domingo, 1 de outubro de 2017

Missões nosso Dever!

Se você não sabe, não ontem de o que é Missões, vamos estudar profundo nesse Estudo Amém
A palavra “MISSÃO” vem do verbo latim Mito, que significa ENVIAR. No Novo Testamento, esta palavra vem do grego APOSTOLO, que tem o mesmo significado em sua essência. No entanto, este termo “MISSÃO/MISSÕES” só chamou a atenção da igreja Cristã a partir do século XVI período este quando a reforma protestante começou a investir na obra da evangelização mundial. Quando falamos de MISSÃO e MISSÕES, o conceito que todos têm é que não passam de duas palavras sinônimas, diferentes só porque uma é singular e a outra é plural. Só que pelo raciocínio missiológico estas palavras são distintas e tem conceitos bem distintos, apesar de serem bastante ligadas uma com a outra. Veja agora seus conceitos: MISSÃO – trata-se do desígnio bíblico, completo da Igreja de Jesus Cristo. Este é um termo vasto que inclui o ministério voltado para cima, para dentro e para fora da IGREJA. É A igreja enviada (PEREGRINA, ESTRANGEIRA, TESTEMUNHA, PROFETICA, SERVA, COMO SAL E LUZ E ETC...), neste mundo. Já MISSÕES pode ser definido como um termo específico e especializado. Refere-se ao envio de pessoas autorizadas para áreas além das fronteiras da Igreja do Novo Testamento e sua imediata influência cristã para proclamar o Evangelho de Jesus Cristo em áreas destituídas deste, com objetivo de levar o Evangelho de Cristo para alcançar aqueles que não têm Cristo, estabelecendo o funcionamento e multiplicação de trabalhos missionários locais que irão cultivar o CRISTIANISMO neste país.
Segundo o professor Rui de Souza Josgrilberg, no livro Nós e a Missão, “A missão é a razão principal da existência da comunidade de fé... Tudo o que se faz na comunidade é feito em função da Missão.” Neste sentido, toda a ação da Igreja, seus planejamentos e objetivos devem girar em torno da missão. O que implica em dizer que fazer missões é ser enviado; "Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio a vós" (João 20:21). Primeiramente ao mundo. Johannes Blauw, em a Natureza Missionária da Igreja, diz que "Não há outra Igreja, que não a Igreja enviada ao mundo". Fomos enviados para que nos identifiquemos com outras pessoas, pois de fato o que Jesus fez foi se identificar conosco assumindo nossos pecados, experimentando nossa fraqueza, sendo tentado e morrendo a nossa morte. Em segundo lugar, se compreendermos a missão de Jesus corretamente, vamos descobrir que ele veio ao mundo também com a missão de servir. Charles Van Engen ao citar Dietrich Bonhoeffer diz, "a Igreja existe para a humanidade no sentido de ser o corpo espiritual de Cristo e - a semelhança de Jesus - é enviada como serva". Marcos 10:45 diz que "o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos". A nossa missão como a dele deve ser uma missão de serviço. É a tarefa primordial de todo cristão. É o cumprimento da grande comissão dada por Jesus Cristo em Mateus 28.19-20a, “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.”
Estamos vivendo em um mundo em constante crescimento cientifico e populacional; proliferação de seitas: levando a muitos a destruição espiritual; uma das causas principais é o aumento do ateísmo, misticismo; movimentos estes que cauterizaram a espiritualidade do homem, que não reconhecem mais os seus pecados e, levando assim muitos ao Egocentrismo desprezando assim um Deus Criador e Salvador. Tudo isso é o reflexo de uma humanidade em decadência espiritual e sem Cristo. Diante do quadro em que se encontra a sociedade atual não feche os olhos para a realidade, olhando aqueles que estão à margem da sociedade com desprezo e desdém, mas procure ouvir o sussurro de bilhões de pessoas que não ouviram falar de Cristo pelos quatro cantos da terra! Procure sentir na pele o “GEMIDO” das almas desesperadas sem ter a certeza da salvação e da vida eterna. Na Igreja primitiva Jesus escolhe e capacita 12 homens imperfeitos para torná-los em pescadores de homens. Certa vez Thomas de Aquino disse: “Deus capacita os incapacitados.” É Deus quem nos chama, é Ele quem aperfeiçoa os nossos dons e é Ele quem nos envia. Na história bíblica Deus usou homens de diferentes classes sócias e intelectuais para o exercício do ministério. Deus usou cobradores de impostos, carpinteiro, médico, boiadeiro, pescadores, construtor de tendas e Reis. A pessoa certa, no lugar certo, pelas razões certas faz toda a diferença no trabalho missionário. Jesus exerceu uma liderança forte e carismática, onde ele passava deixava marcas. Jesus contagiava as pessoas com a sua compaixão, amor pelas vidas, fé, esperança e milagres. Que marcas você tem deixado na sociedade? Mas o amor pelas vidas foi o que moveu a JESUS a liderar. Jesus deixou a sua glória e majestade de lado para ser um missionário em nosso meio. Segundo David Levingstone, “Deus só teve um filho e fez dele um missionário.” E você, que ser um missionário? Precisamos ter a convicção de que Todo coração sem Cristo é um campo missionário! O que você tem feito por missões?
Pense nisto...

