? Você fala que serão abençoados com propriedades? Você escolhe aqueles que não são nascidos de novo para serem ministros ou membros da equipe da sua igreja e afirma que a sua denominação é a única verdadeira? Então você está cometendo o pecado de Jeroboão perante Deus e provocando a Sua ira.
Os hereges adoram um Deus de bezerros de ouro
Ainda hoje, existem muitos hereges que adoram bezerros de ouro. Eles dizem que Deus abençoou Salomão quando ele ofereceu mil holocaustos a Deus. I Reis 3:3-5 diz, “Salomão amava ao SENHOR, andando nos preceitos de Davi, seu pai; porém sacrificava ainda nos altos e queimava incenso. Foi o rei a Gibeão para lá sacrificar, porque era o alto maior; ofereceu mil holocaustos Salomão naquele altar. Em Gibeão, apareceu o SENHOR a Salomão, de noite, em sonhos. Disse-lhe Deus:‘Pede-me o que queres que eu te dê.’”
Eles extorquem dinheiro de seus seguidores sob a promessa fraudulenta de “mil holocaustos de Salomão.” Aqueles seguidores ignorantes são extorquidos e os que adoram bezerros de ouro como seu Deus são destituídos de seu dinheiro, que é usado como contribuição para construir gigantescos prédios de igrejas. Não porque as igrejas são muito pequenas, mas porque eles querem tirar dinheiro de seus seguidores.
Colocar bezerros de ouro para as suas congregações adorarem foi apenas uma desculpa dos hereges para tirar dinheiro deles. Nós que cremos em Deus nunca devemos ser feitos de bobos. Se você oferecer dinheiro em adoração a bezerros de ouro, isso não é oferecido a Deus, mas termina no bolso de pseudo-sacerdotes que estão cheios de cobiça, como Jeroboão. Você nunca deve cair nas armadilhas dos hereges.
Então, por que Deus se agradou com os mil holocaustos de Salomão? Porque Salomão conhecia os seus próprios pecados, reconhecia que ele tinha que morrer por eles e ofereceu sacrifício segundo a sua fé. Ele ofereceu mil holocaustos em gratidão pela salvação de Deus. Salomão oferecia mil holocaustos todos os dias, pensando na redenção da água e do Espírito.
Agora, você deve se lembrar do verdadeiro significado da heresia, para que nunca seja enganado por pseudo-sacerdotes.
Aqueles que ministram sem ser nascidos de novo são hereges
O que os hereges dizem sobre
o novo nascimento?
Dizem que são nascidos de novo por meio
de visões, sonhos e vários tipos de
experiências espirituais.
Existem aqueles que ensinam aos outros sobre o novo nascimento quando nem mesmo eles renasceram na sua fé. Todos estes são hereges. Falam para os outros nascerem de novo quando eles são incapazes de renascer, pois não conhecem o evangelho da água e do Espírito. Assim, só podemos rir.
Os pseudo-sacerdotes pregam um falso evangelho, distorcendo o evangelho da água e do Espírito. Eles falam para as pessoas lavarem os seus próprios pecados todos os dias.
Eles dizem, “Vá e ore nas montanhas, tente jejuar, devote a sua vida à obra de Deus, ore de madrugada, seja obediente, ofereça muito dinheiro para construir igrejas, mas você deve tomar cuidado com seus próprios pecados.”
Certa vez, eu ouvi de uma pessoa testemunhando que ela havia nascido de novo. Ela disse que, em um sonho, estava em uma fila e, quando chegou a sua vez, Jesus chamou o seu nome. Ela disse que foi o seu testemunho de novo nascimento. Mas está correta esta convicção? Jesus não falou isso.
Em João 3, Ele diz, “quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” Deus diz que apenas aqueles que são nascidos de novo da água e do Espírito podem se tornar verdadeiros sacerdotes. Todos que crêem que são nascidos de sonhos, fantasias, êxtases espirituais ou orações de arrependimento são hereges.
Atualmente, muitas pessoas não crêem na palavra escrita de Deus e exaltam suas doutrinas denominacionais ao invés de nascer de novo da água e do Espírito. Aqueles que se recusam a pregar o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito são pseudo-Cristãos e hereges.
Reformadores e o Cristianismo existente
Quando o verdadeiro evangelho
começou a se misturar e ser distorcido
por outras religiões?
Desde o tempo em que o Imperador Romano
Constantino proclamou o Edito
de Milão em 313 d.C.
Quando as denominações do Cristianismo foram formadas? Quando as denominações diferentes como Presbiterianos, Metodistas, Batistas, Luteranos, Santidade e Evangelho Pleno começaram? A Reforma começou a cerca de 500 anos atrás.
Os Cristãos primitivos foram aqueles que seguiram a Jesus quando Ele estava neste mundo. “Cristãos” significa “aqueles que seguem a Cristo.”
Os primeiros Cristãos foram os apóstolos e seus discípulos. Esses seguiram o verdadeiro evangelho até 313 d.C., mas após o Edito de Milão de Constantino, o Grande, os Cristãos e Gentios começaram a se misturar, resultando nos anos negros que permaneceram por mais de 1000 anos.
Mais tarde, no século 16, Martinho Lutero proclamou a Reforma, dizendo, “O justo viverá por fé.” Um pouco depois, entre 1500 e 1600, Reformadores como João Calvino e John Knox lideraram o movimento contra o catolicismo. Isso foi tudo o que a Reforma alcançou.
A Reforma foi simplesmente um esforço para estabilizar novas igrejas separadas da Igreja Católica Romana. Os Reformadores não negavam o catolicismo em si.
O seu propósito não era promover a fé no novo nascimento da água e do Espírito, mas se libertar da opressão e da corrupção da Igreja Católica Romana, que chamou este movimento de Protestantismo, que significa os protestantes.
Naquele tempo, a Igreja Católica Romana pedia para as pessoas comprarem indulgências, dizendo que elas poderiam enviar os seus ancestrais mortos para o céu quando as comprassem com muito dinheiro. Lutero não percebeu que o catolicismo estava errado, mas estava apenas tentando impedir a Igreja Católica Romana de vender indulgências para financiar a construção da Catedral de São Pedro.
Como resultado, nós podemos ver muitos resquícios da Igreja Católica nas Igrejas Protestantes modernas: Batismo de crianças, orações de arrependimento, que são similares à confissão na Igreja Católica, rituais santos, reconhecimento apenas daqueles que são formados em seminários teológicos como ministros, igrejas majestosas e grandiosas. Tudo isso são resquícios da Igreja Católica Romana.
Contando da Reforma há 500 anos atrás, a história do Protestantismo tem cerca de 500 anos. Este ano é o 481° aniversário da Reforma. Você pode não perceber que Martinho Lutero protestou contra a sua igreja mãe há apenas 481 anos atrás. Portanto, o Cristianismo não pode clamar por sua legitimidade à luz da sua relativa juventude. A Reforma do Cristianismo ainda está acontecendo e deve continuar acontecendo continuamente.
Mas há uma coisa que nós temos que ter em mente, nunca podemos esquecer que apenas aqueles que são nascidos de novo da água e do Espírito podem entrar no reino do céu. Vamos pregar isso! Você prega o evangelho de Jesus, o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito? Se não, você não é um servo de Deus. É neste evangelho do “novo nascimento da água e do Espírito” que Deus quer que nós acreditemos. É o que Jesus ensina a Nicodemos em João capítulo 3.
A Bíblia só fala do evangelho do novo nascimento ou fala sobre outras coisas, como trabalhar para o bem da sociedade e viver uma vida santa? É claro que essas coisas são importantes também, mas você as faz depois de nascer de novo da água e do Espírito. A vontade de Deus é que nós acreditemos no evangelho.
Ensinamentos dos hereges
Quem são os hereges?
Aqueles que ainda são pecadores apesar
de crerem em Jesus.
Quando os falsos Cristãos e a fé herege começaram a prosperar no mundo?
O povo de Israel adorava um Deus, até que se separaram em dois reinos no tempo de Jeroboão, como está escrito em I Reis 12-13. Daquele tempo em diante, antes que Cristo viesse ao mundo, a fé dos hereges começou a prosperar e existem muitos deles nos dias de hoje.
A Bíblia fala sobre os ensinamentos dos falsos Cristãos em Isaías capítulo 28 e Tito 3:10-11. A Bíblia diz que os hereges são aqueles que crêem em Jesus, mas ainda têm pecados em seus corações. Todos que são assim são hereges.
Eles ensinam, como está escrito em Isaías 28:9-10, “A quem, pois, se ensinaria o conhecimento? E a quem se daria a entender o que se ouviu? Acaso, aos desmamados e aos que foram afastados dos seios maternos? Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali.”
7Os hereges acrescentam preceito sobre preceito, regra sobre regra. O que isso significa? Significa “Tome cuidado, tome cuidado, tome cuidado com aqueles que dizem que são nascidos de novo através da sua fé em Jesus.” Eles apenas dizem para você ter cuidado, não importando o que aconteça. Eles dizem para você não ouvir, não ir, com medo que você caia em heresia.
Mas se eles estão tão certos que a sua fé é a mais correta, por que repelem aqueles que dizem que as suas crenças diferem da palavra de Deus? Isso é lastimável. Afirmam ser as igrejas ortodoxas, mas não têm palavras para superar o que chamam de heresias. O verdadeiro Cristão pode vencer qualquer herege com a palavra de Deus.
Atualmente, os supostos Cristãos ortodoxos denunciam os Cristãos nascidos de novo como hereges porque suas crenças são diferentes. Como podemos ser hereges quando cremos no evangelho da água e do Espírito?
Se aqueles chamados hereges pregam o evangelho da água e do Espírito, eles realmente são Cristãos ortodoxos. Da mesma forma, se os supostos Cristãos ortodoxos não pregam o evangelho da água e do Espírito, eles são hereges.
A diferença entre “ortodoxia” e “heresia” está se eles pregam o evangelho da água e do Espírito, se eles crêem em Jesus e se têm ou não pecado em seu coração. Como eles podem ser hereges se crêem na palavra de Deus e são nascidos de novo da água e do Espírito?
É heresia crer no batismo de Jesus e na Sua morte na Cruz e ser completamente limpo do pecado? É “ortodoxo” não crer no evangelho da água e do Espírito?
Existem muitos denominacionalistas que têm se afastado da Bíblia e ainda dizem ser Cristãos ortodoxos. Eles se afastam do novo nascimento da água e do Espírito como está na Bíblia, porque pregam apenas o sangue na Cruz, negando o batismo de Jesus (a água).
Qual é a diferença entre a Igreja Católica Romana e a Igreja Protestante atual? Assim como os reformadores se rebelaram contra a Igreja Católica, assim como eles saíram dessa igreja e construíram o Protestantismo, nós devemos também nos rebelar contra os Cristãos cegos e os falsos sacerdotes. Apenas assim nós podemos abrir os nossos olhos para o verdadeiro evangelho, ter a verdadeira fé e ser completamente salvos através do evangelho da água e do Espírito.
O que temos que fazer para não
nos transformarmos em hereges?
Nós temos que nascer de novo da
água e do Espírito.
A Bíblia nos fala que apenas aqueles que crerem no evangelho do batismo de Jesus e do Seu sangue na Cruz seguem a verdadeira fé. Jesus disse tais coisas para Nicodemos em João 3:1-12.
Os hereges sempre pedem que seus seguidores sejam devotos na sua fé, pedem que orem de madrugada e que trabalhem duro. É como pedir para homens cegos que corram.
Não importa o quanto você ore, não terá nenhuma utilidade se não nascer de novo da água e do Espírito. Quando nós dizemos que aqueles que são nascidos de novo são justos, os hereges citam Romanos 3:10, “Não há justo, nem um sequer.” Com este versículo, eles rotulam os crentes como hereges.
Mas eles são hereges. O verdadeiro significado do verso não é tão simples como parece, mas eles não leram a Bíblia toda. O Apóstolo Paulo disse que não há nenhum homem justo no mundo, ele estava apenas citando um versículo do Antigo Testamento que diz que não havia justos no mundo antes de Jesus vir e libertar toda a humanidade de seus pecados com a salvação de Deus. Mas aqueles que são salvos por Jesus se tornaram justos.
Nós podemos ver a verdade se lermos o capítulo inteiro. Os hereges só advertem os seus seguidores para tomarem cuidado com aqueles cuja fé é diferente da deles. Com exceção de igrejas que eles reconhecem como ortodoxas, eles proíbem que seus seguidores freqüentem outros lugares. Portanto, sua congregação não ousa ir até igrejas que pregam o evangelho da água e do Espírito.
Eles se tornam surdos para o verdadeiro evangelho e não podem nascer de novo. Estes são os ensinamentos dos falsos líderes que criam os filhos do inferno e eles serão julgados por Deus. Os hereges precisam voltar para Deus.
Quem são os hereges? São aqueles redimidos pela crença no evangelho da água e do Espírito ou são aqueles que dizem crer em Jesus, mas não são nascidos de novo da água e do Espírito?
Tito 3:11 diz que aqueles que crêem em Jesus, mas continuam se autocondenando são hereges.
Eles ensinam os seus seguidores a não participar de cultos de avivamento nos quais o evangelho da água e do Espírito é pregado, dizendo que é perigoso. Como os “ortodoxos” podem ter medo de conflito de crenças? Eles têm medo porque não possuem a verdade do lado deles. “Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito.” Os ensinamentos dos hereges são assim.
Os sacerdotes hereges citam um pouco deste livro, um pouco daquele livro, das palavras de filósofos, da literatura e misturam tudo isso com seus próprios pensamentos, e fazem tudo soar muito bem.
Levam seus seguidores a serem ignorantes e tentam educá-los com ensinamentos mundanos. A verdadeira igreja prega a palavra de Deus e educa os crentes com apenas esta palavra. As pessoas não vêm à igreja para serem educadas da mesma forma que o mundo, pelo contrário, vêm à igreja para ouvir coisas celestiais, que não podem ser ouvidas no mundo. Elas vêm ouvir as palavras de Jesus.
As pessoas entram em suas igrejas como pecadoras, mas querem sair da igreja como crentes justos que não possuem pecado. Mas o que os sacerdotes hereges os ensinam? Eles dizem a seus seguidores para não irem a cultos de avivamento nos quais servos de Deus pregam o verdadeiro evangelho. Eles impedem que seus seguidores tornem-se nascidos de novo da água e do Espírito.
Isso é uma grande estupidez. Eles podem ser capazes de enganar os seus seguidores, mas nunca poderão enganar a Deus.
Os falsos sacerdotes podem
fazer os seus seguidores nascerem de
novo da água e do Espírito?
Não. Apenas os nascidos de novo podem
fazer os outros nascerem de novo.
Hereges, se vocês são verdadeiros servos de Deus, não conseguem ouvir o Espírito reprovando-os? Vocês precisam retornar. Devem parar de obstruir os seus seguidores de participarem os cultos de avivamento em que os verdadeiros servos de Deus pregam o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito.
Os hereges educam os seus seguidores apenas com teologia e quando encontram outras teorias, eles são derrotados. É muito triste. Os falsos sacerdotes são bons em ministrar sem a palavra de Deus. Eles pregam, consultam e ministram baseados em suas próprias convicções erradas.
Aqueles que ministram e pregam sem a palavra de Deus são hereges e mercenários (João 10:13).
Os pseudoministros são hereges porque o seu interior e exterior são diferentes. Algumas pessoas definem as igrejas que não se encaixam nas denominações estabelecidas como igrejas hereges, mas algumas delas não querem pertencer a nenhuma denominação, pois a maioria está longe da Bíblia.
Os hereges falam para seus seguidores serem redimidos, apesar de eles mesmos nunca terem resolvido os seus problemas de pecados. Eles estão cometendo o pecado de Jeroboão. Se existe alguém que ainda tem pecado em seu coração, mas tentar fazer as obras de Deus, tal pessoa deve perceber que seus pecados e a santidade de Deus são incompatíveis. A pessoa precisa saber que é uma herege.
Portanto, se alguém que prega ou trabalha na igreja ainda tem pecados, deve perceber que é um herege, pois não conhece o evangelho da salvação de Cristo, o evangelho do novo nascimento da água e o Espírito. Se alguém aprende sobre a Bíblia por meio de um herege e ensina aos outros da mesma forma, tal pessoa também se torna igualmente herege.
Nós podemos reconhecer a árvore por seus frutos. Aqueles que se tornaram justos crendo no batismo de Jesus e no Seu sangue só podem colher a justiça, enquanto aqueles que ainda são pecadores são condenados a colher o pecado. “Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus” (Mateus 7:17).
O que os sacerdotes hereges pregam em seus sermões?
O que os sacerdotes hereges
pregam em seus sermões?
Teologia mundana e pensamentos
humanos.
Os falsos sacerdotes tomam muito cuidado com isso e com aquilo. Por que tanto cuidado? Para que as suas mentiras não sejam descobertas, porque eles não têm a fé verdadeira do novo nascimento da água e do Espírito.
Eles pegam um pouco aqui e um pouco ali, enganam as pessoas e ensinam sem conhecer o verdadeiro significado do evangelho.
“Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali” (Isaías 28:13).
Regra sobre regra, eles dizem, “Essa palavra significa isso e isso em Grego e isso e isso em Hebraico. E existem tais e tais teorias.” Eles também advertem as pessoas para tomarem cuidado se elas encontrarem a teoria da salvação expressa claramente. Eles dizem, “Matinho Lutero disse isso e João Calvino disse aquilo, enquanto John Knox disse isso e isso, e nós pensamos que tudo isso faz sentido da sua própria maneira.”
Eles não sabem sobre o que estão falando e nem no que acreditam. A pessoa que tem a verdadeira fé pode expressá-la em termos claros. Os verdadeiros crentes podem claramente dizer a diferença entre um nascido de novo e aqueles que não nasceram de novo. Nós pregamos claramente o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito, mas os hereges estão no caos. A sua fé é como um morcego. Assim como um morcego prefere o interior de uma caverna durante o dia e o exterior do mundo apenas durante a noite, os hereges gostam dessa ou daquela teoria, acreditam nisso ou naquilo. Eles nunca sabem qual é a verdade. Quando um sacerdote herege for para o inferno, os seus seguidores o acompanharão para o amargo fim. Tantas pessoas acabam no inferno porque creram em falsos profetas.
O seu pastor é nascido de novo da água e do Espírito? Ele prega as palavras do evangelho do novo nascimento como estão escritas na Bíblia? Se ele faz isso, você é realmente afortunado, e se não faz, será prejudicado. Se você não é nascido de novo, deve ouvir o evangelho da água e do Espírito, ler livros que o explicam e finalmente nascer de novo.
