sexta-feira, 22 de abril de 2022

O que importa para mim e para voc√™ √© a Gra√ßa de Deus que est√° em Cristo Jesus nosso SENHOR Aleluia Gl√≥ria de Deus Am√©m O que √© gra√ßa? Gra√ßa √© um favor que n√£o foi merecido. Gra√ßa √© algo bom que √© dado, n√£o porque a pessoa que recebe merece mas porque a pessoa que d√° √© generosa. Deus nos oferece a salva√ß√£o de gra√ßa. Quando algu√©m oferece um presente de gra√ßa, significa que quem recebe n√£o tem de pagar pelo presente nem se esfor√ßar por merec√™-lo. Gra√ßa √© um ato de amor incondicional, n√£o depende da pessoa que recebe. A gra√ßa revela o bom car√°ter de quem d√°, n√£o de quem recebe. A gra√ßa de Deus Deus mostra Seu amor por n√≥s atrav√©s da gra√ßa. N√≥s merecemos castigo por causa de nossos pecados mas Deus nos enviou Jesus para pagar o pre√ßo e nos oferecer a salva√ß√£o. Mesmo n√£o fazendo nada para merecer, n√≥s podemos ser libertados do poder do pecado, perdoados do castigo eterno e adotados como filhos de Deus, para morar com Ele para sempre (Ef√©sios 2:4-5). S√≥ precisamos ter f√©. Ningu√©m por seu pr√≥prio m√©rito consegue apagar seu pecado e se purificar para entrar no C√©u. Por mais que tentamos ser bons, n√£o conseguimos evitar todo pecado. S√≥ Deus pode nos libertar do peso do pecado (1 Jo√£o 1:8-9). Ele n√£o precisa nos libertar. Ele poderia exigir justi√ßa e condenar todos mas Ele nos ama. Por isso, Ele nos ofereceu a salva√ß√£o, de gra√ßa. A gra√ßa na vida do crente A gra√ßa n√£o se limita √† salva√ß√£o no momento em que aceitamos Jesus como nosso salvador. A gra√ßa de Deus atua ao longo de nossa vida, nos dando a capacidade para fazer coisas boas e parar de pecar (Ef√©sios 2:8-10). Sozinhos n√£o conseguimos mas se confiamos em Deus, Ele nos transforma. A gra√ßa de Deus tamb√©m atua quando fazemos coisas erradas depois de convertidos. Quando nos arrependemos do erro, Deus nos perdoa e ajuda a consertar as coisas. Isso n√£o significa que podemos continuar pecando, sem medo das consequ√™ncias, mas que a gra√ßa de Deus √© muito grande (Hebreus 4:14-16). Da mesma forma que Deus nos d√° Sua gra√ßa, nos perdoando muitas vezes de muitos pecados, n√≥s podemos dar gra√ßa a outras pessoas, perdoando-as. A gra√ßa de Deus muda nossa perspectiva: como posso exigir vingan√ßa contra outra pessoa quando Deus, que √© perfeito, me perdoou de tantos pecados, em vez de exigir castigo? A gra√ßa de Deus nos d√° outra chance. A gra√ßa de Deus liberta. https://www.evangelistamanoelmoura.gratis/ O Evangelista Manoel Moura Minist√©rio Palavra Poder e Un√ß√£o Intinerante √© um Pregador do Evangelho de Jesus Cristo, convertido no ano de 2009, recebeu de Deus uma miss√£o Pregar com Autoridade e Ousadia. Agenda S√°bados e Domingos 77 9.9900-1339 Whatsapp https://www.canva.com/design/DAEtXOTxWnQ/cCqz7_vIyDDPtndC93_i6g/edit https://www.youtube.com/channel/UCjfHzvgsY8BrIqeu1oDRTiQ https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6857272163368497153/ https://www.evangelistamanoelmoura.gratis/ https://twitter Grupo Somos Nova Criatura. https://chat.whatsapp.com/Jd7rIgeggA51UTZXqLqNZw 100%Crist√£o, Grupo totalmente ante pol√≠tico. Postem tudo que fale sobre B√≠blia, √°udios, v√≠deos, fotos, cartazes se cultos e festividades, proibido links de outros grupos. Am√©m a PAZ SEJA CONVOSCO A TODOS AM√ČM PROJETO AJUDE LEVANTAR UMA VIDA 55+(77)9.9900-1339, contamos com voc√™. www.evangelistamanoelmoura.gratis E-mail evangelistamanoelmmoura@gmail.com @evangelistamanoelmoura ministeriopalavrapodereuncao@tutanota.com Nos siga nas redes sociais


 

quinta-feira, 14 de abril de 2022

Estudo Sobre os Homens e Mulheres de Ora√ß√£o na B√≠blia A B√≠blia registra as hist√≥rias de muitos homens e mulheres de ora√ß√£o. O estudo b√≠blico revela que essas pessoas viveram em momentos distintos da hist√≥ria da reden√ß√£o. Isso significa que foram pessoas que viveram em √©pocas, lugares e contextos hist√≥ricos completamente diferentes umas das outras. Mas todas elas tinham em comum o fato de cultivarem uma vida de ora√ß√£o. S√£o realmente muitos os exemplos de homens e mulheres de ora√ß√£o na B√≠blia; tanto que √© imposs√≠vel citar todas essas pessoas de uma s√≥ vez. √Č verdade que n√£o h√° um texto b√≠blico que registre especificamente um momento de ora√ß√£o para cada um dos homens de Deus na B√≠blia, mas seus testemunhos apontam de forma geral para uma vida de ora√ß√£o. Vejamos a seguir apenas alguns nomes de uma extensa lista. Mulheres de ora√ß√£o na B√≠blia Seria imposs√≠vel citar num √ļnico texto todas as mulheres not√°veis da B√≠blia que certamente praticavam o exerc√≠cio da ora√ß√£o. Por√≠amos falar de Sara, Rebeca, Raabe, Noemi, Rute, Abigail e tantas outras. Mas aqui citaremos cinco exemplos de mulheres de ora√ß√£o: 1. Raquel Raquel foi a segunda esposa de Jac√≥ sofreu durante muito tempo com a esterilidade. Ela chegou a dizer a seu marido que se n√£o tivesse filhos, iria morrer (G√™nesis 30:1). Nesse tempo o texto b√≠blico de G√™nesis 30 indica que Raquel orou muito ao Senhor. Quando ela finalmente concebeu, o escritor de G√™nesis registra esse evento dizendo: “E lembrou-se Deus de Raquel; e Deus a ouviu, e abriu a sua madre” (G√™nesis 30:22). Raquel foi a m√£e biol√≥gica de dois filhos de Jac√≥: Jos√©, que se tornou governador do Egito, e Benjamim. 2. D√©bora D√©bora √© chamada na B√≠blia de “profetisa” (Ju√≠zes 4-5). Obviamente esse termo implica na ideia de que D√©bora era uma mulher de ora√ß√£o. A primeira vez que a palavra hebraica para “profeta” aparece na B√≠blia ocorre num contexto que n√£o apenas enfatiza a condi√ß√£o de algu√©m que recebe revela√ß√Ķes da parte de Deus, mas que tamb√©m intercede por outras pessoas (cf. G√™nesis 20:7). Aplicando esse conceito a D√©bora, entendemos que n√£o somente Deus falava com ela, mas que ela tamb√©m falava com Deus atrav√©s da ora√ß√£o. 3. Ana Falar de mulheres de ora√ß√£o na B√≠blia √© falar de Ana. Ana foi a m√£e de Samuel, mas durante muito tempo ela sofreu com a esterilidade. Por√©m, em perseverante ora√ß√£o ela buscou um milagre da parte do Senhor. Quando o profeta Samuel nasceu, Ana declarou: “Por este menino orava eu; e o Senhor me concedeu a peti√ß√£o que eu lhe fizera” (1 Samuel 1:27). 