quinta-feira, 29 de junho de 2017

Deus quer te restaurar em todo teu caminho.

“Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor,
Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade,
E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.”
Embora Paulo estivesse em cárcere domiciliar, tinha a firme convicção de que Deus estava controlando tudo o que lhe acontecia, ele sabia que o amor de Deus é absoluto e atinge cada aspecto de nossa vida.
Será que as circunstâncias o levam a imaginar que Deus perdeu o controle do que está acontecendo?
Não importa o que aconteça, Deus sempre está no controle de tudo. Ele é amplo, vai além de nossa experiência e alcança o mundo inteiro. O amor de Deus é extenso, cobre a duração de nossa vida. Ele é elevado, atinge as alturas de nossa celebração e exaltação. Seu amor é profundo, alcança as profundezas do desânimo, do desespero e até da morte.
Quando você se sentir aprisionado ou isolado, lembre-se de que nunca estará perdido para o amor de Deus. Perceba-o em todos os momentos e nos detalhes da vida.
Deus Te Abençoe!

terça-feira, 27 de junho de 2017

Estudo Bíblico do Livro de Neemias – Uma Visão Panorâmica
A paz do Senhor amados, o estudo bíblicosobre o livro de Neemias é uma contribuição da irmã Silvania Soares que trabalha comigo no Clube de Pregadores, escola online que foi criada para quem deseja aprender a pregar a palavra de Deus. Este material certamente vai contribuir para com seu ministério, em seus ensinamentos e pregações.
Texto de referência inicial.
As palavras de Neemias, filho de Hacalias. E sucedeu no mês de Quislev, no ano vigésimo, estando eu em Susã, a fortaleza, Que veio Hanani, um de meus irmãos, ele e alguns de Judá; e perguntei-lhes pelos judeus que escaparam, e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém. E disseram-me: Os restantes, que ficaram do cativeiro, lá na província estão em grande miséria e desprezo; e o muro de Jerusalém fendido e as suas portas queimadas a fogo. E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus. E disse: Ah! Senhor Deus dos céus, Deus grande e terrível! Que guarda a aliança e a benignidade para com aqueles que o amam e guardam os seus mandamentos; Estejam, pois, atentos os teus ouvidos e os teus olhos abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; também eu e a casa de meu pai temos pecado. Neemias 1:1-6