Os hereges desprezam o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito. Eles pregam, “Jesus Cristo veio para tirar os nossos pecados e Ele fez exatamente isso. Ele ainda está lavando os nossos pecados hoje e continuará até o futuro.” Como isso pode ser verdade? Eles dizem que são justificados, mas continuam pecando. Eles são justos em um momento e pecadores em outro.
Esta é a falsa teologia. É uma falsidade. Todos que são justos agora e pecadores em seguida são hereges, falsos profetas. Todos que condenam a si mesmos e que se corrompem são hereges.
A maldição de Deus está sobre os seguidores dos hereges
Em que os hereges
colocam mais ênfase?
Nas obras.
Os hereges não são consistentes. Portanto, eles não podem levar os seus seguidores a nascerem de novo da água e do Espírito quando eles perguntam como podem nascer de novo. Pelo contrário, eles dão aos seus seguidores a ridícula idéia de que o homem pode nascer de novo da fantasia e que não pode perceber quando nasceu de novo. Isso é ridículo.
Jesus disse em João capítulo 3, “quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” Mas, atualmente, as pessoas justas que são nascidas de novo são chamadas de hereges.
Os sacerdotes hereges dizem que eles não podem se chamar justos porque são humildes. Eles dizem a seus seguidores, “Não freqüente nenhum culto de avivamento em que o pregador planeje falar sobre a benção do novo nascimento da água e do Espírito. Se você nascer de novo, se tornará um herege. Será denunciado por esta igreja. Se deseja continuar conosco, continue sendo pecador e Deus irá fazer você justo quando chegar a hora.” É o que eles dizem. O que eles realmente querem dizer é que está em suas mãos decidir nascer ou não de novo.
Os hereges falam para seus seguidores, “Você deve permanecer conosco, mas ser nascido de novo é sua responsabilidade. Então, você deve buscar isso por si próprio. Apenas permaneça como está agora e vá diante de Deus quando chegar a hora, então você irá descobrir a verdade. Eu não sei o que acontecerá após isso. Mas esta é uma igreja ortodoxa, por isso você precisa permanecer conosco.” Você acha que isso é verdade?
Estes sacerdotes hereges pegam um pouco disso e daquilo e inventam uma teoria. Então isso se torna a única verdade para eles. Não conhecem a palavra de Deus que nos fala sobre a água e do Espírito.
Os hereges interpretam a Bíblia segundo os seus próprios pensamentos. Nós temos que interpretá-la segundo suas palavras em si, mas eles interpretam da sua própria maneira. É por isso que existem tantas teologias e denominações no Cristianismo.
Porque existem muitas denominações e teologias heréticas, existe um incontável número de livros heréticos. Os pseudo-sacerdotes citam um pouco de um livro e um pouco de outro livro quando pregam, mas os verdadeiros sacerdotes pregam sobre a palavra de Deus.
Os hereges extorquem dinheiro de seus seguidores de muitas formas enganosas. Eles comem e vivem bem neste mundo e terminam no inferno porque falharam no novo nascimento. Este é o fim que Deus preparou para eles.
Deus persevera com eles no começo, mas aqueles que recusam firmemente aceitar a benção do novo nascimento da água e do Espírito, Ele irá enviá-los ao inferno.
Deus irá julgar os hereges. Eles crêem em Deus com fervor e consomem muitos volumes de comentários bíblicos e obras teológicas no início, mas então, aos poucos, eles começam a pregar sobre os preceitos do homem, para que os seus seguidores nunca sejam nascidos de novo.
Os hereges colocam mais ênfase em suas obras. Qualquer ministro que não prega o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito é um herege diante de Deus.
Eles influenciam os seus seguidores para um caminho sem saída, os coagem a freqüentar 40 dias de vigília, 100 dias de orações matinais, orações em montes, jejuns regulares, contribuições para a construção de templos, milhares de holocaustos, contribuições para cultos de avivamento… e até mesmo fazem um gráfico para mostrar com quanto cada crente contribuiu. Olhando para os frutos das suas obras, nós podemos ver que são hereges.
A maldição de Deus recai sobre os seus seguidores também. Os pastores que pregam sem serem nascidos de novo e seus seguidores estão sob a maldição de Deus.
Os hereges tentam ler as mentes de seus seguidores
Por que os hereges tentam ler
as mentes de seus seguidores?
Porque eles não são nascidos de novo, mas
ministram com hipocrisia e sem o Espírito
em seus corações.
Os sacerdotes hereges clamam todos os dias, pois têm que estar certos para agradar os diáconos e diaconisas, anciãos, diáconos ordinários e mesmo os leigos. É como eles se comportam todos os dias, como hipócritas. “Santo e Misericordioso....” Eles estão cheios de pecados, mas eles têm que dizer coisas santas, então se tornam cada vez mais hipócritas.
Um pregador disse certa vez, “É uma maldição pregar sem o Espírito em seu interior.” Isso significa que é heresia fazer a obra de Deus sem ser redimido; é uma vida amaldiçoada. Se você é um desses hereges, tem que nascer de novo da água e do Espírito.
Todos que crêem em Jesus, mas não são nascidos de novo, são hereges e devem retornar ao evangelho da água e do Espírito. Apenas os justos que são nascidos de novo da água e do Espírito podem pregar o evangelho para os outros.
Os hereges clamam somente por paz
Como os sacerdotes hereges
satisfazem seus seguidores?
Eles sempre clamam por paz, dizendo
a seus seguidores que podem entrar
no reino do céu apesar de
serem pecadores.
Isaías 28: 14-15 diz, “Ouvi, pois, a palavra do SENHOR, homens escarnecedores, que dominais este povo que está em Jerusalém. Porquanto dizeis: ‘Fizemos aliança com a morte e com o além fizemos acordo; quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque, por nosso refúgio, temos a mentira e debaixo da falsidade nos temos escondido.’”
Quem são os homens escarnecedores aqui? São aqueles que pregam a palavra de Deus misturando-a com as suas próprias crenças erradas. Seja qual forem os pensamentos dos pregadores, seja o que for que a teologia diz, eles devem oferecer uma interpretação verdadeira da Bíblia. Mas os sacerdotes hereges pregam a Bíblia da forma como eles a vêem. Estes são os homens escarnecedores.
“Fizemos aliança com a morte e com o além fizemos acordo; quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós.”
Os hereges dizem que o acoite não irá passar por eles, falam para as pessoas não se preocuparem. Destruição e inferno estão aguardando por eles, mas eles dizem que não se preocupam, pois destruição e inferno não existem para eles. Portanto, você deve se afastar desses hereges se deseja viver eternamente.
Os hereges dizem que você não precisa nascer de novo da água e do Espírito. Isso é verdade? Não, claro que não. Você não pode entrar no reino do céu se não nascer de novo da água e do Espírito.
Está tudo bem não entrar no reino do céu? Isso é o mesmo que perguntar se está tudo bem queimar no inferno. Não é necessário dizer que a resposta para ambas as perguntas é não. Vamos crer no evangelho do novo nascimento da água e do Espírito e entrar no reino do céu juntos.
Os sacerdotes hereges seduzem as pessoas, dizendo que, em razão da sua crença em Jesus, está tudo bem para elas permanecerem pecadoras e que não irão para o inferno.
Jesus toma conta de você mesmo sendo um pecador? Um pecador pode ir para o céu? Você pode evitar o inferno apesar de ser um pecador? Está escrito na Bíblia que você não tem que ir para o inferno quando você crê em Jesus, apesar de ter pecado em seu coração?
Os hereges dizem que fizeram uma aliança com a morte, para que a morte não venha sobre eles, e que um crente pode evitar a condenação do inferno mesmo tendo pecado no coração. Você acha que isso realmente acontece dessa forma?
Os hereges inspiram as pessoas com confiança, dizendo que a morte e o inferno não os esperam. Os sacerdotes hereges escolhem aqueles que não são nascidos de novo como diáconos, anciãos, ministros, mas eles têm que saber que terminarão no inferno porque não crêem no evangelho da água e do Espírito. O que eles podem fazer é introduzir para os seus seguidores a crença no evangelho da água e do Espírito.
Os crentes, mesmo ainda tendo pecado, são capazes de entrar no céu? Um pecador pode ir para o céu? A Bíblia diz que um pecador pode ir para o céu? Não. Pode haver um homem justo com pecados? Não. Estes são os ensinamentos dos hereges e da pseudoteologia.
A Bíblia diz, “O salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). É a lei de Deus. Ele envia todos os pecadores para o inferno, mas todos aqueles que são nascidos de novo da água e do Espírito são bem vindos no céu.
“Quando passar o dilúvio do açoite, não chegará a nós, porque, por nosso refúgio, temos a mentira e debaixo da falsidade nos temos escondido.” Os sacerdotes hereges falam palavra de efeito e crêem firmemente que não irão para o inferno, apesar de terem pecados em seus corações. Porque eles estão se escondendo atrás de uma falsa teologia, Deus não pode fazer nada para ajudá-los. Eles só acreditam na sua teologia, por isso ao invés de crerem na palavra de Deus, eles são hereges e pecadores destinados ao inferno. Como é triste saber que existem muitos destes!
Os hereges estão interessados apenas em dinheiro
Qual é o alvo dos
sacerdotes hereges?
Extorquir tanto dinheiro quanto for
possível de seus seguidores.
Os hereges e pseudo-sacerdotes estão interessados apenas no dinheiro. Eles são gananciosos, “Quanto dinheiro este homem irá oferecer se entrar para minha igreja?” Pensam sobre o dízimo que ele irá pagar. Isso é o mesmo que adorar um bezerro de ouro. “Por favor, deixe-me tornar bem sucedido, permita-me ganhar muito dinheiro, Senhor.” Os falsos sacerdotes ensinam as pessoas a orarem dessa forma.
Eles dizem, “Se você crer em Jesus, ganhará muito dinheiro, você irá conceber quando é estéril e será bem sucedido no seu negócio.”
Muitas pessoas são enganadas por estes falsos sacerdotes, eles estão extorquindo o seu dinheiro, e elas continuam indo para o inferno em razão dos seus problemas. Como isso é injusto! Se alguém que estava participando de uma heresia retorna ao senso, irá ficar surpreso ao descobrir com quanto dinheiro ele contribuiu para seus enganadores, irá se reprovar por sua própria ignorância em seguir e trabalhar tão duro por eles.
Os hereges são especialmente fervorosos praticantes do que eles consideram uma religião legítima. Os seus seguidores se dedicam a orações matinais, orações nos montes, contribuições especiais, dízimo, ofertas semanais. Existem muitas razões para tirar dinheiro de seus seguidores.
Os seus seguidores trabalham muito duro, mas ainda têm pecado em seus corações, porque ninguém ensinou a eles o evangelho da água e do Espírito. Alguns perguntam sobre isso, mas nunca conseguem uma resposta. Qualquer um que não é nascido de novo da água e do Espírito é um herege.
Pobres hereges e seus seguidores
Quem são os homens mais
coitados do mundo?
Aqueles que ministram sem serem nascidos
de novo da água e do Espírito.
“Oh, vocês, pobres, hereges! Vocês trabalham primeiramente na sua redenção!” O sinal dominante da pseudofé é adorar os bezerros de ouro de Jeroboão. A primeira coisa que os hereges faziam no Antigo Testamento era construir um templo e preenchê-lo com bezerros de ouro (I Reis 12:25-33).
Atualmente, eles constroem grandes igrejas e tiram dinheiro de seus seguidores, falando para pegarem empréstimos no banco para as construções. Eles trabalham as emoções da congregação e depois passam as sacolas de coleta. Dinheiro, moedas, relógios de ouro, enchem rapidamente a sacola. Os hereges agem dessa forma e ocorre o mesmo em cada uma das suas igrejas.
Exteriormente eles parecem estar interessados em coisas espirituais, mas na realidade eles estão interessados apenas em dinheiro. Eu aconselho você a permanecer afastado das igrejas que só se importam com dinheiro. Por favor, não vá a igrejas onde apenas os ricos são tratados cordialmente. É errado anunciar o total de cada oferta da congregação, porque fazem isso na esperança de atrair mais dinheiro.
Os hereges dizem palavras enganosas para os seus seguidores:
“Vocês serão abençoados se crerem em Jesus.”
“Dedique-se à obra de Deus. Quanto mais você se dedicar, mais abençoado será.”
“Se você trabalhar como ancião, será abençoado materialmente.”
Então os seus seguidores lutam entre si para se tornarem anciãos. Se não houvesse nenhuma compensação, quem gostaria de servir como ancião? E se espera que os anciãos contribuam financeiramente também.
Eles são eleitos baseados no quanto crêem na doutrina da denominação, no quão proeminente eles são na sociedade e em quanto dinheiro podem contribuir na igreja. Isso é verdade!
Os hereges só se importam com dinheiro, estão interessados em construir grandes igrejas. E não se importam se seus seguidores vão para o inferno, contanto que eles ofereçam muito dinheiro.
Os hereges são aqueles que trabalham por pão, capturam seus seguidores com temas interessantes e divulgam esses temas para seus seguidores aleatoriamente (Ezequiel 13:17-19). Isto significa amarrá-los à igreja e aumentar a sua riqueza. Os hereges não pregam o evangelho da água e do Espírito, apenas tentam tornar-se ricos.
Mesmo alguém que tenha freqüentado uma igreja por alguns meses pode se tornar um diácono. Além disso, se ele está bem familiarizado com a doutrina e tem um suporte financeiro bom, ele é promovido a ancião. Tudo isso está na vergonhosa tradição do pecado de Jeroboão, que trocou Deus por um bezerro de ouro.
Os hereges adoram os bezerros de ouro. Eles não fazem seus seguidores nascerem de novo, só tomam dinheiro deles enganando-os com promessas de bênçãos celestiais. Não se importam se os seus seguidores estão condenados ao inferno, contanto que a sua igreja esteja com boas condições financeiras.
Falta convicção aos hereges em suas pregações
Os hereges gostam de dizer “provavelmente” ou “talvez”, porque falta a eles convicção sobre o que estão falando. Eles não têm fé na palavra de Deus e não crêem realmente no que estão pregando. A sua crença não está assentada na fé na palavra de Deus. Eles dizem, “Pode ser dito que...”, mas nunca falam claramente e com convicção. Seria melhor que eles não ensinassem os seus seguidores do que ensinarem mentiras. Pois eles não podem levar as pessoas a nascerem de novo da água e do Espírito, assim só condenam ainda mais pessoas ao inferno.
Os hereges desempenham o papel de falsos profetas
O que é a blasfêmia contra
o Espírito Santo?
É crer em Jesus e viver como um pecador
que não crê em Seu batismo.
Mateus capítulo 7 nos fala sobre aqueles que crêem em Jesus e acabam no inferno. Os hereges irão protestar perante Deus nos últimos dias, como está escrito na Bíblia, “Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade” (Mateus 7:22-23).
Eles não crêem que Jesus lavou todos os pecados do homem; não crêem no evangelho da água e do Espírito.
Eles praticam a iniqüidade. O que isso significa? Significa que falam para as pessoas crerem em Jesus, mas ainda possuem pecados em seus corações. Você pode pensar o que há de tão errado nisso, mas isso é um sério pecado contra Deus.
Quando um pecador prega para outras pessoas a necessidade de crer em Jesus, ele não pode levá-las ao novo nascimento, porque ele mesmo não nasceu de novo da água e do Espírito. Portanto, os hereges só produzem pecadores que crêem em Jesus. É um pecado contra o Espírito praticar a iniqüidade.
Os hereges não crêem na palavra de Deus e nem pregam o evangelho como está escrito, apenas tiram dinheiro de seus seguidores. Eles são pecadores apesar de crerem em Jesus e tentam guiar outros quando eles mesmos não são nascidos de novo. Dessa forma, praticam iniqüidade.
Os hereges são imitações dos justos
Como nós distinguimos
aqueles que nasceram de novo
daqueles que não nasceram?
Nós podemos distinguir testando
se eles têm ou não pecado.
Não seja enganado por aqueles falsos pregadores que dizem que são pecadores, não ofereça a eles o seu dinheiro. Não dê a esses pecadores o seu dinheiro ganho com tanto trabalho.
Por que você daria dinheiro para aqueles pregadores que não podem te ajudar com seus pecados? Se você quer dar o seu dinheiro para a igreja, espere pelo menos até que seus pecados sejam destruídos através do evangelho da água e do Espírito.
Assim como existem imitações na arte, também existem imitações na vida. Existem, por exemplo, religiões imitativas que não podem lavar todos os pecados do coração. Como você identifica este tipo de religião? Uma imitação é algo que parece genuíno por fora, mas de fato está longe da coisa real.
Você tem que decidir por si mesmo. Quem são os verdadeiros pregadores? Quem são os hereges? Os ortodoxos crêem em Jesus e no Seu poder redentor e não possuem pecados em seus corações. Mas os hereges têm pecados em seus corações.
Então, todas as pessoas são como os hereges? Pode ser. Mas vamos voltar para a Bíblia. Qualquer um que crê em Jesus, mas não é nascido de novo, é um herege. Está claro que os nascidos de novo são os ortodoxos. Portanto, aqueles que não são nascidos de novo são hereges. Os hereges são aqueles que crêem em Jesus, mas ainda têm pecado em seus corações.
Os hereges são imitações dos justos. Eles podem saber que o caminho para se tornar santificado é crer em Jesus, mas infelizmente continuam com pecados em seus corações. Eles mesmos acreditam que são pecadores, mas dizem que ainda podem ir para o céu e que adoram a Deus. Parece muito que eles são justos, mas não vamos nos deixar enganar por imitações.
O julgamento de Deus aguarda os hereges
Por que o puro evangelho
foi mudado?
Porque os falsos sacerdotes e hereges
misturaram as crenças falsas dos homens
com o puro evangelho.
“Portanto, diz o Senhor, o SENHOR dos Exércitos, o Poderoso de Israel: Ah! Tomarei satisfações aos meus adversários e vingar-me-ei dos meus inimigos. Voltarei contra ti a minha mão, purificar-te-ei como com potassa das tuas escórias e tirarei de ti todo metal impuro. Restituir-te-ei os teus juízes, como eram antigamente, os teus conselheiros, como no princípio; depois, te chamarão cidade de justiça, cidade fiel. Sião será redimida pelo direito, e os que se arrependem, pela justiça. Mas os transgressores e os pecadores serão juntamente destruídos; e os que deixarem o SENHOR perecerão. Porque vos envergonhareis dos carvalhos que cobiçastes e sereis confundidos por causa dos jardins que escolhestes. Porque sereis como o carvalho, cujas folhas murcham, e como a floresta que não tem água. O forte se tornará em estopa, e a sua obra, em faísca; ambos arderão juntamente, e não haverá quem os apague” (Isaías 1:24-31).