4. Ester Ester foi a jovem judia que se tornou rainha da P√©rsia. Num contexto de persegui√ß√£o contra o povo judeu, Ester orou e jejuou ao Senhor pelo livramento de seu povo (cf. Ester 4:16). 5. Maria N√£o h√° d√ļvida de que Maria, m√£e de Jesus, era uma mulher de ora√ß√£o. N√£o poder√≠amos pensar diferente da mulher que foi escolhida por Deus para dar √† luz ao Messias atrav√©s da obra e gra√ßa do Esp√≠rito Santo. No livro de Atos Maria √© citada como uma das mulheres que se reuniam em ora√ß√£o com os ap√≥stolos e os demais crentes de Jerusal√©m (Atos 1:14). Homens de ora√ß√£o na B√≠blia A lista de homens de ora√ß√£o na B√≠blia com certeza tamb√©m √© muito extensa. Por√≠amos falar de todos os profetas de Deus, tanto os escritores quanto os n√£o-escritores. Tamb√©m poder√≠amos falar dos ap√≥stolos de Cristo no Novo Testamento. Sem d√ļvida Pedro, Tiago, Jo√£o e os outros ap√≥stolos, eram homens de ora√ß√£o (cf. Atos 3:1). Mas neste estudo escolhemos alguns homens que fizeram algumas das ora√ß√Ķes mais not√°veis registradas na B√≠blia. 1. Abra√£o O grande patriarca do povo de Israel era um homem de ora√ß√£o. Sua comunh√£o com o Senhor era t√£o intensa que ele √© chamado de “amigo de Deus” (Tiago 2:23). Inclusive, o pr√≥prio Deus fala de Abra√£o como uma pessoa que intercedia pelos outros (G√™nesis 20:7). 2. Isaque O filho de Abra√£o tamb√©m era um homem de ora√ß√£o. A B√≠blia diz que Isaque orou ao Senhor por sua mulher que era est√©ril, e o Senhor lhe ouviu as ora√ß√Ķes (G√™nesis 25:21). 3. Mois√©s Mois√©s foi o homem escolhido por Deus para conduzir o povo de Israel para fora do Egito. Obviamente ele era uma pessoa de ora√ß√£o. O Salmo 90, por exemplo, √© uma ora√ß√£o de Mois√©s. 4. Josu√© O sucessor de Mois√©s tamb√©m era um homem de ora√ß√£o. Josu√© foi o l√≠der dos israelitas na conquista da terra Prometida. Certa vez Josu√© orou ao Senhor na presen√ßa de todo Israel, e sob a perspectiva do observador, o sol parou e a lua se deteve (Josu√© 10:12,13). 5. Davi Davi foi o maior rei de Israel. Ele √© conhecido como o homem segundo o cora√ß√£o de Deus. Sua vida foi marcada pela pr√°tica da ora√ß√£o. O livro de Salmos registra muitas ora√ß√Ķes de Davi (cf. Salmos 17; 86; etc.). 6. Elias O profeta Elias foi um homem muito usado por Deus. Ele era um homem de ora√ß√£o que viveu num tempo em que Israel experimentava um profundo decl√≠nio espiritual. Numa das passagens b√≠blicas mais conhecidas, Deus respondeu a ora√ß√£o de Elias com fogo sob o holocausto no Monte Carmelo (1 Reis 18:36,37). Atrav√©s da hist√≥ria de Elias aprendemos que devemos manter uma vida de ora√ß√£o mesmo quando os caminhos do Senhor est√£o sendo rejeitados pelas pessoas que nos cercam. At√© no Novo Testamento ele √© citado como um exemplo de homem de ora√ß√£o (Tiago 5:17). 7. Habacuque O livro do profeta Habacuque consiste basicamente num registro de suas ora√ß√Ķes a Deus (Habacuque 2:1,2; 3:2,16). O profeta Habacuque era um homem que tinha um zelo fervoroso pela honra de Deus. 8. Jeremias O profeta Jeremias √© sempre lembrado como um dos personagens b√≠blicos mais dedicados √† ora√ß√£o. Na maior parte de sua vida ele esteve comprometido em interceder por seu povo (cf. Jeremias 10:23-25). 9. Daniel O profeta Daniel foi um homem de ora√ß√£o mesmo distante de sua terra natal. Apesar de estar morando na Babil√īnia, Daniel n√£o deixou de lado seu compromisso de falar com Deus atrav√©s da ora√ß√£o (Daniel 6:10). A vida de Daniel como um homem de ora√ß√£o nos ensina que podemos e devemos orar a Deus mesmo em terra estranha, num ambiente hostil. 10. Paulo Paulo de Tarso foi o maior mission√°rio da hist√≥ria da Igreja. O ap√≥stolo dos gentios teve uma vida dedicada √† ora√ß√£o ap√≥s a sua convers√£o. Inclusive, por v√°rias vezes ele exorta os crentes acerca da import√Ęncia da ora√ß√£o na vida crist√£ (Ef√©sios 6:18; 1 Tessalonicenses 5:17; etc.). O maior exemplo de uma vida de ora√ß√£o Sem d√ļvida n√≥s devemos aprender com todas essas pessoas citadas na B√≠blia que tiveram um compromisso com Deus. Inclusive, o testemunho desses homens e mulheres de ora√ß√£o n√£o apenas foram preservados nas Escrituras, como tamb√©m s√£o lembrados pelas antigas tradi√ß√Ķes crist√£s. De Tiago, por exemplo, a tradi√ß√£o crist√£ diz que ele orava tanto ao Senhor que seus joelhos tinham a textura dos joelhos de um camelo. Contudo, em Jesus encontramos o nosso maior exemplo de uma vida de ora√ß√£o. Mesmo sendo o Filho de Deus, nosso Senhor n√£o dispensava a pr√°tica da ora√ß√£o. A Carta aos Hebreus destaca o fervor com que Jesus orava ao Pai (Hebreus 5:7). Portanto, o minist√©rio terreno de Cristo foi um minist√©rio de ora√ß√£o; sua vida terrena foi uma vida de ora√ß√£o, e ainda hoje, exaltado √† destra do Pai, Ele √© o Sumo Sacerdote que intercede em favor de suas ovelhas (cf. Lucas 3:21; 6:12-16; Jo√£o 11:41; 17; Hebreus 7:25; etc.). Ent√£o que possamos aprender com todas essas pessoas usadas por Deus ao longo da Hist√≥ria e, principalmente, com nosso Senhor Jesus Cristo, e que sejamos homens e mulheres de ora√ß√£o comprometidos com a obra de Deus. Leia tamb√©m sobre como foi a ora√ß√£o de Jesus no Gets√™mani. 2 Cr√īnicas 6:12-7:22 A ora√ß√£o de Salom√£o 12 E p√īs-se em p√© perante o altar do SENHOR, defronte de toda a congrega√ß√£o de Israel, e estendeu as m√£os. 13 Porque Salom√£o tinha feito uma base de metal, de cinco c√īvados de comprimento, e de cinco c√īvados de largura, e de tr√™s c√īvados de altura, e a tinha posto no meio do p√°tio; e p√īs-se nela em p√©, e ajoelhou-se em presen√ßa de toda a congrega√ß√£o