Estudo Bíblico do Livro de Neemias

“Sob a direção de Deus tarefas impossíveis poderão ser realizadas”
Introdução:
O livro de Neemias registra a restauração de Jerusalém sob a liderança de Neemias, este livro nos deixa claro que Deus não restaurou seu povo apenas em uma ocasião; antes Ele o fez repetida e continuamente. O livro de Neemias nos ensina à Planejar nosso trabalho, organizar o tempo e os recursos, integrar nossa tarefa com a tarefa de outros, avaliar os resultados.
Neste estudo, em particular destacaremos os aspectos biográficos de Neemias. Estudaremos também a crise que o levou a interceder diante de Deus por seu povo e a agir, ousada e sabiamente, a fim de restaura-lo espiritual e moralmente.
Crise em Jerusalém
Por causa da sua deliberada desobediência ao senhor, o reino do Norte, composto por dez tribos, foi destruído pela assíria que, para humilhar ainda mais os filhos de Israel, levo-os cativos a mesopotâmia. Isso aconteceu por volta de 722 a.c. Em 586 a.c., foi a vez do reino do sul. Veio Nabucodonosor contra Jerusalém, deitou por terra o santo templo e derribou os muros da cidade santa. Em seguida, levou os filhos de Judá cativos a babilônia, onde permaneceriam durante setenta anos (Jr 25:11). “E toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto, e estas nações servirão ao rei da Babilônia setenta anos. ”
Com a ascensão do império medo-persa no ano 536 a.C., o rei Ciro, instigado por Deus, permite que um grupo de judeus retorne a Jerusalém, a fim de construir os muros da cidade e reerguer o santo templo (Dn 8:3; Ed 1:1,2).
“ No primeiro ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, a fim de que se cumprisse a palavra do Senhor falada por Jeremias, o Senhor despertou o coração de Ciro, rei da Pérsia, para redigir uma proclamação e divulgá-la em todo o seu reino, nestes termos:
“Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, o Deus dos céus, deu-me todos os reinos da terra e designou-me para construir um templo para ele em Jerusalém de Judá.  (Ed 1: 1,2) ”
O senhor Deus do céu. Após a destruição de Jerusalém, Deus era mais identificado como aquele que habitava entre os querubins (1 Sm 4:4; 2Sm 6:2) do que com o templo. No entanto a frase senhor, Deus do céu indica que o altíssimo não é mais um, mas o Deus, ou seja, que apenas Ele é Deus. O fato de Ciro ter usado está designação para o senhor sugere que ele era assistido por conselheiro judeus. [Ciro disse: ] Ele [Deus] me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém. Mais de 100 anos antes de Ciro emitir este decreto, Isaias profetizou que este rei daria tal ordem (Is 44:28; 45:1).
O senhor sempre dá um escape aos seus servos, quando estes o honram e lhe obedecem a palavra. Observemos que Ciro era um rei gentio. Isso nos mostra que Deus, para cumprir o seu propósito, usa a quem Ele quer e como quer.
*O livro de Esdras tem início em 538 a.C.
48 anos depois de Nabucodonosor destruir Jerusalém, derrota o reino de Judá, e levar os judeus para a babilônia como escravos. (2 Rs 25).
Nabucodonosor morre em 562 a.C. e os seus sucessores não foram fortes o suficiente; a babilônia é conquistada pela Pérsia.
Tanto babilônios quanto persas tinham uma política em relação aos seus cativos, permitiam que seus cativos possuíssem terras e casas e desempenhassem trabalhos comuns.
Muitos judeus como Daniel, Ester e Mardoqueu foram elevados a posição destacada na nação. Só que o rei Ciro foi muito mais além, ele permitiu que muitos grupos de exilado incluindo os judeus retornasse a sua pátria.
O rei Ciro unificou os Medos e os Peças em um forte império enquanto ele conquistava as cidades tratava os habitantes com bondade. Isaias já havia profetizado sobre Ciro (Is 44:28).
Sob a proteção de Ciro, uma primeira leva de 42.360 judeus, sob a liderança de zorobabel, retorna a Jerusalém, para reconstruir a cidade e a casa de Deus (2 Cr 36:22,23; Jr 29:10). No Êxodo, a população de Israel era, de acordo com alguns cálculos de aproximadamente três milhões de pessoas. Mas esse número foi decrescendo a proporção que o povo se rebelava contra Deus. A desobediência é pecado e todo pecado traz irreparáveis consequências. Por isso, deve o crente afastar-se da iniquidade e de tudo que lhe possa prejudicar a comunhão com o senhor.
Zorobabel começou a construção pelo altar (Ed 3:2,3). Se este acha-se em ruinas nada prospera no meio do povo de Deus.
Logo após zorobabel ter iniciado a construção surgiram alguns problemas; alguns anciões se lembraram do glorioso templo de Salomão e ficaram tristes pelo fato de este templo ser menor e menos glorioso. Além disso alguns inimigos Judeus tentaram se infiltrar na execução do trabalho, e deter a construção através de pressões políticas. O medo fez com que o trabalho fosse interrompido, as pessoas voltaram para suas casas e 16 anos se passaram. Os inimigos levantaram-se e denunciaram a construção
Da cidade ao rei medo-persa que na ocasião era Artaxerxes filho de Assuero.
Não sabemos o que Zorobabel fez durante esses 16 anos. Mas como muito de nós Zorobabel sabia como começar bem, mas achava que seria difícil continuar. Zorobabel deixou o desanimo levar vantagens sobre ele.
Então Deus envia dois profetas para encoraja-los Ageu e Zacarias.
Mas com a subida de Dario ao trono, a obra foi retomada e concluída (Ed 6). O santo templo foi reinaugurado em 516 a.C. (Ed 6:13-22).
O chamado de Neemias
Catorze anos depois da expedição de Esdras a Jerusalém, em 444 a. C., Neemias recebe urgentes e preocupantes notícias de Jerusalém. Apesar de o santo templo já está funcionando conforme as leis levíticas, a cidade encontrava-se ainda abandonada (Ed 6:14-16; Ne 1:1,2). Ele então sente o chamado de Deus para deixar o conforto do palaciano e viajar para Israel, a fim de reconstruir os muros da cidade Santa que se achavam fendidos “e as suas portas, queimadas a fogo” (Ne 1:3).
