sexta-feira, 8 de julho de 2016

Jesus Cristo é tudo, não precisamos de placas ou títulos, ele é tudo em nós.


A SEGUNDA CASA
Tudo começa com esse texto de 2 Crônicas 7.

II CRÔNICAS  [7]

1 Tendo Salomão acabado de orar, desceu fogo do céu e consumiu o holocausto e os
sacrifícios; e a glória do Senhor encheu a casa.
2 E os sacerdotes não podiam entrar na casa do Senhor, porque a glória do Senhor tinha
enchido a sua casa.
3 E todos os filhos de Israel, vendo descer o fogo, e a glória do Senhor sobre a casa,
prostraram-se com o rosto em terra sobre o pavimento, adoraram ao Senhor e lhe deram
graças, dizendo: Porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.
4 Então o rei e todo o povo ofereceram sacrifícios perante o Senhor.
Agora a partir daqui entraremos na mensagem de revelação
“A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o Senhor dos Exércitos.” (Ageu 2:9 a)
TE CONVIDO A UMA VIAGEM NO TEMPO
Era o segundo dia, segundo mês do quarto ano do reinado de Salomão quando o primeiro templo do Senhor começou a ser construído em Jerusalém. Mais de mil pessoas trabalharam. Ouro, prata, tecido...
DE GRANDE ESPLENDOR VESTIA-SE O PRIMEIRO TEMPLO

Salomão fora o homem elegido pelo Senhor a construir uma casa feita a mãos de homens para o Deus eterno.
Mas infelizmente o tempo foi passando, e apesar do deslumbramento da casa de Deus, o povo tornou-se infiel. Eles começaram a seguir práticas detestáveis das outras nações, contaminando o templo do Senhor.
O mesmo templo que fora consagrado por Ele, em Jerusalém:
"Além disso todos os chefes dos sacerdotes e o povo aumentavam cada vez mais a sua infidelidade, seguindo todas as abominações dos gentios; e profanaram a casa do Senhor, que ele tinha santificado para si em Jerusalém." (2 Crônicas 36:14)

Por volta de 586 a.C., este templo foi destruído pelo rei Nabucodonosor. Seu povo, os babilônicos, “incendiaram o templo de Deus e derrubaram o muro de Jerusalém”:
"Também queimaram a casa de Deus, derribaram os muros de Jerusalém, queimaram a fogo todos os seus palácios, e destruíram todos os seus vasos preciosos." (2 Crônicas 36:19)
Nada sobrou: utensílios de valor, jovens, adultos, velhos, homens e mulheres. Apenas um remanescente sobreviveu, e este foi levado ao exílio na Babilônia para serem escravos até a época do domínio persa. Estes, após 70 anos, voltariam a Jerusalém para reconstruir o templo e o muro da cidade. E assim Deus tocou no coração do rei da Pérsia, Ciro, quem os mandou de volta à terra de Judá.

Era cerca de 538 a.C. quando uma parte deste remanescente volta sob a liderança de Zorobabel. Finalmente a reconstrução do templo iniciara.
VERÍAMOS NOVAMENTE A MAGNIFICÊNCIA DA CASA DE DEUS!!!
Pedra sobre pedra, mãos à obra. Passa o cimento, põe o tijolo, quebra a pedra... mas espera!
O QUE ACONTECEU?
O povo parou. A oposição dos habitantes não judeus começa a pesar; a obra foi interrompida. Então, Deus levanta profetas como Ageu e Zacarias, que chamam o povo a completar a obra.
Novamente o povo voltou-se para si mesmo. Enquanto a casa do Senhor continuava destruída:
"Acaso é tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica desolada?" (Ageu 1:4)
O ERRO NÃO PÁRA POR AQUI
A desobediência dos antepassados aparece novamente. Não apenas havia o povo esquecido do templo do Senhor, mas também de Seus ensinamentos, principalmente da pureza.

Nas palavras do Dr. Scofield: “A lei mosaica defendia que pureza moral não podia ser transmitida, mas impureza moral sim. A contínua desobediência da nação tornava suas obras inúteis diante de Deus.”