de Israel, e estendeu as m√£os para o c√©u, 14 e disse: √ď SENHOR, Deus de Israel, n√£o h√° Deus semelhante a ti, nem nos c√©us nem na terra, como tu, que guardas o concerto e a benefic√™ncia aos teus servos que caminham perante ti de todo o seu cora√ß√£o; 15 que guardaste ao teu servo Davi, meu pai, o que lhe prometeste; porque tu, pela tua boca, o disseste e, pela tua m√£o, o cumpriste, como se v√™ neste dia. 16 Agora, pois, SENHOR, Deus de Israel, faze a teu servo Davi, meu pai, o que prometeste, dizendo: Nunca faltar√° de ti var√£o de diante de mim, que se assente sobre o trono de Israel; t√£o somente que teus filhos guardem seu caminho, andando na minha lei, como tu andaste diante de mim. 17 E, agora, SENHOR, Deus de Israel, verifique-se a tua palavra que disseste ao teu servo, a Davi. 18 Mas verdadeiramente habitar√° Deus com os homens na terra? Eis que o c√©u e o c√©u dos c√©us n√£o te podem conter, quanto menos esta casa que tenho edificado? 19 Atende, pois, √† ora√ß√£o do teu servo e √† sua s√ļplica, √≥ SENHOR, meu Deus, para ouvires o clamor e a ora√ß√£o que o teu servo faz perante ti. 20 Que os teus olhos estejam dia e noite abertos sobre este lugar, de que disseste que ali porias o teu nome, para ouvires a ora√ß√£o que o teu servo fizer neste lugar. 21 Ouve, pois, as s√ļplicas do teu servo, e do teu povo de Israel, que fizerem neste lugar; e ouve tu do lugar da tua habita√ß√£o, desde os c√©us; ouve, pois, e perdoa. 22 Quando algu√©m pecar contra o seu pr√≥ximo e lhe impuser juramento de maldi√ß√£o, para se amaldi√ßoar a si mesmo, e o juramento de maldi√ß√£o vier perante o teu altar, nesta casa, 23 ouve tu, ent√£o, desde os c√©us, e age, e julga a teus servos, pagando ao √≠mpio, lan√ßando o seu proceder sobre a sua cabe√ßa e justificando o justo, dando-lhe segundo a sua justi√ßa. 24 Quando tamb√©m o teu povo de Israel for ferido diante do inimigo, por ter pecado contra ti, e eles se converterem, e confessarem o teu nome, e orarem, e suplicarem perante ti nesta casa, 25 ent√£o, ouve tu desde os c√©us, e perdoa os pecados de teu povo de Israel, e faze-os tornar √† terra que tens dado a eles e a seus pais. 26 Quando os c√©us se cerrarem, e n√£o houver chuva, por terem pecado contra ti, e orarem neste lugar, e confessarem teu nome, e se converterem dos seus pecados, quando tu os afligires, 27 ent√£o, ouve tu desde os c√©us, e perdoa o pecado de teus servos e do teu povo de Israel, ensinando-lhes o bom caminho, em que andem, e d√° chuva sobre a tua terra, que deste ao teu povo em heran√ßa. 28 Havendo fome na terra, havendo peste, havendo queimadura dos trigos, ou ferrugem, gafanhotos, ou lagarta, cercando-a algum dos seus inimigos nas terras das suas portas, ou quando houver qualquer praga, ou qualquer enfermidade, 29 toda ora√ß√£o, e toda s√ļplica que qualquer homem fizer ou todo o teu povo de Israel, conhecendo cada um a sua praga e a sua dor e estendendo as suas m√£os para esta casa, 30 ent√£o, ouve tu desde os c√©us, do assento da tua habita√ß√£o, e perdoa, e d√° a cada um conforme todos os seus caminhos, segundo conheces o seu cora√ß√£o (pois s√≥ tu conheces o cora√ß√£o dos filhos dos homens), 31 a fim de que te temam, para andarem nos teus caminhos, todos os dias que viverem na terra que deste a nossos pais. 32 Assim tamb√©m ao estrangeiro que n√£o for do teu povo de Israel, mas vier de terras remotas por amor do teu grande nome, e da tua poderosa m√£o, e do teu bra√ßo estendido, vindo ele e orando nesta casa, 33 ent√£o, ouve tu desde os c√©us, do assento da tua habita√ß√£o, e faze conforme tudo o que o estrangeiro te suplicar, a fim de que todos os povos da terra conhe√ßam o teu nome e te temam, como o teu povo de Israel, e a fim de saberem que pelo teu nome √© chamada esta casa que edifiquei. 34 Quando o teu povo sair √† guerra contra os seus inimigos, pelo caminho que os enviares, e orarem a ti para a banda desta cidade que escolheste, e desta casa que edifiquei ao teu nome, 35 ouve, ent√£o, desde os c√©us a sua ora√ß√£o e a sua s√ļplica e executa o seu direito. 36 Quando pecarem contra ti (pois n√£o h√° homem que n√£o peque), e tu te indignares contra eles e os entregares diante do inimigo, para que os que os cativarem os levem em cativeiro para alguma terra, remota ou vizinha; 37 e, na terra para onde forem levados em cativeiro, tornarem a si, e se converterem, e, na terra do seu cativeiro, a ti suplicarem, dizendo: Pecamos, e perversamente fizemos, e impiamente procedemos, 38 e se converterem a ti com todo o seu cora√ß√£o e com toda a sua alma, na terra do seu cativeiro, a que os levaram presos, e orarem para a banda da sua terra que deste a seus pais, e desta cidade que escolheste e desta casa que edifiquei ao teu nome, 39 ouve, ent√£o, desde os c√©us, do assento da tua habita√ß√£o, a sua ora√ß√£o e as suas s√ļplicas, e executa o seu direito, e perdoa ao teu povo que houver pecado contra ti. 40 Agora, pois, √≥ meu Deus, estejam os teus olhos abertos, e os teus ouvidos atentos √† ora√ß√£o deste lugar. 41 Levanta-te, pois, agora, SENHOR Deus, e entra para o teu repouso, tu e a arca da tua fortaleza; e os teus sacerdotes, √≥ SENHOR Deus, sejam vestidos de salva√ß√£o, e os teus santos se alegrem do bem. 42 Ah! SENHOR Deus, n√£o fa√ßas virar o rosto do teu ungido; lembra-te das miseric√≥rdias de Davi, teu servo. O fogo e a gl√≥ria de Deus s√£o os sinais da sua aprova√ß√£o 7 E, acabando Salom√£o de orar, desceu fogo do c√©u e consumiu o holocausto e os sacrif√≠cios; e a gl√≥ria do SENHOR encheu a casa. 2 E os sacerdotes n√£o podiam entrar na Casa do SENHOR, porque a gl√≥ria do SENHOR tinha enchido a Casa do SENHOR. 3 E todos os filhos de Israel, vendo descer o fogo e a gl√≥ria do SENHOR sobre a casa, encurvaram-se com o rosto em terra sobre o pavimento, e adoraram, e louvaram o SENHOR, porque √© bom, porque a sua benignidade dura para sempre. 