terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Que √© uma seita? seita Aprenda a pronunciar substantivo feminino 1. 1. na antiga literatura romana e pr√©-crist√£, partido ou escola filos√≥fica. 2. 2. na Vulgata, variedade de tend√™ncias religiosas dentro do juda√≠smo. Heresia √© quando algu√©m tem um pensamento diferente de um sistema ou de uma religi√£o. Quem pratica heresia √© considerado um herege ou heresiarca. O termo tem origem no latim haerńēsis, que significa "escolha" ou "op√ß√£o". Foi utilizado primeiramente pelos crist√£os, para designar ideias contr√°rias a outras aceitas, sendo, portanto, consideradas como "falsas doutrinas". Fora do contexto da religi√£o, uma heresia tamb√©m pode ser um absurdo ou contrassenso. Entre as defini√ß√Ķes apresentadas pelo dicion√°rio Houaiss para a palavra heresia, temos: - Interpreta√ß√£o, doutrina ou sistema teol√≥gico rejeitado como falso pela Igreja. - teoria, ideia, pr√°tica etc. que nega ou contraria a doutrina estabelecida (por um grupo). - a√ß√£o, dito ou atitude que desrespeita a religi√£o. - contrassenso, opini√£o absurda; disparate, despaut√©rio, tolice. Exemplo: uma heresia cient√≠fica. Exemplos Confira algumas frases envolvendo a palavra heresia. A B√≠blia nos avisa a ficar atentos contra heresias que podem nos enganar. O sacerdote foi excomungado por heresia, pois ele atacava duramente o Papa, acusando-o de difundir uma doutrina falsa. Muitas pessoas misturam xarope de guaran√°, leite condensado e frutas ao a√ßa√≠, mas aos olhos nortistas isso √© uma heresia. Texto B√°sico: 1 Tim√≥teo 1.18-19 Texto Devocional: 1 Pedro 3.15 Vers√≠culo Chave: Judas 3 “Amados, quando empregava toda a dilig√™ncia em escrever-vos acerca da nossa comum salva√ß√£o, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela f√© que uma vez por todas foi entregue aos santos” Alvo da Li√ß√£o: Ao estudar esta li√ß√£o, voc√™ ter√° condi√ß√Ķes de saber o que √© uma seita, quais s√£o suas caracter√≠sticas, quem vive mais suscet√≠vel a ela, e como pode ajudar um adepto de seita a deix√°-la. Leia a B√≠blia diariamente: S – 1Tm 1.18-19 T – 1Pe 3.13-22 Q – Jd 3-16 Q – 2Tm 2.15-19 S – 2Pe 2.1-3 S – Jo 17.17-18 D – Jo 8.31-32 O ap√≥stolo Paulo deixou o jovem pastor Tim√≥teo na igreja de √Čfeso para combater alguns hereges que se instalaram por l√° (1Tm 1.18-19). O texto n√£o diz exatamente como Himeneu e Alexandre vieram a naufragar na f√© (v.19), embora o falso ensino de Himeneu seja descrito em 2Tim√≥teo 2.7-18. O que podemos entender, desde o in√≠cio, √© que a igreja tem o papel de batalhar contra os erros doutrin√°rios que pervertem a mente e o cora√ß√£o dos salvos ( Jd 3-4). Nesta li√ß√£o, ser√° definido o que √© uma seita; quais s√£o suas caracter√≠sticas e seu perfil, a fim de que a igreja estabele√ßa estrat√©gias de como evangelizar aqueles que est√£o sendo enganados por falsos ensinos. I – Defini√ß√Ķes O termo “seita” vem do latim secta, que significa “partido, fac√ß√£o, escolha filos√≥fica”. A palavra “heresia” √© praticamente a translitera√ß√£o de hairesis – “opini√£o, escolha, escola de pensamento, doutrina religiosa; teoria que nega ou contraria a doutrina estabelecida por um grupo” (Dicion√°rio Houaiss da L√≠ngua Portuguesa). Como podemos constatar, o sentido original de “seita” n√£o √© pejorativo, visto que o pr√≥prio cristianismo foi assim denominado (At 24.5). Mas atualmente, quando se fala em seita, pensa-se num sistema, num grupo religioso livre, que implica censura. Na realidade, nem uma seita