Se observarmos bem temos uma grande lição: Templo sem muro é igreja sem doutrina, e as portas queimadas representam o liberalismo que, infelizmente, predomina em muitas igrejas, facilitando a entrada de costumes mundanos entre os santos. Que jamais venhamos a abandonar os padrões bíblico de santidade conduta e ética.
Ao chegar em Jerusalém após três mêses de jornada, ele viu o templo pronto, mas encontrou um grupo de pessoas desorganizadas, e uma cidade indefesa, sem muros para protegê-la.
Antes do exilo, Israel possuía seu próprio idioma, rei, exército e identidade. No momento a maior carência dos judeus era de liderança.
O primeiro passo para qualquer empreendimento é orar
“Assentei-me e orei” (Ne 1:4)
Ao tomar conhecimento da situação de seu povo, em Jerusalém, Neemias sentiu-se incomodado e pôs-se a orar ao senhor. Sua oração regada com abundantes lágrimas e acompanhada de jejum, lamentos, adoração e confissão, é um exemplo de como um homem de Deus deve proceder em tempos de crise (Ne 1:5-10). Ele fez o que o senhor ordenou em 2 Crônicas 7:14. Neemias orou durante quatro meses antes de se dirigir ao rei (1:1 e 2:1). A oração é a chave que nos abre as portas do céu. Neemias não confiava em sua capacidade ou habilidade diplomática. Sua confiança estava no todo poderoso que ouve e responde as nossas orações.
“E disse: Ah! Senhor, Deus dos céus, Deus grande e terrível, que guardas o conserto e a benignidade para com aqueles mandamentos! ” (Ne 1:5). Neemias não iniciou sua oração, pedindo; iniciou-a, adorando a Deus. Antes de pedir, de suplicar, o crente deve adorar e exaltar o nome santo do senhor.
Liderando na crise
Neemias se destacava-se por um elevado senso de organização, humildade e coragem. Era um líder completo.
Ao chegar em Jerusalém ele procurou agir com cuidado e prudência, não revelou a ninguém o proposito que Deus lhe havia posto no coração. Neemias sabia em quem confiar.
Um líder corajoso
Neemias entristeceu-se ao tomar conhecimento do lamentável estado em que se achava Jerusalém. Artaxerxes percebeu que havia algo errado com o seu copeiro, pois não podia demostrar contrariedade diante do rei. Neemias arriscando-se perigosamente, com muita coragem e ousadia contou ao rei o motivo de seu abatimento.
Pediu permissão para ajudar seu povo, solicitou cartas que lhe dessem salvo-conduto e lhe propiciasse o patrocínio da restauração de Jerusalém. A coragem a ousadia de Neemias vinha da confiança que ele tinha depositado em Deus.
Um líder prudente
Neemias quando chegou em Jerusalém, agiu com prudência.
Como não queria chamar a atenção dos inimigos, observou durante vários dias o estado em que se encontravam os muros e as portas da cidade sempre a noite. A ninguém contou a respeito dos seus planos; no momento oportuno foi revelado o que Deus havia posto no seu coração. O verdadeiro líder fala e age na hora certa.
Um líder que sabia lidar com a oposição
Sambalate e tobias não queria o bem dos filhos de Israel (Ne 2:10)
Sambalate era o governador de Samaria, Tobias era provavelmente o governador da transjordânia sob o governo dos persas.
Porque estes oficiais do governo estavam tão preocupados com a chegada de Neemias e seu pequeno grupo de exilado?
  • Quando Zorobabel retornou pela primeira vez com seu grupo, recusou-se em aceitar ajuda dos Samaritanos. Isso produzi-o maus relacionamentos.
  • Neemias não era um exilado qualquer ele era copeiro e conselheiro do rei, ele chegou a Jerusalém com a aprovação do rei para construir e fortalecer a cidade.
A reconstrução de Jerusalém era uma ameaça a autoridade dos oficiais Samaritanos. Porque eles estavam no controle da terra desde o exilo de Judá. Este era o terceiro grupo a retornar do exilo.
1-Zorobabel, 2-Esdras, 3-Neemias
Cada grupo que retornava a Jerusalém, crescia o número de pessoas na cidade santa, isso enfurecia a Sambalate e Tobias, eles não queriam que os exilados tomassem o controle da terra.
Ameaçando assim a posição confortável e segura de Neemias.
Por isso tentavam paralisar a construção dos muros de Jerusalém. Sambalate e tobias rotularam a reconstrução dos muros como uma rebelião contra o rei, ameaçaram denunciar os construtores como traidores. Eles também ridicularizavam Neemias, dizendo que os muros jamais poderiam ser reconstruídos, porque os danos eram grandes.
Neemias não disse que já tinha a permissão do rei para construir em vez disso, disse apenas que tinha a aprovação de Deus, que era suficiente.
Obreiro de Deus não perca tempo, discutindo com um adversário dedique-se fielmente ao seu ministério.
Neemias motiva seus liderados
“Todo líder verdadeiro é um mestre da motivação”
Neemias soube como motivar seus liderados, levando-os a se comprometerem de tal forma que o “coração do povo se inclina a trabalhar” (Ne 4:6)
Ele fez com que todos se sentissem importantes na realização de suas tarefas.
Neemias estabelece parcerias
Neemias tinha consciência de que, sozinho não poderia cumprir a sua missão. Por isso estabeleceu parcerias,
Neemias não ficava só mandando, mas participou ativamente dos trabalhos” levantemo-nos e edifiquemos” (Ne 2:18)
Líder não é o que manda, mas o que comanda;
Líder não é o que ordena: “Façam”, mas o que motiva: “Façamos”
Um líder sozinho, não tem como completar sua missão, ele precisa de colaboradores.
Neemias zela pela organização
Neemias tinha um grande senso de organização, sua estratégia permitiu que todas as partes do muro fossem edificada simultaneamente.
Possibilitou uma maior unidade, pois todos foram envolvidos no trabalho: sacerdotes, levitas, serventes e o povo, até as mulheres deram a sua contribuição (Ne 3:1-12).
Porque os judeus se renderam a liderança de Neemias?
Porque liderança se faz com exemplo e Neemias era um grande e admirável exemplo para o seu povo.
Segundo estudiosos o muro tinha 2 quilômetros, 1 metro de largura, 6 metros de altura.
Não é fácil ser líder em tempos de crise, principalmente quando se tem que enfrentar adversários com o espirito de Sambalate e Tobias
No entanto quando o homem de Deus está no centro da sua vontade, o senhor permanece ao seu lado.