Deus nos fala que se acreditarmos no homem, nós seremos envergonhados por causa dele. Ele nos diz que seremos envergonhados em razão da igreja que escolhemos para nós e esta vergonha será como uma árvore cujas folhas murcham e como uma floresta que não tem água.
Ele nos diz que os falsos sacerdotes e os seguidores que crêem em seus preceitos humanos, no lugar da palavra de Deus, tornar-se-ão estopa e as suas obras como faísca. Ambos queimarão no inferno. Os falsos pregadores e hereges que não foram redimidos, bem como os pecadores e inimigos da justiça serão julgados com a chama de Deus.
As igrejas construídas apenas sobre teologias podem parecer grandes por fora, mas não têm nada por dentro. Qualquer igreja que não é fundada sobre a crença na palavra de Deus e no evangelho do novo nascimento da água e do Espírito é como um jardim que não tem água.
Pode ser uma árvore, mas é uma árvore morta, incapaz de frutificar. Quando um poço não tem água, ele não é mais um poço.
“O forte se tornará em estopa, e a sua obra, em faísca; ambos arderão juntamente, e não haverá quem os apague.” Aqueles que não têm o Espírito podem parecer fortes a outros homens, mas aos olhos de Deus, eles são como estopa, prestes a arder no fogo do inferno.
O Senhor pergunta, “Guarda, a que hora estamos da noite?” (Isaías 21:11). Os justos que têm a vida eterna deveriam pregar o evangelho da água e do Espírito na escuridão da noite.
Deus é luz e Satanás escuridão. Deus guia seu povo para a justiça e Satanás para falsos templos, com caos e falsa teologia.
No tempo do profeta Isaías, a fé do povo era tão caótica quanto a de hoje. Eles misturavam a palavra de Deus com teologia e preceitos humanos, enganavam tanto o povo de Israel com os caóticos produtos humanos que Deus decidiu se livrar de todos eles.
“Voltarei contra ti a minha mão, purificar-te-ei como com potassa das tuas escórias e tirarei de ti todo metal impuro. Restituir-te-ei os teus juízes, como eram antigamente, os teus conselheiros, como no princípio.” As ofertas que nunca serão aceitas por Deus são como metal impuro, uma mistura da verdade de Deus com teorias humanas.
Deus nunca aceita ofertas que estão misturadas. Elas podem parecer puras diante dos olhos humanos, mas se são misturadas com crenças erradas de homens, estão misturadas com impurezas e, portanto, não são aceitáveis a Deus.
Deus reprovou o povo de Israel, especialmente os hereges, falsos pregadores e pecadores.
Se nós lermos Êxodo e Números, nós poderemos ver que Deus não os reprovou no princípio. Ele ajudou o povo de Israel e derramou bênçãos sobre eles. Mas após a morte de Josué, dos juízes, o povo de Israel foi invadido.
Contudo, eles escolheram seguir o seu próprio caminho. Naquele tempo, Deus enviou o profeta Jeremias e falou para Israel se render à Babilônia.
Jeremias falou para o povo e sua palavra tinha um significado espiritual, simbolizando o fato de que os justos falam para aqueles que seguem os hereges a se renderem ao evangelho da água e do Espírito.
Deus reprova os hereges
Por que Deus reprova
os hereges?
Porque eles servem a ídolos
em vez de Deus.
Por que os servos de Deus reprovaram o povo de Israel? Porque eles mudaram o sistema sacrifical, escolhendo pessoas comuns como sacerdotes e mudando as datas dos sacrifícios.
Eles mudaram o Dia da Expiação do décimo dia do sétimo mês para o quinto dia do oitavo mês e escolheram sacerdotes que não faziam parte dos Levitas. Eles, portanto, bloquearam o caminho para o novo nascimento.
Deus repreendeu os falsos pregadores. Aqueles que serviam aos bezerros de ouro em vez de Deus tornaram-se sacerdotes hereges.
De fato, Deus não os repreendeu apenas por adorarem ídolos. Eu e você também não adoramos ídolos às vezes? Nós pecamos com muita freqüência, mas as nossas iniqüidades não são consideradas pecados graves, pois estamos sob a graça de Deus. Mas trocar Deus por bezerros de ouro não pode ser perdoado, e o mesmo vale para trocar o sistema sacrifical e a escolha de pessoas comuns para o sacerdócio.
Que pecados terríveis são esses! São os mais graves. Como uma pessoa pode ser perdoada por trocar Deus por bezerros de ouro! Está escrito na Bíblia que foi o pecado de Jeroboão que trouxe a ira de Deus.
Assim como Deus mostrou a Sua ira no Antigo Testamento, agora destrói os pecadores que estão contra Ele. Deus disse a Israel que amaldiçoaria aqueles que não desistissem de adorar os bezerros de ouro.
Os hereges oferecem sacrifícios iníquos
O que nós devemos fazer
antes de servirmos a Deus?
Temos que ter todos os nossos
pecados lavados.
Os reis e sacerdotes hereges de Israel estavam contra Deus e estavam selecionando aqueles que desprezavam o sistema sacrifical para o sacerdócio. Jeroboão, o rei com uma mente corrompida, ordenou pessoas que não eram da casa de Levi como sacerdotes.
Apenas aqueles que eram da casa de Levi podiam ser sacerdotes e trabalhar no tabernáculo. Mais precisamente, os sacerdotes tinham que ser da casa de Arão. Esta era a eterna lei de Deus, mas Jeroboão ordenou sacerdotes de fora da casa de Levi e permitiu que eles oferecessem sacrifícios para os bezerros de ouro. Nós devemos saber como isso trouxe a ira de Deus.
Ainda hoje, aqueles que não são nascidos de novo podem se tornar ministros, anciãos e diáconos na igreja. Isto vai contra a lei de Deus e traz a Sua ira. Deus está satisfeito com sacrifícios iníquos? Os hereges devem destruir os seus bezerros de ouro, voltar para Deus e nascer de novo.
Isaías 1:10-17 diz, “Ouvi a palavra do SENHOR, vós, príncipes de Sodoma; prestai ouvidos à lei do nosso Deus, vós, povo de Gomorra. De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios? — diz o SENHOR. Estou farto dos holocaustos de carneiros e da gordura de animais cevados e não me agrado do sangue de novilhos, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem vos requereu o só pisardes os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e também as Festas da Lua Nova, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniqüidade associada ao ajuntamento solene. As vossas Festas da Lua Nova e as vossas solenidades, a minha alma as aborrece; já me são pesadas; estou cansado de as sofrer. Pelo que, quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos; sim, quando multiplicais as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça, repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das viúvas.”
Se lermos esta passagem cuidadosamente, poderemos ver que os líderes religiosos de Israel eram muito devotos, mas, apesar da sua devoção, eles estavam destruídos porque ofereceram os sacrifícios errados e desobedeceram a lei de Deus.
Nós podemos ver que eles não seguiram a lei quando ofereceram os sacrifícios e nem observaram a palavra de Deus. Estes líderes eram tão devotos que trouxeram incontáveis ofertas diante de Deus. A Bíblia diz que o sangue fluiu como um rio de dentro do Tabernáculo.
Mas quando viu o que eles fizeram, Deus disse que era como o pecado de Gomorra. Viu que eles estavam oferecendo sacrifícios perante Ele, mas na verdade, estavam pecando. Ele disse que era melhor que não trouxessem oferta alguma, pois não as queria.
Como ofereceram os sacrifícios perante bezerros de ouro, Deus não podia perdoá-los. Ele não poderia mais suportar isso e falou que deveriam oferecer sacrifício segundo o modo que Ele havia ordenado. Senão, seria melhor para eles que não oferecessem sacrifício algum.
O seu sacrifício não foi oferecido a Deus da forma correta e, como resultado, os sacerdotes pecaram contra Ele. Você deve saber que servir a Deus e fazer a Sua obra sem lavar os seus pecados é um grave pecado diante Dele.
Os hereges são como professores de escola
O que os hereges ensinam?
Eles ensinam ética, e não como
ser nascido de novo.
Os hereges aparentam ser santos. Quando ocupam o púlpito, parecem tão impressionantes que muitos são enganados por sua aparência. Eles soam tão lógicos e sempre concluem os seus sermões admoestando as pessoas a serem boas. Que tipo de sermão é esse? Qual é a diferença entre esses sermões e as lições dos professores de escola?
A igreja de Deus é o lugar onde os nascidos de novo se reúnem para adorá-Lo. Apenas as igrejas desse tipo são verdadeiras e não tentam ensinar como se comportar diante de Deus. O pregador da verdadeira igreja prega o evangelho da água e do Espírito. Não importa o quão instável você seja, Deus lavou todos os seus pecados.
Os pregadores hereges falam para seus seguidores, “Faça isso e faça aquilo”, colocando cargas pesadas sobre eles, mas eles mesmos não querem mover um dedo para fazer a obra.
Um pregador herege compra para seu filho um caro violino e o manda para estudar no exterior. Como um sacerdote consegue pagar isso? Onde consegue esse dinheiro? Se ele tem esse dinheiro, não deveria gastá-lo para pregar o evangelho? Um pregador deve dirigir um carro caro? Nós devemos dirigir um carro de luxo para sermos dignos? Um pregador que dirige um carro caro é um ladrão. Quando os seus seguidores não podem sequer ter um carro compacto, como pode ser justo para ele ter um modelo de luxo. Nós podemos identificar um pregador herege apenas olhando para as suas obras.
Os pregadores hereges pedem grandes somas de dinheiro. Algumas igrejas pagam aos seus pregadores cerca de US$ 10,000 por mês e esse é apenas o pagamento oficial. Eles ainda ganham as verbas para educação, para livros, cuidados com os filhos, verbas para visitação, apenas para citar algumas delas. E, ainda, alguns deles reclamam que não recebem o suficiente. Ganham US$ 10,000 por mês e pedem mais dinheiro. Será que US$ 10,000 é pouco dinheiro? Um pregador deveria ficar feliz em ganhar só o suficiente para se sustentar enquanto prega o evangelho da água e do Espírito.
Um verdadeiro pregador recebe consolo e paz de Deus, mas um pregador herege, que não tem paz, pede compensação monetária. Tais pregadores estão na verdade adorando bezerros de ouro.
A igreja de Deus é chamada algumas vezes de Sião. Não há igreja tão bela quanto Sião. A igreja de Deus é o lugar onde o evangelho da água e do Espírito é pregado.
Isaías 1:21 diz, “Como se fez prostituta a cidade fiel! Ela, que estava cheia de justiça! Nela, habitava a retidão, mas, agora, homicidas.” Isaías descreve a igreja de Deus, dizendo, “Ela estava cheia de justiça.”
Deus é justo e reto. Porque nós somos incompletos, descendentes de Adão e nascemos para pecar, Jesus veio a este mundo para lavar os nossos pecados com a água e o Espírito. Isso demonstra como Ele é justo.
No Antigo Testamento, quando as pessoas sabiam que eram insuficientes, elas vinham até Deus e ofereciam sacrifícios. “Eu errei de tal forma. Foi um erro.” Então eram perdoadas pelos pecados diários e também podiam obter o perdão dos seus pecados anuais, no Dia da Expiação.
Da mesma forma, no Novo Testamento, Jesus Cristo veio a este mundo e foi batizado e crucificado para lavar os pecados da humanidade de uma vez por todas.
Mas no culto de Ano Novo muitas pessoas choram e se arrependem, “Querido Deus, por favor, perdoe os pecados que eu cometi no ano passado. E, por favor, me abençoe no novo ano.” Estas pessoas são hereges.
Então, qual é a verdade sobre o novo nascimento da água e do Espírito? Jesus veio a este mundo há 2000 anos, lavou os pecados da humanidade de uma vez por todas e, portanto, nos salvou do pecado para sempre. Ele nos salvou de todos os pecados do mundo com a água e o sangue. Mas, se nós pedirmos perdão todos os dias, o que Ele dirá?
“Como se fez prostituta a cidade fiel! Ela, que estava cheia de justiça! Nela, habitava a retidão, mas, agora, homicidas.” Todos que dizem ser pecadores são hereges.
Os sacerdotes hereges não podem pregar o evangelho do novo nascimento da água e do Espírito
Deus ouve as orações
dos pecadores?
Não. Ele não as ouve porque seus
pecados os separam
de Deus.
Nosso Deus chama de homicidas aqueles que crêem Nele, mas ainda pedem perdão. Como pedem perdão e também dizem que são pecadores, eles esperam que Jesus venha e morra pelos seus pecados uma segunda vez? O batismo e a Cruz de Jesus são a realidade da salvação.
Em I Pedro 3:21 está escrito que o batismo de Jesus é o tipo da nossa salvação. Jesus Cristo morreu uma vez para salvar a humanidade do pecado. E assim, lavou os pecados da humanidade de uma vez por todas e ressuscitou três dias depois. Agora, Ele está assentado à direita de Deus.
Jesus Cristo foi batizado uma vez e morreu uma vez na Cruz para nos salvar dos pecados para sempre. Ele foi batizado por João Batista quando tinha 30 anos e morreu para nos salvar de todos os pecados do mundo. Isso não significa que o julgamento foi dado de uma vez por todas?
Se os hereges dizem que ainda são pecadores, estão pedindo a Deus que venha uma segunda vez e seja novamente crucificado. De fato, Ele teria que continuar fazendo isso todas as vezes que clamassem por perdão.
Aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito em seus corações são salvos do pecado eternamente, tornam-se justos e vão para o céu receber as bênçãos de Deus e a vida eterna. Qualquer um que encontrar a justiça pode ser salvo através da água e do Espírito e se tornar um dos abençoados do povo de Deus. Todos que pedirem a justa salvação diante de Deus serão abençoados.
Vamos ler Isaías 1:18-20. “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra. Mas, se recusardes e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a boca do SENHOR o disse.”
Deus está nos falando que se formos obedientes ao evangelho da água e do Espírito, comeremos do melhor desta terra, mas se nos recusarmos e formos rebeldes, seremos devorados pela espada.
Nosso Deus disse, “Vinde, pois, e arrazoemos. Vamos conversar. Você é insuficiente? Você é injusto? Você se ama demais? Você pode viver segundo os mandamentos? Você pode fazer o que a lei diz? Você conhece, mas não pratica? Então, venha até mim. Apesar de seus pecados serem como escarlate, eles serão tão brancos como a neve; apesar de serem vermelhos como o carmesim, eles serão como lã.” Isso significa que Deus salvou os pecadores e os tornou justos.
Não havia pecado quando Deus criou Adão e Eva, mas Satanás logo entrou em cena. Ele os tentou a desobedecer a Deus e fez de toda a humanidade pecadora através do pecado deles. Satanás causou a queda do homem. No princípio, Adão e Eva não tinham pecado diante de Deus, viviam com Deus no Jardim do Éden. Mas se tornaram pecadores e agora Deus está nos chamando. Vinde, pois, e arrazoemos. Vamos arrazoar juntos!
“Quantos pecados você já cometeu nesse mundo? E quantos pecados você irá cometer antes de morrer?”
“Oh, Deus. É impossível não pecar. Nós não podemos nos tornar santificados, não importa o quanto tentemos.”
“Bem, então quantos pecados você cometeu até agora?”
“Bem, Senhor, eu não consigo lembrar de todos, mas existem alguns que estão na minha mente. Você lembra aquela vez? Você sabe do que eu estou falando… e existe aquela outra vez, o Senhor sabe…”
Então Deus diz, “Então continue e me conte. Você acha que isso é tudo? Você sabe quantos existem além desses? Mas todos os pecados que você se lembra, todos os pecados que você se esqueceu e mesmo todos os pecados que você irá cometer no futuro, eu lavei todos eles para sempre. E não só os seus, mas dos seus filhos e dos filhos deles, até o pecado de todos os seus descendentes. Eu sou o Deus justo. Eu lavei todos os seus pecados de uma vez por todas.”
Deus, que lavou todos os pecados da humanidade desde o pecado de Adão até os pecados do último homem na terra, é o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim.
“Eu sou o Salvador e o Deus Todo-Poderoso.”
“Eu sou Jeová, o Deus Misericordioso.”
“Eu terei misericórdia daqueles que merecem misericórdia e terei compaixão daqueles que merecem compaixão.”
Se pedirmos por Sua misericórdia e formos francos com Ele, podemos ter a compaixão de Deus. Nosso Pai quer abençoar a todos nós. Ele quer que todos nós sejamos justos. Em Seu amor e compaixão, Ele quer nos fazer Seus filhos justos.
O que Deus quer de nós após
nascermos de novo?
Ele quer que nós preguemos o
Evangelho por todo
o mundo.
Ele quer que nós sejamos tão brancos como a neve. Jesus lavou os pecados da humanidade de uma vez por todas através do Seu batismo e Seu sangue. Se uma igreja não pode resolver os problemas do pecado e vida para todos os crentes, ela não pode ser considerada uma verdadeira igreja de Deus.
As pessoas vêm até os sacerdotes e perguntam, “Eu tenho pecado. O que devo fazer? Eu me arrependi e tenho me arrependido por tantas vezes, mas meus pecados não vão embora. Eu não posso mais continuar com a minha vida religiosa.” Se um sacerdote não pode dar a resposta certa para os seus problemas, ele é um herege. Ele pode dizer, “Depende de você. Vá orar nos montes. Tente um jejum de 40 dias.”
Os sacerdotes e líderes religiosos são tão cheios de impurezas que nem mesmo conhecem o evangelho da água e do Espírito. Eles não sabem se suas almas vão terminar no céu ou no inferno.
Aqueles líderes não estão corretos diante de Deus, eles são falsos e hereges. Parecem crer em Jesus exteriormente, mas os seus corações ainda estão cheios de pecado. Eles não foram lavados dos seus pecados, por isso não podem pregar o evangelho da água e do Espírito, que nos lava de todos os pecados. Não vamos nos deixar enganar por eles.
Tito 3:10-11 diz aos hereges, “Evita o homem faccioso, depois de admoestá-lo primeira e segunda vez, pois sabes que tal pessoa está pervertida, e vive pecando, e por si mesma está condenada.” Porque crêem em Jesus, mas não são nascidos de novo, eles se condenam como pecadores. Eles ignoram e destroem o evangelho da água e do Espírito, dizendo que são pecadores e não podem evitar o inferno.
Eles são hereges no Cristianismo. Quem crê em Jesus, mas tem pecado é um herege. Os hereges diferem de Deus. Deus é santo, mas eles não são. Aqueles que crêem no evangelho da água e do Espírito são limpos de todos os seus pecados. Então, quem crê em Jesus, mas tem pecado é herege. Nós temos que permanecer afastados daqueles que dizem que crêem em Deus, mas ainda são pecadores.
Vamos pregar o evangelho para aqueles que não ouviram ainda e para aqueles que querem crer, mas não podem, porque não o conhecem. Vamos ajudá-los a nascer de novo. Vamos repelir aqueles que permanecem no caminho do evangelho da água e do Espírito.
Nós devemos pregar o evan
gelho do novo nascimento da água e do Espírito por todo o mundo. Amém!

