terça-feira, 28 de maio de 2019

Vivendo Cristo em mim

-Tema: IGREJA

A verdadeira Igreja de Cristo

“Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”

 Efésios 2.19

-Introdução: Hoje existem muitos tipos de igrejas para todos os gostos. Quem gosta de barulho ou de silêncio, tanto para os conservadores até aos mais modernos. Mas respeitando esta diversidade, qual seria a verdadeira Igreja de Cristo? A palavra Igreja (do grego EKKLESIA) tem o sentido de os chamados ou chamadores.  Portanto a Igreja é uma comunidade de pessoas que creem em Jesus como o Filho de Deus e se tornam membros desta família para caminharem juntos com Deus. Então a verdadeira Igreja de Cristo é uma família de fé e amor.

Porque preciso de uma igreja?

Vejamos alguns exemplos Bíblicos sobre a Igreja e sua importância:

 

1- O que nós somos de Cristo?   I Coríntios 12.27 “vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo”

A Igreja é o Corpo de Cristo. Há aproximadamente dois mil anos atrás, Jesus andou sobre a terra, falou e tocou em pessoas. Mas hoje o Senhor continua presente através de seu corpo que é formado pelos membros da sua Igreja. Através de nós, Jesus ainda fala e toca em muitas pessoas que precisam de alívio do seu poder.

Assim como um membro do nosso corpo não pode ser cortado e sobreviver, também na Igreja quando alguém sai do corpo, logo perde sua vida espiritual. Então é muito importante fazer parte de uma Igreja.

Mas como saber se tal igreja é parte do corpo de Cristo ou não? Simplesmente pelas suas obras ou “pelos seus frutos os conhecereis” (Mateus 7.15). Se tal comunidade faz as obras que Jesus faria em corpo presente, então este é um verdadeiro corpo de Cristo.

Você faz parte do corpo de Cristo!

     

2- O que Cristo é para nós como igrejaEfésios 4.15 “seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo”

Cristo é a cabeça da Igreja. Tudo que é feito na Igreja deve seguir a orientação de Cristo. Jesus é o Dono desta obra, a “igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (Atos 20.28). Então precisamos buscar ter a cada dia mais e entender que “nós, porém, temos a mente de Cristo” (I Coríntios 2.16).

Se uma pessoa em sua mente quiser fazer algo com um dos membros de seu corpo e este não obedecer, logo percebe que está doente. Do mesmo modo acontece com a Igreja quando a Cabeça que é Jesus manda seus membros fazer sua obra e não fazem é porque a Igreja está doente. Muitas comunidades sofrem de paralisia e raquitismo espiritual por não obedecer ao mandado de Jesus.

Em muitas igrejas existem pessoas que querem mandar em tudo e se esquecem de que a autoridade máxima no Corpo de Cristo é Jesus. Quando cada um quer fazer sua própria vontade, as coisas não acontecem na Igreja como Jesus queria que fosse. Mas quando todos entendem qual é o propósito de Deus e o obedecem, então se cumpre o que a cabeça manda.

Deixe Jesus ser a autoridade máxima em sua Igreja!

 

Você é a Igreja de Cristo!

-CONCLUSÃOHebreus 10.25 “Não deixando de congregar, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia”.

Embora os evangélicos cresçam consideravelmente, devemos nos preocupar com o grande número de ex-evangélicos que tem sido cada vez maior. Se Cristo é a cabeça e a Igreja é o Corpo, então assim como você não vê um corpo andando sem cabeça, também não pode ver um crente sem igreja.

Precisamos de uma igreja porque precisamos aprender e crescer juntos na presença do Senhor e receber os sacramentos que só a igreja está autorizada a dar. Na Igreja podemos viver em família, mesmo com os problemas de convivências peculiares de uma família. Mesmo assim é melhor estar em família do que sozinho.

Deus tem uma família de fé esperando você!