4 E o rei e todo o povo ofereciam sacrif√≠cios perante o SENHOR. 5 E o rei Salom√£o ofereceu sacrif√≠cios de bois, vinte e dois mil, e de ovelhas, cento e vinte mil; e o rei e todo o povo consagraram a Casa de Deus. 6 E os sacerdotes, segundo as suas turmas, estavam em p√©, como tamb√©m os levitas com os instrumentos m√ļsicos do SENHOR, que o rei Davi tinha feito, para louvarem o SENHOR, porque a sua benignidade dura para sempre, quando Davi o louvava pelo minist√©rio deles; e os sacerdotes tocavam as trombetas defronte deles, e todo o Israel estava em p√©. 7 E Salom√£o santificou o meio do p√°tio que estava diante da Casa do SENHOR; porquanto ali tinha ele oferecido os holocaustos e a gordura dos sacrif√≠cios pac√≠ficos; porque no altar de metal, que Salom√£o tinha feito, n√£o poderia caber o holocausto, e a oferta de manjares, e a gordura. 8 E, assim, naquele tempo, celebrou Salom√£o a festa sete dias, e todo o Israel com ele, uma muito grande congrega√ß√£o, desde a entrada de Hamate at√© ao rio do Egito. 9 E, ao dia oitavo, celebraram o dia da restri√ß√£o, porque sete dias celebraram a consagra√ß√£o do altar e sete dias, a festa. 10 E, no dia vig√©simo terceiro do s√©timo m√™s, o rei deixou ir o povo para as suas tendas, alegres e de bom √Ęnimo, pelo bem que o SENHOR tinha feito a Davi, e a Salom√£o, e a seu povo de Israel. Deus aparece a Salom√£o pela segunda vez e lhe faz promessas 11 Assim, Salom√£o acabou a Casa do SENHOR e a casa do rei; e tudo quanto Salom√£o intentou fazer na Casa do SENHOR e na sua casa, prosperamente o efetuou. 12 E o SENHOR apareceu de noite a Salom√£o e disse-lhe: Ouvi tua ora√ß√£o e escolhi para mim este lugar para casa de sacrif√≠cio. 13 Se eu cerrar os c√©us, e n√£o houver chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; 14 e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, ent√£o, eu ouvirei dos c√©us, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 15 Agora, estar√£o abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos √† ora√ß√£o deste lugar. 16 Porque, agora, escolhi e santifiquei esta casa, para que o meu nome esteja nela perpetuamente; e nela estar√£o fixos os meus olhos e o meu cora√ß√£o todos os dias. 17 Quanto a ti, se andares diante de mim, como andou Davi, teu pai, e fizeres conforme tudo o que te ordenei, e guardares os meus estatutos e os meus ju√≠zos, 18 tamb√©m confirmarei o trono do teu reino, conforme o concerto que fiz com Davi, teu pai, dizendo: N√£o te faltar√° var√£o que domine em Israel. 19 Por√©m, se v√≥s vos desviardes, e deixardes os meus estatutos e os meus mandamentos, que vos tenho proposto, e fordes, e servirdes a outros deuses, e vos prostrardes a eles, 20 ent√£o, os arrancarei da minha terra que lhes dei, e lan√ßarei da minha presen√ßa esta casa que consagrei ao meu nome, e farei com que seja por prov√©rbio e mote entre todas as gentes. 21 E, desta casa, que fora t√£o exaltada, qualquer que passar por ela se espantar√° e dir√°: Por que fez o SENHOR assim com esta terra e com esta casa? 22 E dir√£o: Porquanto deixaram o SENHOR, Deus de seus pais, que os tirou da terra do Egito, e se deram a outros deuses, e se prostraram a eles, e os serviram; por isso, ele trouxe sobre eles todo este mal.


 

O que aconteceu em cada dia da Semana Santa, que se chama Santa? Na semana conhecida como a Semana Santa, Jesus entrou em Jerusal√©m para celebrar a P√°scoa, passou seus √ļltimos momentos com os disc√≠pulos, instituiu a Santa Ceia, foi crucificado e ressuscitou. Essa semana foi muito importante, porque foi a√≠ que Jesus cumpriu sua miss√£o de salvar o mundo. Voc√™ faz parte e √© a real motiva√ß√£o de Jesus vem por Salvar quem o aceita. Jo√£o 3-16 Domingo de Ramos: a entrada triunfal Nesse dia, Jesus entrou em Jerusal√©m, montado em um jumento. O povo se juntou para lhe dar as boas-vindas e muitas pessoas colocaram ramos e mantos no ch√£o diante de Jesus (Mateus 21:8-9). A multid√£o aclamou Jesus como o Messias, o salvador prometido por Deus. Ao fim do dia, Jesus saiu de Jerusal√©m e foi dormir na cidade vizinha, Bet√Ęnia. Segunda, ter√ßa e quarta-feira: Jesus ensina em Jerusal√©m Nos pr√≥ximos dias depois da entrada triunfal, Jesus entrava em Jerusal√©m de manh√£, depois sa√≠a ao fim da tarde para Bet√Ęnia. Durante o dia, ele ensinava o povo no templo sobre o reino de Deus. Na segunda-feira, no caminho para Jerusal√©m, Jesus amaldi√ßoou uma figueira, porque n√£o tinha fruto (Marcos 11:12-14). Depois, Jesus entrou no templo e expulsou os mercadores, acusando-os de tornar a casa de Deus em um mercado e um lugar de ladr√Ķes (Marcos 11:15-17). Quando voltou para Bet√Ęnia, a figueira amaldi√ßoada tinha secado! Durante esses tr√™s dias, Jesus debateu com os l√≠deres religiosos e ensinou v√°rias coisas importantes: • Explicou sobre a ressurrei√ß√£o e sobre qual era o maior mandamento • Contou par√°bolas sobre a salva√ß√£o e o fim dos tempos • Explicou sobre o pagamento de impostos • Disse quais seriam os sinais do fim dos tempos • Profetizou sobre sua morte e ressurrei√ß√£o Os l√≠deres religiosos se sentiram amea√ßados com os ensinamentos e a popularidade de Jesus. Por isso, durante esses dias, procuraram uma forma de matar Jesus. Foi nesse tempo que Judas se ofereceu para trair Jesus em troca de dinheiro (Lucas 22:3-5). Quinta-feira: a √ļltima ceia Essa quinta-feira era o dia de celebrar a P√°scoa judaica. Seguindo as instru√ß√Ķes de Jesus, os disc√≠pulos prepararam uma sala e se reuniram com ele para o jantar da P√°scoa. Antes do jantar, Jesus lavou os p√©s dos disc√≠pulos, ensinando-os a ser humildes e a servirem uns aos outros (Jo√£o 13:12-14). Enquanto comiam, Jesus tomou o p√£o, deu gra√ßas e repartiu-o com os disc√≠pulos. Ele fez o mesmo com o vinho. Jesus explicou que o p√£o simbolizava seu corpo e o vinho seu sangue, que em breve iriam ser dados pelos disc√≠pulos (Lucas 