terça-feira, 26 de julho de 2016

Tudo para a Glória de Deus.

Macha para Jesus Cristo
02/08/2016 não é o dia que importa aqui, mais a DATA!

Luis Eduardo Magalhães/Bahia

Macha para Jesus Cristo 2016
E aí! Preparado para Marchar pra Jesus? Adquira a sua camiseta nas Igrejas evangélicas de LEM.
DIA DA MARCHA EM LEM: 02/08/2016 (TERÇA FEIRA)
VAMOS MARCHAR JUNTOS EM PROL DE UMA CIDADE VOLTADA PRA JESUS CRISTO "O SALVADOR"
PROPOSTA ESPIRITUAL
A Marcha tem como fundamento bíblico as passagens de Êxodo 14, Josue 6 e João 13:35: "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros". Neste evento há uma oportunidade única de viver este momento de comunhão entre irmãos de todas as denominações. A Marcha para Jesus também é um evento que permite expressar ao mundo a comunhão dos cristãos e também da fé em Jesus Cristo.
Todos os anos, a Marcha para Jesus têm revelado - em âmbito mundial - o poder e a misericórdia de Deus aos homens. Milhares de pessoas são curadas, libertas e restauradas. Não perca esta oportunidade de evangelizar convidando pessoas que ainda não conhece a Jesus, ou mesmo levar aquele amigo que têm andado longe dos caminhos do Senhor.
HISTÓRIA
A Marcha para Jesus é um evento internacional e interdenominacional que ocorre anualmente em milhares de cidades do mundo. Um ato pacífico, consciente e excitante do mover de Deus em nossos dias.
A Igreja tem a oportunidade de mostrar que não é restrita aos templos, mas viva e aberta a toda sociedade, além de unir as igrejas cristãs em um ato de expressão pública de fé, amor, agradecimento e exaltação do nome de Jesus Cristo.
O quadro que você vê em uma Marcha - em qualquer parte do mundo - são milhares de cristãos marchando pelas ruas, de todas as idades, raças, nacionalidades e culturas étnicas. Roupas coloridas, bandeiras, faixas, galhardetes e outros adereços apenas complementam o principal: a radiante face dos participantes com a alegria de saber que Deus os ama e está vivo dentro deles !
Fazendo parte do calendário oficial de diversas cidades, a Marcha para Jesus conta com a participação de trios elétricos de diversas comunidades e igrejas cristãs, envolvendo todas as denominações e capturando de forma arrebatadora as mentes e corações de seus participantes.
NO MUNDO
A primeira Marcha para Jesus aconteceu em 1987 na cidade de Londres (Inglaterra), e foi fundada pelo pastor Roger Forster, pelo cantor e compositor Graham Kendrick, Gerald Coates e Lynn Green. No início, a intensão era tirar a igreja das quatros paredes e mostrar que ela estava viva e presente na sociedade. O resultado desse evento foi bastante produtivo.
Em 1989, mais de 45 localidades marcharam juntas em todo o Reino Unido, inclusive em Belfast (capital da Irlanda), onde 6 mil católicos e protestantes se reuniram, num visível sinal de união. Neste dia, 200 mil cristãos estiveram unidos em toda a nação, fato que voltou a repetir em 1990 e 1991.
No Início da década de 90, a Marcha se tornara um evento de proporções continentais, ocorrendo em toda Europa. Em 1992 a Marcha para Jesus já se tornava em um movimento mundial de louvor e adoração a Deus, chegando a outros países da América, África e Asia. No ano de 1993 chega a vez do Brasil realizar a sua primeira edição do evento.
Em 1998, mais de 10 milhões de pessoas em mais de 170 nações, reunindo cristãos de todas as religiões, idade e raças, marcharam para celebrar Jesus. Países como Andorra, Argentina, Austrália, Áustria, Barbados, Bolívia, Botswana, Bulgária, Canadá, Colômbia, Croácia, Cuba, Chipre, Dinamarca, Estados Unidos, Equador, Filipinas, Finlândia, França, Gana, Guiné Bissau, Hong Kong, Itália, Japão, Moçambique, Nepal, Nigéria, Nova Zelândia, Paraguai, Polônia, Porto Rico, Romênia, Rússia, Singapura, e muitos outros, saem todos os anos às ruas para Marchar para Jesus.
LEI - DIA NACIONAL DA MARCHA PARA JESUS
O projeto de Lei nº 3234/08, que institui o Dia Nacional da Marcha para Jesus de autoria do Senador Marcelo Crivella, foi aprovada pela Comissão e Justiça (CCJ) e sancionada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 03 de setembro de 2009.
A Lei tem como objetivo oficializar o evento, que já acontece regularmente em diversas cidades brasileiras, com respaldo de leis municipais.
De acordo com a lei, o Dia Nacional da Marcha para Jesus, será comemorado, anualmente, no primeiro sábado subseqüente aos sessenta dias após o Domingo de Páscoa.
Lei nº 12.025, de 3 de Setembro de 2009
Institui o Dia Nacional da Marcha para Jesus.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º É instituído o Dia Nacional da Marcha para Jesus, a ser comemorado, anualmente, no primeiro sábado subseqüente aos 60 (sessenta) dias após o Domingo de Páscoa.
Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 3 de setembro de 2009; 188º da Independência e 121º da República.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Vida sadia de um casamento, só em Deus!




A paz do Senhor Jesus amadas!! 

Nós mulheres cristãs sabemos que fomos criadas por Deus, para sermos ajudadoras de nossos esposos, não é mesmo? Como está escrito nas escrituras sagradas:
 

"E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele". (Gênesis 2:18)
 

Muitas de nós gostaríamos de saber de como ajudar nossos maridos em seus ministério, e não atrapalhar como tenho visto na vida de vários casais. 

Infelizmente muitas mulheres tem tomado a frente dos ministérios de seus maridos, e com certeza não tem como o ministério de nossos maridos prosperar e crescer, se nós como suas esposas quisermos tomar a frente e fazer um papel que não é nosso, vocês concordam? 

Amadas uma esposa pode erguer ou pode destruir seu marido. Como? Não se submetendo a ele, não orando por ele, criticando ele para os outros. Além destas, muitas outras coisas.

Agora como ajudar nossos maridos em seus ministérios?
 

Em primeiro lugar: Devemos orar por ele, e por seu ministério, orar para que Deus dê forças e sabedoria a ele para conduzir seu ministério, pois sabemos amadas que o inimigo faz de tudo para derrubar o servo de Deus.
Então, esse é o primeiro passo: 
"Orai sem cessar" (1 Tes 5:17 ).
 

Em segundo lugar: Seja submissa ao seu esposo, como está escrito:
 

"Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor" (Efésios 5:22)

"De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos" (Efésios 5:24).

"Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra" (1 Pedro 3:1).
Nós, como mulheres virtuosas, temos que ser exemplos para outras mulheres, ainda mais se nossos esposos são pastores, presbíteros, missionários, bispos, e outros ministérios. 

Amadas, quando outras pessoas e mulheres nos vêem submissas aos nossos esposos, com certeza o trabalho deles se torna mais fácil e abençoado. Então querida, seja um bom exemplo para outras mulheres!!
 

Em terceiro lugar: Seja-lhe fiel em tudo.
 

"Da mesma sorte as esposas sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo". (1 Timóteo 3:11)
Seja-lhe fiel em suas orações, submissão, e amando-o sempre!
 

Em quarto lugar:  Seja uma esposa de paz, sempre encoraje seu esposo, pois muitas das vezes amada, o inimigo tenta tanto, e as lutas são tantas, que seu esposo em determinados momentos pode ficar desencorajado e até mesmo frustado com a obra do Senhor.  

E se ele realmente tem uma "esposa ajudadora", com certeza o seu ministério, que você também querida faz parte irá crescer e abençoar mais e mais vidas!!
Agora, o mais importante de tudo amada, sabe o que é? 
É quando nós mulheres virtuosas e ajudadoras, amamos os nossos esposos, e os seus ministérios!!
 

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor". (1 Coríntios 13:13).  

"Todas as vossas coisas sejam feitas com amor" (1 Coríntios 16:14)
Conclusão: Com estas dicas que dei, com certeza você amada também sabe ajudar e tornar o ministério de seu esposo cada dia melhor. 

Continue principalmente orando, intercedendo, amando e se submetendo a ele. 

Pois como eu escrevi,  infelizmente tenho visto muitos ministérios de homens que não crescem, e até mesmo se acabam por culpa de suas mulheres, que não são ajudadoras, mas sim tropeços na vida e no ministério de seus esposos.
 

Que Deus te abençoe, como ajudadora de seu esposo!!


“COMO AJUDAR SEU MARIDO NO MINISTÉRIO”
 

Muitas esposas de pregadores, hoje, gostariam de saber como ajudar seus maridos no ministério. Uma esposa pode erguer ou pode destruir seu marido. Como? Não se submetendo a ele, não orando por ele, criticando-o aos outros. Além destas, muitas outras coisas.


1. A coisa mais importante que você pode fazer por seu marido é orar. Ore por ele, ore por seu ministério, ore para ele suportar e vencer as pressões que estão sobre ele. Ore pela direção de Deus [na vida do seu marido].

Ore por ele sem cessar ... 
"Orai sem cessar" (1 Tes 5:17 ACF).


2. Submeta-se a ele. Quando outras pessoas vêem você [amorosa, doce e entusiasticamente] se submeter a seu marido você está tornando o seu trabalho mais fácil. Você está sendo um exemplo para outras mulheres. 
"Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor" (Efésios 5:22 ACF)

"De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos" (Efésios 5:24 ACF).

"Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra" (1 Pedro 3:1 ACF).


