quarta-feira, 9 de agosto de 2017

A morte de Judas
Qual é a versão correta da morte de Judas Iscariote, que em Mateus 27,5 diz que “se enforcou” , enquanto que Lucas em Atos relata que ele “se jogou de um barranco e se partiu ao meio” (Atos 1,18). Podem-se conciliar as narrativas, ou os críticos tem razão ao supor que a Bíblia tem contradições
 Leia mais sobre Judas | Judas | Mateus
510


 A pergunta tem sua importância não só por que nos impele ao estudo e a pesquisa, mas também nos ajuda a entender a evolução do próprio escrito.
A pergunta inclui na pratica três respostas: a) qual versão é correta; b) pode se conciliar os dois textos; 3) os críticos teriam razão devido a estas contradições.
Penso incluir na resposta o esclarecimento e duvidas para as três perguntas.
Para analisar o texto deveríamos estudar a história da exegese do texto, pois desde a antiguidade os estudioso tentam dar a explicações, teríamos que passar pelo testemunho de Papias na antiguidade ou mesmo as harmonizações de Agostinho para os dois textos, ou os dicionários que descrevem o verbete “Judas”.

Judas se enforcou (Mateus 27,5) ou se jogou de um barranco e se partiu ao meio (Atos 1,18)?

Olhando os dois escritos vemos que existe uma diferença de tempo entre o que Mateus escreveu e o que Lucas nos Atos dos Apóstolos escreveu. Ambos escrevem para comunidades diferentes, Mateus escreve para Judeus de Jerusalém (Mateus aramaico 50 d. C e Mateus 60 d.C.) e numa distância pequena entre o acontecido e o escrito. Muitos dos que ouviam o evangelho de Mateus viveram aqueles fatos, presenciaram e participaram. Enquanto que Lucas, não foi discípulo de Jesus, acompanhou em particular a Paulo nas suas viagens e seus ouvintes. (evangelho de Lucas 70 (d.C.) não conheciam nem a Palestina, ou Jerusalém muito menos onde se localizava este campo Aceldama, chamado de “campo de sangue”.
Nota: Lucas não foi discípulo de Jesus. Ele nem chegou a conhecer Jesus, pois quando Lucas nasceu, Jesus já tinha morrido. Lucas era um médico grego e viveu na época do apóstolo Paulo.
Na compreensão dos fatos podemos dizer que o que Mateus descreve são os fatos reais do momento. Judas vendo que Jesus fora condenado se arrependeu e pegou as 30 moedas de prata e quis devolver aos sacerdotes, mas eles não receberam, então Judas atirou as moedas no templo e retirou-se para enforcar-se. Os chefes e sacerdotes compraram com este dinheiro “impróprio para o templo, dinheiro de sangue” um campo para sepultar os estrangeiros chamado “campo de sangue”, devido ao acontecido. (Conhecemos a rigidez da lei judaica para com os estrangeiros).
Atos dos Apóstolos escrito por Lucas aparece mais tarde simplesmente, não repete o fato, mas só narra as consequências em Atos 1,18 diz que:
“caindo de cabeça para baixo, arrebentou pelo meio e derramando-se todas as suas entranhas” (Atos 1,18) Bíblia de Jerusalém.
Portanto pode assim se entender: que Mateus trata do modo da tentativa de suicídio, e Atos dos Apóstolos por sua vez descreve o resultado. Lucas simplesmente narra o acontecimento depois do fato acontecido, o suicídio. Pelo visto, Judas atou uma corda ao galho duma árvore, e tentou enforcar-se por pular dum penhasco. (E uma explicação razoável e compreensível, a Aceldema localiza num penhasco rochoso, perto de Jerusalém ao lado da “Geena”, onde se levava toda a imundice da cidade e da limpeza dos animais para os sacrifícios). Parece que a corda ou o galho da árvore se rompeu, de modo que ele despencou de cabeça para baixo e se rebentou nas rochas embaixo. (Jerusalém por estar junto ao deserto da Judeia, e dos vários cercos que sofreu, praticamente não possuía árvores de porte, e a árvore escolhida por Judas, não aguentou e quebrou). A topografia em volta de Jerusalém torna esta conclusão razoável.
Outros autores entendem da mesma forma a passagem de Atos 1,18 como o resultado do acontecimento.
É possível que, “se precipitando de cabeça para baixo” fosse um termo médico para “inchação”. (ou também possível que o cadáver tenha inchado, arqueado a cabeça e pelo calor caído por terra arrebentando-se conforme Milligan em O Vocabulá rio do Testamento Grego, pg. 535-536). Para uma boa discussão das diferentes versões da morte de Judas (Mateus 27,5 x Atos 1,18) Hard Sayings of the Bible, pg. 511-512.