DEZ PASSOS PARA O CRISTÃO EVANGELIZAR

Evangelizar sempre foi e sempre será uma prioridade nos planos de Deus para os seus servos.

Desde o livro de Gênesis até o apocalipse, encontramos inúmeras vezes lições de homens e mulheres transmitindo a mensagem de Deus para a conversão de outros semelhantes seus.

Quando Deus planejou o resgate do homem caído, Ele o fez como alvo central da sua vontade e é exatamente isso o GRANDE PLANO de Deus, seu maior anseio, o máximo de todo seu projeto da criação humana, ou seja, o resgate e a conversão daquele que está perdido, e isso só é possível através da mensagem salvadora do evangelho, através do evangelismo transmitido pelos salvos em Cristo.

Enquanto o evangelismo é prioridade para Deus, esse mesmo evangelismo é a obra que o diabo mais detesta. Por quê? Porque é exatamente através da mensagem pregada que o ser humano é transportado do reino das trevas para o reino da luz, e ele, o diabo, perde seus escravos seguidores. Devido a esse fator que a evangelização é o alvo central que o inimigo quer destruir, ele lutará com todas as forças para que a igreja e os crentes parem de evangelizar, esfriem na transmissão da salvação. Isso é muito sério, pense e reflita.

Por outro lado, vemos que, em toda a historia da igreja, até os nossos dias, evangelizar sempre foi a tarefa de poucos, talvez 90% dos nossos crentes nunca experimentaram o gozo de ver uma alma salva, nunca evangelizaram seus familiares, colegas, vizinhos etc.

É impressionante, mas muitos Seminaristas que estão preparando-se nos Seminários Teológicos das cidades, nunca evangelizaram ninguém.

Outros ainda acham que evangelizar é só para pessoas formadas, como pastores, missionários, evangelistas, etc.

Observamos que essa idéia já está mudando e muitos cristãos "comuns", leigos, estão despertando e entendendo o seu papel no corpo de Cristo, ou seja, frutificar para gloria de Deus.

Todos os salvos de verdade tem a missão de evangelizar onde vivem, essa é a tarefa prioritária para um servo de Deus.

Dentro desse despertamento, encontra-se um grande problema, muitos estão querendo evangelizar dentro dos seus lares, na sua profissão, na escola e em todo seu campo de ação, mas sentem-se incapacitados, sem conteúdo bíblico, sem uma orientação lógica, sistemática e com pouco preparo para enfrentar as terríveis heresias que estão se espalhando por todos os lugares.

Por isso, pedimos toda a atenção para os 10 passos que se seguem.

PASSO I - Conhecer a Palavra de Deus
Como pode uma pessoa falar a respeito do que não conhece?
Como contra argumentar uma tese sem base para isso?
Para que você possa falar de alguma coisa para alguém é necessário que antes você saiba um mínimo possível a respeito do que irá falar.
Pode um professor dar aula sem conhecer o assunto?
II Tim. 2:15 ? "Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade".
II Tim. 3:16.17 ? "Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra".

PASSO II - Confiar na Palavra de Deus
É questão de ética que todo e qualquer homem defenda as questões nas quais acredita. Não posso anunciar uma coisa na qual eu não acredito. Não posso dizer que Deus fará determinado milagre se não creio que Ele realmente pode fazer.
Só devo anunciar a mensagem de salvação de Cristo se realmente acredito que a tenho. Isaías 55:11 "Assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei".

PASSO III - Obedecer a Palavra de Deus
Já vimos que é necessário conhecer e confiar na Palavra de Deus, porém o mais importante é obedecer a Palavra de Deus. Na epistola de Tiago 1:22 diz: "E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos."
É claro para nós que devemos obedecer aos mandamentos de Deus, cabe a nós assim cumpri-los. Josué 1: 8 "Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido".

PASSO IV - Perseverar em plantar
A perseverança deve ser uma marca em todo crente. Mateus 24:13 diz que .."aquele que perseverar até o fim será salvo".
Cristo disse na parábola dos dois servos Mateus 24:46 que "bem aventurado é aquele que for encontrado trabalhando quando Ele voltar".
Eclesiastes 11:4-6 "Quem observa o vento, não semeará, e o que atenta para as nuvens não segará. Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da que está grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas. Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retenhas a tua mão; pois tu não sabes qual das duas prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão, igualmente boas".