3. Seja-lhe fiel [fiel ajudadora, fiel ao juramento que lhe fez: “... com todas minhas forças: respeitar-lhe-ei, apoiar-lhe-ei, amar-lhe-ei, ..., na alegria e na tristeza, ..., até que a morte ...”.] Seja-lhe fiel orando por ele, amando-o. 
"Da mesma sorte as esposas sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo" (1 Timóteo 3:11 ACF)
Algumas vezes seu marido pode vir para casa desencorajado ou frustrado com o ministério. Você deve estar lá encorajando-o.
"Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado" (Hebreus 3:13 ACF).

Encoraje-o de várias maneiras:

3.1. Mande-lhe um [amoroso/ edificante/ encorajador] cartão postal ou notinha (pode ser em papel ou por e-mail ou pelo correio convencional);

3.2. Faça para ele seu biscoito favoritoEmbrulhe-os em um papel colorido, ou coloque-os em uma caixa bem bonita. Vá à igreja enquanto ele estiver fazendo visitas e deixe a caixa sobre sua escrivaninha com um cartão dentro. [Se você puder faça para ele um cartão com sua foto.] Não existe nada mais romântico do que um cartão feito pela própria esposa.

3.3. Surpreenda-o com uma programação para sair à noiteSe suas condições financeiras não estiverem boas para saírem [e jantarem fora ou fazerem algo que implique em despesa extra], então arranje alguém para ficar com seus filhos, faça o jantar preferido dele com todas as suas comidas preferidas [e gozem um bom tempo só os dois, ou saiam para um passeio romântico, para sentarem e conversarem à beira da praia, etc., algo romântico e prazeiroso, mesmo que não envolva grandes despesas].

3.4. Quando ele chegar, não o receba apresentando-lhe os problemas de casaDê- lhe tempo para “esfriar o motor” e recuperar-se dos seus problemas do trabalho :-). Encontre-o à porta com seu refrigerante preferido ou com uma xícara de café. E nunca se esqueça do [caloroso] beijo de boas-vindas!

3.5. A cada mês, presenteie-o com um livro de cupons de cortesias especiaisde modo que, de vez em quando, ele possa gastar um cupom e lhe pedir algo especial, tal como: “dê-me uma massagem nas costas”, ou “dê-me uma noite de especial e mútuo romantismo, ternura e cortesia”. [Pense em algumas coisas pequenas mas muito especiais, para colocar no livro de cupons. Certamente seu marido, mesmo que não escreva um livro físico, lhe surpreenderá perguntando: “E hoje, quer que lhe faça algo especial? Quer que eu cuide do canteiro de flores?”]

3.6. Coloque um bilhete em sua Bíblia [ou agenda ou lancheira] antes dele ir trabalharOu, você pode colocar em sua Bíblia, no domingo de manhã, um cartão com uma nota dizendo: “Eu te amo”. Isto completará sua manhã :-).

A coisa mais importante de tudo é amá-lo!
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. (1 Coríntios 13:13 ACF) Todas as vossas coisas sejam feitas com amor" (1 Coríntios 16:14 ACF).

Mostre a ele que você o ama.


Com tudo isto (e com tudo o mais do que você pode pensar [e por num papel, melhor do que eu]), você poderá ajudar a tornar melhor o ministério de seu marido. E, quanto mais feliz o seu marido for, mais feliz você também será. :-) 


Após a conclusão de cada etapa da criação, vemos nas Escrituras que o Senhor Deus reconhece que aquela obra feita era algo bom (Gn 1.10,12,18,21,25,31). A única declaração de teor diferente acontece quando Deus olha para o homem que estava sozinho e afirma:“não é bom que o homem esteja só” (Gn 2.18). A sabedoria divina condena o isolamento e nos ensina as bênçãos do companheirismo:
“O solitário busca o seu próprio interesse e insurge-se contra a verdadeira sabedoria” (Provérbios 18.1).
Viver sozinho, salvo exceções como nascer “eunuco” (com este dom) ou se fazer “eunuco” pelo Reino de Deus (por uma situação onde não é permitido um novo casamento), não é o ideal de Deus para todo o homem (Mt 19.12). A Bíblia diz que “melhor é serem dois do que um”, o que deixa isto bem claro:
“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.”  (Eclesiastes 4.9-12)
O rei Salomão, instrumento divino para nos trazer estas palavras, não estava falando especificamente sobre o casamento; ele falava sobre um exemplo de unidade que cabe num relacionamento de amigos, de parceiros de trabalho e ainda outros. E embora estas palavras não se apliquem exclusivamente ao matrimônio, este princípio bíblico também não exclui, em hipótese alguma, a relação conjugal. E é dentro deste contexto, da vida do casal, que queremos buscar entender não apenas o texto em si, mas como estas verdades se relacionam com outras declarações bíblicas acerca do casamento. O escritor de Eclesiastes menciona quatro áreas onde o companheirismo faz toda a diferença e justifica a afirmação de que é melhor serem dois do que um. São elas:
1) Parceria   –   2) Suporte   –   3) Cuidado   –   4) Proteção
Sem estas quatro expressões de companheirismo talvez fosse melhor declarar que é melhor ser um do que dois, uma vez que os “benefícios “que justificam esta afirmação deixaram de estar presentes. Queremos refletir um pouco sobre cada um deles.
PARCERIA
O primeiro benefício mencionado na declaração bíblica de que é melhor serem dois do que um é que os dois terão “melhor paga do trabalho”. Isto fala de duas coisas: da parceria nas conquistas e de sinergia, que é o resultado desta parceria.
Primeiramente queremos analisar a visão de parceria e como isto se encaixa na união matrimonial. A mulher foi criada por Deus para ser uma auxiliadora idônea, capaz (Gn 2.18). Isto significa que o homem não foi criado por Deus para conquistar sozinho e, somente depois, partilhar o “despojo” com sua esposa. Mesmo tendo a responsabilidade de provedor, o homem precisa viver a relação de parceria em cada conquista no casamento. Deus reconheceu que o homem precisaria de ajuda e, ao criar a mulher a fez com toda capacidade de prover ajuda!
Isto fala não só das conquistas materiais e geração de renda. Embora a palavra hebraica traduzida como “paga do trabalho” seja “sakar” – que significa “soldo, salário, pagamento” – ela também tem o significado de “recompensa”. O casamento é uma parceria contínua! Desde a procriação, cuidado, provisão e educação dos filhos até os ganhos materiais e financeiros o casal deve caminhar em parceria. Mesmo sendo o cabeça do lar e tendo a responsabilidade final nas decisões, o esposo deve ouvir os conselhos de sua esposa e incluí-la em seus projetos.
Se cada um quiser viver por si, como se fossem dois solteiros dividindo a mesma cama e o mesmo teto, não poderão dizer que é melhor serem dois do que um. A beleza da parceria, além do companheirismo e cumplicidade nas conquistas, pode também ser vista nos resultados. Melhor paga do trabalho não significa um salário que é dobrado para depois ser repartido entre os dois; isto não faria a menor diferença! Se cada um sozinho ganha quatro mil reais e pode ficar com tudo para si, qual é a vantagem de juntarem suas rendas que, totalizadas, chegam a oito mil reais e depois dividi-la em dois voltando ao resultado inicial? A verdade é que, juntos, mesmo repartindo, o casal conquista mais! Por exemplo, se cada um sozinho produz uma renda de quatro mil reais, mas juntos conseguem produzir doze mil reais (em vez de só os oito mil reais que conseguem sozinhos), então temos uma sinergia. Em vez de somar resultados, a parceria os multiplica! Isto é sinergia e vemos este princípio na Bíblia:
“Como poderia um só perseguir mil, e dois fazerem fugir dez mil, se a sua Rocha lhos não vendera, e o Senhor lhos não entregara?” (Deuteronômio 32.30)
“Perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós. Cinco de vós perseguirão a cem, e cem dentre vós perseguirão a dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós. Para vós outros olharei, e vos farei fecundos, e vos multiplicarei, e confirmarei a minha aliança convosco.” (Levítico 26.7-9)
Falando das batalhas que o povo de Israel iria travar ao entrar na terra Prometida, Moisés, da parte de Deus, fala aos hebreus que um deles perseguiria mil, mas dois juntos não somariam os resultados para dois mil, mas o multiplicariam para dez mil! Também afirma que cinco perseguiriam a cem (o equivalente a vinte pessoas por perseguidor), mas cem perseguiriam a dez mil (o equivalente a cem pessoas por perseguidor). Isto é sinergia. Tanto em um exemplo como no outro vemos que neste tipo de parceria os resultados não se somam, se multiplicam. Podemos trazer este princípio para o planejamento familiar, para a criação dos filhos, para o trabalho e conquistas materiais e, não só para a dimensão natural, mas também para a espiritual: a vida de oração do casal.
Tenho aprendido a incluir a participação de minha esposa em tudo que faço. Desde o planejamento financeiro e decisões que precisam ser tomadas nesta área até as questões do ministério; a Kelly participa na forma como prego e ensino (antes, na preparação, e depois, na avaliação), como conduzo as reuniões ministeriais e a vida da Igreja, em minhas viagens (mesmo quando não pode me acompanhar faz a retaguarda de oração)… Sou muito grato a Deus por me permitir viver em parceria com minha esposa!
Porém, se os cônjuges decidem viver cada um por si, sem a dimensão de parceria proposta nas Escrituras, não poderá se dizer que é melhor serem dois do que um… Reveja estes valores em seu casamento. Não deixe de buscar viver esta poderosa parceria. O casamento não é apenas duas pessoas que decidiram viver juntas, é o ato de construírem juntos uma vida!
SUPORTE
Outra característica importante do companheirismo e que valida a afirmação de que é melhor serem dois do que um, é o suporte. A Escritura Sagrada declara que “se caírem, um levanta o companheiro”. Nos momentos de altos e baixos que enfrentamos, o que está melhor ajuda o outro. Encorajamento, apoio, suporte, são essenciais a união matrimonial.
Muitas pessoas entram com a motivação e expectativa errada no matrimônio; elas entram na aliança matrimonial pensando muito mais em receber do que em oferecer algo. Esperam que o cônjuge, ou mesmo a própria relação, façam-nas felizes. Porém, como já afirmamos, o fato é que não nos casamos com o único propósito de sermos felizes, mas primeiramente, para fazermos o cônjuge feliz (Dt 24.5). A Palavra de Deus nos ensina que o homem casado deve agradar a sua esposa e vice-versa (1 Co 7.33,34).
É correto esperar receber suporte do seu cônjuge, mas antes de esperar receber (ou mesmo cobrar esta atitude), devemos oferecer suporte! Estamos falando dos padrões de Deus para o casamento e não do matrimônio segundo o mundo. Portanto, espera-se dos cônjuges cristãos um comportamento que demonstre maturidade cristã. E esta maturidade nos faz compreender que dar é mais importante do que receber (At 20.35).
Em sua carta aos coríntios, Paulo declara que “o amor não busca os seus próprios interesses” (1 Co 13.5). Escrevendo aos filipenses, o apóstolo também ensina o crente a não olhar só para si, mas para os outros, e afirma o seguinte:
“Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros.” (Filipenses 2.4)
O Senhor Jesus também nos ensinou (não só com palavras, mas principalmente por seu exemplo) acerca da virtude de servir em vez de apenas buscar ser servido:
“Mas Jesus, chamando-os para junto de si, disse-lhes: Sabeis que os que são considerados governadores dos povos têm-nos sob seu domínio, e sobre eles os seus maiorais exercem autoridade. Mas entre vós não é assim; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será servo de todos. Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.” (Marcos 10.42-45)
A maioria das queixas dos casados contra o próprio cônjuge são cobranças do que o outro deveria ter feito. Infelizmente, somos egoístas demais e focados no próprio umbigo! Contudo, quando em vez de somente querer ser servidos, colocamos nossos cônjuges à frente e passamos primeiro a servir, alimentamos um outro ciclo onde nossos cônjuges, em vez de também apenas cobrarem, passarão a também nos servir com alegria. Não é fácil colocar o outro à frente de seus sonhos, projetos e vontades!
Lembro-me que na ocasião em que o Israel – nosso primeiro filho – nasceu a Kelly entrou numa crise enorme. Estávamos casados há dois anos e meio nesta ocasião, mas a Kelly havia saído de casa e mudado para a nossa cidade cerca de um ano antes do casamento; portanto já estava há pelo menos três anos e meio morando longe dos pais. A distância de quase setecentos quilômetros entre nossa casa e a casa dos meus sogros, somada à uma certa limitação financeira dos primeiros anos de casado, não nos permitia vê-los com tanta frequência como gostaríamos, mas mesmo assim a Kelly nunca deixou de me apoiar e de sustentar a mesma declaração que Rute fez à sua sogra Noemi:
“Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque, aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.” (Rute 1.16)
De repente, após o nascimento do Israel, minha esposa começou a demonstrar sinais de tristeza por estar tão longe do restante da família (dela e minha, pois meus pais moravam numa cidade próxima à dos pais dela). Ela dizia que havia se dedicado em me apoiar e acompanhar e que nunca havia se arrependido disto, mas que partia o coração dela saber que o nosso filho iria crescer longe dos avós e do restante da família. Conversamos e oramos acerca disso várias vezes e a situação parecia somente se agravar.
Um dia, tive uma conversa séria com ela; disse que percebia que ela não estava conseguindo superar aquilo, embora continuasse se esforçando muito para me apoiar. Expliquei que, embora ela não reclamasse nem pedisse para nos mudarmos, era evidente que, naquele momento, seu coração não estava mais ali na cidade. Então declarei a ela que, em função do que ela estava enfrentando, eu estava disposto a deixar o pastorado daquela igreja para nos mudarmos para mais perto da cidade dos nossos pais, uma vez que, depois de Deus, a família é nossa maior prioridade. A Kelly se alarmou com minha sugestão e disse que não queria atrapalhar meu ministério. Retruquei que eu poderia exercer o ministério onde quer que estivesse, que já tínhamos uma boa equipe ministerial naquela igreja, e que não havia me mudado para lá afim de ficar ali para sempre. Mesmo assim, ela preferiu orar mais e buscar ao Senhor antes de qualquer decisão precipitada e, acabou entendendo da parte de Deus que não era a hora de nos mudarmos e que o Senhor traria graça e ela venceria aquela crise, como de fato aconteceu.
Mesmo não tendo nos mudado, naquele dia a Kelly percebeu que meu compromisso com ela era bem maior do que ela imaginava. Foi algo parecido com o sacrifício que Deus pediu a Abraão; ainda que ele não tenha chegado ao ponto de imolar Isaque, soube-se que ele teria ido até o fim. Esta foi a minha primeira experiência no casamento onde realmente enxergamos a importância de oferecer suporte um ao outro. Eu faria qualquer coisa para apoiar minha esposa e vê-la feliz; ela, por sua vez, lutava com sua crise não querendo me tirar do propósito divino e achando que, mesmo em meio à lutas e dificuldades, deveria estar ao meu lado a qualquer preço.
Penso que se tivéssemos agido de forma egoísta, com ela lutando para estar perto dos pais e eu lutando pelo meu ministério, nossa relação, em vez de consolidada como foi, teria sofrido um sério desgaste. Oferecer suporte ao cônjuge é algo de um valor imensurável. Se trouxermos este padrão de conduta cristã ao nosso casamento tudo será diferente! Porém, se os cônjuges decidem apenas esperar (ou mesmo cobrar) por suporte da parte do outro, então não poderá se dizer que é melhor serem dois do que um…
Reveja estes valores em seu casamento. Nunca deixe de ser um instrumento divino de apoio e fortalecimento, de consolo e amparo ao seu cônjuge!
CUIDADO
O texto de Eclesiastes também afirma que “se dois dormirem juntos, se aquentarão”. Acredito que isso fala – dentro do contexto da união matrimonial – de levar calor para a vida do companheiro, ajudá-lo a superar os desconfortos da vida, bem como promover pequenas alegrias e cuidados.
Um casal “brigado” normalmente não gosta de dormir junto, porque este é um ato de intimidade. Na minha primeira semana de casado, a Kelly brincou comigo acerca disso. Ela me falou que a mãe dela a havia aconselhado antes de casar, dizendo: “Aconteça o que acontecer, não importa o desentendimento que um dia você e o Luciano possam vir a ter, nunca saia do quarto!”E quando eu ia elogiar a sabedoria da minha sogra ao dar este conselho, ela terminou com a seguinte frase: “Se alguém tiver que sair do quarto, que seja ele! Você, minha filha, defenda o seu território!” Nós rimos juntos da brincadeira, mas decidimos desde aquele dia vigiar para que isto não viesse a acontecer de fato. A Palavra de Deus nos adverte:
“Irai-vos e não pequeis; não se ponha o Sol sobre a sua ira, nem deis lugar ao diabo.” (Efésios 4.26,27)
Isto significa que um casal nunca deve deixar a ira durar até o dia seguinte; pelo contrário, os cônjuges devem se reconciliar antes de dormir! Mas por que a tendência de um casal que se desentende é dormir separado? A verdade é que dormir junto fala de intimidade. Também fala do leito do casal e da sua vida sexual. O conceito de amor e intimidade de um casal está fortemente associado ao quarto e à cama. E este tipo de cuidado mútuo não pode faltar. Porém, aquecer um ao outro é algo que, no casamento, fazemos não só de modo literal, sob cobertas, mas também no âmbito emocional. São conversas, expressões de carinho por meio de palavras, presentes e atitudes que não permitem que o coração do cônjuge se esfrie.
Cuidado não é só prover e arrumar a casa; também fala de coisas pessoais de um para o outro, dos pequenos mimos, de tudo aquilo que mostra que o cônjuge se importa de fato. Quando isso falta, a relação se deteriora, e então, sem estes valores, acabamos tendo que dizer que é melhor ser um do que dois. Reveja a importância do cuidado mútuo em seu casamento. E faça valer a afirmação “é melhor serem dois do que um”.
PROTEÇÃO
O texto de Eclesiastes ainda revela que “se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão”. Isso fala de proteção, defesa mútua, cobertura recíproca. Quando as batalhas surgem, o casal deve aprender a se unir e resistir juntos. Há muitos tipos de lutas e de inimigos que tentam prevalecer contra nós. Uma delas, é a batalha que é continuamente travada no reino espiritual contra todo cristão (e matrimônio):
“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.” (Efésios 6.11-13)
Paulo escreve aos efésios advertindo acerca da realidade da batalha espiritual, mostra claramente quem é o inimigo e revela que, para oferecer resistência, o cristão deve se revestir da armadura de Deus (que é detalhada nos versículos 14 a 17). Mas depois de falar das armas é que ele ensina como se trava esta batalha:
“Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”. (Efésios 6.18)
A oração não é apresentada como uma arma. O ato de orar é a própria guerra onde entramos munidos de toda a armadura de Deus. O primeiro nível de resistência que um casal deve aprender a oferecer é mediante a oração. Temos que cobrir a vida de nosso cônjuge de oração; devemos fazer guerra contra o inimigo (e as circunstâncias) por meio da oração!
Recordo-me de certa ocasião em que o entendimento da necessidade deste tipo de batalha pelo cônjuge ficou, na prática, muito claro para mim. No nosso primeiro ano de casado, a Kelly enfrentou uma luta que vencemos em oração. Certo dia saí cedo de viagem para voltar no fim da tarde do mesmo dia. Por conta de um atraso causado pelo tráfego da rodovia, liguei para casa para dizer a minha esposa que chegaria depois do previsto, o que me faria ir direto para a igreja, uma vez que era dia de culto. Quando pedi que fosse me encontrar na reunião, a Kelly disse que preferia não ir ao culto, pois não estava bem. Perguntei o que ela estava sentindo, posto que pela manhã, quando saí de viagem, ela estava bem. Ela me falou de sintomas físicos, mas também de uma grande batalha emocional e espiritual que passara a sentir no fim da tarde e que não entendia o que era aquilo nem porque estava acontecendo. Senti que deveria orar com ela por telefone mesmo e, travei batalha contra as forças das trevas, abençoei a vida dela, intercedi e desliguei o telefone. Ela me contou depois do culto que estava deitada quando eu orei por ela; de repente, um calorão começou a percorrer seu corpo e fazê-la suar e os sintomas desapareceram completamente. Fiquei espantado quando voltei para casa e ela me mostrou os lençóis e o travesseiro completamente molhados! A Kelly testemunhou que foi imediatamente curada no corpo e que toda nuvem de opressão desapareceu enquanto eu orava por ela. Isto nos fez levar mais a sério a realidade da batalha espiritual que travamos e a importância de cobrirmos de oração a vida um do outro. Gosto de um exemplo bíblico que mostra alguém lutando por outro em oração:
“Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus.” (Colossenses 4.12 – ARC)
A palavra grega traduzida como “combatendo” neste versículo é “agonizomai” e, conforme o Léxico da Concordância de Strong, significa: “entrar em uma competição, competir com adverários, lutar, esforçar-se com zêlo extremo, empenhar-se em obter algo”. A versão KJA (King James Atualizada) traduziu como “guerreando”, a versão Atualizada de Almeida escolheu esta palavra como “esforça-se sobremaneira”, a e a versão Revisada optou por “sempre luta por vós”.
Além da batalha espiritual, que travamos por meio da oração, há outros níveis de resistência a oferecer. É a guerra contra a sensualidade e as propostas de envolvimento sexual ilícito, cujo apelo é cada dia maior. Já nos dez mandamentos, na Antiga Aliança, temos dois mandamentos que envolvem a saúde matrimonial: 1) “não adulterarás” e 2) “não cobiçarás a mulher do próximo”. Portanto, percebemos que Deus sempre tratou disso como uma área que requer cuidado. O apóstolo Paulo advertiu os irmãos de Corinto:
“Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência.” (1 Coríntios 7.5)
A Bíblia diz que Satanás, como tentador, vai tentar explorar as brechas que os cônjuges dão nesta área. Reconheço, porém, que esta batalha não se trava somente com oração e que o tipo de resistência que o casal deve oferecer contra os ataques sensuais envolve cuidar e suprir as necessidades físicas um do outro. Um cônjuge suprido emocional e sexualmente não estará exposto a este tipo de ataque como aquele que tem sido negligenciado nesta área. Há uma declaração no Livro de Provérbios que nos mostra isto:
“A alma farta pisa o favo de mel, mas à alma faminta todo amargo é doce.” (Provérbios 27.7)
O casal deve lutar junto, e não um contra o outro. Talvez um dos tipos de defesa que deva ser praticado pelo marido e mulher seja o de proteger ao cônjuge de si mesmo. Muitas vezes existem ataques verbais (e emocionais) que ferem profundamente ao cônjuge e ainda entristecem ao Espírito Santo:
“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia.” (Efésios 4.29-31)
O matrimônio é o mais profundo laço de relacionamento, supera o dos filhos com seus pais, por isso o homem deixa pai e mãe para se unir à sua mulher (Gn 2.24). Contudo, muitos cônjuges erram deixando haver interferência dos pais no relacionamento. Devemos honrar ao pais, isto é bíblico, mas quando os pais (ou sogros) começam a atacar e implicar com seu cônjuge, penso que você deve protegê-lo (a menos que ele esteja realmente insistindo no pecado). Ao longo dos anos de ministério pastoral tenho visto muitos problemas e mágoas causados por esta falta de cuidado e proteção.
Neste nível de relacionamento, a cobertura recíproca é importantíssima. Nunca descubra seu cônjuge a quem quer que seja; não exponha as fraquezas dele, não o critique em público. Proteja-o de ser ferido emocionalmente!
Estes são ingredientes importantíssimos para um relacionamento: parceriasuporte,cuidado e proteção. Sem eles não dá para dizer que é melhor serem dois do que um! Se não trouxermos estes valores e práticas para nossa relação conjugal, então, tristemente teremos que reconhecer que é melhor ser um do que dois. Negligenciando estas práticas acabaremos por concluir que era melhor ter ficado solteiro. E muitos casados estão tentando viver sob o mesmo teto como se ainda fossem solteiros; isto tem que mudar, caso contrário, seu relacionamento estará condenado.
Paulo disse aos coríntios: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisiti das coisas próprias de menino”(1 Co 13.11). Parafraseando a afirmação do apóstolo, poderiamos dizer: “quando eu era solteiro, falava como solteiro, sentia como solteiro, pensava como solteiro; quando cheguei a ser casado, desisiti das coisas próprias de solteiro”.