22:19-20). Ele ordenou que tomassem esses s√≠mbolos para lembrar de sua morte, at√© sua vinda. Foi assim que surgiu a Santa Ceia. Jesus tamb√©m avisou que um dos doze ap√≥stolos o iria trair. Ent√£o, Judas saiu para entregar Jesus √†s autoridades. Jesus ainda previu que os outros disc√≠pulos o iriam abandonar e que Pedro o iria negar. No fim do jantar, eles cantaram um hino e foram para o jardim do Gets√™mani para orar. Jesus passou algum tempo em ora√ß√£o, se preparando para o que vinha a seguir. Ent√£o Judas veio com guardas para prender Jesus (Lucas 22:47-48). De in√≠cio, os disc√≠pulos tentaram lutar mas depois fugiram, deixando Jesus sozinho. Jesus foi levado para a casa do sumo-sacerdote para ser julgado. Sexta-feira Santa: a crucifica√ß√£o Durante a noite e a manh√£ de sexta-feira, Jesus foi interrogado pelo sumo-sacerdote, o governador Pilatos e o rei Herodes. Ele foi gozado, espancado e chicoteado. Os guardas romanos colocaram uma coroa de espinhos em sua cabe√ßa, ridicularizando-o por ser chamado de rei. Quando viu o que tinha feito, Judas cometeu suic√≠dio. Pedro seguiu Jesus de longe mas, quando foi confrontado por ser um de seus disc√≠pulos, ele negou conhecer Jesus tr√™s vezes. Pilatos viu que Jesus era inocente e tentou livr√°-lo, mas viu que a multid√£o estava se revoltando. Para evitar mais viol√™ncia, Pilatos decidiu condenar Jesus √† crucifica√ß√£o, apesar de ser inocente (Marcos 15:13-15). Jesus foi crucificado por volta do meio-dia, junto com dois ladr√Ķes. O c√©u ficou escuro at√© cerca das tr√™s da tarde, quando Jesus morreu. Naquele momento, houve um grande terremoto e o v√©u do templo foi rasgado de cima a baixo (Mateus 27:50-52). Quando ficou confirmado que Jesus estava morto, ele foi sepultado em um lugar pr√≥ximo. Uma grande pedra foi colocada na entrada e todos foram embora para cumprir o s√°bado. S√°bado: o t√ļmulo √© guardado O s√°bado era um dia obrigat√≥rio de descanso para os judeus, ent√£o os disc√≠pulos ficaram em casa. Os sacerdotes falaram com Pilatos e ganharam permiss√£o para colocar um destacamento de soldados a guardar o t√ļmulo de Jesus. Para ainda maior seguran√ßa, a pedra foi lacrada (Mateus 27:65-66). Os disc√≠pulos n√£o teriam forma de roubar o corpo. Domingo de P√°scoa: a ressurrei√ß√£o Logo de manh√£ cedo, houve mais um terremoto, a pedra foi removida do t√ļmulo e um anjo apareceu. Os guardas ficaram cheios de medo e fugiram para contar tudo aos sacerdotes (Mateus 28:2-4). Algumas mulheres, que tinham vindo completar as tradi√ß√Ķes de sepultamento do corpo, viram o anjo e o t√ļmulo vazio e foram contar aos ap√≥stolos. No caminho, encontraram Jesus, que falou com elas! Quando ouviram tudo, Pedro e Jo√£o foram ao sepulcro e viram que estava vazio. Jesus tamb√©m apareceu a dois disc√≠pulos que estavam caminhando para Ema√ļs. Depois, ao fim do dia, ele apareceu a todos os disc√≠pulos, que se tinham reunido e estavam trocando hist√≥rias sobre o que tinha acontecido nesse dia (Jo√£o 20:19-20). Depois de uma semana de grandes eventos e uma terr√≠vel desilus√£o, Jesus estava vivo novamente! Ele tinha cumprido sua miss√£o. Ele pagou pelos pecado do mundo na cruz e venceu a morte. Por causa do que aconteceu na Semana Santa, todos podemos ser salvos e ter a vida eterna.


 

segunda-feira, 11 de abril de 2022

A VIDA EM DEUS E POR DEUS EM JESUS AM√ČM





 

O que √© um chamado de Deus e como ele pode mudar sua vida? pode mudar sua vida? Fam√≠lia Crist√£ | maio 2, 2019 | Vida Crist√£ A ideia de ter um chamado de Deus √© algo muito comum nas igrejas evang√©licas, mas poucas pessoas entendem o real significado desse termo utilizado. O sentido primordial √©: o chamado de Deus √© o plano que Ele tem para cada um, o prop√≥sito principal da sua caminhada com Ele, a voca√ß√£o que Ele colocou em voc√™. Quando falamos sobre o chamado de Deus, separamos aquele que √© deixado para todos os crist√£os e tamb√©m aquele individual para cada pessoa. Precisamos levar em conta que, como igreja, somos corpo de Cristo e cada membro do corpo n√£o pode desempenhar a mesma fun√ß√£o, se n√£o de nada adianta. Um precisa ser as pernas para andar, outros a boca para falar, outros as m√£os para tocar… Deus nos criou de forma distinta para, um dia, sermos um corpo perfeito para a gl√≥ria Dele. Que tal saber um pouco mais sobre esse assunto? D√™ uma olhada! Como identificar se estou recebendo o chamado de Deus? Como dissemos, h√° o chamado de Deus individual, em que cada pessoa tem seu dom e sua voca√ß√£o para o crescimento do Reino, e o chamado geral, em que o primeiro passo √© se relacionar intimamente com Deus e, o segundo, √© levar sua palavra para toda criatura. Todos recebemos um chamado! Todos n√≥s somos chamados para um relacionamento pr√≥ximo do Pai e cada um possui objetivos atrelados ao plano eterno de Deus para a humanidade. Deus nos d√° a liberdade para fazermos escolhas e para decidirmos seguir ou n√£o a Jesus, mas isso n√£o faz com que deixemos de ser seres espirituais que anseiam pela eternidade. N√≥s sentimos falta de um complemento antes de nos relacionarmos de maneira real com Cristo. O chamado de Deus √© sempre pr√°tico: busc√°-lo de todo o cora√ß√£o e fazer a sua vontade, essa √© nossa maior voca√ß√£o. Atrav√©s do chamado geral realizado, depois de ter um relacionamento pr√≥ximo com Deus, seguindo seus princ√≠pios em amor, voc√™, aos poucos, encontra o seu chamado individual. Esse chamado pode se assumir em algum minist√©rio, ir para algum lugar ou cuidar de alguma vida. Para identificar se voc√™ recebeu o seu chamado, fique atento ao que Deus tem colocado sob sua responsabilidade, seja o cuidado de uma c√©lula, o dom da m√ļsica ou a facilidade de falar sobre Cristo. Caso voc√™ ainda n√£o tenha um, talvez Ele esteja te preparando ou voc√™ s√≥ n√£o percebeu o que Ele j√° deixou em suas m√£os. Aproxime-se mais de Deus, ore, pergunte a Ele