se considera como tal. S√£o igrejas e outros movimentos que as denominam assim. Heresias s√£o ideias adulteradas ou doutrinas esp√ļrias, falsas, ileg√≠timas. Para os crist√£os, √© todo conjunto de doutrinas, mesmo evang√©licas, que n√£o condizem com a B√≠blia e com os princ√≠pios elementares da palavra de Deus. Por sua vez, seita √© uma pervers√£o religiosa cuja cren√ßa, pr√°tica e devo√ß√£o se baseiam em alguma falsa doutrina. Enfim, seita refere-se a um grupo de pessoas de uma fac√ß√£o religiosa, e heresia indica as doutrinas ileg√≠timas defendidas por esse grupo. Resumindo: “uma seita √© uma heresia organizada” (Dave Breese). II – Caracter√≠sticas da Seita Para identificar uma seita, basta verificar se ela est√° fundamentada em heresias (comparando-se com as Escrituras). Vejamos alguns aspectos comuns entre as seitas. 1. Novas verdades H√° princ√≠pios equivocados, adicionados e/ou subtra√≠dos em uma seita, em rela√ß√£o √† palavra de Deus. Um desses princ√≠pios diz respeito √† salva√ß√£o, em que o homem √© aquele que a desenvolve na pr√≥pria vida. N√£o √© assim que a B√≠blia ensina. 2. Novas interpreta√ß√Ķes da B√≠blia Sect√°rios empregam meios que n√£o s√£o leg√≠timos para interpretar a B√≠blia. Os meios corretos para interpreta√ß√£o s√£o: observa√ß√£o do momento hist√≥rico, estudo da gram√°tica e uso das palavras/express√Ķes na √©poca em que a passagem foi escrita, observa√ß√£o sobre se o que est√° exposto deve ser interpretado literal ou simbolicamente. 3. Uma fonte n√£o-b√≠blica da autoridade Em uma seita, a B√≠blia √© uma fonte secund√°ria. Os seguidores creem na B√≠blia de forma parcial, ou simplesmente n√£o acreditam nas Escrituras. Admitem, √†s vezes, que alguns livros s√£o inspirados. Consideram, no entanto, que seus pr√≥prios escritos t√™m maior autoridade que a Palavra. 4. “Outro Jesus” (2Co 11.3-4) Jesus n√£o √© o centro da vida e da adora√ß√£o. Geralmente, as seitas diminuem a divindade e senhorio de Cristo, tirando-Lhe a divindade. H√° polite√≠stas, pante√≠stas (que identificam o Universo com Deus), por exemplo. Existem os que consideram a divindade de Jesus, mas n√£o como suficiente e √ļnico caminho para Deus. 5.Profecias Falsas As verdades sobre c√©u e inferno, nas seitas, dependem, na maioria das vezes, das vis√Ķes que seus fundadores tiveram ou continuam tendo. √Č comum a aus√™ncia da gra√ßa de Deus e a desconsidera√ß√£o de Seu ju√≠zo sobre os pecadores. 6.Exclusivismo Dizem ser os √ļnicos certos. Uma seita pode ter sido fundada h√° 5, 10, 100 ou 500 anos, n√£o importa, seus adeptos afirmam que √© a √ļnica que oferece a verdade. E por causa disso, s√£o proselitistas. Os evang√©licos n√£o afirmam que s√£o os √ļnicos certos, afirmam que Jesus Cristo √© o √ļnico caminho. III – Perfil de uma seita Observemos as caracter√≠sticas do l√≠der e dos adeptos de uma seita. 1.Perfil do l√≠der √Č frequentemente carism√°tico e considerado muito especial por raz√Ķes variadas: a) recebe revela√ß√£o especial de Deus; b) reivindica ser a encarna√ß√£o de uma deidade, anjo, ou mensageiro especial; c) reivindica ter sido designado por Deus para uma miss√£o extraordin√°ria; d) reivindica ter habilidades especiais; e) est√° quase sempre acima da repreens√£o e n√£o pode ser negado nem contradito. 