A mulher inteligente 
A mulher inteligente faz a sua família feliz, diz a Bíblia. Ou se você prefere a versão mais tradicional, a mulher sábia edifica a sua casa. É uma declaração e tanto. Que responsabilidade. Que poder.
Por que não o homem?
O homem pode entender bem de construir uma casa com tijolos e cimento. Ele lida bem com coisas—a madeira vai aqui, o encanamento tem que vir por este lado, o telhado tem que ser daquele material. Sabe organizá-las bem, usar a inteligência para criar coisas. Se sai muito bem nas ciências exatas. Fazer uma família feliz, porém, é longe de ser uma ciência, muito menos exata. E o homem, mesmo sábio, normalmente perde feio para a mulher sábia neste sentido.
Ela é a arquiteta dos relacionamentos familiares. O bebê ainda está na barriga e ela já está pensando com quem ele vai se casar, como a noiva será linda, e como os netinhos serão mais lindos ainda. Ela já tem tudo planejado na sua mente feminina. Enquanto isso, o marido só está pensando em como a barriga dela está grande. 
A mulher tem o poder de ser o centro das atenções em casa. Ela é o ponto central, o eixo da família. As decisões, escolhas, e todos os acontecimentos passam por ela—e quando não, inevitavelmente algo vai dar errado. Quando a Cristiane não está em casa, eu me sinto como um homem de uma perna só.
É o poder da mulher.
Por isso ela tem que ser sábia. Com tanto poder, se não usá-lo com inteligência, ela acaba destruindo o seu lar. Se ela fala demais, é insegura, ciumenta, egoísta, materialista, desrespeitadora, inconveniente, relaxada, controladora, briguenta, orgulhosa, desafiadora, temperamental… tic-tac, tic-tac, 4, 3, 2, 1… salve-se quem puder!
Mulher, poder não é nada sem controle e sem sabedoria. Então:
1.    Reconheça o poder que tem
3.   Seja uma boa influência em sua casa
Mais do que o seu marido, você tem o poder de fazer sua família feliz. É a Bíblia que diz, não eu.

P.S. Antes que alguém escreva dizendo, “É, mais o homem tem que fazer a parte dele também…” — deixe-me dizer: é claro que sim. Não estou isentando o homem do papel dele. O foco aqui é a habilidade que a mulher tem, superior a do homem, com respeito à felicidade de sua família.

LIÇÃO 7, A DIVISÃO ESPIRITUAL NO LAR

Lições Bíblicas do 3º Trimestre de 2012 - CPAD - Jovens e Adultos
Vencendo as Aflições da Vida - "Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas” (Salmos 34:19)

TEXTO ÁUREO
"Semelhantemente, vós, mulheres, sede sujeitas ao vosso próprio marido, para que também, se algum não obedece à palavra, pelo procedimento de sua mulher seja ganho sem palavra"  (1 Pe 3.1).



VERDADE PRÁTICA
Ganhe o seu cônjuge para CRISTO, através do seu bom  testemunho.



LEITURA DIÁRIA
Segunda - Gn 2.18,22-24 A primeira família
Terça - Pv 14.1 A sabedoria da mulher
Quarta - Mc 10.6-12 O ensino acerca do divórcio
Quinta - At 16.1,2; 2 Tm 1.5 Evangelismo no lar
Sexta - Mt 5.13 Sal da terra
Sábado - Ef 5.8 Filhos da Luz



LEITURA BÍBLICA EM CLASSE- 1 Coríntios 7.12-16
12 Mas, aos outros, digo eu, não o Senhor: se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe. 13 E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe. 14 Porque o marido descrente é santificado pela mulher, e a mulher descrente é santificada pelo marido. Doutra sorte, os vossos filhos seriam imundos; mas, agora, são santos. 15 Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não está sujeito à servidão; mas DEUS chamou-nos para a paz. 16
Porque, donde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? Ou, donde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?

Todo crente gostaria que sua família o acompanhasse no dia do arrebatamento. Todos salvos e unidos pelo amor de DEUS. Todos vivendo aqui na Terra em paz e na expectativa da volta de JESUS.



Desde o namoro o crente deve saber que quem escolhe a pessoa para se casar é ele mesmo e não o acaso, ou os amigos, ou os pais, ou a condição financeira do outro, ou a silueta física do outro, ou o grau de instrução do outro, ou a profissão do outro, etc... A primeira condição para se escolher alguém para namorar é que esta pessoa seja crente convertido (II Co. 6.14 – jugo desigual), a segunda é que seja da vontade de DEUS (Gn. 24. 12-26).

Algumas situações dentro do casamento, entre os cônjuges, quanto à divisão espiritual no lar:

1-     Quando os cônjuges são crentes e um se desvia.
2-     Quando os cônjuges são crentes e os filhos também o são.
3-     Quando os cônjuges são crentes, mas os filhos não são.
4-     Quando os cônjuges não são crentes e um deles se converte, sendo que o outro não se converte.
5-     Quando os cônjuges não são crentes e um deles se converte, sendo que o outro depois também se converte.

Como nessa lição nosso assunto não é namoro, noivado ou casamento, mas casamento entre duas pessoas onde uma se converteu e outra não, vamos deixar esses assuntos para outra oportunidade.
Tratamos nesta lição a respeito das situações em que um cônjuge se converte, mas o outro continua descrente.

Para sabermos qualquer assunto na bíblia devemos saber o que JESUS falou a respeito desse assunto – ELE é quem da a Palavra Final para tudo.

JESUS “quem repudiar sua mulher e casar com outra, comete adultério contra aquela. E se ela repudiar seu marido e casar com outro, comete adultério”.
Paulo - I Co. 7.12-16 - “a mulher não se separe do marido (…) e que o marido não se aparte da sua mulher” (vs. 10,11).
Quando nos casamos fazemos uma aliança com DEUS primeiro e depois entre nós e depois com a sociedade da qual fazemos parte.
A aliança feita com DEUS não pode ser quebrada com risco de maldição para aquele que isso fizer.

“o que DEUS juntou não o separe o homem” (Mc. 10.9,11).
Até que a morte os separe - o homem e a mulher casados só podem se separar se um dos dois morrerem.
Quando o descrente decide se separar por motivo religioso, então o crente pode permitir, desde que nenhum dos dois se case com outra pessoa. Poderão ficar afastados para que, depois de refletirem sobre a separação voltem a se unirem novamente como é da vontade de DEUS.

“submissas a vossos próprios maridos, para que, se alguns ainda não obedecem à palavra, sejam ganhos sem palavra alguma, por meio do procedimento de suas esposas, ao observarem o vosso honesto comportamento cheio de grande temor” (I Pe. 3.1,2).

Quando um se converte e outro não, deve aquele convertido ficar calado quanto às questões religiosas.
Orar e jejuar e dar um ótimo testemunho de “nascer de novo” são as soluções melhores para que tudo vá bem e o cônjuge descrente seja salvo.
A união de duas pessoas completamente diferentes entre si é muito difícil e só terá sucesso se houver muito sacrifício de ambas as partes.
A mulher busca no homem o amor e o homem busca na mulher a submissão.
O grande problema é que o homem não sabe o que é o amor para a mulher e a mulher não sabe o que submissão para o homem.
Amor para o homem tem a ver com sustento, segurança e provisão.
Amor para a mulher tem a ver com datas importantes, palavras e atitudes românticas (elogios, flores, joias).
Submissão para a homem significa ser respeitado, honrado, admirado, aprovação total e irrestrita em todas suas decisões.
Submissão para a mulher é humilhação, sofrer espancamento, palavrões, desprezo, etc...
Como se vê, dois seres completamente diferentes que devem se esforçar muito para compreenderem um ao outro e devem se respeitar como dois seres que pensam diferente, que gostam de coisas diferentes, mas que se amam e se respeitam como seres humanos.

Quando um dos cônjuges se converte depois do casamento, não quer dizer que não possa manter relações sexuais com o outro pois ele (a) seria impuro (a). Paulo diz que o “marido incrédulo é santificado no convívio da esposa e a esposa incrédula é santificada no convívio do marido crente” (I Co. 7.14).