o que Ele reservou para voc√™! Quero cumprir o chamado: e agora? Cumprir o chamado de Deus √© uma decis√£o maravilhosa e muito importante na vida de qualquer crist√£o. N√£o se trata apenas de fazer o que Ele diz, mas, sim, de entregar sua vida a favor do Reino. √Č abrir m√£o dos seus planejamentos para aceitar o plano de Deus que √© maior e mais perfeito que os seus. E voc√™ precisa entender que toda a luta vivida te moldar√° para a realiza√ß√£o do seu chamado, assim como os maiores exemplos de homens de f√© que a b√≠blia traz, que passaram por dificuldades e situa√ß√Ķes sofridas para moldar seu car√°ter e se preparem para o que Deus tinha para eles. Por exemplo, Mois√©s, que livrou o povo do Egito, Davi, que foi um rei que seguia o cora√ß√£o de Deus, e at√© o pr√≥prio Jesus, que foi humilhado e levado para morrer na cruz. Nossa luta n√£o √© contra pessoas, mas contra o espiritual, seres que habitam nesse mundo e querem afastar o m√°ximo poss√≠vel os humanos da Gra√ßa e o amor de Deus. N√≥s devemos estar preparados para enfrentar as batalhas tanto carnais como espirituais. Por isso, quanto maior a luta que voc√™ enfrenta, maior √© a sua capacita√ß√£o para o chamado que Deus te reservou e maior √© a chance de voc√™ n√£o se abalar com as circunst√Ęncias que o inimigo vai colocar a sua porta. E o √ļltimo e mais importante ponto para cumprir o chamado, √© entender que voc√™ n√£o deve cumpri-lo por medo do inferno ou pela religiosidade humana e, sim, pelo amor por Deus, que nos amou primeiro e derramou gra√ßas sobre n√≥s, a compaix√£o pela humanidade e o entendimento de que voc√™ √© t√£o pecador quanto qualquer, mas o Pai te chamou e te transformou em filho(a). O que √© um chamado de Deus e como ele pode mudar sua vida? Fam√≠lia Crist√£ | maio 2, 2019 | Vida Crist√£ A ideia de ter um chamado de Deus √© algo muito comum nas igrejas evang√©licas, mas poucas pessoas entendem o real significado desse termo utilizado. O sentido primordial √©: o chamado de Deus √© o plano que Ele tem para cada um, o prop√≥sito principal da sua caminhada com Ele, a voca√ß√£o que Ele colocou em voc√™. Quando falamos sobre o chamado de Deus, separamos aquele que √© deixado para todos os crist√£os e tamb√©m aquele individual para cada pessoa. Precisamos levar em conta que, como igreja, somos corpo de Cristo e cada membro do corpo n√£o pode desempenhar a mesma fun√ß√£o, se n√£o de nada adianta. Um precisa ser as pernas para andar, outros a boca para falar, outros as m√£os para tocar… Deus nos criou de forma distinta para, um dia, sermos um corpo perfeito para a gl√≥ria Dele. Que tal saber um pouco mais sobre esse assunto? D√™ uma olhada! Como identificar se estou recebendo o chamado de Deus? Como dissemos, h√° o chamado de Deus individual, em que cada pessoa tem seu dom e sua voca√ß√£o para o crescimento do Reino, e o chamado geral, em que o primeiro passo √© se relacionar intimamente com Deus e, o segundo, √© levar sua palavra para toda criatura. Todos recebemos um chamado! Todos n√≥s somos chamados para um relacionamento pr√≥ximo do Pai e cada um possui objetivos atrelados ao plano eterno de Deus para a humanidade. Deus nos d√° a liberdade para fazermos escolhas e para decidirmos seguir ou n√£o a Jesus, mas isso n√£o faz com que deixemos de ser seres espirituais que anseiam pela eternidade. N√≥s sentimos falta de um complemento antes de nos relacionarmos de maneira real com Cristo. O chamado de Deus √© sempre pr√°tico: busc√°-lo de todo o cora√ß√£o e fazer a sua vontade, essa √© nossa maior voca√ß√£o. Atrav√©s do chamado geral realizado, depois de ter um relacionamento pr√≥ximo com Deus, seguindo seus princ√≠pios em amor, voc√™, aos poucos, encontra o seu chamado individual. Esse chamado pode se assumir em algum minist√©rio, ir para algum lugar ou cuidar de alguma vida. Para identificar se voc√™ recebeu o seu chamado, fique atento ao que Deus tem colocado sob sua responsabilidade, seja o cuidado de uma c√©lula, o dom da m√ļsica ou a facilidade de falar sobre Cristo. Caso voc√™ ainda n√£o tenha um, talvez Ele esteja te preparando ou voc√™ s√≥ n√£o percebeu o que Ele j√° deixou em suas m√£os. Aproxime-se mais de Deus, ore, pergunte a Ele o que Ele reservou para voc√™! Quero cumprir o chamado: e agora? Cumprir o chamado de Deus √© uma decis√£o maravilhosa e muito importante na vida de qualquer crist√£o. N√£o se trata apenas de fazer o que Ele diz, mas, sim, de entregar sua vida a favor do Reino. √Č abrir m√£o dos seus planejamentos para aceitar o plano de Deus que √© maior e mais perfeito que os seus. E voc√™ precisa entender que toda a luta vivida te moldar√° para a realiza√ß√£o do seu chamado, assim como os maiores exemplos de homens de f√© que a b√≠blia traz, que passaram por dificuldades e situa√ß√Ķes sofridas para moldar seu car√°ter e se preparem para o que Deus tinha para eles. Por exemplo, Mois√©s, que livrou o povo do Egito, Davi, que foi um rei que seguia o cora√ß√£o de Deus, e at√© o pr√≥prio Jesus, que foi humilhado e levado para morrer na cruz. Nossa luta n√£o √© contra pessoas, mas contra o espiritual, seres que habitam nesse mundo e querem afastar o m√°ximo poss√≠vel os humanos da Gra√ßa e o amor de Deus. N√≥s devemos estar preparados para enfrentar as batalhas tanto carnais como espirituais. Por isso, quanto maior a luta que voc√™ enfrenta, maior √© a sua capacita√ß√£o para o chamado que Deus te reservou e maior √© a chance de voc√™ n√£o se abalar com as circunst√Ęncias que o inimigo vai colocar a sua porta. E o √ļltimo e mais importante ponto para cumprir o chamado, √© entender que voc√™ n√£o deve cumpri-lo por medo do inferno ou pela religiosidade humana e, sim, pelo amor por Deus, que nos amou primeiro e derramou gra√ßas sobre n√≥s, a compaix√£o pela humanidade e o entendimento de que voc√™ √© t√£o pecador quanto qualquer, mas o Pai te chamou e te transformou em filho(a).