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” Poucas palavras na Bíblia são tão claras, mas ao mesmo desobedecidas justamente por pessoas que afirmam ser cristãs, como a que ensina que a única possibilidade de chegarmos a Deus é por meio do Seu filho Jesus Cristo. Única. E olha que a Bíblia traz isso na boca do próprio Jesus. Lembremos o que está em João 14:6: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, se não por mim.” Há quem leia a passagem, a ache correta, concorde, proclame que faz justamente isso na sua vida por ser cristão, mas quando indagado por sua fé em outros personagens bíblicos afirmam que pedem para que estes “intercedam” por ele para chegar a Deus. Sem noção do que diz a palavra de Deus, acham que não estão desobedecendo e, portanto, não estão fazendo nada errado. Ledo engano. Salientando que não se quer aqui atacar ou diminuir a missão dada por Deus a Maria, a mãe de Jesus, ou a nenhum personagem bíblico, a frase citada entre aspas deve ser de longe o maior exemplo de quando uma pessoa diz ser fiel à palavra de Deus, mas a distorce completamente. Percebam que, ao usar a expressão “o caminho”, Jesus não deixou o ensinamento de que devemos ter quem interceda por nós. Ele diz claramente que está nos dando um presente maravilhoso: pela nossa fé chegarmos ao Pai pelo único caminho que é ele, Jesus. Ponto final. A gramática nos ajuda a entender a frase. Se Jesus tivesse dito “um caminho” e não “o caminho”, aí, sim, poderíamos ter opções. Perceba, internauta, que há mais de um caminho para se chegar à praia, ao centro… Mas imagine, por exemplo, um apartamento no 10º andar com apenas uma porta. Será que esta porta é o caminho para o elevador ou um caminho? Alguém arriscaria pular a janela para chegar ao elevador ou só restaria uma única possibilidade: a porta? Para chegarmos a Deus, Jesus é essa única porta. Qualquer outro caminho representa o perigo da janela. E note-se que a Bíblica é didática. Não há passagem nenhuma falando em usar outro caminho para se chegar a Deus, exceto Jesus. Os que usam Maria, por exemplo, o fazem por conta própria. Não tem respaldo bíblico. Percebam que isso não sonega, como por ignorância teológica alguns acreditam, o importante papel que Deus reservou a Maria. A Bíblia, em João 1:1, diz que “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” Mais adiante um pouquinho, no mesmo livro, lê-se: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade (João 1:14). Ou seja, está cristalino que Jesus veio à terra para cumprir a missão de salvar a humanidade das garras de satanás. E no plano de Deus para o verbo se fazer carne era preciso nascer igual a todos nós – inclusive para nos deixar a lição que qualquer pessoa de carne e osso que tenha fé em Deus é capaz de superar as adversidades impostas pelo inimigo e conseguir a salvação. Assim, Deus escolheu Maria. Evidente que pelo mérito dela. Deus não escolheria qualquer uma para trazer o Seu filho ao mundo. Mas optou uma mulher também de carne e osso como todos nós. A partir do momento em que Jesus começou o seu ministério, era ele e o Pai. Só ele e o Pai. Uma decisão de Deus, e que quem tem fé Nele não discute. Prestem atenção a estas palavras de Jesus: “E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora (João 2:3-4). Percebam que, para quem não vive a fé na palavra de Deus, não entende que Jesus é, de fato, o único caminho para se chegar a Deus, as palavras soam ríspidas – sobretudo dirigidas à própria mãe. Todavia uma reflexão com o auxílio de outras passagens bíblicas joga luz no fato de Jesus ter uma missão dada por Deus, e somente Deus poderia colocar no seu coração o que fazer, como fazer e quando fazer. Aliás, a própria Maria, que nunca disse a ninguém que seria um caminho para Deus, ao menos não existe isso na Bíblia, testemunhou esta aliança Deus x Jesus. “Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser” (João 2:5). Portanto, está evidente que tanto Jesus quanto Maria, assim como todos nós, temos missões dadas por Deus. Missões distintas. A partir do momento em que se pauta a vida na obediência à palavra de Deus, na fé na Bíblia, deixando ensinamentos religiosos à parte (Bíblia é bíblia. Religião é religião), entende-se isso e a frase que serve de título para este texto claramente. Mas, como diz Jesus, quem tem ouvidos que ouça. Deus no comando.