Isso não fala sobre salvação do outro pelo convívio, mas fala de um ato ser aceito por DEUS como limpo por causa da parte santa envolvida ai. Os filhos também são recebidos por DEUS como santos ao nascer, mas devem, tanto o marido (ou esposa) como os filhos se converterem logo na primeira oportunidade que tiverem de o fazer, pois a alma de cada um é sua e de sua responsabilidade diante de DEUS, ou para a salvação, ou para a perdição.
Ninguém nasce crente porque nasceu num lar evangélico ou porque tem um pai ou uma mãe evangélica, o mesmo vale para o marido para a esposa – DEUS não tem netos, só filhos. É preciso haver conversão e para isso deve haver arrependimento de pecados e aceitação de JESUS como único Salvador e Senhor.
 A postura do crente no lar é que vai ditar o futuro espiritual de sua família. É evidente que não podemos garantir 100% de conversões, mas podemos dizer que, na prática, resolve pelo menos 70% dos casos.
Esposa que fala pouco e em voz baixa. Que trata seu marido com respeito, reconhecendo-o como cabeça do lar, incentivando-o a respeito das coisas materiais e espirituais com amor e carinho. Esposa mansa e sem excesso de vaidade e que nunca fala mal das autoridades da Igreja. Esposa que mantém seu lar limpo, cheiroso e organizado. Essa esposa é uma vencedora e seu marido está fadado ao sucesso material e espiritual.
Marido amoroso, que conserta as coisas que vão atrapalhando em sua casa, que se lembra das datas importantes para sua esposa, que se lembra de dar flores e de reparar sempre nas roupas novas de sua esposa, em seu penteado novo, em seu perfume novo.  Marido que não espanca, não xinga, não maltrata psicologicamente sua esposa. Marido que sustenta se lar com honestidade e trabalho. Esse esposo é um vencedor e sua esposa com certeza lhe acompanhará em sua fé.



BEP - CPAD - 7.11 SE, PORÉM, SE APARTAR, QUE FIQUE SEM CASAR.
No versículo 10, Paulo mostra que a vontade de DEUS para o casamento é que ele seja permanente. Também mostra que, às vezes, o relacionamento conjugal se torna tão insuportável que é necessário os cônjuges se separarem. No versículo 11, portanto, Paulo não se refere ao divórcio permitido por DEUS, causado por adultério (ver Mt 19.9), nem ao abandono de um cônjuge pelo outro (ver v.15). Pelo contrário, Paulo está falando da separação sem divórcio formal. Talvez isso se refira a situações em que o cônjuge age de modo a pôr em perigo a vida física ou espiritual da esposa e dos filhos. Em tais casos, é preferível que um dos cônjuges deixe o outro, mas que permaneça sem casar. É inaceitável que Paulo fosse favorável a não separação de um casal em que um dos cônjuges vive sempre a maltratar fisicamente o outro e a agredir os filhos.

Mt 19.9 A exceção = Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.
19.9 A NÃO SER POR CAUSA DE PROSTITUIÇÃO. A vontade de DEUS para o casamento é que ele seja vitalício, i.e., que cada cônjuge seja único até que a morte os separe (vv. 5,6; Mc 10.7-9; Gn 2.24; Ct 2.7; Ml 2.14). Neste particular, JESUS cita uma exceção, a saber, a prostituição (gr. porneia), palavra esta que no original inclui o adultério ou qualquer outro tipo de imoralidade sexual (5.32; 19.9). O divórcio, portanto, deve ser permitido em caso de imoralidade sexual, quando o cônjuge ofendido se recusar a perdoar. (1) Quando JESUS censura o divórcio em 19.8,9, não estava referindo-se à separação por causa de adultério, mas ao divórcio como permitido no AT em casos de incontinência pré-nupcial, constatada pelo marido após a cerimônia do casamento (Dt 24.1). A vontade de DEUS em tais casos era que os dois permanecessem juntos. Todavia, Ele permitiu o divórcio, por incontinência pré-nupcial, por causa da dureza de coração das pessoas (vv. 7,8). (2) No caso de infidelidade conjugal depois do casamento, o AT determinava a dissolução do casamento com a execução das duas partes culpadas (Lv 20.10; Êx 20.14; Dt 22.22). Isto, evidentemente, deixaria o cônjuge inocente livre para casar-se de novo (Rm 7.2; 1 Co 7.39). (3) Sob a Nova Aliança, os privilégios do crente não são menores. Embora o divórcio seja uma tragédia, a infidelidade conjugal é um pecado tão cruel contra o cônjuge inocente, que este tem o justo direito de pôr termo ao casamento mediante o divórcio. Neste caso, ele ou ela está livre para casar-se de novo com um crente (1 Co 7.27,28).
Casamento misto.
Ed 9 e 10 = Ne 13.23= Vi também, naqueles dias, judeus que tinham casado com mulheres asdoditas, amonitas e moabitas.

Neemias 13.23-29
23 - Vi também, naqueles dias, judeus que tinham casado com mulheres asdoditas, amonitas e moabitas. 24 - E seus filhos falavam meio asdodita e não podiam falar judaico, senão segundo a língua de cada povo. 25 - E contendi com eles, e os amaldiçoei, e espanquei alguns deles, e Ihes arranquei os cabelos, e os fiz jurar por DEUS, dizendo: Não dareis mais vossas filhas a seus filhos e não tomareis mais suas filhas, nem para vossos filhos nem para vós mesmos. 26 - Porventura, não pecou nisso Salomão, rei de Israel, não havendo entre muitas nações rei semelhante a ele, e sendo amado de seu DEUS, e pondo-o DEUS rei sobre todo o Israel? contudo, as mulheres estranhas o fizeram pecar. 27 - dar-vos-íamos nós ouvidos, para fazermos todo este grande mal, prevaricando contra o nosso DEUS, casando com mulheres estranhas? 28 - Também um dos filhos de joiada, filho de Eliasibe, o sumo sacerdote, era genro de Samba late, o horonita, pelo que o afugentei de mim.29 - Lembra-te deles, DEUS meu, pois contaminaram o sacerdócio, como também o concerto do sacerdócio e dos levitas.

13.3 APARTARAM DE ISRAEL TODA MISTURA (BEP-CPAD). Os estrangeiros pagãos foram rejeitados em Israel, para que assim houvesse uma barreira entre o povo de DEUS e as práticas iníquas dos incrédulos.
(1) Para se compreender a vontade de DEUS aqui, precisamos considerar a tendência inata do seu povo, de conformar-se com os costumes, prazeres e maneira de viver do mundo.
(2) Portanto, um requisito essencial para o povo de DEUS ser santo, é permanecer separado do procedimento, padrões e costumes ímpios da nossa sociedade e tomar posição firme contra as influentes e populares manifestações do espírito deste mundo. Se os crentes se omitirem terão a perda da presença de DEUS e das bênçãos que Ele reservou para nós.
13.25 CONTENDI COM ELES
 (BEP-CPAD). Há ocasiões em que os dirigentes, se realmente são servos de DEUS, precisam ter ira santa contra o mal e adotar medidas drásticas para corrigir uma situação maléfica que surja. Usar de brandura e mansidão, quando há desrespeito público e cínico ante a vontade de DEUS, pelos membros da igreja, passa a ser fraqueza e transigência. A correção aplicada por Neemias demonstra um zelo por DEUS semelhante ao de CRISTO, quando Ele tomou um chicote para expulsar os vendilhões do templo de Jerusalém (Mt 21.12,13; Jo 2.13-16; ver Lc 19.45).

A responsabilidade dos ministrantes e dos ministrados
O casamento é uma aliança, primeiro entre DEUS e os nubentes, depois entre o homem e a mulher.
Se o casal não for instruído corretamente sobre a importância dessa aliança e sobre a pessoa que está selando essa aliança, então a aliança não será feita corretamente.
Cabe a cada líder informar os nubentes da responsabilidade de se assumir uma aliança com DEUS.
Melhor é não votar do que votar e não cumprir o voto.


Como prevenir. Assim que se percebe que a relação conjugal está sofrendo algum tipo de desgaste, é obrigação dos cônjuges atentar para, pelo menos, três pontos fundamentais da convivência sadia, rogando a ajuda do ESPÍRITO a fim de pô-los em prática.
a) Comunicação. O diálogo é talvez a maior necessidade do ser humano moderno, as famílias estão a beira da falência por falta de se comunicarem entre si. É a correria do dia a dia e a preocupação com os bens materiais, trazendo falta de tempo para as coisas mais importantes. O casal precisa conversar e conversar muito entre si, discutindo amigavelmente todos os problemas e descobrindo juntos a solução para os tais. também é preciso comunicação para a satisfação sexual de ambos, o que um gosta e deseja pode ser a barreira para que o outro não seja satisfeito.
b) Unidade de propósitos. O rumo, o futuro da família deve ser comum aos dois, ao casal que planejam juntos sua felicidade.
c) Humildade. Pedir desculpas sempre que errar, julgar o outro superior a si mesmo são maneiras de manter o casamento aquecido do frio do desprezo. Lembre-se de que quando um não quer, dois não brigam. É melhor "perder aparentemente" hoje e ganhar amanhã, do que colocar tudo a perder por falta de humildade.

Quando o divórcio é permitido. Somente em dois casos:
a- Quando há adultério.
b- Quando o descrente quer se apartar.

Mas o cônjuge crente, deve fazer de tudo para ganhar o  descrente para JESUS, conforme a recomendação de Pedro (1 Pe 3.1-6). 3.1 MARIDOS... SEJAM GANHOS. Pedro ensina como uma esposa deve agir a fim de ganhar para CRISTO o seu marido não salvo. (1) Ela deve ser submissa ao marido e reconhecer a sua liderança na família (ver Ef 5.22). (2) Ela deve conduzir-se de modo santo e respeitoso, com espírito manso e quieto (vv. 2-4; ver 1 Tm 2.13,15). (3) Ela deve esforçar-se para ganhar o marido para CRISTO, mais pelo comportamento, do que por suas palavras.3.3,4 ENFEITE EXTERIOR... BELEZA INTERIOR. Os adornos berrantes, exagerados e dispendiosos são contrários ao espírito modesto que DEUS requer da parte das mulheres cristãs (ver 1 Tm 2.9). (1) O que muito importa para DEUS nas mulheres cristãs é uma disposição mansa e quieta (cf. Mt 11.29; 21.5), que as leva a honrá-lo, ao dedicarem-se a ajudar o marido e a família a alcançar a vontade de DEUS para as suas vidas. (a) O adjetivo "manso" descreve uma atitude despretensiosa que se manifesta numa submissão amável e na solicitude pelo próximo (cf. Mt 5.5; 2 Co 10.1; Gl 5.23). (b) O adjetivo "quieto" refere-se à esposa não ser agitada e indelicada. Noutras palavras, DEUS declara que a verdadeira beleza da mulher é questão de caráter, e não primeiramente de enfeites. (2) As esposas cristãs de nossos dias devem ser fiéis a CRISTO e à sua Palavra, num mundo dominado pelo materialismo, pelas modas dominantes, pelos direitos humanos, pela obsessão sexual e pelo desprezo aos valores do lar e da família.

Aos casais mistos (1 Co 7.12,13).
Aqui se fala em separação, não em divórcio. Não existe aqui permissão para novo casamento, nem de um, nem de outro. O que DEUS uniu, não o separe o homem. O melhor aqui é deixar que o tempo separados mostre ao casal que o melhor mesmo é se perdoarem e reatarem seu relacionamento visando principalmente o bem-estar dos filhos.

“Se por um lado não há casamentos totalmente a salvo, por outro lado também não há casamentos totalmente perdidos. DEUS subordina seu poder de restaurar o matrimônio problemático ao perdão entre os cônjuges. Portanto, o divórcio não deve jamais ser visto como uma prática a ser seguida em qualquer situação, mas como uma extrema exceção.”
 Revista Ensinador Cristão, CPAD, nº 11, pág.39
“Uma mulher podia ser comprada, e com freqüência era considerada propriedade do homem. No lar era usada como se fora uma escrava, e por qualquer razão podia ser repelida e expulsa. JESUS não somente procurou elevar a posição da mulher na sociedade, mas também procurou eliminar esse duplo padrão. Assim fazendo, o Senhor elevou grandemente o estado de casado.”  CHAMPLIN, Russel Norman. O Novo Testamento Interpretado: versículo por versículo. São Paulo,  Hagnos, 2002. V.1. p.482.

A igreja deve, buscando ao Senhor, sempre ajudar a salvar os casamentos em perigo, enquanto procura desestimular o divórcio.

A responsabilidade individual. 
Ez 18.4 Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá.
Ez 18.20 A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele.
"Crê no Senhor JESUS, e serás salvo, tu e toda a tua casa", At.16:31
DEUS tem um plano para toda a família. Não quer dizer que porque um se converteu, todos irão converter-se por causa deste texto. Não creio que ele seja uma promessa a todo crente, mas sim que revele uma intenção de DEUS quanto às famílias de uma forma geral. Vale lembrar que Paulo declarou isto ao carcereiro num momento em que este homem ia se matar. Paulo não podia vê-lo, pois além de estar dentro de sua cela, a Bíblia diz que eles estavam no escuro. O apóstolo Paulo teve uma revelação do ESPÍRITO SANTO para uma pessoa específica, num momento específico. Não posso dizer: - "Hei, DEUS! Você prometeu que se eu cresse iria salvar todo mundo lá em casa!". Mas posso muito bem orar pelos meus familiares crendo que há um plano divino para a família. Cada familiar meu tem o direito de escolha, se dirão sim ou não a JESUS CRISTO, é responsabilidade pessoal de cada um deles. Mas farei de tudo para convencê-los, ensiná-los, cobri-los de oração intercessória e tudo o mais que for possível. No caso deste carcereiro filipenses, o Senhor mostrou de antemão toda a família salva. Mas para cada um de nós, mesmo se não diga de antemão o que irá acontecer, DEUS já revelou seu plano em sua Palavra para toda a família. E o sacerdote do lar tem uma grande responsabilidade de afetar o destino dos seus entes queridos.

COMO A FAMÍLIA PODE SER SALVA
Confie na promessa de DEUS. 
A Bíblia esta cheia de promessas de DEUS para seus lhos. E a promessa de um DEUS fiel, que cumpre sem a sua Palavra.
Podemos confiar nas suas promessas.
Podemos arriscar nelas a nossa vida. DEUS não irá falhar. Por isso vale a pena conhecer as promessas de DEUS para a nossa vida. Mais ainda, vale a pena guardá-las b gravadas na nossa mente e no nosso coração. Por isso anote dia por dia as promessas de DEUS.
Não encontraremos promessas em todas as passagens que lermos. Mas são tantas as promessas de DEUS na Bíblia que encontramos muitas e com freqüência. Anote sempre que encontrar (se não encontrar, não se preocupa não queira criar promessas que DEUS não fez).
Eis alguns exemplos:
"Todo aquele que proclama que JESUS é o Filho de DEUS, DEUS permanece nele e ele em DEUS" (1 Jo 4,15).
"E estais certos de que cada um receberá do Senhor recompensa do bem que tiver feito" (Ef 6,8)
"Porque eu vos darei uma palavra cheia de sabedoria a qual não poderão resistir nem contradizer os vossos adversários" (Lc 21,15).
"Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Rom 10,13).
"Mas o Senhor é fiel, e Ele há de vos dar forças e vos preservar do mal" (2 Tes 3,3).



Se For Casado Com Uma Pessoa Não-Salva e Este Quiser se Apartar

Escrevendo aos Coríntios, o apóstolo Paulo responde esta questão dizendo que se um cônjuge não crente quiser se apartar, que o cônjuge crente permita (I Cor. 7:15). A iniciativa da separação nunca deve ser do crente e sim dos descrente. Não é o crente que quer se apartar, mas o incrédulo. É o descrente que está descontente, pensando que não há mais futuro no lar para eles, desde que o crente se converteu ao Senhor. JESUS predisse que haveria problemas na família por causa do evangelho (Luc 12:51-52; 18:29-30; Mat 19:29; Mat 10:34-36).

Se ele ficar, o ESPÍRITO SANTO vai trabalhar para sua conversão

Se a esposa ou o marido incrédulo consente em morar com o crente, Paulo diz que este não deve deixar o seu cônjuge. DEUS nos chamou à paz. O incrédulo é santificado no convívio com o crente. Pode ser que a esposa ou o marido incrédulo seja salvo (I Cor 7:12-14).

O caso de  1 Co 5.9-11 = Já por carta vos tenho escrito que não vos associeis com os que se prostituem; isso não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas, agora, escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.
Aqui Paulo não está falando de um marido ou de uma esposa descrente. Está falando de um crente fiel e seu relacionamento com um crente infiel (desviado) que vive na prática do pecado.