Nenhum comentário:

Postagem em destaque

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Poucas palavras na Bíblia são tão claras, mas ao mesmo desobedecidas justamente por pessoas que afirmam ser cristãs, como a que ensina que a única possibilidade de chegarmos a Deus é por meio do Seu filho Jesus Cristo. Única. E olha que a Bíblia traz isso na boca do próprio Jesus. Lembremos o que está em João 14:6: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, se não por mim.” Há quem leia a passagem, a ache correta, concorde, proclame que faz justamente isso na sua vida por ser cristão, mas quando indagado por sua fé em outros personagens bíblicos afirmam que pedem para que estes “intercedam” por ele para chegar a Deus. Sem noção do que diz a palavra de Deus, acham que não estão desobedecendo e, portanto, não estão fazendo nada errado. Ledo engano. Salientando que não se quer aqui atacar ou diminuir a missão dada por Deus a Maria, a mãe de Jesus, ou a nenhum personagem bíblico, a frase citada entre aspas deve ser de longe o maior exemplo de quando uma pessoa diz ser fiel à palavra de Deus, mas a distorce completamente. Percebam que, ao usar a expressão “o caminho”, Jesus não deixou o ensinamento de que devemos ter quem interceda por nós. Ele diz claramente que está nos dando um presente maravilhoso: pela nossa fé chegarmos ao Pai pelo único caminho que é ele, Jesus. Ponto final. A gramática nos ajuda a entender a frase. Se Jesus tivesse dito “um caminho” e não “o caminho”, aí, sim, poderíamos ter opções. Perceba, internauta, que há mais de um caminho para se chegar à praia, ao centro… Mas imagine, por exemplo, um apartamento no 10º andar com apenas uma porta. Será que esta porta é o caminho para o elevador ou um caminho? Alguém arriscaria pular a janela para chegar ao elevador ou só restaria uma única possibilidade: a porta? Para chegarmos a Deus, Jesus é essa única porta. Qualquer outro caminho representa o perigo da janela. E note-se que a Bíblica é didática. Não há passagem nenhuma falando em usar outro caminho para se chegar a Deus, exceto Jesus. Os que usam Maria, por exemplo, o fazem por conta própria. Não tem respaldo bíblico. Percebam que isso não sonega, como por ignorância teológica alguns acreditam, o importante papel que Deus reservou a Maria. A Bíblia, em João 1:1, diz que “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” Mais adiante um pouquinho, no mesmo livro, lê-se: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João 1:14). Ou seja, está cristalino que Jesus veio à terra para cumprir a missão de salvar a humanidade das garras de satanás. E no plano de Deus para o verbo se fazer carne era preciso nascer igual a todos nós – inclusive para nos deixar a lição que qualquer pessoa de carne e osso que tenha fé em Deus é capaz de superar as adversidades impostas pelo inimigo e conseguir a salvação. Assim, Deus escolheu Maria. Evidente que pelo mérito dela. Deus não escolheria qualquer uma para trazer o Seu filho ao mundo. Mas optou uma mulher também de carne e osso como todos nós. A partir do momento em que Jesus começou o seu ministério, era ele e o Pai. Só ele e o Pai. Uma decisão de Deus, e que quem tem fé Nele não discute. Prestem atenção a estas palavras de Jesus: “E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora (João 2:3-4). Percebam que, para quem não vive a fé na palavra de Deus, não entende que Jesus é, de fato, o único caminho para se chegar a Deus, as palavras soam ríspidas – sobretudo dirigidas à própria mãe. Todavia uma reflexão com o auxílio de outras passagens bíblicas joga luz no fato de Jesus ter uma missão dada por Deus, e somente Deus poderia colocar no seu coração o que fazer, como fazer e quando fazer. Aliás, a própria Maria, que nunca disse a ninguém que seria um caminho para Deus, ao menos não existe isso na Bíblia, testemunhou esta aliança Deus x Jesus. “Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser” (João 2:5). Portanto, está evidente que tanto Jesus quanto Maria, assim como todos nós, temos missões dadas por Deus. Missões distintas. A partir do momento em que se pauta a vida na obediência à palavra de Deus, na fé na Bíblia, deixando ensinamentos religiosos à parte (Bíblia é bíblia. Religião é religião), entende-se isso e a frase que serve de título para este texto claramente. Mas, como diz Jesus, quem tem ouvidos que ouça. Deus no comando.