 

quarta-feira, 6 de abril de 2022

RESUMO Este artigo proporciona um maior entendimento sobre a ora√ß√£o. O objetivo √© analisar a import√Ęncia da ora√ß√£o na vida do crist√£o. A metodologia utilizada foi pesquisa bibliogr√°fica com a finalidade de levantar informa√ß√Ķes para um melhor esclarecimento sobre o tema e o resultado foi satisfat√≥rio sobre a import√Ęncia da intimidade com Deus atrav√©s da ora√ß√£o. No desenvolvimento do texto observamos que a ora√ß√£o √© mais que essencial na intimidade entre a criatura para com Criador. Palavras-chave: Ora√ß√£o, Intimidade com Deus, Perseveran√ßa. INTRODU√á√ÉO Estaremos analisando o porqu√™ a pr√°tica da ora√ß√£o √© preponderante na vida do crist√£o. Tendo como objetivo geral analisar a import√Ęncia da ora√ß√£o na vida crist√£ e os seus efeitos. Apresentando como objetivo espec√≠ficos pessoas que tiveram uma vida de ora√ß√£o. Tendo-se escolhido o tema por se tratar a ora√ß√£o uma das pr√°ticas crist√£ que nos far√° estarmos mais √≠ntimos de Deus. Primeiramente devemos entender profundamente o significado dessa t√£o conhecida e am√°vel palavra Ora√ß√£o, segundo o Dicion√°rio da B√≠blia de Almeida (1999, p. 120) ORA√á√ÉO √©: Uma aproxima√ß√£o da pessoa a Deus por meio de palavras ou de pensamento, em particular ou em p√ļblico. Inclui confiss√£o (Sl 51), adora√ß√£o (Sl 95.6-9; Ap 11.17), comunh√£o (Sl 103.1-8), gratid√£o (1Tm 2.1), peti√ß√£o pessoal (2Co 12.8) e intercess√£o pelos outros (Rm 10.1) Para ser atendida, a ora√ß√£o requer purifica√ß√£o (Sl 66.18), f√© (Hb 11:6), vida em uni√£o com Cristo (Jo 15.7), submiss√£o √† vontade de Deus (1Jo 5.14-15; Mc 14.32-36), dire√ß√£o do Esp√≠rito Santo (Jd 20), esp√≠rito de perd√£o (Mt 6.12) e relacionamento correto com as pessoas (1Pe 3.7). Jesus nos deu o exemplo dessa aproxima√ß√£o com o Pai atrav√©s de palavras, ou seja, nos deu o exemplo de uma vida de ora√ß√£o e nos ensinou para assim fazermos tamb√©m, nos ensinando a ora√ß√£o do Pai Nosso descrita no evangelho de Mateus: 6:9 como uma ora√ß√£o modelo, e nos vers√≠culos anteriores, vers√≠culo: 6, que ele diz as multid√Ķes no decorrer do seu serm√£o da montanha, dizendo: Mas quando voc√™ for orar, v√° para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que est√° em secreto. Ent√£o seu Pai, que v√™ em secreto, o recompensar√°. √Č claro que ao lermos o contexto desse vers√≠culo de Mateus: 6:6, vemos que Jesus aconselha a multid√£o ao seu redor a orar dessa maneira, para fazerem diferentemente dos fariseus ao qual ele retrata no vers√≠culo: 5 como hip√≥critas, pois o intuito deles orarem eram de serem vistos pelos homens aonde eles gostavam de orar em p√© nas sinagogas, √°s esquinas das ruas para serem reconhecidos pelos homens como os “Espirituais”, aonde Jesus alerta a multid√£o a fazer o inverso, de orar buscando o reconhecimento celestial e n√£o o terreno. Vejo que ao mesmo tempo que Jesus aconselhou a multid√£o a orar dessa forma naquela √©poca na idade antiga, da mesma forma Jesus espera que hoje na p√≥s-modernidade viemos assim fazer, tirando um tempo para Ele todos os dias em nosso quarto, para alcan√ßarmos essa intimidade com Ele por meio da ora√ß√£o. Me lembro que esse vers√≠culo, das palavras de Jesus de Mateus: 6:6, me marcou muito a primeira vez que eu o li e outras vezes que reli em minha juventude, aonde a partir da√≠ comecei ao colocar em pratica em minha vida, tirando todos os dias, um momento do dia, para entrar no meu quarto, fechar a porta e orar a Deus, me lembro que comecei a orar 5 minutos e a colocar uma m√ļsica de fundo, para ouvir somente a minha voz, a m√ļsica e nada ao meu redor em minha casa, para me concentrar melhor em minha ora√ß√£o, e o interessante que depois de alguns dias orando todos os dias 5 minutos no quarto, comecei a perceber que 5 minutos n√£o estavam sendo o suficiente para tantas coisas que vinham automaticamente para orar, ent√£o passei a orar 10 minutos no quarto, depois de um tempo 15 minutos, at√© come√ßar a orar 1 hora por dia no quarto. Sendo que ao obedecer a esse ensinamento de Cristo, passei a crescer muito espiritualmente e a ser transformado dia ap√≥s dia por Cristo em minha juventude aos 15 anos de idade, e a perceber que s√£o esses momentos dia ap√≥s dia no quarto que nos tornamos mais forte, pois √© um momento que nos desligamos completamente desse mundo (natural), para nos conectarmos diretamente com o mundo (sobrenatural) com Deus. Pois devemos entender que a ora√ß√£o n√£o ir√° mudar Deus, mas ir√° mudar cada um de n√≥s. Devemos ter em mente como se fosse cravado em nosso ser, que a intimidade com Deus atrav√©s da ora√ß√£o √© crucial na vida espiritual de todo crist√£o, Lopes (2000, p. 70) diz: A ora√ß√£o √© uma via de m√£o dupla, onde nos deleitamos em Deus e Deus tem prazer em n√≥s. N√£o apenas Jesus buscava a intimidade com o Pai, mas tamb√©m o Pai tinha prazer em seu filho unig√™nito. “… e eis, vindo na nuvem, uma voz que dizia: Este √© o meu filho amado, em quem me comprazo…” (Mateus 17:5). Diante disso pergunto, ser√° que Deus tem tido prazer em n√≥s? Tem se agradado de n√≥s por estarmos nos deleitando Nele? Ser√° que o Pai tem nos olhado l√° de cima e dizendo de n√≥s o mesmo que disse de Jesus conforme esse vers√≠culo de Mateus: 17:5: Esse √© o meu filho amado em quem me comprazo? Ser√° que Deus tem olhado para n√≥s e tem nos dito as mesmas palavras que disse sobre J√≥ a Satan√°s, conforme descrito em J√≥: 1:8: Disse ent√£o o Senhor a Satan√°s: “Reparou em meu servo J√≥? N√£o h√° ningu√©m na terra como ele, irrepreens√≠vel, √≠ntegro, homem que teme a Deus e se desvia do mal.” Charles Spurgeon um grande pregador Brit√Ęnico do s√©culo: XIX, conhecido como: O pr√≠ncipe dos pregadores, disse certa vez: Se formos fracos em nossa comunh√£o com Deus, seremos fracos em tudo. Devemos entender que a ora√ß√£o √© mais que essencial para a nossa vida conforme Jesus nos mostrou, pois como diz certa frase: a ora√ß√£o atrav√©s da f√©, nos faz crer no incr√≠vel, ver o invis√≠vel e realizar o imposs√≠vel. Nee (1986, p.51) afirma: A ora√ß√£o exercita o esp√≠rito, que por sua vez √© fortalecido por meio de tal exerc√≠cio. A neglig√™ncia na ora√ß√£o seca o homem interior. Nada pode substitu√≠-la, nem mesmo a obra crist√£. Muitos est√£o preocupados com a obra, e concedem pouco tempo √† ora√ß√£o. Essas palavras de Watchman Nee de seu livro: O homem espiritual, fala profundamente a realidade de muitos crist√£os em nossa