Eunice, que havia aprendido de Lóide, sua mãe, ensina ao filhoTimóteo
O Apóstolo Paulo elogiou Timóteo pelas seguintes qualidades: "A fé não fingida que em ti há, a qual habitou primeiro em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice" (II Timóteo 1:5)
Timóteo era um "cooperador no evangelho de Cristo" (I Tessalonicenses 3:2) e um fiél assistente de Paulo, que se referiu a ele da seguinte forma: "Meu verdadeiro filho na fé" (I Tomóteo 1:2)

Eunice e Lóide Mães Cristãs Exemplos Para Nossos Dias (II Tm 1. 2-5) (http://www.estudosgospel.com.br/esbocos/geral/eunice-e-loide.html)
A palavra de Deus semeada no coração do homem desde a mais tenra infância, produz fruto para a vida eterna, a mais sólida educação cristã é aquela que se transmite dos pais para os filhos.

"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele".   Provérbios 22.6

1. EUNICE E LÓIDE, MÃES CRISTÃS EXEMPLARES PARA OS NOSSOS DIAS
Exemplo no lar , exemplo de mãe cristã (hoje em dia há muita mãe sem dar exemplo).
Permanece naquilo que aprendeste.
dedicação religiosa no lar , culto e ensinamento segundo a palavra de Deus (Hoje as nossas crianças o futuro do ministério tem sido colocadas de lado, esquecemos as vezes dele como a mãe de Jesus o perdeu na festa e jesus estava no Templo, estamos as vezes ganhando várias almas, mas perdendo os filhos).

2. PAULO PROCURA UM OBREIRO PARA A SEARA DO SENHOR (Deus está procurando também)
A condição do obreiro (conhecia as sagradas escrituras desde pequeno).
Ele teve a estrutura dada pelos pais para a sua formação.
Paulo convida Timóteo a acompanhá-lo (hoje muitos jovens acompanham o mundo e esquecem o que foi passado pelos pais).
A herança espiritual de Timóteo era a herança familiar, ensinado segundo o padrão de Deus, não segundo o padrão do mundo (tudo fazem e não há limites, tudo é legal e pronto).

3. O QUE EUNICE E LÓIDE DEIXARAM A TIMÓTEO?
Uma fé não fingida , ele tinha base e estrutura cristã.
O conhecimento da palavra de Deus..
Um obreiro preparado e exemplo no seu lar.
" Timóteo foi cheio do Espírito Santo (uma benção nas mãos do Senhor).

 Cabe a você pai e mãe continuar ensinando o seu filho as coisas do céu, para mais tarde ver o exemplo que foi gerado através de seu esforço, ensina teu filho desde a infância e verás o que Deus fará dele no ministério.

INTERAÇÃO
O que fazer quando um dos cônjuges não se converte ao Senhor? Essa é uma situação que, apesar de difícil, possivelmente alguns de seus alunos podem estar enfrentando. Sabemos que o servo de DEUS deve casar-se no Senhor, todavia, muitos se convertem a JESUS depois do casamento. Enfatize que nesse caso é preciso que o cônjuge busque, em DEUS, sabedoria para que o lar seja um lugar de paz, amor e respeito. Quando o cônjuge não é crente, a Palavra de DEUS recomenda a submissão (1 Pe 3.1) a fim de que ele seja alcançado por intermédio do bom testemunho do cristão. Essa é a vontade de DEUS!

OBJETIVOS- Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Explicar como deve ser o procedimento do crente quando um dos cônjuges não é crente.
Conscientizar-se de que quando um dos cônjuges não é crente é preciso agir com muita sabedoria.
Compreender o valor da evangelização no lar.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, pergunte se algum aluno tem cônjuge descrente. Caso haja na classe alguém, peça que essa pessoa diga o que tem feito para alcançar seu esposo (a). Em seguida explique que é promessa do Senhor salvar as nossas famílias, contudo, precisamos de muita sabedoria a fim de que todos em nossas casas sejam alcançados através de um bom testemunho. Depois leia e discuta com os alunos o texto de Atos 16.31. Encerre orando pelos irmãos (ãs) que têm cônjuges descrentes. Diga que em breve eles poderão dizer: "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor" (Js 24.15).

RESUMO DA LIÇÃO 7, A DIVISÃO ESPIRITUAL NO LAR
I. CONVIVENDO COM O CÔNJUGE NÃO CRENTE
1. A convivência com o cônjuge descrente.
2. Santificando o cônjuge.
II. AGINDO COM SABEDORIA
1. Na criação dos filhos.
2. Nos afazeres domésticos.
3. Na vida espiritual.
III. EVANGELIZANDO O CÔNJUGE
1. Com nova postura.
2. Com bom testemunho.

SINÓPSE DO TÓPICO (1)
A Palavra de DEUS aconselha que, se o cônjuge descrente não se opuser à fé do que aceitou ao Senhor JESUS, então não deve o crente, em hipótese alguma, abandoná-lo.
SINÓPSE DO TÓPICO (2)
O cônjuge crente deve pedir sabedoria a DEUS para que seus filhos sejam criados no temor do Senhor.
SINÓPSE DO TÓPICO (3)
O cônjuge convertido deve demonstrar que em CRISTO ele é uma nova criatura. 

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsídio Teológico
"Casamento misto onde os parceiros estão satisfeitos (1 Co 7.12-14)
O primeiro exemplo de um casamento misto é aquele no qual o parceiro descrente está disposto a permanecer com o outro que havia se tornado cristão. Nesse caso, o cristão era obrigado a permanecer com o parceiro descrente. Tal diretiva de Paulo deixava claro que o cristão, não poderia partir ou divorciar-se do outro, baseando-se na recusa do outro em se tornar cristão. O cristianismo não pode se tornar uma desculpa para a conduta pagã. Então, se o parceiro descrente está satisfeito, o crente é obrigado a permanecer casado.
Não há qualquer estigma espiritual ligado a um novo convertido que permanece com um cônjuge inconverso. Ao contrário, o parceiro inconverso recebe algum benefício espiritual do cristão. Com relação às bênçãos espirituais que o descrente compartilha, Paulo escreve: 'Porque o marido descrente é santificado pela mulher, e a mulher descrente é santificada pelo marido (v. 14)'. Isto não significa que o descrente sofra uma mudança moral ou espiritual. A expressão 'é santificado' 'não pode significar santo em CRISTO perante DEUS, porque este tipo de santidade não pode ser atribuído a um descrente'. Paulo usa o termo santificado aqui com um significado cerimonial, e não em um sentido ético espiritual" (Comentário Bíblico Beacon. Vol 8. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.298).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Teológico
“Um casamento misto onde o descrente não está satisfeito (1 co 7.15,16)
A situação aqui é oposta do casamento misto onde os parceiros permanecem juntos por consentimento mútuo. Se o descrente se recusar a permanecer com o crente, o cristão está livre da obrigação de sustentar o casamento: ‘Mas, se o descrente se apartar, aparte-se’ (v. 15). Desta maneira o crente fica em paz. Sob tais circunstâncias, o cristão não está destinado a uma vida de perseguição, abuso e agonia, por causa de seu relacionamento com um parceiro pagão. Mas a separação deve ser iniciada e completada por outra pessoa. O cristão nem deve estimular a dissensão nem promover separações. A paz e o amor devem ser sempre as marcas da vida cristã.
Não há qualquer contradição entre a atitude de Paulo ao permitir o rompimento de um casamento com um descrente pagão, e o mandamento de JESUS em Mateus 5.32. As palavras do Senhor foram dirigidas àqueles que professam ser leais e sujeitos a DEUS. As palavras de Paulo são dirigidas àqueles que são casados com descrentes. A diretiva não dá permissão para que um crente se case com um descrente. Serve apenas para uma pessoa casada que se torna crente depois de seu casamento. Em tal situação, o cristão está livre para deixar que o descrente parta, em vez de insistir em continuar uma união que sobrevive em uma atmosfera de tensões, brigas e medo.
Se o parceiro descrente iniciar a separação, o cristão não deve se condenar pelo fracasso do cônjuge que partiu, por não ter se tornado cristão” (Comentário Bíblico Beacon. Vol 8. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p.299).

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
CRUZ, Elaine. Sócios, Amigos & Amados: Os três pilares do casamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.
SAIBA MAIS- Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 51, p.39.

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 7, A DIVISÃO ESPIRITUAL NO LAR
Responda conforme a revista da CPAD do 3º Trimestre de 2012
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas

TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Semelhantemente, vós, mulheres, sede __________________________________ ao vosso próprio marido, para que também, se algum não _____________________________ à palavra, pelo ______ ___________________ de sua mulher seja ganho sem palavra"  (1 Pe 3.1).

VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
__Ganhe__ o seu __cônjuge__ para CRISTO, através do seu bom __testemunho__.

I. CONVIVENDO COM O CÔNJUGE NÃO CRENTE
3- Complete segundo a convivência com o cônjuge descrente:
Quando DEUS criou o mundo declarou que tudo era __________________________ (Gn 1.31). A única coisa que o Criador disse não ser boa era o fato de o homem viver __________________________ (Gn 2.18). Por isso, fez para Adão uma _______________________________, Eva, formando assim a primeira ____________________________ (Gn 2.22). Não faz parte do plano divino que o casal se ____________________________ (Mt 5.31,32; 19.3-9; Mc 10.2-12). Mas em 1 Coríntios 7.15, o apóstolo Paulo fala acerca dessa triste realidade como iniciativa do cônjuge ____________________________. Todavia, o apóstolo aconselha que, se o cônjuge descrente não se opuser à fé do que aceitou ao Senhor JESUS, então não deve o crente, em hipótese alguma, ___________________________-lo (1 Co 7.12,13). A fim de garantir uma convivência pacífica é imprescindível não entrar em _____________________________, evitando discussões sobre __________________________ ou ______________________________. Torne o seu dia a dia agradável; mostre ao cônjuge que servir a _______________________ transforma um dia ruim em uma noite tranquila. Se houver algum problema na igreja, ou algo que não concorde, é prudente não ___________________________ tal assunto em casa, pois o cônjuge não compreenderá, podendo até mesmo desenvolver uma aversão pelas coisas de ____________________________. Como já dissemos, a convivência deve ser ____________________________ (Rm 12.18). Observemos, ainda, este conselho de Pedro: "Semelhantemente, vós, mulheres, sede _____________________________ ao vosso próprio marido, para que também, se algum não ___________________________ à palavra, pelo _______________________________ de sua mulher seja ganho sem palavra, considerando a vossa vida ___________________________________, em temor" (1 Pe 3.1,2). Esse conselho também vale para o homem. 

4- O que significa a frase: "Santificando o cônjuge"?
(    ) A Bíblia afirma que o cônjuge que serve ao Senhor não santifica o não crente.
(    ) A Bíblia afirma que o cônjuge que serve ao Senhor santifica o não crente.
(    ) É muito importante ressaltar que a santidade a que se refere o apóstolo não leva à salvação.
(    ) Um incrédulo não pode ser salvo através da experiência salvadora do outro, pois a salvação é individual e intransferível.

II. AGINDO COM SABEDORIA
5- Qual é, sempre, o desejo do cônjuge cristão quanto à educação de seus filhos?
(    ) É que possa servir ao Senhor JESUS, independente de sua família.
(    ) É que seus filhos sirvam ao Senhor JESUS.
(    ) É que toda a sua família sirva ao Senhor JESUS.

6- Nem sempre é possível criar os filhos dentro dos limites do templo, principalmente se um dos responsáveis não serve ao Senhor. O que fazer?
(    ) Entrar em conflito com o cônjuge não resolve e ainda traz discórdia para o lar.
(    ) A única coisa a ser feita é se separar do descrente.
(    ) A única coisa a ser feita é ensinar a Palavra de DEUS em casa.
(    ) Procure estimular a leitura das Sagradas Escrituras e de literatura cristã adequada para a faixa etária dos filhos.
(    ) Não podemos descuidar da oração. Sigamos o exemplo de Jó que intercedia a DEUS por seus filhos.
(    ) Em o Novo Testamento, encontramos a história do jovem Timóteo, filho de uma judia crente com um grego incrédulo.
(    ) A avó e mãe de Timóteo ensinaram-lhe a Palavra de DEUS, livrando-o assim das influências do paganismo.

7- Qual o resultado do ensino cristão na vida de Timóteo, através de sua avó e de sua mãe?
(    ) Tornou-se, então, um discípulo de Paulo, companheiro de Figelo e Hermógenes.
(    ) Tornou-se, então, um discípulo de CRISTO, companheiro de Figelo e Hermógenes, amigos e companheiros de Paulo.
(    ) Tornou-se, então, um discípulo de CRISTO, companheiro de Paulo e um grande servo do Senhor.

8- Como o cônjuge crente deve agir com sabedoria nos afazeres domésticos?
(    ) O cônjuge crente não pode descuidar de maneira alguma de sua vida espiritual, do lar, e dos filhos.
(    ) Deve dedicar todo seu tempo ao lar para evitar conflitos.
(    ) Saber administrar o tempo é um fator que evita conflitos.
(    ) A mulher não pode deixar sua casa desorganizada, as refeições por fazer e as roupas da família sujas sob a alegação de que o culto terminou mais tarde.
(    ) Os cônjuges crentes devem agir com sabedoria, procurando os melhores dias e horários para comparecer aos cultos.

9- Não podemos nos esquecer que DEUS ama a família, pois Ele mesmo a criou. Se o cônjuge crente não agir com sabedoria, o que pode ocorrer?
(    ) O esposo incrédulo não a compreenderá, e julgará que a igreja está atrapalhando o bom andamento do lar.
(    ) O homem que deixa de ajudar a mulher na organização do lar, que não realiza os pequenos reparos na casa, desculpando-se que não pode chegar atrasado ao culto, levará a esposa descrente a afastar-se ainda mais do Evangelho.
(    ) O esposo incrédulo não a compreenderá, e julgará que a igreja está ajudando no bom andamento do lar.

10- Há muitos casos de maridos que proíbem as esposas de participarem das atividades da igreja ou até mesmo de comparecerem aos cultos. Também há casos de mulheres que dificultam a vida espiritual dos maridos. Como agir com sabedoria nesses casos?
(    ) Diante de tantas barreiras o melhor mesmo é colocar em segundo plano a vida espiritual.
(    ) Mesmo diante de tantas dificuldades não se pode descuidar da vida espiritual.
(    ) Reservar um lugarzinho e um horário adequados, no lar, para oração, adoração e meditação da Palavra de DEUS é uma excelente alternativa.
(    ) Esses momentos preciosos na presença do Pai fortalecem a vida espiritual e ajudam a suportar as perseguições enquanto que, ao mesmo tempo, evitam conflitos. Confie, DEUS sabe como agir em todas as situações.

III. EVANGELIZANDO O CÔNJUGE
11- Com a nova postura cristã, normal na vida de qualquer novo convertido, o que ocorre em sua nova vida de crente?
(    ) Nem todo aquele que reconhece JESUS como Salvador é transformado numa nova criatura em um curto espaço de tempo.
(    ) Todo aquele que reconhece JESUS como Salvador é transformado numa nova criatura.
(    ) Sua natureza pecaminosa é colocada sob o controle do SANTO ESPÍRITO, havendo mudança de vida e de comportamento.
(    ) O cônjuge convertido deve demonstrar que mudou e que CRISTO o tornou um ser humano melhor.
(    ) Agindo dessa maneira, o outro perceberá que, em JESUS CRISTO, há mudanças profundas no caráter.
(    ) Dessa maneira, o descrente poderá até vir a converter-se pelo bom exemplo que observa no crente.

12- Como deve ser o bom testemunho do crente em seu lar?
(    ) O cônjuge convertido não pode viver envolvido em situações ilícitas.
(    ) Através do seu bom testemunho, pode vir ganhar o outro para CRISTO.
(    ) O crente deve deixar paulatinamente sua vida ilícita para ganhar seu cônjuge para CRISTO.
(    ) Se o cônjuge, antes de ser crente, agia com grosseria, pronunciava palavras de baixo-calão ou era dado a vícios, tais coisas devem ser abandonadas, pois agora ele é nova criatura. Afinal, de uma mesma fonte não podem sair águas amargas e doces.
(    ) Lembremo-nos que o bom testemunho começa no lar, nas pequenas ações.
(    ) O cônjuge descrente precisa perceber a mudança que JESUS realizou em sua casa através da conversão do outro.

CONCLUSÃO
13- Complete:
A família é uma instituição __________________________ inaugurada no Jardim do Éden por Adão e Eva. E é desejo do Criador que os cônjuges vençam as dificuldades e permaneçam _________________________ assim como Ele os criou. Diante disso, o bom _____________________________ daquele que serve ao Senhor é uma forma clara e prática de ______________________________ no lar. Tal comportamento demonstra, em ações e palavras, que CRISTO o modificou e o tornou um ser humano _______________________________________, levando o cônjuge à conversão.


RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO


Postagem em destaque