PASSO V - Ter fé
Não podemos fazer nada sem ter fé.
Hebreus 10:38 diz que o "...justo viverá da fé", Hebreus 11:6 diz que "sem fé é impossível agradar a Deus".
Somos justificados pela graça de Deus e pela redenção em Cristo Jesus Romanos 3:24, portanto devemos viver pela fé.
Quando evangelizamos é porque queremos agradar a Deus, só que sem fé é impossível agradar a Deus.
Hebreus 11:1 diz que "...a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem".
Se evangelizamos com a esperança de ver uma mais alma entrar no Reino de Deus, devemos colocar a fé como nosso fundamento. E pela fé podemos ver a nossa esperança se tornar em realidade.

PASSO VI ? Orar
I Tessalonicenses 5:17 diz que devemos orar sem cessar.
Há quem diga que "Evangelismo é falar mais com Deus a respeito dos homens do que com os homens a respeito de Deus".
Sabemos que a oração é uma de nossas armas contra o diabo, e Evangelismo é luta espiritual, Deus quer e o diabo não. Devemos pegar essa arma e usá-la, se quisermos vencer.
Temos como exemplo os apóstolos.
Eles se reuniam todos os dias para orar.
Atos 1:14 "Todos estes perseveravam unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele".

PASSO VII - Ser cheio do Espírito Santo
É sabido por todos que devemos andar de acordo com o Espírito Santo.
A primeira obra evangelística da igreja Primitiva está em Atos 2:14-47, isso foi logo após a descida do Espírito Santo no dia de Pentecostes.
De acordo com Atos 1:8 é o poder do Espírito Santo que nos faz pregar da maneira que Deus quer: "Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra".

PASSO VIII - Se purificar
A purificação sempre foi exigida por Deus, desde o Antigo Testamento, aonde era ordenado que o sacerdote se purificasse antes de entrar na presença de Deus.
Em Levítico 11:44 Deus diz que devemos "...ser santos porque Ele é Santo". II Tim: 2:21 "Se, pois, alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra".

PASSO IX ? Pregar
No livro de Atos podemos observar que antes de qualquer conversão havia uma pregação - Atos 2:14-47.
Cristo disse em Lucas 19:40 que se nós nos calarmos as pedras clamarão. Não podemos cessar de pregar as Boas Novas de Cristo. Se não pregarmos como as pessoas podem conhecer a Deus? Romanos 10: 14
Como pois invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão, se não há quem pregue?

PASSO X ? Persuadir
É comum vermos as pessoas falarem que devemos insistir para que uma pessoa se converta, isso é verdade, porém não quer dizer que não devemos tentar convencê-las, persuadi-las.
Persuadir significa levar alguém a crer.
Persuadir é você conversar com essa pessoa com o objetivo de convencê-la a aceitar o que você diz.
Em Atos 13:43 o apóstolo Paulo exortava, ou seja, persuadia, Judeus e prosélitos a perseverarem na graça de Deus.
Em Atos 18:4 a Bíblia diz que Paulo discutia todos os sábados na sinagoga, e persuadia a judeus e gregos.
Paulo chegava a ponto de discutir para convencer as pessoas, há ainda versões que trazem disputar no lugar de discutir.
Paulo verdadeiramente tomou o Evangelismo como uma luta para si.
Paulo chegou a evangelizar o rei Agripa e foi ousado a ponto de dizê-lo que queria que todos se tornassem Cristãos como ele era (Atos 26:27-29). 