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

MUDAR DE VIDA COM A BÍBLIA Estudo de Apocalipse 21:5 – Comentado e Explicado Então o que está assentado no trono disse: Eis que eu renovo todas as coisas. Disse ainda: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Apocalipse 21:5 Comentário E aquele que estava sentado no trono disse: Provavelmente o Messias, o dispensador das recompensas do céu. Veja as notas em Apocalipse 20:11 . Eis que faço novas todas as coisas – Um novo céu e nova terra Apocalipse 21: 1 , e uma ordem de coisas que correspondem a essa nova criação. O estado anterior das coisas quando o pecado e a morte reinaram será mudado, e a mudança resultante disso deve se estender a tudo. E ele me disse: Escreva – faça um registro dessas coisas, pois elas são fundamentadas na verdade e são adaptadas para abençoar um mundo sofredor. Compare as notas em Apocalipse 14:13 . Veja também Apocalipse 1:19 . Pois estas palavras são verdadeiras e fiéis – Elas são fundadas na verdade e são dignas de crer. Veja as notas em Apocalipse 19: 9 . Compare também as notas de Daniel 12: 4 . E aquele que estava assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E ele me disse: Escreva, porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. E aquele que estava sentado no trono disse : Não apenas a São João. Desde a primeira menção de “aquele que estava assentado no trono”, Apocalipse 4: 2 , este é o primeiro discurso que lhe é expressamente atribuído. E ele – o anjo. Referências Cruzadas Isaías 42:9 – Vejam! As profecias antigas aconteceram, e novas eu anuncio; antes de surgirem, eu as declaro a vocês”. Isaías 43:19 – Vejam, estou fazendo uma coisa nova! Ela já está surgindo! Vocês não o percebem? Até no deserto vou abrir um caminho e riachos no ermo. 2 Coríntios 5:17 – Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas! Apocalipse 1:11 – que dizia: “Escreva num livro o que você vê e envie a estas sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia”. Apesar deste objetivo primário, as sete igrejas do Apocalipse também possuem um significado espiritual para a Igreja de Cristo como um todo. Qual o significado das sete igrejas do Apocalipse? Basicamente existem duas interpretações principais sobre este assunto. Uma das interpretações defende que as sete igrejas do Apocalipse representam sete períodos sucessivos da História da Igreja. Essa interpretação é conhecida como “As Sete Eras da Igreja”. Geralmente essa interpretação é adotada por quem defende a posição Dispensacionalista, mas isso não é regra. Nessa interpretação o significado das sete igrejas do Apocalipse é o seguinte: 1. Éfeso representa a igreja apostólica (30 – 100 d.C.); 2. Esmirna representa a igreja perseguida, a igreja dos mártires (100 – 312 d.C.); 3. Pérgamo representa a igreja que se uniu ao estado (313 – 590 d.C.); 4. Tiatira representa a igreja da Idade Média, corrupta e idólatra (590 – 1517 d.C.); 5. Sardes representa a igreja da reforma (1517- 1730 d.C.); 6. Filadélfia representa a igreja missionária (1730-1900 d.C., sendo que alguns estendem esse período até a volta de Cristo, ocorrendo paralelamente à Igreja de Laodicéia); 7. Laodicéia representa a igreja apóstata (1900 d.C. até a volta de Cristo). A outra interpretação defende que as igrejas do Apocalipse e, o conteúdo de suas cartas, representam condições que se repetem muitas vezes durante a História da Igreja, ou seja, não descrevem um período especifico da História, mas realidades que sempre estiveram presentes na Igreja. Particularmente, creio que seja evidente que a última posição é a melhor a ser adotada. Para mim, em relação à primeira interpretação, considero que se trata de uma exegese lamentável, sem lógica alguma, e que implica em sérios problemas, como por exemplo, considerar a Igreja morta de Sardes uma referência à era da Reforma Protestante. A Igreja da Reforma pode significar qualquer coisa, menos uma igreja morta. Outro problema grave é a questão da divisão dos períodos. Para podermos dividir a Igreja em períodos específicos, precisaríamos saber a data da segunda vinda de Cristo, e isto ninguém sabe. Geralmente (mas não generalizando) quem prefere a interpretação em eras específicas, segue um sistema escatológico que já produziu uma série de estudiosos que marcaram erroneamente a data da volta de Cristo, isso com bases em mapas, fórmulas e códigos, que, segundo eles, foram tirados de dentro da própria Bíblia Sagrada. Seguramente podemos dizer que as características encontradas nas sete igrejas do Apocalipse, representam uma realidade presente e repetida em todas as épocas dentro da História da Igreja, podendo ser percebida em cada congregação local, ou seja, existem congregações hoje que se aproximam mais das características de Éfeso, enquanto outras ficam mais próximas da conduta de Pérgamo, como também dentro das próprias congregações podemos perceber pessoas que possuem um comportamento similar ao da Igreja de Laodicéia, enquanto outras claramente se parecem mais com a Igreja de Filadélfia. Apocalipse 1:19 – “Escreva, pois, as coisas que você viu, tanto as presentes como as que estão por vir. Apocalipse 4:2 – Imediatamente me vi tomado pelo Espírito, e diante de mim estava um trono no céu e nele estava assentado alguém. Apocalipse 4:9 – Toda vez que os seres viventes dão glória, honra e graças àquele que está assentado no trono e que vive para todo o sempre, Apocalipse 5:1 – Então vi na mão direita daquele que está assentado no trono um livro em forma de rolo escrito de ambos os lados e selado com sete selos. Apocalipse 19:9 – E o anjo me disse: “Escreva: Felizes os convidados para o banquete do casamento do Cordeiro! ” E acrescentou: “Estas são as palavras verdadeiras de Deus”. Apocalipse 20:11 – Depois vi um grande trono branco e aquele que nele estava assentado. A terra e o céu fugiram da sua presença, e não se encontrou lugar para eles. 1) Ministério Palavra, Poder e Unção 2) Evangelista Manoel Moura 3) 23-11-2020