p√≥s-modernidade, e muitos s√£o esses crist√£os que est√£o com o seu interior sedentos por negligenciarem a ora√ß√£o, aonde n√£o conseguem serem saciados, preenchidos nem pelos seus atos corriqueiros de crist√£o, pois somente a ora√ß√£o preencher√° esse vazio, por isso Jesus falando sobre a persist√™ncia da ora√ß√£o em Mateus capitulo 7, afirma em Mateus: 7:8: Pois todo o que pede, recebe, o que busca, encontra, e aquele que bate, a porta ser√° aberta. Ou seja, somente buscando a intimidade com o Pai atrav√©s da ora√ß√£o e n√£o fazendo outros atos corriqueiros de crist√£o, vamos encontrar e ter o preenchimento da abund√Ęncia de Cristo em nosso interior e n√£o a seca, e assim estarmos bem com o nosso Criador, pois como se diz: Nada melhor do que estar bem com Deus. Nee (1986, p. 51) tamb√©m afirma: “O homem espiritual fica mais forte por meio de tais exerc√≠cios, porque se o crente ora frequentemente com seu esp√≠rito, sua efic√°cia espiritual aumentar√° grandemente. ” Devemos compreender que a ora√ß√£o al√©m de nos saciar interiormente, ir√° nos trazer for√ßas para vencermos as tenta√ß√Ķes e afli√ß√Ķes do dia-a-dia, quanto que a respeito de vencermos as tenta√ß√Ķes atrav√©s da ora√ß√£o, Jesus bem afirmou isso no Gets√™mani para Pedro, Tiago e Jo√£o, conforme descrito em Mateus: 26:41: “Vigiem e orem para n√£o ca√≠rem em tenta√ß√£o…”, assim devemos fazer como disse Jesus para n√£o cairmos em tenta√ß√£o, pois como ele diz na sequ√™ncia do vers√≠culo, o nosso espirito est√° pronto, mas a nossa carne √© fraca, ou seja, se n√≥s estivermos fortalecendo dia a ap√≥s dia o nosso espirito atrav√©s da ora√ß√£o, ele se tornar√° cada dia mais forte, e assim consequentemente venceremos mais facilmente a nossa carne que √© fraca, e √© tendenciosa para nos fazer afastar de Deus. Quanto vencer as afli√ß√Ķes por meio da ora√ß√£o, Jesus tamb√©m nos disse conforme descrito em Mateus capitulo: 7, contando a par√°bola da casa edificada sobre a areia e a casa edificada sobre a rocha, que se assemelha aquele que ouve as suas palavras, mas a diferen√ßa est√° que aquele que ouve as suas palavras e n√£o as coloca em pratica se assemelha a casa edificada sobre a areia, aonde cai a chuva, transbordam os rios e sopram os ventos sobre essa casa, e facilmente ela cai, e assim s√£o aqueles que apenas ouvem suas palavras mas n√£o as praticam, mas j√° aqueles que ouvem as suas palavras e as colocam em pratica se assemelha a casa edificada sobre a rocha, aonde conforme o vers√≠culo: 25 de Mateus capitulo 7: Cai a chuva, transbordam os rios, sopram os ventos com impeto contra essa casa, e ela n√£o caiu, porque esta alicer√ßada sobre a rocha, e assim s√£o aqueles que as colocam as suas palavras em pratica. Ou seja assim tamb√©m s√£o todos aqueles que praticam a ora√ß√£o que se inclui e tamb√©m nessa pratica que Jesus afirma nessa par√°bola, pois assim vemos Jesus dizer nos cap√≠tulos anteriores que tamb√©m faz parte de tudo aquilo que Cristo disse nesse seu famoso Serm√£o da Montanha, come√ßando em Mateus capitulo 5 e finalizando com essa par√°bola em Mateus cap√≠tulo 7. Portanto, basta orarmos para encontrarmos for√ßas para vencermos as afli√ß√Ķes, sendo uma casa edificada sobre a rocha como disse o Mestre. A ora√ß√£o al√©m de nos fazer sermos mais √≠ntimos do Pai, √© tamb√©m uma eminente ferramenta para aben√ßoarmos ao nosso pr√≥ximo, j√° dizia certa frase: Uma das maneiras mais poderosas de se amar algu√©m √© orando por ela. Duewel (1996, p. 32) diz: A ora√ß√£o √© o caminho certo para a b√™n√ß√£o, e a ora√ß√£o √© o maior meio de ser uma b√™n√ß√£o para outros. A ora√ß√£o √© o dom de Deus para aben√ßoar outros. Oh, encha cada dia com ora√ß√Ķes de b√™n√ß√£o e aproprie-se do tremendo poder que Deus lhe concedeu! Atrav√©s de nossas ora√ß√Ķes Deus pode mudar gera√ß√Ķes, vidas e pa√≠ses, que est√£o precisando do seu incondicional e infal√≠vel amor que um dia nos resgatou. Assim como Jesus sendo o pr√≥prio Deus nos deu um imenso exemplo de intimidade para com o Pai atrav√©s da ora√ß√£o, dentre a hist√≥ria encontramos diversos homens que seguiram o seu exemplo. Um deles foi Tiago, o pr√≥prio meio-irm√£o de Jesus, Duewel (1996, p. 12) tamb√©m em seu livro diz o que a hist√≥ria nos diz sobre a vida de ora√ß√£o de Tiago. Quando ele morreu e seu corpo foi preparado para o sepultamento, descobriram que seus joelhos estavam calejados devido √†s horas em que ficava ajoelhado, de tal modo que quase pareciam os joelhos de um camelo. Ele tornou-se conhecido como “Joelhos de Camelo”. Outro deles, dentre esses homens que tiveram um vida de ora√ß√£o, foi Jorge Muller, um servo de Deus que levantou diversos orfanatos e teve uma vida de ora√ß√£o. Boyer (2002, p. 125) diz sobre ele: “Certo pregador, pouco antes da morte de Jorge Muller, perguntou-lhe se orava muito. A resposta foi esta: Algumas horas todos os dias. E ainda vivo no esp√≠rito de ora√ß√£o; oro enquanto ando, enquanto deitado e quando me levanto.” O pr√≥prio Apostolo Paulo nos alertou em 1Tessalonicenses: 5:17, quanto o viver no espirito de ora√ß√£o, quando ele diz nesse vers√≠culo: Orai sem cessar. Ou seja, estarmos orando constantemente, diariamente vivendo no espirito de ora√ß√£o. E muitos outros servos de Deus como: Christmas Evans, Henrique Martyn Charles Spurgeon, Martinho Lutero, J√īnatas Edwards, e tantos outros crist√£os que encontramos na hist√≥ria e na B√≠blia, que entenderam a import√Ęncia da ora√ß√£o e as colocou em pr√°tica. Considera√ß√Ķes finais: Conclu√≠mos que a ora√ß√£o √© de extrema import√Ęncia e essencial na vida crist√£, para assim estarmos mais √≠ntimos de Deus, mais mesmo tendo esse conhecimento, muitas das vezes temos a negligenciado em nosso cotidiano, por isso convido a cada um de n√≥s, fazermos uma alian√ßa com o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, a partir de hoje, buscarmos e nos entregarmos mais a Deus por interm√©dio da ora√ß√£o. REFER√äNCIAS B√≠blia Sagrada. Nova vers√£o internacional. Publicada pela Sociedade B√≠blica Internacional, 2003. Dicion√°rio. Dicion√°rio da B√≠blia Almeida: Barueri, SP: Sociedade B√≠blica do Brasil, 1999 DUEWEL, Wesley L. Toque o mundo atrav√©s da Ora√ß√£o. S√£o Paulo: Editora Candeia, 1996. LOPES, Hernandes Dias. As faces da espiritualidade. S√£o Paulo: Editora Candeia, 2000. MCDOWELL, Josh. Mais que um carpinteiro. Belo Horizonte: Bet√Ęnia, 1989. NEE, Watchman. O homem espiritual: Volume II: Belo Horizonte: Edi√ß√Ķes Parousia, 1986.