Assim, o povo plantava muito e colhia pouco; comia e não se fartava; bebia e não se satisfazia; vestia e não se aquecia. Até o que recebia era para colocar dentro de um saco furado.
Cerca de 515 a.C. o segundo templo é finalmente completado e dedicado. Felizmente o povo ouviu o que Deus falara por meio de Ageu e Zacarias, e consideraram os seus caminhos.
Contudo, o tempo passa (e como o tempo parece, para muitos, um grande inimigo! Sábio o ditado: “Com o tempo, sabemos quem é quem!”) - e nos deparamos com as seguintes palavras:
“E falando-lhe alguns a respeito do templo, como estava ornado de formosas pedras e dádivas, disse ele: Quanto a isto que vedes, dias virão em que não se deixará aqui pedra sobre pedra, que não seja derribada.” (Lucas 21:5-6)
E A NOSSA MÁQUINA DO TEMPO CONTINUA
Ano: Entre 66 e 70 d.C. De acordo com o Rabino Joseph Telushkin, em 66 d.C., os judeus revoltaram-se contra Roma (governo em Jerusalém naquela época) e venceram o enorme império romano em uma batalha decisiva.
Contudo, esta vitória trouxe grandes derrotas. Quando o exército com 60.000 homens romanos voltaram e souberam da notícia, saquearam a terra de Israel e a cidade de Jerusalém.
Como se não fosse pouco, tocaram fogo no templo do Senhor, restando apenas o Muro Ocidental (HaKotel ), conhecido atualmente como o Muro das Lamentações.
Não seria este mesmo povo o qual Jesus amorosamente disse que queria reunir seus filhos, assim como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo de suas asas?
"Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que a ti são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste!" (Lucas 13:34)
Jerusalém, porém, não o quis. O povo decidiu voltar para si mesmo, andar segundo o seu caminho, rejeitar os ensinamentos do Senhor.
Hoje, apesar de não existir um templo como o que fora construído por Salomão e Zorobabel, ainda assim o Senhor nos chama a reconstruir o templo. O clamor proferido por Ageu ainda ressoa nos dias atual.
Ele nos chama a considerar onde os nossos caminhos nos levaram; a fazer caminhos retos para os nossos pés, “para que o manco não se desvie, antes, seja curado” (Hebreus 12:13)
Quando ordenado à construir o tabernáculo, Moisés recebeu a cautela de construí-lo exatamente como o Senhor dissera, pois este seria uma simples manifestação de uma habitação que, na realidade, era uma cópia daquilo que estava nos céus
"Os quais servem àquilo que é figura e sombra das coisas celestiais, como Moisés foi divinamente avisado, quando estava para construir o tabernáculo; porque lhe foi dito: Olha, faze conforme o modelo que no monte se te mostrou." (Hebreus 8:5)
"Atenta, pois, que os faças conforme o seu modelo, que te foi mostrado no monte."(Êxodo 25:40)
O tabernáculo lembraria diariamente que o Senhor era único e verdadeiro Deus e que estava com o povo.
Mas mesmo assim, o povo desviou-se; esqueceu o seu Libertador; andou em caminhos tortuosos e impuros. Somente por meio de alguém que Deus curaria a amnésia espiritual do seu povo. Este alguém foi Jesus Cristo.
EM CRISTO, DEUS CONSTITUIU UM SUMO SACERDOTE PARA SEMPRE, COM UM SÓ SACRÍFICIO
Onde existe um sumo sacerdote, existe também um templo e uma nova aliança. E essa nova aliança, Deus declara: “Porei minhas leis em sua mente e as escreverei em seu coração. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.” (Hebreus 8:10b)
Paulo, explicando aos  coríntios acerca da ressurreição dos corpos, declara que:
“Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade. Mas, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória." (1 Coríntios 15:53-54)
Hoje habitamos em um templo (nosso corpo, pois nós somos a igreja) corruptível e mortal. Mas quando Cristo voltar, habitaremos não mais neste templo passageiro, mas em um segundo templo. Incorruptível. Imortal.
“Quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.” (1 Coríntios 13:10)
CONSIDEREMOS OS NOSSOS PASSOS:
• Onde eles nos tem levados?
• Que caminhos e ensinamentos temos ingerido?
• Os temos praticados?
• Os temos divididos com alguém?
• Será que alguém será um segundo templo por nossa causa?
• É nossa conduta pura?
• Estamos obedecendo?
• Estamos a conhecer diariamente o nosso Deus e o Seu caminho, ou vivemos como o povo da época de Salomão e de Zorobabel?
POR ÚLTIMO, CONSIDEREMOS O TEMPO
Será que perseveraremos até o dia em que formos ou Cristo voltar, para que troquemos nosso primeiro templo pelo segundo?
“Pela vossa perseverança ganhareis as vossas almas.” (Lucas 21:19)
EM TODOS OS MOMENTOS
Principalmente nos tristes, e nos que levam-nos a desistir da caminhada com Cristo e a levar outros conosco nesta caminhada –, lembremos dos templos construídos por Salomão e Zorobabel, do corpo atual e do novo corpo.
Pois “A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o Senhor dos Exércitos.” (Ageu 2:9 a)

COMO SER SANTO?
“Pois está escrito: Sejam santos porque eu sou santo.” (1 Pedro 1:16 )
QUEM VERDADEIRAMENTE AMA A DEUS DESEJA SER SANTO
Santidade significa estar separado para Deus. Um estado de santidade resulta em uma conduta diferente para aqueles que estão separados, por isso digo que: "O cristão não é um pecador tentando ser santo, somos santos tentando não pecar."
O Senhor nos ensina a fazer certas as coisas, mas Ele também nos dá a habilidade para fazermos o que Ele nos pede.
Lutamos e batalhamos quando tentamos fazer o que Ele quer que façamos, na nossa própria força, em vez de clamarmos por Sua força através de nossa fé.
A SEMENTE DA SANTIDADE É PLANTADA EM NÓS NO NOVO NASCIMENTO
À medida que trabalhamos com o Espírito Santo e regamos esta semente com a Palavra de Deus e nossa obediência, começamos a ver mudanças positivas em nossa conduta e em todas as outras áreas de nossa vida.
Muitos cristãos passam a maior parte de sua vida esperando verem-se transformados antes de crerem em alguma coisa positiva a respeito deles mesmos. Mas a boa notícia é que Deus vê o nosso coração. Temos o desejo de fazer o que é certo porque Ele nos deu um novo coração e colocou Seu Espírito em nós.
Quando começamos a crer naquilo que a Palavra diz sobre nossas vidas mais do que o vemos ou fazemos, então o nosso caráter começa a ser transformado rápida e drasticamente.
"Pois, tantas quantas forem as promessas de Deus, nele está o sim; portanto é por ele o amém, para glória de Deus por nosso intermédio." (2 Coríntios 1:20)