sexta-feira, 23 de junho de 2017





Balaão e a Jumenta que Falou – Números Deus havia ordenado aos israelitas para que não molestassem os moabitas, dado serem descendentes de Ló.
Ou os moabitas não conheciam esta ordem, ou não confiavam em Deus e na sua ordem, ou então tencionavam o mal para os israelitas independentemente de qualquer ordem de Deus em benefício deles.
O 22º capítulo de Números nos dá conta que quando o povo de Deus acampou na planícies de Moabe, do lado leste do Jordão, isto é, do outro lado de Canaã, na altura de Jericó, vendo Balaque, rei dos moabitas tudo que Israel fizera aos amorreus, teve grande medo deles, e disse aos anciãos de Midiã que todos seriam destruídos pelos israelitas (Nm 22.1-4).
Assim, mandou chamar Balaão para amaldiçoar os israelitas, de modo que pudesse prevalecer na guerra contra eles, pois conhecia a fama de Balaão no sentido que quem fosse abençoado por ele era abençoado, e quem fosse amaldiçoado era amaldiçoado (Nm 22.6).    
Então foram os anciãos de Moabe e de Midiã com o dinheiro para ser pago a Balaão e lhe disseram o que havia pedido Balaque.
Balaão lhes pediu que passassem a noite naquele lugar para que lhes desse a resposta que o Senhor lhe falasse.  
Deus veio a Balaão e lhe disse que não fosse com eles para amaldiçoar o povo, porque era povo bendito (v. 12).
Em face disto, Balaão pediu aos anciãos de Moabe e Midiã que voltassem para a sua terra em razão da resposta que recebera de Deus (v. 13).
Até aqui as Escrituras não falam sobre os reais sentimentos de Balaão, mas por tudo que elas nos dão conta acerca dele em outras passagens, é bem provável, que desde o início tenha lamentado a oportunidade de lançar mão do pagamento que receberia caso amaldiçoasse os israelitas.
Para que o seu coração fosse colocado à prova, quanto à sua cobiça, quando os príncipes de Balaque retornaram a ele, em maior número e mais honrados e com uma recompensa maior, Balaão desconversou dizendo que ainda que lhe dessem uma casa cheia de ouro, não poderia ir além da ordem do Senhor (v.13-18), mas não parou por aí, pois já sabendo qual era a resposta de Deus, ele arriscou que poderia haver uma mudança de opinião do Senhor, porque afinal a recompensa era muito grande, e maior ainda era a cobiça do seu coração.
Por isso pediu que aqueles príncipes aguardassem porque consultaria de novo ao Senhor.
Que grande desonra para o caráter de Deus estava sendo a atitude deste profeta interesseiro.
Ele amou o prêmio da injustiça e atribuiu injustiça a Deus (II Pe 2.15; Apo 2.14).
Segundo ele, quem sabe o Senhor não daria um jeitinho, para tornar as coisas favoráveis para o seu lado?
Estamos diante de um caso de corrupção no ofício profético, que considerou a possibilidade de corrupção do próprio Deus.
O Senhor colocaria o espírito de Balaão em suspenso, de forma que cultivasse uma falsa esperança, e fosse vítima da sua própria cobiça, pois lhe ordenou que acompanhasse aqueles príncipes, mas que fizesse somente o que lhe fosse ordenado (v. 20).
Com isto as coisas continuavam em andamento, não foram interrompidas abruptamente as negociações, e Balaão pensava que de alguma forma tiraria alguma vantagem em tudo aquilo, ou da parte dos moabitas, ou dos israelitas.
Ele amava a paga e não a verdade, os seus interesses e não a vontade do Senhor. 
Logo de início, Deus mostrou a Balaão que estava sendo mais insensato do que um asno, porque foi repreendido pela sua própria jumenta, que pelo poder do Senhor, falou com ele repreendendo-o por sua insensatez em espancá-la por não prosseguir adiante, porque não o pudera fazer, porque se lhe opunha um anjo do Senhor.
A jumenta viu o anjo, mas Balaão não teve discernimento espiritual para percebê-lo por causa do endurecimento do seu coração (v. 21-30).
Foi somente depois disto que Deus abriu os olhos de Balaão para que visse o anjo parado no caminho, com a espada desembainhada, e tendo-o visto prostrou-se com o rosto em terra (v. 31).
O anjo lhe repreendeu por ter espancado a jumenta e disse que havia saído como seu adversário porque o seu caminho era perverso diante dele, e que na verdade o fato da jumenta ter-lhe desobedecido não seguindo adiante e se desviado, foi o fator que salvou a sua vida, porque se ela tivesse prosseguido adiante o anjo teria matado a Balaão (v. 32,33).
O astuto Balaão tentou enganar até o próprio anjo com um falso arrependimento, ao alegar que havia pecado e não sabia que o anjo estava no caminho para se opor a ele, e se lhe parecia mal aos seus olhos o fato de estar seguindo os príncipes moabitas, ele voltaria para o seu lugar (v.34).
Veja que ele profere com os lábios aquilo que não estava de fato no seu coração, e sabendo disto o anjo lhe ordena que prossiga cumprindo aquilo que lhe fora ordenado por Deus, isto é, que acompanhasse aqueles homens, mas que falasse somente a palavra que lhe fosse ordenada (v. 35).
Não somente Balaão pensou que a esperança de lucros havia retornado como o próprio Balaque, rei dos moabitas pode ter ficado esperançoso de que o Deus de Israel havia se voltado para o seu lado, porque ao que parecia Ele havia mudado de ideiapermitindo que agora Balaão viesse ao seu encontro, depois de tê-lo proibido, quando lhe enviou a primeira embaixada. 
Balaão, quando se encontrou com Balaque lhe declarou que não poderia falar senão a palavra que Deus pusesse na sua boca.
Ele não disse isto porque fosse zeloso da palavra do Senhor, mas porque temia o que poderia lhe suceder tendo sido repreendido do modo que fora pelo anjo que se lhe opusera no caminho e que advertira seriamente que deveria somente falar o que lhe fosse ordenado.
Ele estava numa condição realmente apertada sem saber afinal que palavra deveria falar, pois não conhecia de fato o caráter imutável e fiel de Deus, pois se o conhecesse,  saberia que Deus jamais mudaria o que lhe havia proferido desde o princípio, que ele tanto não deveria ir ao encontro de Balaque,quanto não poderia amaldiçoar Israel. 




