quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

O Ministério de Davi e o Ministério de Saul Davi e Saul foram os dois primeiros reis de Israel e, entre eles, havia muitas diferenças, a partir da escolha para governarem. Seus nomes tinham grande significado. Davi significa “amado e respeitado por Deus”, enquanto Saul significa “pedido a Deus”. Ambos eram de boa aparência e foram ungidos pelo profeta Samuel. Suas semelhanças, porém, terminam aí. No entanto, as diferenças entre eles determinaram o sucesso de um e o fracasso do outro. Davi foi um rei escolhido por Deus e não pelos homens, enquanto Saul foi pedido pelos homens, fora da prioridade de Deus. Davi era pastor de ovelhas e, mesmo para defender seu rebanho, colocava sua dependência no Senhor. Se ele podia enfrentar leões e ursos selvagens para defender seu rebanho, poderia também, como homem de Deus, derrotar os inimigos de Israel. Dependência de Deus e obediência foram fatores determinantes para sua escolha para reinar sobre Israel. Se, por um lado, Davi era obediente ao Senhor, Saul era persistente na desobediência. Israel estava em guerra e a ordem era esperar o profeta Samuel para oferecer um sacrifício. No entanto, Saul tomou a direção e ele mesmo apresentou o sacrifício, usurpando a autoridade do profeta e desobedecendo as ordens de Deus. Desobedeceu também quando o Senhor mandou destruir tudo durante um ataque aos amalequitas, inimigos dos israelitas, e ele não o fez. Por isso, perdeu a unção e o poder conforme 1 Samuel 15.23. Ao desobedecer, Saul teve seu reinado cancelado. Outra diferença entre Saul e Davi era a atitude deles com relação ao povo. A Bíblia ilustra como cada um agia em relação àqueles que estavam sob a sua proteção e comando. Saul tinha um coração sem amor, era um homem egoísta e insensível. Nem mesmo seu filho Jônatas escapou da sua falta de amor. Já o rei Davi amava o povo sobre o qual reinava. Ele tinha um coração terno, de pastor. Foi um soldado valente e um estadista que sabia lidar com o sistema. Davi amou o povo de Israel, mesmo quando os súditos se mostraram ímpios, rebeldes e ingratos. Muitos daqueles pelos quais ele arriscou a vida na guerra não o queriam como rei. As diferenças entre Davi e Saul servem para meditarmos sobre como agimos, como vemos nossos líderes. A quem nos assemelhamos mais? E a nossa atitude como cristãos, é com aqueles que estão perdidos, sem conhecer o amor de Deus ou vivemos ignorando aqueles pelos quais Jesus morreu? Essa é uma meditação que deve ser feita, principalmente por pastores e líderes. Ser pastor não significa apenas ter uma credencial ou ter estudado teologia, mas, sobretudo, amar suas ovelhas, o povo que Deus colocou ao seu cuidado. Portanto, devemos ter um ministério semelhante ao de Davi, ou seja, segundo o coração de Deus. Deus colocou diante de nós a possibilidade de termos uma vida abundante e está em nossas mãos a opção de sermos conforme o coração de Deus, em obediência e amor. Que o Senhor abençoe a todos.


 

Nenhum comentário:

Postagem em destaque