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Poucas palavras na Bíblia são tão claras, mas ao mesmo desobedecidas justamente por pessoas que afirmam ser cristãs, como a que ensina que a única possibilidade de chegarmos a Deus é por meio do Seu filho Jesus Cristo. Única. E olha que a Bíblia traz isso na boca do próprio Jesus. Lembremos o que está em João 14:6: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, se não por mim.” Há quem leia a passagem, a ache correta, concorde, proclame que faz justamente isso na sua vida por ser cristão, mas quando indagado por sua fé em outros personagens bíblicos afirmam que pedem para que estes “intercedam” por ele para chegar a Deus. Sem noção do que diz a palavra de Deus, acham que não estão desobedecendo e, portanto, não estão fazendo nada errado. Ledo engano. Salientando que não se quer aqui atacar ou diminuir a missão dada por Deus a Maria, a mãe de Jesus, ou a nenhum personagem bíblico, a frase citada entre aspas deve ser de longe o maior exemplo de quando uma pessoa diz ser fiel à palavra de Deus, mas a distorce completamente. Percebam que, ao usar a expressão “o caminho”, Jesus não deixou o ensinamento de que devemos ter quem interceda por nós. Ele diz claramente que está nos dando um presente maravilhoso: pela nossa fé chegarmos ao Pai pelo único caminho que é ele, Jesus. Ponto final. A gramática nos ajuda a entender a frase. Se Jesus tivesse dito “um caminho” e não “o caminho”, aí, sim, poderíamos ter opções. Perceba, internauta, que há mais de um caminho para se chegar à praia, ao centro… Mas imagine, por exemplo, um apartamento no 10º andar com apenas uma porta. Será que esta porta é o caminho para o elevador ou um caminho? Alguém arriscaria pular a janela para chegar ao elevador ou só restaria uma única possibilidade: a porta? Para chegarmos a Deus, Jesus é essa única porta. Qualquer outro caminho representa o perigo da janela. E note-se que a Bíblica é didática. Não há passagem nenhuma falando em usar outro caminho para se chegar a Deus, exceto Jesus. Os que usam Maria, por exemplo, o fazem por conta própria. Não tem respaldo bíblico. Percebam que isso não sonega, como por ignorância teológica alguns acreditam, o importante papel que Deus reservou a Maria. A Bíblia, em João 1:1, diz que “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” Mais adiante um pouquinho, no mesmo livro, lê-se: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João 1:14). Ou seja, está cristalino que Jesus veio à terra para cumprir a missão de salvar a humanidade das garras de satanás. E no plano de Deus para o verbo se fazer carne era preciso nascer igual a todos nós – inclusive para nos deixar a lição que qualquer pessoa de carne e osso que tenha fé em Deus é capaz de superar as adversidades impostas pelo inimigo e conseguir a salvação. Assim, Deus escolheu Maria. Evidente que pelo mérito dela. Deus não escolheria qualquer uma para trazer o Seu filho ao mundo. Mas optou uma mulher também de carne e osso como todos nós. A partir do momento em que Jesus começou o seu ministério, era ele e o Pai. Só ele e o Pai. Uma decisão de Deus, e que quem tem fé Nele não discute. Prestem atenção a estas palavras de Jesus: “E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora (João 2:3-4). Percebam que, para quem não vive a fé na palavra de Deus, não entende que Jesus é, de fato, o único caminho para se chegar a Deus, as palavras soam ríspidas – sobretudo dirigidas à própria mãe. Todavia uma reflexão com o auxílio de outras passagens bíblicas joga luz no fato de Jesus ter uma missão dada por Deus, e somente Deus poderia colocar no seu coração o que fazer, como fazer e quando fazer. Aliás, a própria Maria, que nunca disse a ninguém que seria um caminho para Deus, ao menos não existe isso na Bíblia, testemunhou esta aliança Deus x Jesus. “Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser” (João 2:5). Portanto, está evidente que tanto Jesus quanto Maria, assim como todos nós, temos missões dadas por Deus. Missões distintas. A partir do momento em que se pauta a vida na obediência à palavra de Deus, na fé na Bíblia, deixando ensinamentos religiosos à parte (Bíblia é bíblia. Religião é religião), entende-se isso e a frase que serve de título para este texto claramente. Mas, como diz Jesus, quem tem ouvidos que ouça. Deus no comando.