“1 Depois os filhos de Israel partiram, e acamparam-se nas planícies de Moabe, além do Jordão, na altura de Jericó.
2 Ora, Balaque, filho de Zipor, viu tudo o que Israel fizera aos amorreus.
3 E Moabe tinha grande medo do povo, porque era muito; e Moabe andava angustiado por causa dos filhos de Israel.
4 Por isso disse aos anciãos de Midiã: Agora esta multidão lamberá tudo quanto houver ao redor de nós, como o boi lambe a erva do campo. Nesse tempo Balaque, filho de Zipor, era rei de Moabe.
5 Ele enviou mensageiros a Balaão, filho de Beor, a Petor, que está junto ao rio, à terra dos filhos do seu povo, a fim de chamá-lo, dizendo: Eis que saiu do Egito um povo, que cobre a face da terra e estaciona defronte de mim.
6 Vem pois agora, rogo-te, amaldiçoar-me este povo, pois mais poderoso é do que eu; porventura prevalecerei, de modo que o possa ferir e expulsar da terra; porque eu sei que será abençoado aquele a quem tu abençoares, e amaldiçoado aquele a quem tu amaldiçoares.
7 Foram-se, pois, os anciãos de Moabe e os anciãos de Midiã, com o preço dos encantamentos nas mãos e, chegando a Balaão, referiram-lhe as palavras de Balaque.
8 Ele lhes respondeu: Passai aqui esta noite, e vos trarei a resposta, como o Senhor me falar. Então os príncipes de Moabe ficaram com Balaão.
9 Então veio Deus a Balaão, e perguntou: Quem são estes homens que estão contigo?
10 Respondeu Balaão a Deus: Balaque, filho de Zipor, rei de Moabe, mos enviou, dizendo:
11 Eis que o povo que saiu do Egito cobre a face da terra; vem agora amaldiçoar-mo; porventura poderei pelejar contra ele e expulsá-lo.
12 E Deus disse a Balaão: Não irás com eles; não amaldiçoarás a este povo, porquanto é bendito.
13 Levantando-se Balaão pela manhã, disse aos príncipes de Balaque: Ide para a vossa terra, porque o Senhor recusa deixar-me ir convosco.
14 Levantaram-se, pois, os príncipes de Moabe, vieram a Balaque e disseram: Balaão recusou vir conosco.
15 Balaque, porém, tornou a enviar príncipes, em maior número e mais honrados do que aqueles.
16 Estes vieram a Balaão e lhe disseram: Assim diz Balaque, filho de Zipor: Rogo-te que não te demores em vir a mim,
17 porque grandemente te honrarei, e farei tudo o que me disseres; vem pois, rogo-te, amaldiçoar-me este povo.
18 Respondeu Balaão aos servos de Balaque: Ainda que Balaque me quisesse dar a sua casa cheia de prata e de ouro, eu não poderia ir além da ordem do Senhor meu Deus, para fazer coisa alguma, nem pequena nem grande.
19 Agora, pois, rogo-vos que fiqueis aqui ainda esta noite, para que eu saiba o que o Senhor me dirá mais.
20 Veio, pois, Deus a Balaão, de noite, e disse-lhe: Já que esses homens te vieram chamar, levanta-te, vai com eles; todavia, farás somente aquilo que eu te disser.
21 Então levantou-se Balaão pela manhã, albardou a sua jumenta, e partiu com os príncipes de Moabe.
22 A ira de Deus se acendeu, porque ele ia, e o anjo do Senhor pôs-se-lhe no caminho por adversário. Ora, ele ia montado na sua jumenta, tendo consigo os seus dois servos.
23 A jumenta viu o anjo do Senhor parado no caminho, com a sua espada desembainhada na mão e, desviando-se do caminho, meteu-se pelo campo; pelo que Balaão espancou a jumenta para fazê-la tornar ao caminho.
24 Mas o anjo do Senhor pôs-se numa vereda entre as vinhas, havendo uma sebe de um e de outro lado.
25 Vendo, pois, a jumenta o anjo do Senhor, coseu-se com a sebe, e apertou contra a sebe o pé de Balaão; pelo que ele tornou a espancá-la.
26 Então o anjo do Senhor passou mais adiante, e pôs-se num lugar estreito, onde não havia caminho para se desviar nem para a direita nem para a esquerda.
27 E, vendo a jumenta o anjo do Senhor, deitou-se debaixo de Balaão; e a ira de Balaão se acendeu, e ele espancou a jumenta com o bordão.
28 Nisso abriu o Senhor a boca da jumenta, a qual perguntou a Balaão: Que te fiz eu, para que me espancasses estas três vezes?
29 Respondeu Balaão à jumenta: Porque zombaste de mim; oxalá tivesse eu uma espada na mão, pois agora te mataria.
30 Tornou a jumenta a Balaão: Porventura não sou a tua jumenta, em que cavalgaste toda a tua vida até hoje? Porventura tem sido o meu costume fazer assim para contigo? E ele respondeu: Não.
31 Então o Senhor abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do Senhor parado no caminho, e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se com o rosto em terra.
32 Disse-lhe o anjo do senhor: Por que já três vezes espancaste a tua jumenta? Eis que eu te saí como adversário, porquanto o teu caminho é perverso diante de mim;
33 a jumenta, porém, me viu, e já três vezes se desviou de diante de mim; se ela não se tivesse desviado de mim, na verdade que eu te haveria matado, deixando a ela com vida.
34 Respondeu Balaão ao anjo do Senhor: pequei, porque não sabia que estavas parado no caminho para te opores a mim; e agora, se parece mal aos teus olhos, voltarei.
35 Tornou o anjo do Senhor a Balaão: Vai com os homens, somente a palavra que eu te disser é que falarás. Assim Balaão seguiu com os príncipes de Balaque:
36 Tendo, pois, Balaque ouvido que Balaão vinha chegando, saiu-lhe ao encontro até Ir-Moabe, cidade fronteira que está à margem do Arnom.
37 Perguntou Balaque a Balaão: Porventura não te enviei diligentemente mensageiros a chamar-te? por que não vieste a mim? não posso eu, na verdade, honrar-te?
38 Respondeu Balaão a Balaque: Eis que sou vindo a ti; porventura poderei eu agora, de mim mesmo, falar alguma coisa? A palavra que Deus puser na minha boca, essa falarei.
39 E Balaão foi com Balaque, e chegaram a Quiriate-Huzote.
40 Então Balaque ofereceu em sacrifício bois e ovelhas, e deles enviou a Balaão e aos príncipes que estavam com ele.
41 E sucedeu que, pela manhã, Balaque tomou a Balaão, e o levou aos altos de Baal, e viu ele dali a parte extrema do povo.” (Nm 22.1-41).