2. Perfil dos adeptos a) Quem √© vulner√°vel a fazer parte de uma seita? • Qualquer pessoa pode ser convencida a entrar em uma seita: ricos, pobres, com boa forma√ß√£o acad√™mica ou n√£o, idosos, jovens, religiosos, ateus, etc; • Pessoas desencantadas com sua religi√£o; • Os intelectualmente confusos em rela√ß√£o a assuntos religiosos e filos√≥ficos; • Os desiludidos com a sociedade; • Aqueles com necessidade de verdadeiras amizades e apoio; • Pessoas emocionalmente carentes; • Indiv√≠duos que n√£o t√™m definido seu prop√≥sito de vida. b) Por que algu√©m entra e uma seita? • Porque ela satisfaz necessidades psicol√≥gicas de pessoas com personalidade fraca, facilmente manipul√°vel; • A seita pode ser atraente pela rigidez moral e demonstra√ß√£o de pureza. c)Por que as pessoas se mant√©m na seita? • Por depend√™ncia: As pessoas querem frequentemente ficar porque a seita vai ao encontro de suas necessidades psicol√≥gicas, intelectuais e espirituais; • Por isolamento: O contato com pessoas de fora do grupo √© reduzido e cada vez mais a vida do membro √© constru√≠da ao redor da seita; • Por reconstru√ß√£o cognitiva (lavagem cerebral); • Por substitui√ß√£o: Os companheiros de seita ocupam frequentemente o lugar de pai, m√£e, pastor, professor, etc; • Por obriga√ß√£o: O membro fica comprometido com o grupo, emocional e, √†s vezes, financeiramente; • Por culpa: √Č-lhe dito que sair da seita √© trair o l√≠der, Deus e o grupo; • Por amea√ßa: Se houver abandono, haver√° retalia√ß√Ķes (preju√≠zo de alguma forma). IV. O caminho do discernimento (Mt 7.15-20) Encontramos os falsos profetas em muitas ocasi√Ķes no Antigo Testamento (Jr 14.14; 23.21; Ez 13.1-3), e Jesus nos avisou que quanto mais o tempo for passando, mais eles v√£o aumentando (Mt 24.11). √Č um desafio muito grande para o povo de Deus, os falsos profetas se apresentam disfar√ßados: ovelhas por fora, lobos por dentro. Jesus n√£o apenas nos avisou. Ele nos ensinou a fazer o teste dos frutos (Mt 7.16 e 20): “Pelos seus frutos os conhecereis” (Mt 7.16 e 20). 1.A √°rvore boa O falso profeta √© aquele que fala em nome de Deus, mas n√£o foi enviado por Ele. E como posso saber se esse profeta vem do Senhor ou n√£o? Observe os frutos. Pergunte se a doutrina daquele profeta glorifica a Deus; se Jesus Cristo √© pregado como Salvador e Senhor; se restaura relacionamentos; se traz vida e poder espiritual. Pergunte se na vida desse profeta h√° pelo menos um pouco de amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansid√£o e dom√≠nio pr√≥prio. 2.A √°rvore m√° Nosso Senhor afirmou claramente que a √°rvore m√° n√£o pode produzir frutos bons (Mt 7.18). Voc√™ jamais colher√° uvas de um espinheiro, nem figos de uma erva daninha (Mt 7.16 NVI). Jesus mudou a met√°fora do lobo e da ovelha para a √°rvore e seus frutos. Porque nenhuma √°rvore pode se disfar√ßar ou esconder sua identidade por muito tempo. “Se o cora√ß√£o de uma pessoa revela-se em suas palavras, como a √°rvore se conhece pelos seus frutos, temos a responsabilidade de experimentar um profeta pelos seus ensinamentos” ( John Stott, A Mensagem do Serm√£o do Monte, p.213). Conclus√£o Quando Judas escreveu a ep√≠stola, foi impelido a exortar a igreja a “batalhar pela f√© confiada aos santos”. A raz√£o que Judas menciona est√° evidenciada no vers√≠culo quatro: “Pois certos indiv√≠duos se introduziram com dissimula√ß√£o, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condena√ß√£o, homens √≠mpios, que transformam em libertinagem a gra√ßa de nosso Deus e negam o nosso √ļnico Soberano e Senhor, Jesus Cristo” (Jd 4). A igreja, como corpo do Senhor Jesus Cristo, tem o papel de defender a verdade e proclam√°-la, sustentando-a pelo ensino correto da palavra de Deus. Editora Crist√£ Evang√©lica