terça-feira, 13 de junho de 2017


LUZ OU TREVAS?

A paz seja convosco

Quero deixar aqui algumas palavras que vai de encorajar a ser e viver no centro da vontade de Deus.
Antes que ouvesse dia eu sou e não há que possa fazer alguém escapar das minhas mãos, operando eu quem impedirá? Isaias 43-13
Genesis nos capitulos primeiros, nós vamos encontar o que Deus preparou para nós, mais pelo homem o pecado entrou no mundo, e com o pecado as trevas, e o homem não se fortaleceu no SENHOR para vencer, mais deixou-se ser vencido pelas trevas, Deus em toda Bíblia está chamabdo o homem para perto dele em arrependimento dos seus pecados!
A Nação nossa decendencia, sofreu e sofre por desobediencia a Deus, pois o salario do pecado é a morte, mais o don graituto de Deus é a vida Eterna que está em Jesus Cristo. Romanso 6-23
vivemos hoje no tempo da graça, mais tudo que comerça tem um fim, e o fim está proximo, mais os homens o povo continua a desobedecer a Deus, vivendo em prostituição, roubos, enganos, mentiras, luxuria e vaidade, mais quando chegar a hora em que Jeus decerá do céu, tudo em que o homem está vivendo sem o consetimento de Deus lhe condenará, então será a morte eterna ( O FOGO DO INFERNO) em Jesus Deus nos dar a oportunidade de ser e viver uma vida de acordo com sua vontade, seriedade, mansidão, humildade, compaixão e amor uns para com os outros.
Chegará o dia em que todos irão prestar contas a Deus, Jesus estará lá para te confirmar ou te condenar, isso é você quem decide de como você quer viver aqui na terra, honrando ou desorando o templo de Deus que está em vós!
Ao final dessa mensagem tem uma palavra Bíblica para te encorajá a viver para Deus em Jesus Cristo, chamando o Espírito Santo para te guiar em espírito e em verdade.
Comerce meditando nessas passagens do Livro de Daniel.
Siga acompanhando o Capitulo 10 do mesmo livro

Leve sua mente a meditar ainda no capitulo 12
Essas palavras são de mim para você do livro de Galatas.
Observe algumas das Palavras de Jesus Cristo no livro de João

Veja algumas palavras que Jesus disse no livro de Mateus capitulo 5

Jesus tem palavras para te dar vida, mais é você quem decide se recebe ou não, veja o Livro de Apocalipse.

Não se perca, pois o que Deus preparou para nós é vida e vida no Céu!



Leia a Bíblia Sagrada, começando pelo livro de João, depois comece a ler a partir de Mateus a Apocalipse, depois de volte de Genesis a Apocalipse mais uma vez, não esqueça antes de ler faça primeiro sua oração, ao Pai, o Filho e O Espírito Santo.

Só em Jesus Cristo há vida e vida em Abundancia!
Quem crê e for Batizado será salvo.
              


                                                                                       Evangelista Manoel Moura-Terça Feira 13/06/2017





Postagem em destaque

VIVA SUA VIDA EM CRISTO